26 março 2014

FANFICTION: BIZARRE LOVE TRIANGLE – BLT - CAP 14



POV Robert

- Ah Cara, mais uma? - Taylor me disse rindo. - To pra ver cara mais ligeiro que você. “Ce” ta onde? - dava pra ouvir a música de fundo.

Taylor deveria estar em um dos barzinhos de Vancouver, curtindo entre as gravações de Amanhecer I. Esse sabia aproveitar bem as oportunidades. Não perdia uma balada. O pior é que sempre passava a imagem de bom moço, o que era um bom álibi.



- To em Nova Iorque ainda, terminando as cenas de Remember Me. – eu disse - Pego o último vôo para Vancouver hoje, mas eu tinha que te contar, cara! Ela é demais, linda, inteligente, estonteante…. - eu disse a ele sobre Flávia.


- Claro, claro. Como se as outras não fossem também... Vê se vem logo pra cá. As baladas não são as mesmas sem você, seu inglês pegador. - Taylor me disse rindo. - Kristen disse que está com saudade.

- Ah, cara. Não to nem um pouco afim de ver essa daí. Pode pegar pra você. Você vai ver, vou te apresentar a Flávia. Cara, ela é demais!!! - disse a Taylor me despedindo em seguida.
Taylor e eu havíamos nos tornado grandes amigos depois de Crepúsculo. Era ele quem me livrava das situações embaraçosas com Kristen. Eu e ela até tivemos um affair por um tempo. Mas esse era o meu álibi, e eu aproveitava. Voltei para o apart-hotel em que estava hospedado e dei de cara com Allen no hall de entrada fazendo o check out da equipe.

- E ai cara? Por onde andava? Não vai me dizer que já faturou a gata? Ela é tão fácil assim? - disse ele com cara de desdém e eu comecei a rir.

- Seus cotovelos doem, meu caro? Vai doer mais. Ela é incrível! E eu nem preciso contar nada a você. Nos vemos mais tarde. Fui!!! - dei uns tapinhas em seu ombro, subindo para arrumar minhas coisas. Eu estava eufórico. Fiz o check out e fui de taxi para o aeroporto esperar meu vôo.

Passei em uma banca de revistas para comprar cigarros e me surpreendi com uma capa onde ela aparecia. Minha Flávia...., pensei na hora em que a vi e comprei a revista. Dentro havia uma matéria sobre ela e o cara que ela namorava. Dei uma boa reparada nele. Não é páreo para mim! pensei.



Eu ia conquistar essa garota, ela ia ser só minha...

oOo
 POV Flávia

Eu gelei quando vi Gill parado, de braços cruzados e me encarando com um olhar acusador. Meu corpo inteiro formigava. E agora? eu pensei e continuei andando, encarando ele. O que que eu digo? O que que eu faço?

- Oi. - falei quando cheguei perto e me levantei na ponta dos pés para lhe dar um selinho, que ele retribuiu. Fiquei parada na sua frente esperando que ele falasse primeiro. Eu não sabia o que ele tinha visto, e eu não tinha feito nada de mais. Não, maluca. Mentiu, saiu com outro, abraçou.... .aiiiiiiii, para de pensar.

- Pensei que você estava no teatro. - ele disse abaixando a cabeça e depois levantando com olhar um pouco decepcionado.

- Luana me disse que tinham te chamado. O que houve? - ele perguntou e eu endureci. Definitivamente não era do meu feitio mentir. Eu queria falar a verdade. Mas como? Ele iria ficar chateado comigo. Talvez até terminasse..... Eu não quero isso.

- Fui até lá e não era nada sério. - comecei assim, mexi no cabelo tentando demonstrar indiferença. - Depois peguei uma carona e pedi que me deixassem no parque. Queria dar uma volta. - ficaria até ai se ele não falasse nada sobre Pattinson. Olhei para ele e esperei.

- E quem era o cara? O do abraço apertado? - outch! Ele viu. Ai, ai, ai..... O que que eu digo agora? Não vou mentir... talvez só um pouquinho....

- Era o Robert, aquele que conhecemos no estúdio, lembra? - soltei na maior inocência. - Ele tava caminhando também e me acompanhou até em casa. Por que? - aiiiiiii. Será que tinha colado?
Que dor na alma, mas não ia causar um problema com Gill por um cara que eu nem sabia o que queria comigo.

- Humm, Robert.... - ele disse olhando pra cima. Depois me encarou de frente, me fazendo tremer. - Aquele do filme, não é? O que tava falando contigo no corredor. - ele se lembrava muito bem disso. Aquela nojenta da Amanda tinha levado ele até lá pra ver.

- Ai, lindo. Desencana... - tentei disfarçar e mudar o rumo da conversa. - To morrendo de fome! Vamos comer alguma coisa? - tentei amenizar a situação e não dar importância pra tudo aquilo.

Gill ainda me olhava meio em dúvida. Peguei em sua mão e fui andando com ele até o prédio. Ele me deu um beijo na testa já dentro do elevador e disse que ia até em casa tomar um banho e se trocar.

- Ok! Te espero aqui. - e fui pra casa correndo. Entrei em casa e me joguei no sofá. Nossa! Quanta coisa em um só dia....

Primeiro esse telefonema inesperado do Rob me chamando pra sair, depois ele todo derretido, se declarando e me deixando pra lá de confusa... e pra terminar Gill me pegando em flagra. Affffffff!

Fui tomar um banho pra ver se relaxava e me preparava pra ficar com Gill, afinal de contas, ELE era meu namorado. Senti-me muito mal por tudo aquilo. Gill era maravilhoso. Fora as palhaçadas com Amanda, e isso por investida dela, nunca olhava para outra mulher quando estava comigo. E olha que eu já sabia que ele era o maior pegador, busquei na internet e achei várias fotos dele na balada. O que a gente não encontra no Google....



POV Gill


Entrei em casa e fiquei um tempo ainda sentado na cama pensando no que havia acontecido. Era tudo muito estranho e confuso. Será que ela está me traindo?

Lembrei de Luana me falando que ela havia sido chamada para o teatro de surpresa e que logo voltaria. Aproveitei para correr no parque enquanto ela não voltava. Quase cai quando estava voltando para casa e a vi caminhando ao lado daquele cara e depois dando-lhe um abraço tão apertado.

Reconheci de cara quem era. Bem que Amanda havia me avisado que o cara era pegador e que daria em cima dela com certeza. - Cuidado, viu Gill. Esses caras estão sempre de olho em atrizes que chamam atenção só para ficar na mídia também - ela disse e na hora eu nem dei bola. Só não poderia imaginar que Flávia aceitaria as investidas dele estando comigo. Será?

Fiquei aliviado quando perguntei quem era o cara e ela não mentiu. Talvez fosse só coisa da minha imaginação, mas mesmo assim algo me dizia que havia mais coisa ali. Mas também poderia ser somente da parte dele e ela não teria culpa de ser tão linda e atraente. E ela era minha!

Sacudi a cabeça afastando meus pensamentos bizarros e entrei no banho, deixando com que a água passasse pelo meu corpo e levasse todas as minhas dúvidas embora.

Por que ela me trairia?, pensei de novo nisso e senti um arrepio subir pela espinha com a possibilidade de perdê-la. Eu amava Flávia mais que tudo, sabia que ela era a mulher da minha vida, e não deixaria que nada, nem ninguém me tirassem ela. Ainda mais esse atorzinho de araque metido a conquistador.


Sai do banho decidido a nem tocar mais no assunto, mesmo sentindo que algo estava muito estranho. Não queria discutir com ela, afinal, poderia ser somente coisa da minha cabeça e eu estragaria tudo.

Me arrumei de maneira relaxada, não queria sair de casa hoje, estava cansado. Fui para o apartamento de Flávia decidido a ficar só com ela e deixei meus pensamentos todos no ralo do banheiro.

oOo

POV Flávia

Sai do banho e fiquei pensando em que roupa vestir. Tenho que ajeitar as coisas com ele. Talvez algo mais sedutor... eu pensei enquanto tirava todas as roupas o armário. Resolvi colocar um short jeans curtinho e uma regata bege rendada. Ia ficar em casa mesmo, talvez pedisse comida japonesa ou algo assim.

Gill já estava na sala quando eu sai do quarto. Estava bem à vontade também, calça jeans e camiseta. Ele zapeava pela TV enquanto me esperava. Me olhou quando entrei na sala e deu um sorriso meio de lado. - Vamos ficar em casa hoje, né? - eu disse olhando-o de maneira provocante.





Tirei o controle de sua mão e desliguei a TV. Gill ficou me olhando desconfiado, ainda sorrindo e me vendo andar pela sala. Apaguei as luzas e acendi os abajures, deixando um ambiente de penumbra. Coloquei uma música que sabia que ele gostava e olhei em seus olhos provocando, mordendo meu lábio inferior.

- Tentando seduzir seu namorado? - ele perguntou e me desarmou totalmente. Como ele me conhecia tão bem? Gill sabia meus gostos, meu jeito.... por isso era tão difícil mentir pra ele. Mas eu também o conhecia e sabia que se não desse importância ao caso ele logo esqueceria a cena. Era com isso que eu estava contando naquele momento.

Se bem que, na verdade, eu realmente adorava estar com Gill. Eu o amava, mesmo me sentindo confusa eu o amava.

- E por que não? - eu disse me jogando em cima dele no sofá, fazendo-o deitar. - Quem disse que é proibido? - e fiquei em cima dele olhando-o sorrir do meu jeito sedutora.



- Adoro quando você toma a iniciativa. - ele disse, me puxando para um beijo ardente. - Você disse que tava com fome... - ele falava enquanto me beijava.

- Isso pode esperar. - sussurrei em seu ouvido, mordendo o lóbulo da sua orelha e vendo ele se arrepiar. - Agora estou com fome de você. - eu sabia como fazer Gill ficar maluco e ia usar de todo meu conhecimento para que ele não pensasse em mais nada.
Eu estava me sentindo culpada, isso era verdade, mas não ia correr o risco de perder o que eu tinha com Gill.

- Assim você me acaba, Flavinha. Humm.. - ele disse já subindo a mão por minhas pernas e apertando minha cintura, puxando-me para baixo, pressionando ainda mais nossos sexos.

Eu retribui, movimentando meus quadris, esfregando-me mais ainda nele e sentindo sua ereção, enquanto o beijava vigorosamente. Ele estava explodindo embaixo da calça.




Já que eu iria seduzi-lo, sentei-me em cima dele pegando suas mãos e levando-as até meus seios. Ele me apertou por cima da blusa, esfregando meus mamilos até que ficassem rijos. Olhei para ele e Gill estava com um olhar delicioso, mordendo o lábio inferior e sorrindo.

Joguei minha cabeça e tronco levemente para trás e deixei que Gill me acariciasse enquanto eu movimentava os quadris por cima de nossas roupas, sentindo-o ficar cada vez mais duro e excitado.

Gill, então, levantou-se, sentou comigo entre suas pernas e tirou minha blusa, indo direto para meus seios. Ele mordia, lambia e chupava meus mamilos duros, me levando a loucura. Subiu beijando meu colo e caçou meus lábios para mais um beijo caloroso.

Suas mãos acariciavam minhas costas, me apoiando e ele gemia a cada movimento meu, esfregando nossos sexos.

- Você é tudo pra mim, Flavinha. É minha mulher, minha loucura... - ele sussurrava em meu ouvido e tirava o resto de nossas roupas.

Já com nossos corpos completamente nus, Gill me abraçava e me apertava contra seu corpo, acariciando minhas costas com ternura. Senti que dessa vez nos amávamos de maneira diferente.

Gill deixava transparecer todo seu amor, todo seu sentimento naquele momento. Me apertava contra seu tórax de maneira forte, como se tivesse medo de me perder. Nossos sexos apenas se esfregavam, estimulando um ao outro. Gill pode sentir minha lubrificação cada vez que seu pênis passava por mim.

Coloquei minha mão em sua nuca e me afastei para olhá-lo nos olhos. - Eu te amo... - ele disse ofegante e me beijou. Nossas línguas se encontraram e se mexiam freneticamente. Ele sugou meus lábios e minha língua como se quisesse sugar minha alma para dentro dele. Gill colocou um preservativo e me penetrou com urgência, gemendo ao sentir minha quentura.

- Também te amo. - sussurrei, ofegante, em seu ouvido enquanto nossos corpos se movimentavam em um ritmo único.

Gill me segurava nos quadris, ajudando o movimento frenético. - Ah Gill, assim.... - eu gemia e delirava de tanto prazer. Senti meu corpo tremer por inteiro.

Eu ainda tremia as pernas e me sentia amolecida quando Gill me deitou no chão da sala e voltou a me lamber e beijar os seios. Suas mãos acariciavam todo meu corpo e ele sussurrava meu nome, me enlouquecendo novamente. - Flavinha! - Gill gemeu, já entre minhas pernas me olhando nos olhos e sentindo o movimento de nossa respiração ofegante.

- Vem Gill. - eu disse a ele, envolvendo minhas pernas em seus quadris e puxando-o para dentro de mim mais uma vez.
Gill gemia e se movimentava dentro de mim com muita urgência. Senti que ele estava quase explodindo e apertei suas nádegas com vontade. Agora era eu quem o ajudava no movimento de sua pélvis, com ele me penetrando e o fazendo delirar. - Ahhhhhh...... - dissemos juntos dessa vez quando nossos corpos chegaram ao êxtase ao mesmo tempo e explodimos de prazer.

- Você me completa. - ele disse ainda conectado a mim, passando a mão em meu cabelo e enquanto nossa respiração se acalmava e nossos corpos relaxavam deitados no chão da sala.

- Eu te amo, Gill. - eu disse a ele e o beijei, antes de adormecermos completamente no tapete da sala, embalados pelo som de nossos corações.



N/A: Como esse casal é quenteeeeeeee! Kkkkk É, o sentimento de culpa na pp ficou forte e as coisas esquentaram. Será que vai ser o suficiente para mantê-los juntos? Será.... E essa de Robert falar dela para o Taylor!!!!! Ahhhhhh!!!! Que loucura! Vamos ver no que isso vai dar....
Beijos apertados e Abraços sufocantes! Flavinha



Fique por dentro das novidades e atualizações sobre suas fanfics favoritas, siga-nos nas redes sociais do Lautner Fanfics. 

Acesse nossa página no Facebook - clique aqui

Siga nosso Twitter - clique aqui

Em caso de dúvidas, pergunte em nossa Ask - clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA