19 novembro 2013

FANFIC: Descoberta - Capítulo 3: Apresentações


Acordei por volta das nove horas da manhã. Jessie estava ao lado do sofá, deitada no colchão com a mesma roupa que usara na noite anterior e provavelmente não iria acordar nem tão cedo. A casa estava silenciosa e o tempo no lado de fora estava cinzento, embora ainda não estivesse chovendo. Fui até a cozinha beber água, já que minha garganta estava seca, e enquanto eu enchia um copo com a água da geladeira, ouvi passos descendo as escadas e segundos depois Gabi apareceu na cozinha vestindo uma camisola não muito comportada, mas também não muito curta.

-Ahn..bom dia, Taylor! –Disse abrindo a geladeira e pegando a garrafa de leite.
-Bom dia! –Falei estranhando o jeito que ela falou comigo.
-Me desculpa me intrometer, mas... –Ela pensou no que dizer. –Aconteceu alguma coisa com você e a Sara ontem? –Ela disse com uma expressão curiosa.
-Acho que não, por quê? Ela falou que eu fiz alguma coisa com ela? –Perguntei um pouco confuso com a pergunta.
-Taylor, eu não estou falando que você fez alguma coisa a ela. Estou perguntando se vocês ficaram ou algo do tipo! –Esclareceu.
-Ahhhta! Não! Claro que não! –Falei rápido, voltando a beber minha água.
      Ela me olhou com uma sobrancelha erguida e cruzou os braços, como se duvidasse da minha palavra.
-O que foi? –Perguntei sem olhá-la, enquanto lavava o copo.
-Não entendi o “Claro que não!” –Ela respondeu sem trocar de expressão.
-Acha isso só por que a gente voltou junto pra casa? –perguntei com uma cara debochada.
-Não só por isso, mas pelo fato de você ser gamado nela! –Ela disse debochadamente.
-Quem te enganou?-Me fiz de sínico e ela riu irônica.
-Você não engana ninguém, Taylor! Isso está na cara há muito tempo! – Contou fazendo eu revirar os olhos. –Ou você é gay? –Ela perguntou-me fazendo olhar confuso pra ela. Eu gay? Pelo amor de Deus! –‘ –Ué! Se você não está afim da Sara e não quer nem ao menos ficar com a Jessie... –Ela deu de ombros. –Você só pode ser gay! –Completou.
-Está brincando, não é? –Perguntei incrédulo com sua teoria. –Não conhecia esse seu lado intrometida!-Falei sincero, Gabi não costumava querer saber da minha vida pessoal.
-Nossa! Desculpa! Pensei que eu era considerada sua amiga! –Ela levantou as mãos, fingindo estar ofendida.
-Não sabia que você costuma chamar seus amigos de gay! –Falei.
-Ihh! Está bem! Desculpa, ok? Não vou me intrometer! –Disse irritada, voltando a se concentrar no leite.
-Tudo bem, está desculpada! –Falei indo a caminho da sala. –E que fique claro: Eu não sou gay! –Falei antes de sair da cozinha.
     Ela riu pelo nariz e eu fui me sentar no sofá da sala. Jessie não estava mais no chão,deveria estar no banho.
     Algum tempo depois, todos já estavam no primeiro andar, conversando, vendo TV ou outra coisa qualquer, menos Dean, ele (Graças a Deus) tinha passado a noite fora. Já eram onze horas quando Jay ligou avisando que não iria voltar pra casa na hora do almoço, isso significava que nós tínhamos que nos virar com a comida.
-Não tem nada pra fazer! –Gabi disse vendo a geladeira.
-O que vamos fazer então? –Perguntei preocupado, estava começando a ficar com fome.
-A Jay disse que tem um mercado a uns dois quarteirões daqui! –Sara falou.
-Eu posso ir lá! –Brad sugeriu.
-Então eu vou com você ou você não vai trazer as coisas certas. –Jessie disse um fato, fazendo todos rirem e Brad fazer uma careta infantil pra ela.
-É melhor o Taylor ir com ela, Brad me prometeu um favor! –Gabi disse calmamente.
-Prometi? –Brad perguntou confuso, fazendo Gabi fuzilá-lo com os olhos. –Ahhh claro! É, eu prometi! –Ele mentiu descaradamente.
    Era óbvio o que Gabi queria!
-Você a leva, Tay? – Sara ajudou com o plano, o que me fez suspirar pesadamente em saber que ela concordava comigo e com Jessie juntos.
-Não precisa, eu posso ir sozinha! –Jessie tentou interromper.
-Tudo bem, levo sim. –Falei o mais simpático possível.
-Então vão, por que eu já estou com fome! –Brad disse apontando pra porta.
     Fui pegar meu casaco e minha carteira. Jessie já estava pronta, então não demoramos a sair de casa. Mas não tínhamos carro para ir, e ali não tinha nenhum taxi, então o jeito foi ir andando mesmo.
-Tenho que comprar um carro urgente já que o Dean está de fogo, ou vamos acabar não indo embora! –Falei enquanto já estávamos caminhando pela rua. Ela soltou uma risada pelo nariz, olhando a rua.
-Realmente, ele vai acabar pegando a Sara e nos deixando pra trás! –Falou calma, mas senti meu estomago doer só pensando naquela possibilidade.
    Ficou um silencio entre nós dois e como a rua era quieta, o silencio se alijou por alguns minutos.
-Eu gosto daqui! –Falei a verdade, tentando quebrar o silencio.
-Também gosto, é quieto, sossegado. Bom pra descansar e ficar na paz! –Deu sua opinião.
-Exatamente! –Olhei para ela por um instante. Ela olhava pros próprios pés, enquanto caminhávamos divagar. –Está com algum problema? –Perguntei realmente preocupado. Ela era minha amiga apesar de obviamente querer mais que minha amizade.
-Taylor, desculpe pelas garotas? –Ela disse erguendo os olhos pra mim, encontrando os meus. –Foi infantilidade elas fazer você vim comigo! –Completou.
-Tudo bem! Não se preocupe com isso! Eu quero ajudar! –Falei o mais simpático e sincero possível.
-Obrigada Taylor! –Ela sorriu.
     Andamos por mais alguns minutos, conversando sobre os próximos lugares que seria legal nós visitarmos e rimos de algumas palhaçadas ditas por nós dois. De tanto evitar Jessie, eu tinha me esquecido de como ela era legal como amiga. Eu torcia para continuar assim, como amigos, sem ela se insinuando pra mim.
    Logo avistamos o mercado que tinham falado. Não era grande, mas parecia de boa qualidade. Atravessamos a rua e entramos no mercado.
-O que você quer comprar? –Perguntei olhando-a.
-Eu vou pegar algumas coisas nesse lado e você pega macarrão, molho de tomate, queijo e presunto, ok? –Perguntou.
-Ok! –Falei repassando as coisas na minha cabeça.
    Ela assentiu e foi para o lado direito e eu fui para o lado esquerdo. Entrei no corredor onde deveria estar o macarrão e fui andando, olhando para as prateleiras procurando o que eu precisava, mas eu bati em alguma coisa e quando eu olhei para frente vi que tinha batido em um carrinho de compra e no outro lado do carrinho tinha uma mulher de pele branca, cabelos castanhos e lisos, não era da minha idade, mas não parecia ser velha.
-Me desculpe! –Me desculpei.
-Tudo bem, Jake! Era pra ver se você está atento! –Ela riu simpática e eu a olhei confuso. Jake? De novo?
-Desculpe novamente, mas eu não sou o Jake! Nem sei quem é ele! – Falei rápido e ela arregalou os olhos.
-Então... deve ser você que a minha filha falou! –Concluiu surpresa. –É impressionante!-Completou, mas antes que eu dissesse algo, Nessie apareceuno final do corredor, com uma caixa de algum produto na mão, concentrada no que estava escrito nele. Ela se aproximou sem notar que eu estava ali.
-Aqui est... –Ela falou colocando a pequena caixa dentro do carrinho, mas parou quando seus olhos pararam em mim.
    Antes de dizer qualquer coisa, ela me olhou dos pés a cabeça, me analisando e corou uns segundos depois, se encolhendo.
-Taylor? –perguntou, mas eu sabia que ela tinha me reconhecido, mas estava sem graça por isso.
-Oi, Nessie! –Respondi sorrindo torto.
-Não vai me apresentar ele? –A mulher que estava no outro lado do carrinho olhou pra Nessie.
-Claro! Mãe, esse é Taylor! –Ela me apresentou. –Taylor, essa é minha mãe, Isabella Swan! –Ela apresentou a mulher para mim.
-Prazer em conhecê-la! –Estendi minha mão.
-O prazer é todo meu! –Ela foi simpática apertando a minha mão. –Vou deixar vocês conversando, tenho mais algumas coisas para comprar! –Ela disse e saiu andando, guiando o carrinho.
-Desculpe pelo que aconteceu ontem, eu...- Ela começou a falar, mas eu a interrompi.
-Está tudo bem. Não tem problema. –Falei rápido. Ela já tinha se desculpado demais.
-É que... eu não devia ter te beijado daquele jeito e...
-Calma, tudo bem? Não tem problema, vamos esquecer isso, ok? –Tentei acalmá-la, ela parecia preocupada novamente.
-Ok! Está certo! Vamos esquecer que isso aconteceu! –Concordou.
-Isso ai!- Concordei mesmo sabendo que jamais esqueceria aquele beijo.
     Ela olhou para alguma coisa atrás de mim e apertou os lábios. Antes que eu pudesse me virar para ver o que ela tinha visto, alguém passou ao meu lado, e deu um beijo na testa de Nessie. Franzi a sobrancelha ao ver o homem e ele fez o mesmo quando olhou pra mim.
      Era coisa de maluco. Se não fosse a roupa e a tatuagem que a camiseta deixava a mostra no braço direito dele, eu diria que estava em frente a um clone ou um espelho.  Era impressionante como nós dois éramos parecidos. Meu estadode choque não deixou nenhuma palavra passar pela minha boca.
-Quem é ele? –Perguntou com um tom de estranhamento. Sem olhar para Nessie que estava envolvida em um de seus braços.
-Jacob, Taylor. Taylor, Jacob. –Ela nos apresentou rapidamente.
-Prazer. –Estendi a mão educadamente.
-Prazer. –Falou devolvendo o aperto de mão. –Vocês... se conhecem? –Ele desviou os olhos de mim para terminar a frase, olhando para Nessie.
-A gente se viu na festa de ontem. –Ela respondeu me olhando.
-Você é daqui? –Ele olhou para mim.
-Não, estou por aqui só essa semana. –Respondi.
-Hmm...-Ele disse.
     Não tinha o que dizer. Aquilo era estranho demais para se expressar em palavras e não tinha o que falar a ele. Eu não iria falar “Ai, sua namorada beija muito bem!”. Claro que não.
-É melhor a gente ir, minha mãe já deve ter terminado de comprar as coisas. –Nessie cortou o silencio.
-Tem razão. –Jacob concordou.
-Ok. Até mais. –Falei.
-Tchau. –Nessie saiu se afastando e Jacob a seguiu, ainda olhando para mim.
    Fiquei ali parado me perguntando como aquilo era possível. Mas minhas teorias sobre Alienígenas e coisas sobrenaturais foram interrompidas quando Jessie apareceu na minha frente, estalando os dedos na frente do meu rosto.
-Você está ai? –Ela perguntou.
-Ah, to, to sim! –Falei balançando a cabeça, para afastar os pensamentos.
-Você não pegou nada! Vamos logo! –Ela me puxou pelo braço.
    Pegamos o que tínhamos que pegar (que eu deveria ter pegado, diga-se de passagem) e fomos para o caixa. Pagamos e saímos com algumas sacolas na mão. Voltamos a caminho da casa de Jay, voltando a conversar, o que fez minha mente não pensar muito no que tinha acontecido. 

2 comentários:

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA