28 fevereiro 2014

Fanfiction: Bizarre Love triangle – BLT - Cap 13

POV  Robert na cafeteria:


Eu olhei pra frente durante a cena e a vi. Uau! Foi o que pensei na hora. De onde conheço esse rosto tão perfeito? Continuei a gravação da cena pensando nela.


- Corta! Valeu Pattinson. Temos um tempo até guardar o equipamento. Faça seu recreio - disse o chefe da equipe rindo

- Isso se você conseguir fugir delas. - ele apontou para as mil adolescentes que se empoleiravam em cima dos seguranças, tentando invadir o set de gravação e chegar perto de mim.

25 fevereiro 2014

Fanfiction: Descoberta – Capítulo 17


Nessie:
    Jacob não estava ali como de costume, e isso me entristeceu um pouco. Eu gostava da sensação de seus braços ao redor de mim, do seu ar de protetor, como se ele conseguisse me proteger só como o olhar. Eu me sentia segura como Jake perto de mim, mas ele não estava ali como todas as manhãs.

    Me deu uma certa vontade de ir pra escola, o que era algo anormal, mas minha mãe não deixaria isso, o que também é algo anormal, e eu desejei que Jake estivesse ali de novo, pra me fazer companhia e não me deixar sozinha...

24 fevereiro 2014

Fanfiction: Caras e bocas – Capítulo 12


Serena P.O.V.

Uma semana, três dias e sete horas sem ver Taylor. Eu não conseguia definir se isso era algo bom ou ruim. Eu sentia muita falta dele, mas era melhor não precisar vê-lo, pois se o fizesse, eu imagino que uma tristeza me abateria. Era por isso que eu tentava conter todo tipo de pensamento com relação a ele.

Sem minha permissão, flashs de nós nos amando, de nossas cenas como Ever e Damen, nossas danças e as palavras doces, me vieram à mente, tornando aquele momento em algo nostálgico, justamente como eu temia.

23 fevereiro 2014

FANFICTION 'EFEITO SÉPIA' POR CARRIE - CAPÍTULO 01


Música Tema:




O Recomeço.
            Não poderia ser diferente. Muitas vezes me sinto dentro de um filme. Meus pais  morreram a duas semanas e como uma boa órfã, acompanho meu irmão mais velho, aceito os pêsames e respondo que tudo está bem, mesmo não estando. Meu nome é Valentina Bergamo Gasparello. Tenho 20 anos e sou formada em fotografia. Meu irmão, James é empresário já fazem 05 anos. No dia após a morte de nossos pais, nossa tia Judith nos convidou a passar um tempo junto dela. Mas só há um problema: tia Judith mora em Nova York, nos USA. Conhecer lugares considerados superiores e fora de nossa realidade, com certeza é o sonho de todos, mas ainda sim não me senti pronta para abandonar a casa onde morei com meus pais. Ao contrário de mim, James se mudou 04 dias após o acontecido. Como eles morreram? Acidente de carro. Eles voltavam pra casa e um motorista bêbado entrou na contramão e os acertou em cheio. Agora, duas semanas depois, finalmente decidi ir morar com meu irmão e tia. Com muito pesar é claro, porém cheguei a conclusão de que passar por isso sozinha seria muito mais difícil. Tia Judith faz o estilo promoter – ela cuida de eventos famosos, com pessoas importantes para mídia. Nada seria melhor para James do que isso, além do mais, ela prometeu me infiltrar nisso e talvez até me arranjar alguns trabalhos no meio. Mal posso esperar para voltar a trabalhar, preencher minha cabeça com algo que não seja o flashback da noite em que recebi a notícia que meus pais haviam morrido. Confesso que eles nunca foram os melhores pais do mundo – nem eu a melhor filha –, porém eu vou sentir muita falta deles. Não dá para esquecer 20 anos de convivência em apenas 20 dias. Se eu namoro? Bem, tem o Charlie. Ou tinha, não trago muita fé quanto a isso. Nós namoramos por 03 anos, mamãe estava certa de que nos casaríamos; até eu topa-lo aos beijos com minha rival do colegial. Bem clichê, eu sei; mas por acaso já citei que as vezes me percebo dentro de um filme? Mais clichê ainda é eu ainda gostar dele. Mais um motivo para que eu arranje vários trabalhos, eu certamente preciso disso. Revelo que também sinto falta de James, nós somos bem próximos. Mal posso esperar para vê-lo novamente.
(...)
            A viagem não foi lá das melhores: tenho muito temor de altura. Mesmo depois de deixar o avião, me sinto indisposta. Sei que você deve estar pensando “Você está em Nova York, Valentina, anime-se!”, afinal essa é a cidade que nunca dorme não é mesmo? Não, o problema não é a língua distinta. Domino o inglês desde os 16 anos de idade. Aprendi sozinha, como a maioria das coisas que domino. Quando finalmente consegui pegar minha bagagem, notei que já eram 17:00h, e é claro que o aeroporto estava um inferno. Além de ter que conseguir um táxi, teria que me arrastar com duas malas gigantes até a frente do aeroporto. Até que um rapaz alto, de bochechas rosadas e olhos castanho-claros atraiu minha atenção.
–  Ei, ruivinha! Venha cá! – Eu sei que pode parecer estranho, mas eu estava em um aeroporto com mais de 10 mil pessoas e alguém se dirige a mim falando em português: é claro que o instinto de necessidade falou mais alto. – Está procurando por um táxi, não é?
– Me desculpe, é... – Me embolei em meio as palavras e ele sorriu leve, despreocupado.
– Eu que devo pedir desculpas. Me chamo Jason. – O loiro esticou seu braço até mim, na esperança de que eu apertasse sua mão, mas eu estava congelada. Parada, assim, não tive reação. Eu sei que essa não deveria ser minha reação ao ser simpaticamente cumprimentada por um loiro de 1,80m mas o que mais eu faria? Ele exalava um ar de pureza, amparo e sinceridade. Tudo o que eu precisava naquele momento. Sem graça, ele recolheu sua mãos e foi logo assumindo minhas malas. – Deixe-me ajuda-la. Conheço brasileiros de longe e você parece estar perdida. Vamos, eu tenho um cab, te levo aonde deve. – E novamente, eu estava sem reação. Minhas malas foram levadas até seu táxi amarelo e colocadas no porta-malas. – Vamos? – Então, direcionei-me ao carro e embarquei na parte de trás, onde normalmente os passageiros são transportados. Era bem diferente... Quer dizer, era gigante. Eu poderia fazer o banco de trás de cama se eu quisesse. – Será que eu terei a honra de saber seu nome, ruiva? – Novamente ele sorriu calmo.
– Me desculpe. Me chamo Valentina, Bergamo. – Respondi.
– E pra onde vai, Valentina?
– Square Avenue 293, no Palace por favor.
Além de Deus Grego, ele era primoroso no volante. Confesso que ele não havia prendido minha atenção por completo, já que eu também estava observando os pontos da cidade. Até que entramos num condomínio. Ele era lindo, as casas eram gigantescas e com carros maravilhosos preenchendo as garagens. Não me lembro de tia Judith ter mencionado isso. Foi quando avistei de longe uma mulher parecida com a Amanda Seyfried. Espera! Amanda Seyfried? Tia Judith também não havia mencionado isso! Ai, caramba!
– Valentina, chegamos. – Jason disse, depois de desligar o carro. James saiu de dentro da casa branca de portões dourados em alta velocidade e logo veio me pegando no colo.
– Vale, que saudade! Como você está? Como foi lá esse tempo? Eu senti sua falta, sua sardenta! – Apesar de bem próximos, James adorava me apelidar de forma audaciosa.
– Aqui estão suas malas, senhorita. – Ah, aquele sorriso. Como diabos ele conseguia fazer aquilo? James logo me liberou de seus braços, para que eu pudesse apanhar minha carteira. – Não se preocupe, é por minha conta.
– Acho melhor eu entrar. – Disse Jason. Ele sabia como eu odiava que alguém pagasse algo pra mim ou algo do tipo. Eu me sentia incapaz, ou sei lá. Ainda mais quando esse dinheiro vinha de alguém que eu não conhecia.
– De forma alguma. É claro que eu vou pagar, eu aproveitei seus serviços. Essa é a minha obrigação. – E ele deixou escapar uma risada meiga. Caramba, eu acabaria tendo um infarto se ele fizesse aquilo com frequência.
– E eu já disse que não precisa. É difícil encontrar brasileiros por aqui, ainda mais ruivas tão lindas. – Acho que já posso encomendar meu caixão, adeus.
– Eu insisto. – Respondi, tirando o dinheiro da carteira. Posteriormente, Jason bloqueou meus movimentos com suas mãos e deu um passo para aproximar-se.
– Tudo bem, pague-me. Mas de outra forma. A senhorita aceitaria jantar comigo amanhã a noite? Como um... – E então, suas bochechas brancas logo se avermelharam. – Como um encontro. – Será que eu deveria aceitar? Eu não o conheço, também não sei se estou pronta para isso logo agora.
– É claro que ela aceita, rapaz. Ela precisa de alguém que a mostre a cidade, sou uma pessoa meio ocupada. – Tia Judith interrompeu logo, como já era de se esperar. – Pode pega-la amanhã as oito, tudo bem? – Jason sorriu novamente – acho que vou apelida-lo de risadinha – se despediu e foi embora.
– Tia, porque fez isso??
– Você deveria me agradecer, Valentina. Depois daquele Charles, Charling, tanto faz. Você não saiu com mais ninguém depois dele. Não pode ficar sozinha pra sempre, mesmo que sua companhia seja um taxista. Contanto que ele não te traia. – Ótimo, tudo que eu precisava lembrar agora, era de Charlie.
– Tia, por favor, não toque nesse assunto. Você sabe muito bem que não gosto de falar sobre isso.

– Uma hora teria que falar, não acha? E para de me chamar de tia, é Judith, só. Somos todos adultos aqui, não é mesmo? Vamos entrar, desfazer essas malas porque já tenho um trabalho para você. – Ótimo, manter a mente ocupada é meu foco.


22 fevereiro 2014

Fanfiction: "Um Amor Maior Que Eu" - Capítulo 32: Merry Christmas – Parte 1


Capa: Érica Rocha
Texto/Fic: @Rafaela_Vargaas
Beta: Letícia Monteiro
Música Tema: Lucky - (Glee Version)




Eu estava em estado de choque observando as nove figuras em minha frente. Os nove pares de olhos me olhavam com certa duvida e eu só conseguia sentir o palpitar desesperado de meu coração.
Eu sentia uma imensa saudade daquelas pessoas, elas eram o motivo de tudo o que eu havia feito de bom na vida, e duas dela eram o motivo de minha existência.
Meu pai estava de pé ao lado de minha mãe, os olhos dos dois brilhavam tanto que eu podia perceber mesmo estando um pouco longe deles.

21 fevereiro 2014

Fanfiction: Bizarre love triangle – BLT – Capítulo 12


-Como você não me contou sobre seu encontro com Rob no parque??? Não sou mais sua confidente? Arrrgh! – Luana surtava enquanto em tentava contar à ela tudo que vinha acontecendo.

- Eu estava com raiva, não queria você falando no meu ouvido. Às vezes você é muito metida, sabia? E eu estava confusa, sei lá..... - disse à ela tentando me redimir. Mas era verdade. Algumas vezes Luana se passava e fazia comentários nas horas mais inoportunas. Mas era verdade também que, em se tratando de minha vida ela me conhecia como ninguém e sempre acertava sobre isso. - Me desculpe...

19 fevereiro 2014

Fanfiction: Descoberta – Capítulo 16

    
Taylor:
-Tem certeza que vocês querem mesmo ir hoje? –Jay perguntava enquanto eu colocava nossas malas ao lado da porta.

-Sim. Já compramos as passagens e tudo! Não vejo a hora de sair daqui! –Falei, olhando-a, vendo Jessie suspirar no outro lado da cozinha. – Jessie... –  Eu me aproximei. –Não precisa ir se não quiser! –Falei, alisando seu braço.

17 fevereiro 2014

Fanfiction: Caras e bocas – Capítulo 11


Taylor P.O.V.

Eu girava aquele peso leve que era Serena com uma estranha facilidade, felicidade e liberdade.

Sim! Estávamos libertos por causa da bebida, de nossas danças, palavras, sentimentos e por nosso amor que nasceu com a nossa conflituosa convivência.

Só parei de girar e a soltei quando me senti tonto e desiquilibrado, quase fomos ao chão quando cambaleamos um para cada lado ao nos separarmos, mas Robert segurou Serena e eu consegui me apoiar no balcão do bar.

-Se acertaram? –perguntou Robert segurando Serena.

15 fevereiro 2014

Fanfiction: A musa - Capítulo 7



POV Taylor

Há muito tempo eu não me sentia tão inseguro. Isto era fato. Mas eu não podia transmitir isto. Não para a atriz que iria contracenar comigo e que, de certa forma, eu tinha que direcionar.
            A sorte era que, ao contrário de mim, ela parecia tranquila, como se estivesse em casa.
_ Você entendeu bem? Eu gostaria de dar uma dramaticidade a cena, mas não algo que ficasse muito forçado. Eu também acho que… Axel tem que ser agressivo com você nesta primeira parte. Certo? – Eu disse a ela, que sorriu e acenou com a cabeça. – Okay.
            Eu voltei a olhar para o papel e depois para o estúdio onde estávamos, aquele não era o que faríamos o teste. Eu tive oportunidade de analisar o espaço que eu faria a audição quando cheguei, mas foram só por alguns minutos.

Fanfiction: "Um Amor Maior Que Eu" - Capítulo 31: Surpresas


Capa: Érica Rocha
Texto/Fic: @Rafaela_Vargaas
Beta: Letícia Monteiro
Ilustrações/Gifs: @Rafaela_Vargaas
Música Tema: Stop Cry Your Heart Out - Oasis


Aquela face bronzeada estava exatamente a dois centímetros de distancia de meu rosto. Eu poderia jurar que ele me beijaria a qualquer momento.  Os seus olhos miudinhos e brilhantes, agora estavam me fitando. A boca rosada estava aberta em um sorriso, mostrando seus dentes brilhantes e esbanjando toda a elegância que ele tinha. O sujeito em minha frente parecia não se lembrar de nada ou ter uma baita cara de pau. Eu queria poder estapeá-lo e fazê-lo criar vergonha na cara, mas não sei por qual motivo eu não estava conseguindo me mover nem um milímetro, e ao meu redor eu só enxergava o rosto dele. O rosto de Taylor Daniel Lautner.

14 fevereiro 2014

Fanfiction: Bizarre love triangle – BLT – Capítulo 11



Fiquei ali olhando para o parque por um bom tempo. Minha cabeça estava confusa. Bem que minha mãe sempre me disse que era para eu aproveitar tudo que podia, antes de me prender a uma pessoa. Ela sabia o quanto pode ser difícil ficar dividida, já havia passado por isso quando era jovem. Eu sabia que ela não havia sido infeliz, mas sei que sentia um certo pesar quando falava de sua juventude. Principalmente depois que meu pai morreu.

13 fevereiro 2014

Fanfiction: "Distance" - Capítulo 3 - Give Me Love


Capa: Alexia Augusto
Texto/Fic: @Rafaela_Vargaas
Beta: Letícia Monteiro
Ilustrações/Gifs: @Rafaela_Vargaas
Música Tema: Give Me Love - Ed Sheeran 



Eu não sabia muito bem por que eu tinha ido até lá. Eu estava completamente confuso se eu fui movido até lá como melhor amigo ou como um apaixonado buscando por seu amor de infância. Era estranho, claro que era, mas eu nunca consegui distinguir tudo que estava acontecendo.
Eu sempre quis achar um amor perfeito nesses últimos anos; busquei em lugares sem sentido e às vezes inapropriados, sabendo que lá não estava minha alma gêmea. Eu nunca tive certeza se encontraria Alice novamente, e nem se ficaria até o fim dos tempos com ela, eu só sabia que ela era meu amor, e nada e nem ninguém seria capaz de apagar isso.

12 fevereiro 2014

Fanfiction: “A filha do chefe” – Capítulo 2


Depois daquele encontro não consegui dormir. Estava decidida em conquistar aquele homem e para isso teria que ir atrás dele (seria a primeira vez, normalmente são os homens que vem ao meu encontro). No dia seguinte fui até a empresa de família. Quando eu era pequena, fui até lá uma única vez, mas nunca mais voltei. Era muito chato e não era aquilo que chamava minha atenção.

11 fevereiro 2014

Fanfiction: “Descoberta” – Capítulo 15


-O que aconteceu, Jake? –Ela franziu o cenho, olhando ao redor.
-Nessie, eu sou o Taylor, não o Jake! –Ri pelo nariz. Ela tinha acabado de acordar, eu não ficaria bravo por ela me confundir com alguém tão fisicamente igual a mim.
-Taylor? –Ela voltou a me olhar, ainda confusa, o que me deixou confuso também. –Você não é o Jacob? Mas... –Ela se limitou, me olhou novamente, me analisando. -Você é muito igual ao meu namorado! –Aquela frase me deu uma dor imediata, junto com uma sensação de Deja Vú.

10 fevereiro 2014

Fanfiction: Caras e bocas – Capítulo 10


Capítulo 10

Serena P.O.V.

Eu sentia plenamente o corpo de Taylor contra meu. Seus bíceps e tríceps que sustentavam meu troco ereto, seu peito colado musculoso colado ao meu, suas coxas bem trabalhadas me segurando de modo tangível ainda na pose final da dança.

Mas o que realmente me enlouquecia no momento, eram seus lábios contra os meus... Foi impossível não corresponder aquele beijo urgente e cheio de sentimentos.

Trailer oficial da Fanfiction "Distance"



Como a maioria de vocês já sabem, a Fanfiction "Distance" é uma nova versão da Fanfiction "Um Amor Maior Que Eu", para quem quisesse ler a narração de Liam Evans, o melhor amigo da delicada Alice Araújo. Eu fiz esse Trailer para vocês terem ideia de como esta sendo e como será a história a partir de agora. Espero que gostem!

Para ler a Fanfiction "Distance" - Clique aqui 
Para ler a Fanfiction "Um Amor Maior Que Eu" - Clique aqui

09 fevereiro 2014

Fanfictin: Nos embalos de domingo “One”.


Fanfic: Nos embalos de Domingo
Autora: Daya Engler
Entrevista com a autora: – Leia – CLIQUE AQUI
E-mail da autora: dayalukina@hotmail.com
Personagens: Taylor Lautner e Nicole Prado
Categoria: Taylor & Original
Nº de capítulos: Um - One
Finalizada (Capítulo único).
Avisos/Restrições de idade: +21
Observações/*Recado aos Leitores:

“Este é meu primeiro delírio Team Taylor, e claro, é totalmente proibida para puritanos (as) e/ou santos em Terra. No mais, espero que gostem, se entretêm e deixem seu parecer. Beijokas”.

––– Taylor..., ––– resmunguei puxando seu cabelo úmido, com uma das mãos e cravando minhas unhas da outra em seu ombro, quando ele fechou os dentes sobre meu fêmur numa mordida fraca; provocativa.
Em reprimenda, sua mão bateu em uma das minhas nádegas, causando um ardor e queimação súbitos em minha carne, mas também um zumbido de prazer.  
––– Ai, seu puto!
Seu riso foi baixo, divertido, porém sensual enquanto sua mão opressora acariciava a bochecha agredida. Logo depois suas duas mãos se aferraram em minha bunda, seus dedos marcando minha pele clara daquela maneira que ele gostava.
Sua marca em mim.
Então meus olhos captaram sua língua rosada deslizar por seus lábios, roubando meu fôlego um segundo antes dela molhar minha pele, onde ele havia mordido.
––– Deliciosa. ––– Ele murmurou, com seus olhos maliciosos levantados para meu rosto.
Molhei meus próprios lábios mordendo o inferior no processo ao passo que curvava os cantos dos mesmos, meus olhos fixos no dele.

Entrevista com a autora de fanfics e em breve de livros: “Daya Engler”


Uma entrevista sincera e divertida, mas não poderia ser diferente sendo de Daya Engler, uma lenda no mundo das fanfics que agora tem o prazer de ver sua estória Dangerous, ser lançada como um livro em breve. Apesar de realizar o que representa um sonho para muitas escritoras de fics, Daya diz que o lançamento do livro é apenas uma satisfação pessoal e que não se sente profissional por causa disso, Ainda me acho anos luz de chegar ao profissional pra me considerar uma escritora com todo peso profissional apenas por lançar um livro, afinal, jogar uma pelada aos fins de semana não torna o caboclo um jogador profissional” - afirma Engler simples e sincera como lhe é de costume. Daya está publicando uma one conosco, a Nos Embalos de Domingoé uma estória de um capítulo só, mas muito hot Okay? Confiram a entrevista e saibam um pouco mais dessa autora que talvez publique mais de seu maravilhoso trabalho conosco.

Redes sociais e links da autora:
Twitter:  @dayalukina

Qual seu nome, como gosta de ser chamada no mundo das fanfics?

R= Daya Engler ou simplesmente Daya.
                 

O que levou você a escrever uma Fanfiction sobre o ator Taylor Lautner?

R= Carência de fics hots com ele, com um padrão de homem real e situações reais do nosso dia a dia, sem encantamentos da Disney, apenas um homem jovem como outro qualquer que diz bobagens, fala palavrões, que erra, enfim, apenas humano e homem. Eu queria a coisa toda mais crua.

08 fevereiro 2014

Papo sobre fics – Entrevista com a autora de Fanfics Kelly Tatto.


R= Twitter: @TeQueroTaylor – CLIQUE AQUI 
Facebook – CLIQUE AQUI  
Tumblr – CLIQUE AQUI
Instagram – CLIQUE AQUI 
Skoob – CLIQUE AQUI 
Ask.fm:  – CLIQUE AQUI


Qual seu nome, como gosta de ser chamada no mundo das fanfics?

R= Meu nome é Kelly Tatto. Não tenho nenhuma preferência de como ser chamada, então podem me chamar de Kelly mesmo, ou Tatto... Como preferirem :)


O que levou você a escrever uma Fanfiction sobre o ator Taylor Lautner?

R= Bom, sempre fui apaixonada por ele, antes mesmo de me considerar uma fã, e sempre quis escrever uma história com ele, mas não conseguia ter uma ideia bacana, até que um dia, eu li uma fic com ele que me fez ficar com muuuuito ciúmes, e tipo, depois que eu terminei, eu pensei "Cara, não vou ficar assim, vou fazer minha história de um jeito ou de outro, eu posso ter meu próprio momento com o Taylor, e ele será do jeito que eu sempre quis". Primeiro, fiz uma outra fic, mas a achava banal demais, e daí quis fazer algo que envolvesse problemas dos jovens mesmo, que é quando você se apaixona e não é correspondido (a), quem são os amigos verdadeiros, a curiosidade sobre drogas e tudo mais, e deu nessa fic =D

Fanfiction: "Um amor maior que eu" - Capítulo 30: You're My Best Friend



Capa: Érica Rocha
Texto/Fic: @Rafaela_Vargaas
Beta: Letícia Monteiro
Ilustrações/Gifs: @Rafaela_Vargaas
Música Tema: You're My Best Friend - Jason Reeves 

Eu daria tudo para saber o que estava sentindo. Tudo estava tão confuso ultimamente que eu poderia jurar que eu não era eu.
Em primeiro lugar vinha Taylor. Me mostrou exatamente tudo o que uma pessoa pode aprender com o amor. Eu acreditava que nós poderíamos viver felizes para sempre, ou seja, eu acreditava no impossível.

Fanfiction: A musa - Capítulo 6



POV Diana

_ Tudo o que você tem que fazer é se adaptar ao que o ator propor. Nós estaremos avaliando como eles irão te responder também. Como casal principal vocês tem que ter aquela sintonia. – Chris explicava aquilo para Nádila, já confirmada e devidamente contratada para o papel de Perpétua.
_ Entendi… Então eles receberam o roteiro seco da cena e vão ter que decidir tudo sobre a interpretação e me dirigir também? – Ela perguntou, atenta.
_ Sim... o roteiro que eles receberam tem, praticamente, só falas. As únicas coisas que eles não terão como interferir são os planos de filmagens... as câmeras já estarão posicionadas e eles terão que decidir a melhor forma de se movimentar. – Eu expliquei a ela.
_ Certo… Realmente, isto aqui é pra profissional.

Trailer oficial da Fanfiction "Um Amor Maior Que Eu"

Olá leitores! Há muito tempo eu desejei em fazer esse Trailer Oficial para a Fanfiction "Um Amor Maior Que Eu" e finalmente consegui fazê-lo. Espero que vocês consigam ter uma visão básica do que esta acontecendo e do que irá acontecer na Fic. Comentem o que acharam e deem sugestões, ficarei grata e responderei todos os comentários. Beijos e até a próxima! 

Para  ler a Fanfiction - Clique aqui

05 fevereiro 2014

Fanfiction; “ A filha do chefe” - Capítulo 1: O jantar

No aeroporto.

-Pai!  - corri pelo corredor de desembarque do aeroporto.

-Filha olha pra você... - ele me envolveu em um abraço forte - Cadê a minha menininha?

-Ela ainda continua aqui só que cresceu! - eu disse com lágrimas nos olhos e me afastando um pouco dele. Fazia sete anos que eu não via meus amados pais.

Saímos do aeroporto e fomos direto pra casa. Mamãe nos aguardava na entrada e haveria uma festa. Só contei a eles o necessário, o que eles queriam ouvir, nunca a verdade. Á sete anos longe de tudo que podia me controlar, decidi viver minha vida da melhor forma possível através de festas até altas horas, regadas a noites de muito prazer e bebidas. Imagina se meus pais ficam sabendo que a princesinha deles participa dessas “festinhas”? Meu pai ia pirar.

Fanfiction: “Descoberta” – Capítulo 14


Taylor:
    Eu não conseguia parar, meu coração estava prestes a sair pela boca e a tensão da sala de espera era ainda mais sufocante. Eu andava de um lado para o outro no corredor grande do hospital, enquanto a família dela estava na sala de espera ali no lado e Jacob estava na janela de vidro dali, mirando o céu cinzento com os olhos marejando de preocupação e raiva.
-Familiares da senhorita Cullen? –Um homem de jaleco branco entrou na sala, fazendo todos mira-los e se aproximarem dele.

03 fevereiro 2014

Fanfiction: Caras e bocas – Capítulo 9


Serena P.O.V.

Arfei com a dor que me atingiu no peito assim que terminei de ler aquela maldita mensagem.

Será que ele fez tudo aquilo apenas para me levar para cama? Será que suas palavras doces e a declaração de amor foram mais uma de suas encenações? –eram essas as perguntas que me rondavam a cabeça. Afinal, quais eram as reais intenções de Taylor para comigo?

Inspirei profundamente várias vezes tentando controlar as lágrimas que saíam sem permissão de meus olhos.

01 fevereiro 2014

Fanfiction: "Um amor maior que eu" - Capítulo 29: U Smile


Texto/Fic: @Rafaela_Vargaas
Beta: Letícia Monteiro
Ilustrações/Gifs: @Rafaela_Vargaas
Música Tema: U Smile - Justin Bieber





Eu não sabia ao certo se eu estava tendo apenas mais um de meus devaneios ou se era tudo real. Tudo em minha volta se silenciou, parecia não ter mais ninguém no local.
O rosto jovem da mulher a minha frente era simpático, mas ao mesmo tempo confuso, porém eu a conhecia e nunca imaginei que aquilo pudesse acontecer algum dia.  Balancei minha cabeça para tentar desfazer aquela imagem e enxergar o verdadeiro rosto da pessoa que estava em minha frente, mas nada mudou. O rosto dela continuou ali, exatamente da mesma maneira.

Fanfiction: A musa - Capítulo 5



POV Diana

_ Vocês vão amá-la. Eu tenho certeza!
            Era o que nos dizia Jack, um dos preparadores de elenco do filme. Estávamos eu, Chris e a Emma no Teatro Municipal de Nova York, em plena terça-feira de manhã, para assistir sorrateiramente o ensaio de uma peça em que uma atriz promissora atuava. Ela não sabia que estávamos ali para avaliar a sua atuação e ver se, conforme Jack insistia, ela seria perfeita para interpretar Perpétua.
_ Assim que li aquele texto, Diana, e quando ouvi você falando da Perpétua, todos os meus pensamentos vieram parar nesta moça. Pra mim, não há outra para este papel, vocês vão ver.  – Os olhos de Jack brilhavam, o que já começou a me deixar desconfiada. Ele parecia amar mais do que só o trabalho da moça.
_ Como é mesmo o nome dela? – Perguntei.

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA