21 janeiro 2014

Fanfiction: Descoberta – Capítulo 12: E o amor?


Por um momento, eu não conseguia me mexer. Estava paralisado com aquela noticia absurda. Crescer em volta de mentiras, saber que seu pai nunca ligou pra sua existência e descobrir assim, de repente, por acaso. Era muita coisa pra mim.
    Não bastava minha vida amorosa estar horrível, minha vida familiar também se juntou nessa catástrofe psicológica!
    Eu fiquei sem saber o que fazer, se é que tinha alguma coisa que eu pudesse fazer, né...

-Ele... onde ele está? –Perguntei erguendo a cabeça pra Nessie, que secou as próprias lagrimas rapidamente.
-Provavelmente, na casa dele! –Ela respirou fundo e eu levantei.
-Então me leve até lá! –Falei saindo da casa.
    Subi na moto e entreguei o capacete a Nessie, que subiu atrás de mim perguntando se aquilo era uma boa idéia. Eu não sabia se era, mas não me importava com isso.
...
    A pequena casa vermelha, desbotada, estava toda fechada quando parei a moto ali na frente. Nessie desceu e eu a segui, passando por ela até chegar na porta da frente, onde eu dei três batidas consideradamente fortes.
    Eu gelei quando a porta se abriu, mostrando um homem de cadeiras de roda, de cabelos longos e pretos, e a pele morena e marcada pela idade, mas seu sorriu desapareceu assim que me mirou.
-Oi... “papai”! –Falei seco, com certa raiva.
-T-taylor! –Ele meio que gaguejou de surpresa e eu lhe dei um sorriso irônico.
-Não vai me chamar de “filho”? –Ergui uma sobrancelha pra ele.
-Você não entende, é complicado! –Ele disse, cansado.
-Complicado? É isso que você vai me dizer? –Eu ri nervoso. –Complicado foi eu crescer sem um pai, foi eu crescer sendo o homem que cuida da casa! Eu acreditei que você estava morto, acreditei que apenas um dia você tinha me amado, mas, pelo visto, é tudo mentira! –Eu estava gritando.
-Taylor, se acalme! –Ele disse, tentando ficar firme, mas dava para ver sua vontade de chorar.
-EU NÃO VOU ME ACALMAR! Não quero me acalmar! Você não sabe o que eu passei por causa de você, como minha mãe sofreu por causa disso, por ter que me criar sozinho! E mesmo assim, vocês mentiram pra mim, pro seu próprio filho! –Eu estava irado, isso pareceu assustar Nessie, que estava ao meu lado, com os olhos afogados. Como os meus.
-Eu sei que foi um erro, Taylor, e eu peço desculpa por isso, mas...
-Mas eu não desculpo! –Falei agora em um tom normal, fungando para evitar as lagrimas.
-A culpa não é só dele! –Jacob apareceu atrás da cadeira de rodas e com isso, Nessie se estremeceu ao meu lado.
-Está defendendo ele? –Perguntei incrédulo. –Ele mentiu pra gente! –Completei.
-Eu sei, mas não pode culpar só ele, nossa mãe também teve culpa nisso! –Jacob comentou.
-Sei disso, e isso só me dá mais desgosto! –Falei desanimado.
-Taylor, eu não podia ficar mais com sua mãe! Eu não aguentava mais aquela vida, ela sempre bêbada e drogada, eu não aguentei! –Ele tentou se acalmar. –Pensei que se ela tivesse a responsabilidade de cuidar de você, ela sairia desta vida, pois sei o quanto ela amo os filhos que tem, assim como eu amo vocês! –Falou.
-Isso não é desculpa, Billy! –Respirei fundo. –Sei sobre o passado alcoólico da minha mãe, e isso é apenas mais um motivo pra nada disso ter acontecido! –Falei olhando-o. –Mas se você e minha mãe escolheram isso, não vou atrapalhar. Não quis ser meu pai, então não será! –Falei e o dei as costas, ouvindo-o me chamar, mas ignorei, subindo na moto e partindo com Nessie na garupa.
   ...
-Tem certeza que você vai ficar bem? –Nessie segurou meu braço, visivelmente preocupada.
-Só... preciso me acostumar! –Falei, espremendo meus lábios.
-Tudo bem! Mas, a gente vai se ver logo? –Perguntou me olhando.
-Claro! –Sorri fraco pra ela, que devolveu o sorriso. –Obrigada pelo apoio! –Falei lhe dando um beijo na testa.
-Pode contar comigo!
-Sei que posso! –Falei colocando o capacete e partindo pela estrada, voltando pra casa de Jay.
     Desci da moto, vendo o carro de Dean na frente da casa, e é claro que eu não tinha gostado nem um pouco daquilo. Entrei na casa rapidamente, e vi Dean, sóbrio, na cozinha, conversando com Jay e Gabi.
-Oi, Taylor! –Gabi e Jay me olharam e eu assenti sem animo.
-Olá, Lautner! Soube que tem tido uns probleminhas por aí! –Dean me olhou debochado.
-Sorte que isso não é da sua conta! –Falei passando por ele e me jogando no sofá da sala.
     Era só o que faltava! Dean voltar pra perturbar ainda mais minha idéia! O que eu fiz contra ti, Deus?
     Pensei em ligar pra minha mãe, mas isso só causaria mais confusão e frustração, então resolvi ficar na minha ali, precisava descansar. Precisava de um tempo.
 Nessie:
    Meu coração pesava pela situação do Taylor, mas não só por ele, Jacob também deveria estar sofrendo, afinal, sua mãe estava viva e ele não a conhecia. Claro que eu estava preocupada, e isso me deixava inquieta.
     Taylor iria embora, eu não queria isso, mas não tinha o que eu fazer.
    Fui tomar um banho assim que terminei da comer, coloquei uma roupa mais confortável, mas antes que eu me deitasse, alguém bateu na porta.
-Pode entrar! –Falei me sentando na cama.
-Olá! –Meu pai entrou no quarto, com um sorriso fraco.
-Oi! –Baixei os olhos, me encostando no travesseiro.
-Como você está? –Perguntou, se sentando na minha frente.
-Bem, pai! –Falei, concordando com a cabeça.
-Sua mãe me contou sobre o que aconteceu com Jake e com o... irmão dele! –Ele franziu o cenho, meio confuso pra completar a frase.
-É. Está bem difícil pra eles! –Concordei. –E pra mim também! –Me encolhi, abraçando minhas próprias pernas.
-A culpa não é sua! –Falou.
-Claro que não, mas... eu não sei pai! Eu... eu to tão confusa! –Meus olhos se encheram de lagrimas, mas eu tentava evitá-las. Não costumava desabafar com meu pai.
-Você os ama, não é? –Ele perguntou, me olhando e eu só pude concordar. –E eu aposto que eles também gostam de você! Então, ajude-os que isso irá ajudá-la! –Completou, alisando meu braço.
-Obrigada, pai! –Sorri fraco.
-Não há de que! –Ele levantou e me deu um beijo na testa.
     Meu pai não era muito daquilo, não tinha esse hábito, mas eu gostava de ficar com ele, principalmente quando ele não criticava o Jake.  
    Passei o resto da tarde no meu quarto, com o celular na mão, pensando em ligar para Taylor, ver como ele estava, mas sempre que vinha a coragem ela ia embora do mesmo jeito, rápido.
    O celular vibrou na minha mão, o que me assustou, mas quando vi a tela do mesmo, fui pega de surpresa.
    “Jacob Black” –Era o que estava escrito na tela, o que me deu um aperto no coração, sem saber o que fazer.
    Atender ou não? O que eu faço?
    Mas antes que eu me decidisse, caiu na caixa de mensagem.
-Nessie... eu... –Ele suspirou. –Desculpa, desculpa por eu ter te tratado do jeito que tratei, de ter brigado com você e por ter ido atrás daquele... do Taylor! –Completou aparentemente triste. Eu apenas mirava o aparelho, sentindo meu coração pesar. –Quando ouvir essa mensagem... bem, se quiser é claro, liga pra mim. Eu queria falar com você, queria me entender com você! Eu te amo muito pra te perder!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA