10 janeiro 2014

Fanfiction: Bizarre love triangle (BLT) - Capítulo 7


Capítulo 07

Entrei em casa e fiquei encostada na porta por alguns minutos. Precisava processar tudo que havia acontecido naquela noite. Tirei as sandálias dos pés e caminhei lentamente até o quarto, passando a ponta dos dedos em meus lábios. Uau, que beijo! era o que eu conseguia pensar naquela hora.

Deitada na cama relembrei cada momento da noite mais fantástica da minha vida. Minha estreia havia sido um sucesso e ficar com Gill foi um sonho. Luana tinha razão, ela sempre soube. Gill era de carne e osso, e eu poderia tocá-lo, beijá-lo. Adormeci ainda embriagada pelos beijos e carinhos de Gill.


oOo
- Aiiiii, acordaaaaaaa! – Luana dizia enquanto puxava minhas cobertas – Você está em todos os jornais!!!!!

- O que você ta falando, sua doida? Me deixa dormir. – disse à ela cobrindo a cabeça com o travesseiro.

- Flavinha, acorda amiga. Você é um sucesso, está em todos os jornais!!! – Luana disse isso e jogou uma pilha de jornais em cima de mim. Foi ai que eu vi. Minha foto com Gill estava estampando todas as matérias sobre a estreia.

(N/A: manchete completamente fictícia.)


 “ Com “Twilight – A Saga”, vampiros e lobos querem conquistar mais que o público adolescente”

O espetáculo faturou US$ 35 milhões no primeiro dia de atuação nos EUA.
Baseada em um sucesso literário, a produção musical emociona e encanta o público. Histórias românticas não são o tipo de material com o qual a maioria dos sucessos recentes são feitos – mesmo quando se fala de histórias românticas com vampiros e lobisomens.  O que “Twilight – A Saga” oferece é um musical de romance épico e marcado pelo destino, melodrama, perigos, um elenco jovem e atraente, bailarinos talentosos e um final cheio de ação. 
“Nós sabíamos que algumas pessoas iriam adorar o espetáculo, mas não imaginávamos que chegaria a atingir um público tão grande”, diz a direção do espetáculo que começou a trabalhar no projeto antes que a série de livros ganhasse status cult e uma base de fãs em todo o mundo.

Entre as estrelas do elenco, especial atenção para a jovem e bela atriz brasileira que emocionou o público com sua atuação e encantou a todos com sua beleza estonteante. 

Ela e seu belo par, o jovem e promissor empresário Gill Davis, roubaram a cena sendo eleito o casal mais bonito da estréia. “Twilight – A Saga” promete ser o grande novo sucesso da Broadway!

Fiquei parada enquanto lia o jornal. Não acreditava no que estava vendo. Meu deus! Eu, nos jornais de NY, e com Gill...

- Temos que comemorar. Liga pro Gill agora. Vocês são um sucesso! – disse pegando o telefone e apontando para mim. Ela estava pulando feito louca na cama.

- Calma Luh. É muita coisa pra processar. Deixa-me tomar um banho e já conversamos. Minha ficha ainda não caiu... – disse à ela já entrando no banheiro e indo tomar um banho para ver se acordava. Tive medo que ao sair do banheiro tudo sumisse e não passasse só de um sonho. Mas isso não aconteceu. Era real, eu era um sucesso da Broadway.

Realmente minha ficha estava caindo de forma lenta e gradativa. Sabia que a produção tinha tudo para se tornar um grande sucesso, só não imaginava que me destacaria tanto. Até porque, tinham muitos talentos juntos no elenco.

- Ainda não concordo com tanta atenção para mim. O espetáculo foi um sucesso porque todo elenco é muito bom. – disse depois de me vestir e indo pra sala, enquanto secava os cabelos com a toalha. Luana e Tomaz já estavam na sala me esperando para conversar sobre tudo isso.


- Flavinha. Você não percebe o talento que tem. – disse Tomaz. – E mesmo correndo o risco de apanhar da minha gatinha – disse isso e olhou para Luana com cara divertida. – Tenho que admitir que você é muito linda. São duas coisas que a Broadway aprecia: beleza e talento.

- Ei! – ela gritou dando um tapa no ombro de Tomaz.
Eu revirei os olhos. – Isso tudo está acontecendo muito rápido, Tomaz. Outro dia eu estou estudando no Brasil, em menos de um ano estreio na Broadway e hoje estou em todos os jornais. Ainda estou zonza....

- Esse mundo da Broadway é mesmo louco e ligeiro, Flavinha. Pode ser traiçoeiro, se você não for bom, mas também pode te levar ao topo. E você, pelo jeito, caminha para o topo. Parabéns! Fico muito feliz por você. – Tomaz disse me dando um abraço carinhoso. Ele era como um irmão pra mim.

Naquele momento percebi como tudo em minha vida mudaria daqui para frente. E tive mais certeza ainda que faria de tudo para me superar a cada dia. Se NY me queria, então eu seria sua estrela.

Liguei para minha mãe e contei toda a novidade.

- Isso mesmo mãe, sua filha é uma estrela! - ela comemorou muito feliz. Marcamos que assim que ela tivesse férias viria me visitar e ver tudo de perto. Luana aproveitou para falar com sua avó e contar as novidades.

Nessa hora a campainha tocou. Atendi a porta e John me olhava com alegria no rosto. – D. Flavia! – ele disse – Tem um monte de jornalista lá em baixo querendo falar com a senhorita e o Sr. Davis. O que eu faço?

- Como é que é? – falei mais que assustada. – E agora? 
- Luana desligou o telefone e sentou-se perto de Tomaz. 
Ela ria e achava tudo maravilhoso. Olhamos pela janela e lá estava a multidão de fotógrafos e jornalistas esperando um movimento. Ocupavam toda a rua em frente ao edifício.
- Minha melhor amiga, uma estrela! – ela disse me fazendo uma reverência.

Tive que revirar os olhos. – Para com isso, Luh. Não vê que a coisa está séria? Com vou fazer agora? E ainda por cima Gill também está envolvido nisso. Ai meu deus, logo agora....

- Relax, baby – ela disse de forma divertida – Isso é o Show Business! Eu sempre soube que isso aconteceria, era uma questão de tempo. John, desce lá e diga que ela está descansando e que conversará com todos no teatro hoje à noite, antes do espetáculo. - John saiu do apartamento dizendo um “Sim Senhorita” e desceu para a portaria. Eu olhava para minha amiga ainda incrédula. De onde tinha vindo tudo aquilo?

- Não foi à toa que escolhi cursar Administração, querida. Teria que “administrar” você. – e todos caímos na gargalhada. Era um sonho o que estava acontecendo.

Ainda pulávamos e festejávamos os três quando a campainha tocou novamente e eu atendi ainda achando que seria John.

Quase cai para trás quando dei de cara com Gill na porta de meu apartamento me olhando dos pés a cabeça. Lembrei que eu estava com um mini shorts de ficar em casa e uma blusinha fina que eu achava confortável, totalmente transparente. Cabelos úmidos e cara lavada de quem acabou de acordar e sair do banho. Gill me olhava com intensidade, demorando-se em alguns lugares específicos de meu corpo.

- Posso participar da festa? O que estão comemorando? – disse Gill ainda na porta esperando ser convidado para entrar. – Você não me ligou e eu não aguentei esperar. – percebi que ele olhava para minha boca.

- Hummmmmmmmm..... – pude ouvir Luana e Tomaz olhando para nós dois.
Olhei para eles e arregalei os olhos pedindo que parassem. Não queria constranger Gill mais do que já estava.

- Claro Gill, entre. – fiz um gesto para que ele entrasse no apartamento. – Você já viu os jornais hoje? – como ele não havia falado nada sobre isso ainda, perguntei a ele percebendo que ele nada sabia do que estava acontecendo. Fiquei olhando para ele com a mão em minha nuca. Não sabia qual seria a reação dele...

- Ainda não, linda. Acabei de acordar e desci para lhe convidar para tomar café comigo. Tem um Bistrô muito charmoso perto do Central Park e .... - Gill nem terminou de completar a frase e olhou para o jornal que estava em cima do sofá. Pegou-o rapidamente e olhou nossa foto estampada na manchete sobre a estreia. Ele ficou olhando para a foto, mudo. Levantou o olhar e me encarou.


- Desculpe Gill. Eu não sabia que isso iria acontecer. Não era minha intenção te envolver em tudo isso. – eu dizia, nervosa e agitada, tentando me justificar a ele. Estava me sentindo péssima por tê-lo envolvido nessa badalação toda.

Se eu ao menos soubesse o que ele estaria pensando, mas ele permanecia lá, parado, apenas olhando para mim com olhar indecifrável.

Olhei para Luana e Tomaz que me olhavam e sussurravam para que eu mantivesse a calma. Meu receio era que Gill achasse aquilo tudo demais e resolvesse se afastar de mim. E eu não queria isso, não agora que havia descoberto o quanto ele era maravilhoso.

- Bom... – ele disse jogando o jornal de volta no sofá e colocando as mãos na cintura. Baixou a cabeça e passou a mão nos cabelos e me olhou muito sério. – Pelo menos já é oficial. - ele disse.- Agora somos o casal mais lindo de NY. - Ahhhhh!!! – ele veio e me pegou no colo, me girou apertada contra ele e me puxou para um beijo apaixonado.

- Um brinde! – Luana gritou batendo palmas e todos rimos e festejamos. Nos abraçamos os quatro e começamos a relaxar depois dessa tensão toda. Eu não poderia prever a reação de Gill. E se ele não gostasse? Se não quisesse chamar atenção? Era uma possibilidade que eu não teria como consertar, não agora com nossa foto nos jornais e milhares de jornalistas querendo falar com a gente. Mas ele adorou, era pura felicidade. Me abraçava e beijava o tempo todo.

- Como assim jornalistas? – ele perguntou quando Luana contou o que tinha acontecido a pouco, sobre os jornalistas e fotógrafos na entrada.

– Dê uma olhadinha ali, na varanda. – ela disse rindo e apontando para a varanda.

Gill levantou-se até a varanda, olhou para baixo e soltou um sonoro:

– PUTA QUE PARIU! - e a gargalhada foi geral. – Tem muita gente lá embaixo. Como vamos tomar nosso café?

Fiquei muito mais tranquila depois que vi Gill fazer piada com a situação. Sem dúvida ele seria o parceiro ideal, mesmo porque eu já estava totalmente caidinha por ele. Esperamos que a multidão se espalhasse e nos arrumamos para sair e tomar o nosso café.


Durante a conversa no Bistrô pude perceber que eu e Gill tínhamos muito mais coisas em comum que imaginávamos. Ambos gostávamos de ler bons livros, de caminhar ou correr no Central Park e tínhamos planos de subir ainda mais em nossas profissões.

-Eu tinha certeza – disse ele – Você é perfeita pra mim! – e me beijou calorosamente.
Durante nossa conversa, percebemos flash por todos os lados. – Acho que viramos celebridades. – falei a ele tentando me esconder, em seu tronco, do assédio dos fotógrafos. Ele me abraçou e colocou seu nariz em meu pescoço sentindo meu perfume. Me afastei dele e nos olhamos nos olhos de maneira intensa e apaixonada.

- Vamos, minha estrela. – ele disse – Já está quase na hora de você ir para o teatro. Eu te levo. – e nós voltamos para casa, abraçados e felizes. Eu estava vivendo um conto de fadas e estava maravilhada com tudo.

Gill me deixou na porta dos fundos do teatro para fugir dos paparazzi que estavam esperando na porta principal e voltou para casa. Ele viria me buscar depois do espetáculo. Assim que cheguei fui assediada pelos colegas de elenco que vieram me parabenizar pela matéria no jornal. – Parabéns Flavinha! Você é muito talentosa mesmo e merece todas as honras.

Logo vieram os diretores e produtores e mais cumprimentos aconteceram. Foi então que eles me disseram que haviam preparado uma coletiva de imprensa para falar sobre o espetáculo, avisara que os jornalistas estavam querendo falar com o elenco da peça. Ri discretamente, sabia que só poderia ser coisa dela. Fiquei feliz pela decisão de colocar todo o elenco, ainda achava que as atenções deveriam ser divididas com todos.


Foi ai que percebi que Amanda Beins, a atriz que fazia a personagem principal, “Bella Swan”, estava com uma cara de poucos amigos. Perguntei para algumas das pessoas que estavam ao meu lado e elas disseram que ela estava sentindo-se preterida, afinal o meu papel era secundário e quem deveria ter recebido as atenções era ela.

Me aproximei de Amanda e puxei uma conversa amigável:
– Oi Amanda. Loucura não? Podemos conversar um pouco sobre tudo isso?- Amanda era muito bonita. Adorava valorizar seus dotes naturais então abusava dos decotes e vestidos justos.

- Que seja..... – ela disse com ar arrogante, mas eu não me deixei abater. Comecei dizendo o quanto estava assustada com tudo aquilo, que era a primeira vez que passava por isso.

Ela continuava muda e com olhar prepotente. Tentei explicar para ela que nada daquilo era planejado, que tudo aconteceu por acaso e que eu não pretendia magoá-la ou desmerecê-la. Disse à ela que a achava uma excelente atriz. Só consegui irritá-la ainda mais, fazendo com que ela deixasse a coletiva de imprensa antes do término.

Durante a coletiva, os produtores direcionaram as perguntas para o grupo e eu agradeci. Mesmo assim, eu ainda fui o foco das perguntas e fotografias. Havia uma foto mostrando nós duas com grandes revelações.
(N/A: manchete completamente fictícia.)


 
“ Em “Twilight – A Saga”, o despertar de novas estrelas”

No espetáculo que faturou US$ 35 milhões no primeiro dia de atuação nos EUA, o duelo entre duas atrizes chama a atenção.

Já era de se esperar que “Twilight - A Saga” revelasse alguns talentos, entretanto algumas surpresas em seu jovem e diversificado elenco nos fazem ainda mais certos disso. 

Duas jovens atrizes despontam como as grandes revelações deste musical. Uma delas, a australiana Amanda Beins, dá a personagem principal suavidade e personalidade. Entretanto, a atriz brasileira, Flavia Sanchez, consegue transformar uma personagem secundária em atração principal. Seu carisma e beleza valorizam a personagem de forma brilhante.
 Sem dúvida ainda falaremos de outros talentos que aparecerão neste excelente musical.

Assim que a coletiva terminou, fui até o camarim onde Amanda estava e tentei conversar com ela novamente:
– Amanda, procure entender. Não é culpa minha.

- Vocês novatas acham que podem ir chegando e já sentando na janela.... – ela disse de forma grosseira me mostrando a reportagem, o que me deixou muito magoada. Mesmo assim, não me intimidei e perguntei – Qual é o seu problema?
E ela respondeu, enfática: – Nesse exato momento, VOCÊ! E se eu tenho um problema eu atropelo ele. Nada fica em meu caminho. – disse isso amassando o jornal e virando-se, saindo do camarim.

O ensaio antes do espetáculo ia começar e eu não quis continuar a discussão com Amanda. Iniciamos o espetáculo com mais um dia de casa cheia. Olhei para Amanda durante o espetáculo algumas vezes e percebi sua cara de ódio para mim. Pela primeira vez fiquei preocupada com todo esse sucesso instantâneo. Acho que eu estava prestes a conhecer um lado escuro da Broadway, o da inveja e da cobiça. A ideia não me agradou muito...


N/A: E com vcs: Amanda Beins! Argh! É gente, ela ainda vai dar o que falar. Esperem que vocês ainda sentirão muita raiva dela.... Beijos apertados e abraços sufocantes! Flavinha



Fique por dentro das novidades e atualizações sobre suas fanfics favoritas, siga-nos nas redes sociais do Lautner Fanfics. 

Acesse nossa página no Facebook - clique aqui

Siga nosso Twitter - clique aqui

Em caso de dúvidas, pergunte em nossa Ask - clique aqui



Página de capítulos - clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA