01 novembro 2013

Fanfic: Você pertence a mim – Capítulo 12: You were the best thing that came into my life.


Taylor Lautner POV.

– Até que enfim ligou pra sua namorada pelo menos assim para um pouco de falar: “ah que saudades da minha Taylor”. – Kristen disse debochando e Robert riu.

– há-há-há, muito sem graça. – Falei pegando minha mala.

– Eu já disse o que eu acho, né? – Kristen falou.

– Kristen, pára com isso. – Robert a encarou sério.

Kristen já havia dito inúmeras vezes pra mim que Taylor não me ama, não sabia o porquê dela dizer isso, mas eu me sinto amado, na verdade nem tanto, eu sei que em uma relação tem aquele que sempre ama mais, no caso do meu relacionamento eu sou o que mais ama.

– Vamos? – Falei quebrando aquele silêncio e passando pela porta.

Eu não ligaria pra qualquer julgamento da Kristen hoje, porque hoje eu a veria e mataria a saudade que estou da pessoa que me faz sorrir só em estar com um sorriso nos lábios.

Taylor Lautner POV fim.

[...]

Taylor Swift POV.
Ouvi alguém batendo na porta e fui abri-la.

– Princesa. – Minha mãe me abraçou e depositou um beijo em minha testa.

– Que saudade da melhor mãe do mundo! – Disse pegando sua mala.

– O que minha cozinheira particular preparou para o almoço? Estou morrendo de fome.

– Panquecas!

– Huuuuuuuuuuuuum.

Eu e minha mãe fomos para a cozinha e estávamos comendo.

– E aí? – Ela perguntou enquanto tomava um gole de seu suco.

– E aí? – Perguntei novamente confusa.

– Como foi seu final de semana?

– Foi legal.

– Filha, posso te dizer uma coisa?

– Pode.

– Se eu ainda fosse nova cantaria seu namorado.

– Mãe! – Repreendi-a brincando e rimos.

– Confiante para o VMA? – Perguntou levando os pratos sujos para a pia.

– Sempre.

– Minha garota! – Ela levantou-se e deu um beijo na minha cabeça. – Acho melhor irmos ou chegaremos atrasadas.

– A gente vai ficar em algum hotel?

– Não daria tempo, chegaremos lá quase na hora, prepararam um camarim, tudo bem pra você?

Apenas assenti com a cabeça.

[...]

Eu e minha mãe já estávamos no carro, meu motorista nos levou, minha mãe queria dirigir, mas não sabia como voltaríamos, talvez cansadas então era melhor não.

Demorou algumas horas e estávamos em NY, eu gostava de lá, mas nada se compara a Nashville. Olhei para o lado e minha mãe dormia, sorri com a cena.

O motorista parou enfrente ao local onde seria o VMA.

– Mãe? – Sussurrei em seu ouvido.

Ela despreguiçou-se e acordou.

– Mas já?

– Pra quem dormiu a viajem toda foi rápido. – Falei e ri.

Descemos do carro e um cara alto, moreno e magro nos esperava e nos acompanhou até o meu camarim.

Enquanto eu passava pelas portas li alguns nomes até encontrar o meu.

– Obrigada. – Minha mãe agradeceu ao rapaz e eu apenas sorri.

Entramos no camarim e deixamos nossas coisas em cima de um sofá branco e grande que havia lá.

– Acho que não precisava disso tudo. – Falei observando o enorme camarim. Na verdade estava mais pra uma casa de três cômodos.

– Faltam duas horas para o tapete vermelho e você precisa estar lá então, senhorita, vai tomar seu banho. – Ela disse me empurrando para dentro do banheiro. – Eu pego as suas coisas.

Meu banho foi aquele tipo de banho de 20 minutos, porém relaxante, eu só espero que tudo de certo nesse VMA.

Sai enrolada em um roupão e minha mãe entrou para tomar o banho dela.

Enquanto isso eu fazia minha maquiagem, batom vermelho, delineador, uma sombra e pronto.

Meu cabelo estava em um coque normal com um cachinho solto de cada lado na parte da frente.

Meu vestido era fácil de por, era longo, cheio de brilhantes e de um ombro só. Não demorei muito e o coloquei.

– Ual, que linda. – Minha mãe falou saindo do banheiro, já maquiada e com o cabelo solto e arrumado.

– Obrigada Senhora Swift, agora, por favor, arrume-se. - Falei entregando suas roupas e ela riu.

Coloquei minha sandália e meus brincos.

– É... Acho que estou pronta.

– Como eu já disse: você está linda e irá brilhar essa noite.

– Espero que sim. – Sorri.

– A propósito, filha, seu pai e seu irmão virão amanhã pra cá e querem conhecer seu namorado. – Falou enquanto vestia sua roupa.

– Pra que essa imensa vontade de conhecer o Taylor?

– Não sei. – Ela riu.

– Tá, eu falo com ele, um almoço amanhã pode ser?

– Pode, vou avisar para o seu pai e para o Austin.

– Taylor! – Ouvi uma voz feminina atrás da porta me chamando, minha mãe já estava arrumada e foi ver quem era.

– Ah, oi. – Ela pareceu não conhecer a moça que estava lá.

– Aqui é o camarim da Taylor?

– Sim, sou a mãe dela, Andrea.

– Muito prazer, dona Andrea. – Ela disse e apertou a mão da minha mãe.

– Vim avisar que os convidados já estão chegando e quando ela estiver pronta...

– Ah, ok já estamos indo. – interrompeu.

– Ok, então, boa sorte!

– Obrigada! – Gritei e sorri.

Minha mãe fechou a porta e sentou-se ao meu lado no sofá.

– Te desejo toda sorte do mundo. – Falou e me abraçou.

– Obrigada. – Apenas sorri.

– Vamos? – Perguntou levantando-se.

Suspirei e por fim respondi.

– Vamos!

Saímos em direção ao tapete vermelho, avistei vários famosos lá e pessoas não famosas também, algumas gritavam meu nome, certamente os fãs, eu fica bem mais excitada com o grito deles, eles me dão coragem e confiança.

– Eu vou entrando te espero na fileira 13, lembre-se. – Minha mãe sussurrou e entrou para o enorme salão onde ocorreria a premiação.

Tirei algumas fotos no tapete vermelho e entrei também.

Avistei minha mãe e fui sentar ao seu lado.

Depois de uns 20 minutos a premiação começou.

Taylor Lautner POV.

– Taylor, você e Shakira irão apresentar a categoria “Melhor vídeo feminino”, depois dessa que está sendo apresentada agora.

Assenti com a cabeça e sorri para a Shakira. Eu estava bem nervoso, não sei o motivo talvez por ela, o que eu mais queria naquele momento era que ela ganhasse.

– Algum problema? Você parece estar nervoso. – Shakira perguntou preocupada.

– Minha namorada está concorrendo nessa categoria.

– E quem seria sua namorada?

– Taylor... Taylor Swift.

– Hum, cantora bem talentosa.

– É.

– Boa sorte então pra ela e se acalma. – Ela riu e eu sorri em seguida.

– Aqui está o resultado, podem subir. - Uma moça um pouco baixa me entregou um envelope e nos apontou uma pequena escada que levava ao palco.

Ao subir a primeira coisa que fiz foi procurá-la e rapidamente a encontrei, ela estava linda com um vestido todo brilhante e longo, o cabelo estava preso e ela usava batom vermelho, sorri em vê-la e ela sorriu de volta, certamente deve ter percebido que eu a encarei “disfarçadamente”.

– Agora a categoria de melhor vídeo feminino – Shakira anunciou. Depois passaram pequenas partes dos vídeos clipes das concorrentes.

Eu abri o envelope rapidamente e dei um sorriso que deve ter ido de uma orelha a outra.

– E a vencedora é: TAYLOR SWIFT – Anunciei e a vi se levantando e dando um forte abraço em sua mãe.

Ela como sempre, estava com sua cara surpresa parecendo não acreditar, eu estava feliz por ela, muito feliz, era como se eu estivesse acabando de ganhar um prêmio também.

Taylor Lautner POV fim.

[...]

Taylor Swift POV.

Não acreditei quando eu o vi anunciando meu nome, a vontade que eu tinha era de pular igual a uma maluca ali, eu esperei tanto por isso, primeiramente abracei minha mãe.

– Eu sabia que você iria conseguir. – Ela cochichou em meu ouvido.

– Obrigada por tudo! – Cochichei e dei um beijo em seu rosto.

Ouvia palmas por todos os lados, sorrisos estampados nos rostos das pessoas, e aquilo me fazia bem, saber que as pessoas ficavam felizes por eu estar feliz.

Fui em direção ao palco, hora do meu discurso, “prepare-se Taylor”, pensei e suspirei.

A primeira coisa que fiz foi abraçá-lo...

Ele estava lindo e cheiroso como sempre. Deu-me um abraço super apertado, acho que todos ali dentro sabiam ou desconfiavam de um suposto relacionamento entre a gente.

– Senti a sua falta. – Falou em meu ouvido bem rápido e eu apenas sorri e fui abraçar a cantora colombiana: Shakira.

Segurei o microfone e comecei a agradecer.

 Eu sempre sonhei em ganhar um VMA um dia, mas eu nunca imaginei que isso aconteceria porque eu sou uma artista Country. Muito obrigada por esse VMA. – Falei e sorri enquanto ouvia aplausos de todos os lados.

Quando vi Kanye West vindo em minha direção e pegando o microfone da minha mão, eu sorri por achar que ele iria fazer um comentário sobre mim, mas não...

[...]

As palavras de Kanye foram como facas afiadas entrando em mim, eu fiquei sem reação. Quem ele acha que é pra estragar o meu discurso? O que esse escroto sabe sobre merecimento? A única vontade que eu tinha era de chorar, mas não, não ali, dei um meio sorriso e sai calmamente, por mais que minha vontade fosse de correr para o primeiro lugar vazio que eu encontrasse, e quando saí da vista de todos eu corri para meu camarim, me troquei para a apresentação.

[...]

Depois da minha apresentação eu precisava sair de lá e encontrar um lugar vazio, frio e apenas chorar, saí em direção ao meu camarim.

Deixei a porta do camarim apenas encostada e corri para o banheiro, tranquei a porta e me sentei no chão frio enquanto lágrimas escorriam descontroladamente pelo meu rosto.

– Taylor? – Ouvi a voz da minha mãe do outro lado da porta.

– Mãe, eu quero ficar sozinha. – Falei em meio de soluços.

– Taylor, não liga para o que aquele cretino disse, dei uns bons gritos com ele agora no corredor.

– Mãe, por favor, me deixa sozinha, procura um hotel, amanhã eu te ligo, mas hoje não, quero ficar só.

– Meu amor, eu quero cuidar de você. – Ela sussurrou e sua voz parecia embargada, certamente estava chorando também.

– Eu prometo que vou ficar bem, mas sozinha. Te amo muito, mas me deixa sozinha por favor. Não quero que você veja o quanto sua filha é fraca.

– Amanhã bem cedo me ligue Taylor, não vai fazer nenhuma bobagem minha princesa, por favor, e você não é fraca.

– Unhun.

Demoraram uns 10 minutos e eu ouvi a porta sendo fechada.

Andrea Swift POV

Minha filha estava tão feliz e em poucos segundos um idiota com o nome de Kanye sobe no palco, achando que é melhor que alguém, e desmancha o sorriso em seu rosto.

Eu andava pelo corredor chorando porque eu sabia que ela não estava bem, e o que me deixava pior era saber que eu não podia cuidar da minha princesa, da minha Taylor.

Eu estava prestes a entrar no carro quando ouvi gritarem meu nome, era o Taylor.

– Onde ela está? – Ele parecia confuso, triste e desesperado.

– No camarim, trancada no banheiro, disse que quer ficar sozinha.

– Eu vou lá. – Ele falou e me abraçou.

– Cuide bem dela! – Foram minhas últimas palavras antes de parti para o hotel.

Andrea Swift POV fim.

[...]

Taylor Swift POV

Eu estava com a cabeça entre as pernas e soluçava angustiadamente, sei que se alguém passasse por perto do meu camarim ouviria. Eu só queria uma coisa: Que toda aquela dor dentro de mim saísse junto com minhas lágrimas.

– Taylor. – Ouvi uma voz rouca me chamar.

– Mãe, eu já disse que quero ficar sozinha. – Respondi.

– Não Taylor, é o Taylor.

Taylor era a última pessoa que eu gostaria de ver agora, eu fico mais confusa perto dele, apesar dele me fazer esquecer os problemas, o que acaba me trazendo incertezas sobre os meus sentimentos. E por outro motivo: Eu estava horrível, minha maquiagem completamente borrada, meu cabelo assanhado... Mas naquele momento eu percebi que eu precisava de alguém, de um abraço, seja de quem fosse.

– Taylor abra, por favor. – Ele falou com uma voz calma e insistente.

Tirei minha sandália e a joguei dentro da banheira, levantei-me com um esforço e abri a porta. Ele passou uns cinco segundos me encarando certamente pensando: “Essa Taylor não é aquela por qual eu me apaixonei” eu sei, eu estava ridícula.

Ele não falou nada apenas me abraçou e me segurou em seus braços, enquanto eu continuava a chorar, já ouviu falar que quando você está chorando e alguém te abraça você começa a chorar mais ainda? Então, foi assim que aconteceu.

Ele me colocou em seus braços, me levou até o enorme sofá, sentou-se e me colocou ao seu lado encostando minha cabeça em seu peito. Eu às vezes dava uns gritos abafados, eu tinha raiva dentro de mim, precisava gritar ou quebrar alguma coisa.

 Shiii, vai ficar tudo bem, eu estou aqui, esquece o que aquele idiota falou, meu amor, ele não sabe de nada, não entende sobre merecimento, você é uma mulher incrível que merece tudo que tem, batalhou pra chegar onde está, você é a melhor coisa que apareceu na minha vida, a pessoa mais simpática, boa e talentosa que eu conheço... – Ele falou e beijou minha testa. Depois ficou passando a mão em meus cabelos e me aconchegou mais em seus braços.

Ficamos horas e horas assim apenas ouvindo a respiração um do outro, e algumas lágrimas minhas ainda insistiam em cair.

– Está acordado? – Perguntei depois de minutos em silêncio.

– Unhun. – Ele olhou para mim e sorriu. – Está melhor?

– Morrendo de dor de cabeça. – Ri baixo.

– Quer algum comprimido? Eu vou comprar.

– Não, eu tenho, primeiro vou tomar um banho e tirar esse vestido.

Ele assentiu e se levantou tirando o terno.

Abri minha bolsa, peguei algumas coisas e entrei no banheiro.

Quando saí, já estava vestida com um vestido vermelho e uma sandália de salto preta que eu havia trago.


– É, estou melhor que antes. – Falei olhando para mim mesma e ri.

– Você fica melhor de qualquer jeito. – Ele abraçou minha cintura e me deu um beijo, um caloroso e doce beijo. – Nem deu tempo de dizer o quanto senti sua falta e o quanto eu te amo cada dia mais que se passa.

Tava tudo tão bom, até ele dizer que me amava, eu não entendo, porque eu não posso retribuir esse amor, cruzam a gente desse jeito? Eu me sentiria a pior pessoa do mundo se eu o magoasse, ele era tão... Ele, carinhoso, atencioso. Eu iria pedir um tempo para ele depois da conversa com Selena, mas decidi fazer algo melhor: vou tentar amá-lo, é incorreto eu sei, mas pode dar certo.

– Eu também te amo. – Por fim respondi e pulei em seu pescoço. – Tenho uma novidade pra você.

– Novidade? Gosto de novidade, desde que elas sejam boas. – Ele disse deitando-se no sofá e me colocando sobre ele.

– Seu prezado sogro e cunhado virão a New York hoje... E querem conhecer o senhor.

– Eu também quero conhecer meu prezado sogro e cunhado.

– Então hoje terá um almoço em família com um forasteiro. – Brinquei e ele riu.
– Forasteiro não, namorado da mocinha. – Ele falou e colocou uma de suas mãos em minhas costas e a outra na minha nunca e me puxou para um beijo.

– São 3hrs da manhã e a gente aqui se beijando no camarim do VMA, que coisa, hem? – Disse com minha respiração descompassada por causa do beijo.

– Você está com sono ou...? – Ele me olhou com uma carinha maliciosa.

– Estou com sono e isso é pelo que você fez comigo na casa de praia. – Sai de cima dele e deitei ao seu lado no sofá.

Eu estava virada, do lado oposto dele.

– A gente podia ir pra um hotel, você não acha? – Ele perguntou beijando meus ombros.

– Já está tarde, o que custa ficar aqui?

– É porque, bem cedo todo mundo vai passar por aqui e vão ver a gente e...

– Tá bom... Vamos então!

Por algum motivo eu já havia me esquecido de tudo, eu pensei melhor e decidi não ligar pra o que o Kanye havia dito, afinal, o que ele sabe? Eu iria provar pra ele através do meu talento que sim, eu sou capaz. Como eu disse, Taylor me faz esquecer todos os problemas, na verdade Taylor Daniel Lautner é o sonho de qualquer mulher.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA