22 julho 2013

Fanfiction "Um amor maior que eu" Capítulo 1: Uma oportunidade imperdível


Capa: Eme
Texto/Fic: Rafaela Vargas
Beta: @ValzinhaBarreto
Ilustrações/Gifs:  Rafaela Vargas
Música Tema: Come in with the Rain - Taylor Swift


Capítulo 1 – Uma oportunidade imperdível - participação de Luan Santana!

Logo pela manhã me acordei com o barulho ensurdecedor do meu despertador. Eu estava com muito sono ainda. Desliguei o despertador e fiquei olhando para o teto, a primeira coisa que me veio à cabeça foi “Taylor Lautner”.

É ótimo acordar lembrando o seu sorriso maravilhoso, afinal por todo o dia minha imaginação irá perseguir momentos que eu gostaria de ter com ele, subitamente imaginei seu olhar perto do meu, sua boca tocando a minha, imaginei seu cheiro fazendo-me delirar... A sensação de tê-lo por perto era tão insana que parei de pensar nele, era loucura demais conseguir sentir seu cheiro (sem nunca ter sentido em toda a minha vida), mas esse era mais um dos sentimentos de fã que ninguém consegue explicar.

Demorei dois minutos para me recompor, e minha mãe já estava na porta para me trazer a realidade a tona e me fazer acordar finalmente.

- Alice, se arrume para ir fazer a aula, você vai se atrasar!- Disse ela.

- Tudo bem mãe, já estou indo! – Disse eu com voz de sono.

Levantei-me e fui ao banheiro, me olhei no espelho e me vi. Às vezes eu me desconhecia, o reflexo no espelho era de uma menina de cabelos loiros, longos e cacheados, com olhos azuis, era somente eu e a margem dos meus olhos um pouco avermelhados ainda pelo fato que estava com muito sono. Falei para mim mesma:

“Alice, se concentra que hoje é a ultima revisão para o ENEM!”.

Após fazer meu exercício de concentração matinal, me dirigi a mesa da cozinha onde iniciaria meu café da manhã. A mesa estava farta, com um lindo bolo de chocolate, uma xicara de café com leite, além das frutas e suco de laranja natural que minha mãe faz questão de nunca deixar faltar.

Ele veio em minha mente como sempre vinha, mas ignorei meu devaneio tão cedo e me sentei à mesa para comer, percebi que minha mãe estava me observando.

- O que foi mãe? - Perguntei eu meio curiosa.

-Você esta linda filha.

- Obrigada. – Agradeci confusa.

- Bom dia Família! – Disse uma voz volumosa e alegre.

- Bom dia Pai! Como está você?

- Estou bem filha. Olha, não queria atrapalhar o seu café, mas acho que você esta atrasada. E o metro daqui de Porto Alegre esta saindo mais cedo do que antes.

Olhei para o relógio e já eram 07h45min, minha aula começava as 08h00min. Levantei-me e fui correndo pegar minhas coisas, me despedi de meus pais e fui o mais rápido possível para a estação de metro.
Novamente aquele pensamento me veio à cabeça, entrei, sentei-me em um banco perto da janela e fiquei imaginando o meu futuro...

Todos têm sonhos, aparentemente os meus não semelhavam ser os mais impossíveis, meu sonho era ser arquiteta, viajar pelo mundo inteiro, me casar, ter filhos e envelhecer ao lado do homem que eu amava vendo nossos netos correr ao nosso redor.

É exatamente aqui que entra a impossibilidade, eu não conseguia imaginar um futuro, nem sequer um marido sem que ele fosse Taylor Lautner, ele era com quem eu queria me casar, eram com ele que eu queria ter filhos, era ao lado dele que eu gostaria de envelhecer e ver nossos netos correndo felizes pela casa.

Tudo era impossível e eu ficava cada vez mais sem esperanças quando confrontava minha realidade. Taylor viria ao Brasil em um mês e obviamente iria ao Rio de Janeiro, e eu moro no Sul.

Meus pensamentos foram interrompidos por uma lágrima que estava escorrendo pelo meu rosto, eu sabia qual era o motivo, então a limpei rapidamente e olhei para os lados para ver se tinha alguém olhando. Minha sorte era que estavam todos meio sonolentos ainda.

Quando cheguei ao curso, cumprimentei minha melhor amiga Emile, ela é uma linda menina com cabelos pretos, longos e lisos, pele bem clara e olhos castanhos claros parecidos com os do Taylor e tem 19 anos.  Ela é uma menina  calma, quando me aproximo dela sinto um conforto inexplicável. Ela tem um clima leve, de paz.
 Ela é minha caixinha de segredos, minha companheira, e a única que me dá forças para continuar lutando por Taylor. Sempre quando estou perdendo as esperanças ela vai lá e recoloca em dobro. Ela simplesmente é um Anjo que Deus me deu.
Eu faço curso de arquitetura e revisões gerais para fazer vestibular.
Emile faz faculdade de odontologia na UFRGS, e às vezes vai ao curso para revisar alguns conteúdos.

O sinal tocou e eu tive que me concentrar. Entrei na sala, peguei minhas coisas e comecei a prestar atenção na aula. Às vezes Taylor vinha a minha cabeça, mas com muito esforço tive que parar de pensar nele e prestar atenção na revisão, essa era a ultima e eu tinha que ir bem na prova para realizar meu sonho e conseguir dinheiro para ir pra Los Angeles.

O sinal tocou para a saída, então sai da sala sem muita pressa. Minha amiga estava me esperando ao lado da porta, com os olhos bem esperançosos.

- Qual a novidade? – Eu disse curiosa.

- Amiga, o Renato vai me levar ao show do Luan Santana!

Quando eu escutei as suas palavras fiquei feliz em saber que ela iria conhecer seu ídolo, mas também fiquei triste por ter tanta dificuldade de conhecer o meu.

- Que bom amiga! Espero que tu consigas conversar com ele, estou feliz por você!




E como toda Melhor Amiga conhece sua amiga, ela logo percebeu a tristeza em meu semblante.

- O que foi Lice?

- Nada Emy, esta tudo bem!

- Não está não Lice, eu sei que você fica triste por não conhecer o Taylor, mas escuta o que eu estou te falando você vai conhecer ele, confie em mim!.

- Como você tem tanta certeza?

- Olha, o Rê participou de um concurso pela rádio e ganhou um ingresso com direito a dois acompanhantes para um camarote especial no show do Luan Santana. Eu estou com o regulamento do concurso e olha o que diz no edital, nós poderemos tirar uma foto com ele no seu camarim.

- Isso é maravilhoso, você merece conhecer o Luan amiga!

- Sim, temos 3 ingressos , então vai o Rê, você e eu.

- Por mim tudo bem, vou ficar feliz em ir com você Emile.

- Isso não é tudo Lice, eu estou com uma ideia. Pensa comigo! Se vamos tirar uma foto no camarim dele, teremos a chance de dizer algo, ou pedir algo.




- É claro! Podemos pedir um autógrafo e tirar foto com ele.

- Isso é o básico Alice, eu falo de pedirmos a ele para conseguir um contato com Taylor Lautner e falar sobre você.

- Porque você acha que Luan faria isso?

-  Luan é um cantor famoso, deve ter meios e não custa nada a gente tentar.

Quando escutei o que ela disse fiquei paralisada, senti um calafrio em minhas costas, e percebi um largo sorriso em meu rosto, mas logo depois percebi que isso era impossível, afinal ele tem o trabalho dele, e o trabalho dele não é ficar ajudando as pessoas a conhecerem seus Ídolos. Se bem que Luan é um cara bom e gosta de fazer bem aos outros. Mas isso era praticamente impossível.

- Amiga isso é quase impossível, como que ele vai me ajudar? Isso não tem lógica!

-QUASE! – Disse ela empolgada.

- Mas Emy, isso não...

- Shiiiu, eu sei o que eu devo fazer. - Disse ela me interrompendo.

-Tudo bem, mas já vou logo avisando, isso que você esta falando não tem pé nem cabeça.

Ela apenas sorriu, e nossa conversa foi interrompida com a chegada do Renato.

Eu tinha que admitir que ele era lindo. Renato tinha olhos azuis e cabelos loiros e sempre os deixam para o lado com os fios meio desarranjados. Ele era alto e com poucos músculos, mas parecia ser forte naturalmente.

- O que vocês estão cochichando ai? – Disse ele curioso.

Antes que Emile pudesse começar a falar a ele eu sai. Não queria me iludir. Fui pegar o metro e fiquei o caminho todo pensando no que a Emile tinha dito. Será que isso podia mesmo se tornar realidade?

Minuto a minuto me perguntava se isso poderia se tornar realidade, mas falar com o Luan já era quase impossível, imagina ele fazer um favor para nós.
Quando cheguei em casa fui tomar banho , coloquei meu pijama, peguei meus livros e fui estudar.

Eu estava com aquilo que Emile me dissera na cabeça e estava parecendo ser impossível tirar essa ideia maluca dali. Não conseguia me concentrar para estudar.  Para me distrair eu peguei meu violão branco com detalhe rosa que eu guardara ao lado de minha mesa de estudos. Eu cantava desde os oito anos de idade. No começo eu só cantava em casa trancada em meu quarto, depois fui levando minha música para a escola, meus amigos gostavam de ouvi-las, e me motivaram a continuar cantando na escola, era tão bom escutar a voz deles cantando junto comigo que eu cantava apenas pelos momentos que eram tão bons.

Eu mesma as compunha e a maioria delas foi pensando no Taylor, as letras falam de amor impossível, solidão e somos também impossível, pois é assim que eu sinto. Apesar de toda melancolia descrita  nas letras das minhas músicas a maioria das pessoas que eu conheço, sejam meus amigos, família ou vizinhos se identificam, pois todos ele num ou noutro momento já tiverem seu coração partido.

Quando os elogios dos meus pais passaram a não ser os únicos passei a pensar em cantar para mais pessoas, e como eu praticamente invisível na escola, iniciei minhas participações em musicais da  primaveras, festa junina e em peças teatrais organizados pela dona Lucélia, a diretora da escola, isso me fez ainda mais nerd e pouco popular, todos os professores, diretores e supervisores eram meus admiradores e isso me tornava odiada por praticamente todos, exceto  meu grupo que também era odiado e considerado a escória da escola.

Três vezes por semana eu ia ao Shopping tocar violão na praça de alimentação por onde todos passavam. O único momento em que eu não tinha timidez era quando eu cantava, eu me sentia mais livre uma vez que minhas músicas eram um desabafo, então quando eu cantava tirava um pouco de toda a minha frustação para fora.

No começo quando eu ia tocar no Shopping eu ia só para passar o tempo. Mas depois de algum tempo as pessoas passaram a colocar dinheiro ao lado do banco onde eu sentava e eu aproveitava todo aquele dinheiro e guardava para meus planos de futuro, como por exemplo, ir a Los Angeles conhecer o Taylor.

Eu sabia que apenas as gorjetas não dariam conta pra pagar tudo, mas poderia dar uma ajuda e era algo que estava conquistando. Minha mãe achava a ideia de ir ver o Taylor em Los Angeles absurda abriu uma poupança e eu sempre toda segunda depositar o dinheiro.

Com toda essa correria da ultima semana eu nem tive tempo de pegar meu violão e nem sequer tocar uma musica. Eu só estudava e não dava conta nem de fazer minhas tarefas de casa, nem mesmo de entrar no Blog, porém aquele parecia ser um momento perfeito.

Sentei-me na cama e coloquei meu violão, dedilhei as primeiras notas enquanto o nativo americano me veio a mente, era minha inspiração. Comecei a movimentar meus dedos fazendo leves sons nas cordas do violão pensando em uma musica.


Uma musica que veio diretamente em minha cabeça foi “Come In With The Rain.” Eu a compus no mês retrasado. Aquela musica foi composta pensando no Taylor, pois eu estava mais uma vez sem esperanças, eu passara a acreditar que aquilo tudo não se realizaria, mesmo assim, não conseguia tirá-lo do meu coração.

Em uma das partes da musica diz “Converse com você mesmo, converse com as lágrimas”. Isso era exatamente o que eu fazia. Eu me sentia mais aliviada quando deixava meus pensamentos fluírem e minhas lagrimas rolarem. Sentia-me mais leve.

Cantei-a até o final. Apenas deixei seu toque doce fazer explosão em meu corpo e deixar rolar cada lagrima que necessitava ser liberada.
Cantar me deixava tão leve e tão bem, parecia que eu liberara 50 quilos de cada ombro que pesavam minha alma. Eu tinha um amor pela musica que não sei como explicar, é como se eu vivesse daquilo. É como se a musica fosse o ar que eu respirava.

Dei um longo suspiro e enxuguei minhas lagrimas, por fim larguei meu violão em cima da cama e fui jantar. Ele tomava conta de cada força do meu ser. Conversei um pouco com os meus pais sobre meus exames e meu curso, eu não queria tocar no assunto do Show. não agora, não naquela hora que eu estava me sentindo bem mais leve.

Quando subi para o meu quarto fui direito estudar, quando fui interrompida pelo toque do meu celular.

- Amiga, o show será daqui a quatro dias. Você vai ir?

Fiquei um minuto em silencio.

- Amiga? Por favor, eu quero te ajudar. Essa pode ser a sua chance!

-Amiga... - falei gaguejando.

- Tá legal Amiga, nos veremos no Show daqui a quatro dias.

Antes que eu pudesse responder ela desligou o telefone evitando que eu respondesse algo negativo.

Fui dormir, fiquei pensando em Taylor e em seu sorriso doce até pegar no sono...

Pela manhã me acordei antes mesmo do celular despertar. Fiquei pensando no Taylor e me assustei não só com meus pensamentos, mas também com e a forte chuva que caia.

Estava meio frio, então coloquei uma blusa preta segunda pele e um moletom com uma calça Jeans e calcei meu All star favorito. Eu não sou muito chegada a moda e prefiro usar uma roupa simples que faz com que me sinta confortável.

Desci para tomar café e fui fazer a prova, chegando na Sala , sentei-me num lugar próximo a janela , abri a mesma e fiquei respirando o ar puro que vinha da rua. Com pouca demora, entraram duas professoras dando instruções.

Recebi as provas, tudo o que eu havia estudado estava ali. Eu estava tranquila.

Depois de 4 horas fomos liberados, eu entreguei minha prova, respirei fundo e desejei ser a primeira e ultima vez que entrei naquela sala, pois estava confiante que tinha ido bem.

Cheguei em casa exausta , tomei um banho e fui almoçar. Logo depois fiquei falando um pouco com a Emile no telefone, ela estava muito empolgada, e até tocamos naquele assunto, que até ontem eu achava constrangedor.

Entretanto nesse dia eu estava com uma confiança que nem eu mesma sabia da onde vinha. Minha amiga disse que me esperaria no portão da minha casa, as 07h00min da manhã, na terça-feira.

Eu admito que fiquei empolgada , acho que foi por que mesmo sabendo que Luan não poderia me ajudar eu estava prestes a conseguir uma bolsa de estudo, e também estava prestes a juntar meu próprio dinheiro para conseguir ir para Los Angeles e pelo menos tentar conhecer o Taylor.






Personagens: 


Alice Araújo

Taylor Lautner 


Emile Santana

Luan Santana 

Renato Junior

Vanessa Araújo (Mãe de Alice)


Matheus Araújo (Pai de Alice)

Miguel Araújo ( Irmão de Alice)





Link dos capítulos e sinopse - CLIQUE AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA