26 novembro 2013

Fanfic: Descoberta – Capítulo 4: Dúvidas


Quem, realmente, era ele e como era possível sermos tão parecidos? Era tudo o que eu queria saber, enquanto refletia comendo o macarrão que Jessie tinha feito. A casa estava em um clima mais descontraído e alegre. Com o Dean longe dali aquilo era bem mais fácil de acontecer! Mas eu não conseguia me concentrar no que Brad falava ao meu lado, em um assunto animado com Sara. Eu estava confuso demais para isso. Ou melhor, eu estava curioso demais para isso. Não é normal achar alguém tão parecido comigo por ai, não é?

     Eu estava começando a chegar à conclusão de que estava doido e que tudo que aconteceu era coisa da minha louca mente. Mas não era... e eu só sabia disso pelo baita beijo da noite passada, sua língua era tão macia e saborosa que só lembrando eu mordi o beiço de desejo.
-Taylor? Você está bem? –Sara perguntou, entrando na minha frente e só então eu me liguei como deveria estar minha cara de tarado, olhando pro nada.
-Ah! Claro, claro, estou bem! –Falei rápido, balançando a cabeça para afastar minhas taradadices, voltando a atenção para o prato de comida em minha mão.
-Sei! –Disse desconfiada, voltando a olhar para Brad, que voltava a falar com ela.
     Terminei de comer e levantei, indo para a cozinha e lavando o que eu sujei. Assim que coloquei o prato no armário e me virei para voltar para sala, dei de cara com Sara, parada de braços cruzados, me olhando desconfiada. Ela me conhecia muito bem, sabia que tinha algo errado.
-Não vai falar? –Perguntou sem parar de olhar para mim.
-O que? Não tenho nada pra falar! –Menti dando de ombros.
-Vai mesmo tentar mentir? Logo pra mim? –Fez cara de surpresa, apontando pra si mesma.
     Suspirei derrotado e olhei para os lados. Sabia que ela não desistiria.
-Quer conversar ali fora? –Perguntou apontando para a porta de entrada e eu apenas afirmei com a cabeça.
    Ela foi na minha frente e eu a segui, até sairmos da casa e ficarmos na varanda da frente. Ela se sentou na pequena escada ali em frente e eu me sentei ao seu lado.
-Pode começar! –Sorriu me olhando.
    Expliquei-lhe tudo o que eu podia, desde a parte que Nessie me beijou até a parte que o namorado dela é idêntico a mim. Ela pareceu meio confusa, dizendo que não tinha como eu ser idêntico a ninguém.
-Mas é serio Sara! O cara é muito igual a mim! –Afirmei.
-Taylor, ser parecido é uma coisa, agora, ser muito igual é outra! –Disse me olhando.
-Quer saber, problema, eu já te contei, então... –Falei levantando.
-Espera Taylor, não fica magoado comigo, eu acredito em você, só... –Ela disse puxando meu braço e eu olhei para ela. – É difícil imaginar que exista alguém tão... –Ela continuou, mas repensou o resto da frase. –Igual a você! –Completou.
-Não estou magoado com você, Sara, não tenho motivos pra isso! –Falei e dei um beijo em sua testa entrando em casa em seguida.
Jacob:
    Eu não sabia o que pensar. Conhecer uma copia minha não era o que eu esperava quando fui ajudar Nessie e Bella a fazer compra. Minha cabeça doía com os pensamentos confusos tentando achar a explicação para existência daquele cara.
    Resolvi não tocar no assunto enquanto levava Nessie e Bella até a casa delas, conversaria com ela quando estivéssemos a sós, mas Bella estragou meus planos.
-Bem simpático aquele tal de Taylor, não é? –Disse ela no banco do carona do meu carro.
-É mãe, é sim! –Concordou Nessie desanimada ao meu lado, querendo não entrar no assunto. E pra nossa sorte já estávamos chegando.
Parei meu Rabbit 1986 na frente da grande casa de vidro da família Cullen. Saímos do carro em silencio e entramos na casa carregando algumas sacolas. Fomos para cozinha e deixamos tudo lá.
-Mãe, eu e o Jake estamos no quarto se precisar! –Nessie disse puxando meu braço para a escada.
-Tudo bem, querida! –Bella sorriu enquanto sumíamos de sua visão.
-Oi, Pai! –Nessie disse ao “Sr.Edward”. Ele não gostava de mim, era óbvio pelo olhar matador dele sobre mim. Mas eu estava cagando e andando pra ele.
-Olá, minha filha! –Cumprimentou dando um beijo em sua testa quando já estávamos no corredor do 2º andar. –Olá, Jacob! –Ele disse educadamente e eu apenas assenti para que Nessie não reclamasse da minha falta de educação.
     Ela me puxou até o quarto dela e fechou a porta quando entramos.
-Seu pai continua um amor de pessoa! –Falei irônico, me sentando na cama dela.
-Pensei que já tinha se acostumado... –Nessie disse se sentando ao meu lado.
-Ele não faz diferença para mim! –Dei de ombros. –Mas... como você conheceu aquele cara? –Perguntei voltando a lembrar da minha copia.
     Ela suspirou pesadamente e desviou os olhos de mim. Ela parecia não querer falar sobre isso.
-Eu vi ele na festa ontem... –Explicou sem me olhar.
-Aconteceu mais alguma coisa que eu precise saber? –Perguntei desconfiado.
-Não! –Disse balançando a cabeça.
      Essa era uma coisa que Nessie não conseguia fazer, pelo menos pra mim. Mentir. Eu sabia quando ela estava dizendo a verdade e aquele momento ela não estava sendo sincera.
-Não vai mentir pra mim, vai? –Perguntei segurando sua mão.
-Não..-Ela disse baixo e depois olhou para mim. –É que eu beijei ele ontem... –Disse sem parar. Co-co-co-como?
-Como assim você beijou ele? Deu pra sair beijando os outros? –Perguntei incrédulo, levantando.
-Jacob! Você viu o cara! Ele é igualzinho você! Eu pensei que estava te beijando! –Se defendeu, me fazendo suspirar. Acalmando-me.
-Por acaso, você não foi pra cama com ele não, né? –Perguntei desconfiado, ainda com o tom irritado na voz.
-Claro que não, Jacob! –Disse rapidamente, em um volume mais alto.
-Run’! –Murmurei cruzando os braços e encarando a floresta, que era a vista da janela daquele quarto.
       Eu já não tinha ido com a cara daquele cara (que é a mesma que a minha, mas tudo bem...), agora que eu não ia mesmo, depois de saber que ele tinha tocado na minha Nessie, ele estava na minha lista negra.
-Vamos esquecer ele, tudo bem? Vamos fingir que nada aconteceu! –Nessie disse entrando na minha frente.
     Seria difícil tentar fingir que nada aconteceu. Essa loucura não saia da minha cabeça. Ela muita semelhança. Meus olhos ficaram em Nessie por um momento, enquanto ela me olhava, esperando uma resposta, mas sua expressão mudou quando ela começou a abrir lentamente o zíper do casaco preto que ela usava, mostrando a regata branca e um pouco transparente, que deixava parte do seu sutiã preto à mostra. Um sorriso malicioso surgiu em seus lábios e seu olhar sedutor, junto com seus seios volumosos destacado pela regato, fez meu amiginho lá em baixo se animar em minha cueca.
-Quer uma ajudinha para esfriar a cabeça? –Provocou, com uma voz baixa e sexy, deixando o casaco cair no chão.
-Por favor! –Devolvi o sorriso malicioso, me aproximando devagar dela.
      Ela sorriu segurando a minha camiseta, e a levantando, aproveitando para alisar meu abdômen. Ajudei a tirá-lo e em seguida, minhas mãos foram para sua cintura, puxando-a e grudando-a junto ao meu corpo, envolvendo minha língua na sua, em um beijo intenso e feroz.
      Ela me empurrou até eu sentar na cama, se sentando em meu colo, sem tirar a boca da minha. Na tentativa de tirar sua blusa, acabei rasgando-a. Bella me xingaria mais tarde por isso. Mas não nos preocupamos, estávamos muito ocupados para isso. Ela desabotoou o próprio jeans e eu fiz o mesmo com o meu. Ela me empurrou novamente e me fez deitar em cima da cama, se deitando em cima de mim, enquanto eu a ajudava a tirar sua calça.Joguei-a na cama, com força, fazendo-a soltar um baixo grito e sorrir enquanto eu levantava e tirava minha calça.
-Como você quer você, minha Nessie? –Perguntei sedutor. Eu era bom nisso!
-Você sabe como eu gosto! Se bem... com você eu gosto de todas as maneira possíveis!- Pois é, ela era melhor em seduzir do que eu...
      Aquilo bastou para eu arrancar sua calcinha em questão de segundos, me deitando sobre ela e beijando seu pescoço, dando um chupão que com certeza deixaria marca. Tirei seu sutiã rapidamente e minha boca voou para seu seio direito.
-Me morde, Jake! –Pediu entre gemidos e suspiros, apertando meus cabelos e esfregando as coxas em minha cintura, fazendo meu brinquedinho se animar ainda mais em minha cueca.
      Mordi o bico de seu peito, fazendo-a gemer mais alto e eu jurava que podia gozar só com seus gemidos calorosos, que me deixavam ainda mais selvagem. Terminei de me despir em segundos, não agüentava mais, precisava fode-la de qualquer modo. Ela sorriu mordendo o beiço, olhando safadamente para meu pênis dolorosamente duro.
-Não me olhe assim, minha Deusa! Não me provoque! –Falei me deitando sobre ela novamente, quando suas unhas deslizaram sobre meu tórax e abdômen, arranhando-os com força.
-O que você fará,Jake? Diga-me! –Disse entre dentes, botando mais força nas unhas. Ela sabia que eu gostada de seu jeito selvagem.
-Vou fazer você gritar até perder a voz! – Falei apertando suas coxas, puxando-as para minha cintura.
-Só se for de prazer! – Ela sorriu maliciosamente, e no segundo seguinte eu estava completamente dentro dela, com uma única estocada que a fez realmente berrar. Devo contar que eu não era pequeno, na verdade eu fui bastante abençoado por Deus nesse sentido! Comecei a me movimentar bruscamente, e eu gemia alto com ela. Aquilo era demais. Nunca me cansaria de senti-la daquela maneira, tão molhada e apertadinha, completamente excitada por mim. –Jake, acaba comigo! Mais! –Pediu rebolando sob mim, como se fosse preciso o seu pedido.
      Estocadas fortes, intensas e excitantes fizeram a cama balançar com violência, e delirarmos de prazer. Não demorou e sentir as unhas de Nessie afundarem ainda mais na pele das minhas costas e seu corpo estremecer quando seu orgasmo chegou, seguido pelo meu, que fez eu gritar seu nome em um gemido rouco.
-RENESMEE CULLEN! NÃO QUEREMOS SABER O QUE VOCÊS ESTÃO APRONTANDO AÍ! –Ouvi a voz de Edward vindo do outro lado da porta, o que fez eu bufar. Ele tinha que estragar o momento,né? –‘
-Desculpa, merda! –Nessie respondeu irritada, enquanto eu saia de cima dela.
-Precisamos arranjar um lugar só pra gente! – Falei pegando minha cueca e vestindo-a, enquanto Nessie recuperava a respiração se sentando na cama.
-Concordo plenamente! –Concordou pegando sua roupa e vestindo-se novamente.
      Suspirei pesadamente, por mais que eu quisesse continuar ali com ela, eu tinha que ir embora, meu pai estava me esperando em casa.
-Eu tenho que ir! –Falei levantando, terminando de botar a blusa, ficando completamente vestido.
-Já? –Perguntou se virando pra mim, ela ainda estava sem blusa, apenas de sutiã e calça.
-Prometi meu pai que não iria demorar, mas mais tarde eu volto pra fazê-la dormir! –Falei alisando sua bochecha.
-Tá bem! –Ela concordou desanimada, baixando os olhos.
-Não fique assim, não irei demorar! –Falei segurando seu queixo e beijando delicadamente sua boca, fazendo-a sorrir quando nos afastamos.
-Não que não vai! –Disse fazendo-me sorrir.
     Dei mais um beijo em sua boca e sai do quarto, deixando-a lá e saindo da casa o mais rápido possível, não agüentava o pai de minha namorada!
      Entrei no meu carro e fui a caminho de La Push, para minha casa.

Um comentário:

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA