24 outubro 2013

Fanfic: No regrets, Just love Capítulo 19 - Insane Night



Point of View, Winn Badhartly
Hoje eu decidi que ia exagerar, sim eu ia aproveitar tudo que não aproveitei durantes esses dias. Olhei para o Taylor, e ele estava me secando de cima a baixo, ele desviou o olhar assim que me viu o olhar, ri baixinho, e me aproximei um pouco segurando sua mão.
-Va
mos nos divertir muito hoje, não vamos?- Eu disse um pouco alto por conta da música.
-Claro que vamos, mas não posso te prometer que será a melhor noite de sua vida.- Ele disse me olhando com um tom de chateação.
-Ei, tudo com você é melhor, então não tenho duvidas que fará dessa noite a mais especial- Sorri pra ele.
Ele se inclinou para selar meus lábios, e ficamos alguns segundos somente sentindo o carinho de ter nossos lábios próximos, até que ele resolveu tomar meus lábios de forma carinhosa, iniciamos um beijo calmo, enquanto ele pousava sua mão em minha coxa, alisando lentamente. Eu sentia um calafrio gostoso, que me fazia sentir no céu, a respiração dele se misturando com a minha, deixava tudo mais perfeito. Ficamos alguns segundos trocando carinho, nos beijando, até que ouvindo um pigarreio, nos afastamos e olhamos para o barman que estava com nossas bebidas.
-Me desculpe, mas aqui estão as bebidas- O barman disse empurrando as bebidas para nós, deixando assim uma de frente pra cada um de nós.
-Obrigado- O Taylor disse, e sorri tímida olhando pra ele.
-Ei que foi gatinha?- Ele disse me olhando nos olhos.
-Só fiquei com vergonha, quando estou com você esqueço de tudo em volta, e até esqueço que estamos num lugar publico.- Sorri ao final da frase, e tomei um gole da minha bebida, ela estava no ponto nem forte, nem fraca demais, do jeito que eu gosto.
-Pare com isso- Ele disse chegando mais perto, ele desceu no banco e ficou mais perto, parado na minha frente, entre minhas pernas, -Olhe lá pra baixo- Ele apontou –As pessoas não estão ligando para o lugar que estão, elas só querem aproveitar a noite, e você deveria fazer o mesmo não acha?
-É, realmente- Eu disse passando os braços ao redor de seu pescoço, -Eu quero aproveitar muito, mas aproveitar com você!
Ele segurou em minha cintura, e me levantou da cadeira, me fazendo ficar no ar alguns instantes, até eu encostar meus pés no chão, então seus lábios foram de encontro ao meu, e eu pude sentir o gosto de bebida de sua boca, se misturar com o que estava na minha boca, formando assim um sabor incomparável e perfeito. Ele me beijava como se precisasse daquilo pra viver, e eu correspondia da mesma forma, e a cada segundo eu aproveitava mais, porque foi isso que prometi pra ele. Nos separamos lentamente e olhei para os seus lábios vermelhos, sorri sem jeito, e peguei minha bebida, tomando gole a gole.
Ele segurou a minha mão que não estava ocupada pelo copo, e me levou de volta para a area onde podíamos ver tudo que acontecia lá embaixo. Sorri pra ele, e logo ele me levou até a barra de ferro que evitava qualquer acidente do andar de cima, eu segurei a mesma, e sorri olhando a animação do povo lá embaixo. Dei uma golada em minha bebida, e senti o Taylor se encostar atrás de mim, uma de suas mãos segurava a barra de ferro também, e a outra segurava o copo, eu não estava diferente, a única diferença era que eu me encontrava na frente e ele atrás como se tivesse me protegendo de algo. Ele encostou seu nariz em meu pescoço, e suspirou forte no local, pude sentir até o último poro do meu corpo se abrir, me deixando completamente arrepiada. Então ele começou a selar seus lábios em meu pescoço, eu nem preciso dizer que fiquei mais arrepiada ainda né?
Senti ele se afastar um pouco, e olhei para trás, vi que ele tinha ido deixar seu copo na lixeira ali perto. Então voltei a olhar lá pra baixo, então começou a toca We own the Night, do The Wanted, na hora me animei, aquela era uma das minhas músicas favoritas. Tomei os últimos goles do meu primeiro drink e levei meu copo até o lixo, enquanto o Taylor já tinha voltado. Então parei em frente a barra de ferro, e sem perceber comecei a mexer meu corpo no ritmo da música, logo senti uma presença atrás de mim. Sim era ele, ele segurava possessivamente minha cintura, e prendia seu corpo ao meu, quando eu ia parar de me mexer, ele me forçou a mexer junto com ele. Fiquei envergonhada, mas aos poucos me soltei. Nos mexíamos num ritmo gostoso, seguindo a música e as vezes ele sussurava algumas frases da música em meu ouvido. Suas mãos não abandonavam minha cintura, e as vezes ele preensava seu corpo no meu.
Ao longo da noite eu e o Taylor pedimos mais bebidas, e mais, e mais, dançávamos freneticamente. E a uma hora dessa eu já estava me esfregando maliciosamente nele. A bebida já tinha se apoderado de mim, e eu não tinha mais o total controle de meu corpo. Eu me mexia e o instigava muito, eu já podia sentir ele ereto, e eu também não estava mais agüentando, ele me deixava louquinha e somando com a bebida isso me deixava muito mais louca. De repente eu me virei, e o surpreendi com um beijo, eu o beijava de forma descompassada, de forma feroz, minhas mãos pareciam ter vida própria e eu passava as mesmas por seu corpo todo, principalmente nos braços e no abdômen. Logo eu senti as mãos dele em minha bunda, onde ele apertava e me puxava para perto, eu podia sentir exatamente sua ereção tocar minha coxa. Ele mordeu meu lábio inferior, e soltei um gemidinho baixo.
-Winn, você está me provocando demais, desse jeito não vou agüentar e vou acabar abusando de você.
-Quando duas pessoas querem não é abuso.
Ele me olhou profundamente nos olhos, e seus olhos castanhos escuros se transformaram em pretos, como eu nunca tinha visto, parecia que com um olhar ele iria enxergar minha alma. Senti ele segurar minha mão e me puxar, pelo que parecia ser uma saída, saímos rapidamente e fomos direto pro estacionamento. Entramos no carro e ele deu partida, dirigindo rápido até em casa. Eu não estava com medo, muito pelo contrário eu estava com muita vontade, eu estava excitada, extasiada, me sentia de uma maneira que jamais havia estado antes.
Chegamos em casa, e ele estacionou rapidamente seu carro na garagem, então saímos do carro e fomos correndo para dentro de casa. Antes de entramos finalmente em casa ele me parou, e selou meus lábios.
-Vamos fazer silêncio ok? E vamos para o meu quarto que é o mais afastado de todos, assim podemos aproveitar melhor.
Concordei com a cabeça, e ele me puxou entramos em casa, e fomos na pontinha do pé lá pra cima, eu estava meio tonta, e não estava totalmente em mim, me sentia fora de orbita, mas a vontade que eu sentia me dominava, e disso eu sabia perfeitamente.
Passamos por todos os quartos, e estavam todos de portas fechadas, no final do corredor tinha o quarto do Taylor, o qual eu nunca tinha entrado. Corremos até o mesmo, e ele fechou a porta lentamente querendo não chamar atenção. Ao entramos ele me encostou na porta e tomou meus lábios em um beijo, um beijo intenso, coisas insanas se passavam pela minha cabeça, e aposto que na dele também.
Point of View, Taylor Lautner.
Abri a porta do meu quarto, e entrei no mesmo, fechei a mesma, e encostei a Winn na porta, comecei a beijar, ela ferozmente, levei minha mão a sua bunda e apertei levemente, ela gemeu entre o beijo e começou a puxar minha camisa para cima, me separei dela para ela poder tirar a mesma por completo, e tirei sua jaqueta e seu top num puxão só, voltamos a nos beijar, e segurei sua cintura, ela dei um impulso e pulou em meu colo entrelaçando as pernas em minha cintura, aproveitei e fui andando com ela até a cama, me sentei na mesma com ela em meu colo, sem largar meus lábios ela começou a rebolar em meu colo, deixei alguns gemidos escaparem. Parei de beijar ela, e comecei a beijar seu pescoço, enquanto eu procurava o zíper de sua calça, achei o mesmo e abri, ela entendeu o recado, e se levantou tirando a calça, ela estava com uma calcinha minúscula, e isso me fez lembrar que meu amiguinho estava precisando de atenção, ela tirou também seu sutiã, e rapidamente a puxei para perto de mim, eu comecei a beijar seus seios, e ela se contorcia de prazer, acho que ali era seu ponto fraco, explorei bastante os mesmos, e sem paciência puxei sua calcinha, rasgando a mesma e deixando ela sem, comecei a estimular seu clitóris e ela gemeu, mas rapidamente se afastou, não entendi muito bem. Mas logo a vi se aproximando e abrindo os botões de minha calça, ajudei a mesma a descer a calça, e ela puxou junto com a calça minha cueca, sorri travesso pra ela, e tirei o resto das peças com o pé, chutando-as pra longe, em algum lugar do quarto.
Mal tive tempo de respirar e senti-a envolvendo meu membro com sua língua, ela passava a mesma em minha glande sugando o pré-gozo ali presente. Respirei fundo quando senti colocar meu membro inteiramente em sua boca, e automaticamente levei minhas mãos em seu cabelo, eu os prendi em um rabo e fiquei segurando, estimulando ela a ir mais rápido. Ela fazia movimentos quase perfeitos, fechei os olhos aproveitando o momento, aos poucos a garota aumentava os movimentos, e sugava com mais intensidade, eu sentia meu membro mais ereto a cada estocada em sua boca, ela engoliu meu membro até o talo, e não pude deixar de gemer e pedir mais.
-Mais Winn, isso
Eu pedi e ela entendeu o recado, então ela começou a aumentar mais os movimentos, eu já podia sentir meu corpo todo se contraindo em prazer, e logo as veias de meu membro engrossaram deixando claro que em alguns segundos eu ia me despejar ali. Então ela parou e me olhou, sorrindo maliciosamente.
-Ainda não bonitão, quero que venha dentro de mim.
Olhei pra ela e sorri feito um bobo, eu a puxei e ela caiu em meu colo, novamente iniciamos um beijo, e rapidamente ela parou, e me olhou, sorri pra ela, e comecei a beijar seu pescoço. Rapidamente troquei de posição na cama ficando por cima dela, voltei a beijar seu pescoço, enquanto eu levava minhas mãos aos seus seios, eu apertava os mesmos levemente, e ela gemia baixinho. Rapidamente fui descendo as mãos até sua intimidade, onde eu comecei a massagear o seu clitóris, ela se contorcia de prazer e gemia manhosa. Manti meu olhar em seu rosto e era incrível a maneira que ela conseguia ficar tão sexy com os olhos fechados, e a boca entreaberta soltando alguns sons prazerosos. Ela abriu os olhos e aquela imensidão azul se encontrou com meus olhos, os olhos dela estavam mais escuros, demonstrando toda luxuria. Sorri pra ela, e percebi que ela estava ofegante.
-T-Tay-lor- Ela tentava falar, então aumentei os movimentos –Me deixa vir com você, seja de me torturar.
Sorri pra ela, e parei meus dedos, levei os mesmos em meus lábios e passei a língua limpando-os totalmente, então selei seus lábios e fui correndo até a gaveta, peguei uma camisinha e rasguei o pacote, alisei meu membro para ele ficar um pouco mais ereto, e enfim coloquei a camisinha.
Voltei pra cama e lá estava ela, olhando-me com um olhar inocente, juro que se ela não estivesse ali tão entregue, nua, e se eu não tivesse ouvido seus gemidos minutos antes, eu iria achar que aquela garota era uma criancinha, porque agora seu olhar demonstrava isso. Ao vê-la mordendo os lábios vergonhosamente ao olhar para o meu membro, eu ri baixinho. Aproximei-me dela, e ela se ajeitou nos travesseiros, encostando totalmente, eu ajeitei suas pernas, separando-as e flexionei seus joelhos, deixando sua pequena entrada rosada a mostra. Meu membro já estava saltitante só de ver aquilo, ver ela toda molhadinha, pronta pra me receber, tão passiva para mim.
Ajeitei-me em meio as suas pernas, e encostei meu membro em sua intimidade. Ela gemeu manhosa, e me olhou nos olhos, sorri de lado pra ela e ela devolveu esse sorriso. Comecei a penetrá-la lentamente, enquanto eu via ela se contorcer, então não agüentei ver aquilo e decidi entrar por inteiro dentro dela, quando fiz isso ela gemeu tão alto que dos outros quartos poderia se ouvir, olhei pra ela e a repreendi com o olhar, e ela mordeu os lábios -acho eu que pra evitar os gemidos altos- comecei a me movimentar lentamente afim de aproveitar o momento, e não consegui reprimir meus gemidos que saiam baixinhos e roucos, ela me olhou nos olhos e ficamos assim nos olhando e trocando gemidos prazerosos. Aos poucos fui aumentando os movimentos, deixando-os mais rápidos, ritmados e fundos. Em resposta eu percebia que a Winn se contorcia, rebolava, e se movimentava querendo mais. Em poucos minutos chegamos ao ápice juntos. Eu a olhei e ela estava com um semblante tão lindo que tive que sorrir, sai de dentro dela, selei seus lábios e fui até o banheiro me limpando, demorei alguns minutos, voltei já de cueca e fui até a cama. Eu ia falar com Winn mas percebi que ela dormia, tão linda, tão inocente,ela estava suada e seus cabelos estavam grudados na testa, passei a mão tirando-os dali, e vi ela se mexer, se encolhendo toda na cama, a cobri com um lençol fino, e me deitei do seu lado, passando meus braços pelo seu corpo e sorri, deixando o sono tomar conta de mim. Ufa que noite insana.

2 comentários:

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA