11 março 2014

Fanfiction: Descoberta – Capítulo 19


-Renesmee Cullen? O que pensa que está fazendo? – Minha mãe gritou enquanto eu descia a escada de casa colocando a mochila nas costas.

-Vou fazer o que preciso fazer, me desculpar com o Taylor! – Gritei em resposta, saindo de casa e pegando uma velha moto da minha mãe, indo para a casa onde Taylor tinha passado um tempo na cidade.

   Subi na moto, colocando o capacete e disparei a caminho da casa antes que minha mãe conseguisse me impedir.


    Fui rápida, sabia que alguém tentaria me impedir de fazer o que queria, então larguei a moto na frente da casa já conhecida por mim e bati na porta, onde uma mulher me atendeu surpresa.

 Como pode ajuda-la? –Ela sorriu.

- Por acaso, você tem o endereço do Taylor Lautner? –Perguntei, mal me aguentando de tanta ansiedade...

    Jacob:

   Eu deveria ter imaginado, não deveria ter a deixada sozinha e agora eu tinha certeza que ela iria atrás dele e ainda por cima me odiaria.

    Minha moto rosnava a caminho do aeroporto mais próximo, eu sabia que ela estaria lá. Bella já tinha me contado sobre ela ter até comprado a passagem de última hora para Los Angeles durante a madrugada. E eu entrei em desespero com isso. Ela iria sozinha para um lugar que não conhecia e a preocupação me deixava louco.

   Segundo Bella, o voo estava marcado para as três da tarde e já era duas e quinze e eu ainda tinha um pouco de estrada até o aeroporto. Acelerei ainda mais a moto e quase meia hora depois eu cheguei no aeroporto e Seattle. Corri para dentro do mesmo, a procura dela, mas nada. Quinze para as três. Ela não podia ter ido ainda.

- Por favor, passageiros com destino a Los Angeles á caminho da entrada 2b! –A voz saiu dos auto falantes e eu agradeci por isso, olhando em volta a procura da entrada 2b.

     Fui correndo, passando por quem estava em minha frente, pedindo desculpa em quem eu esbarrava e a vi, a caminho da fila para entrar na entrada 2b. Lá estava ela, a no máximo vinte metros de mim.

- NESSIE! –Chamei, sentindo o ar faltar quando ela parou e eu voltei a acelerar os passos em sua direção.

      Ela me olhou e negou com a cabeça, dando um passo pra trás, acelerando os passos para longe de mim, mas eu fui mais rápido e a segurei.

- Nessie, por favor, me escuta! –Eu a olhei, desesperado. –Não pode ir, é perigoso, não conhece Los Angeles! –Completei e ela soltou seu braço de minha mão.

- Agora você liga para isso? Liga se eu vou ficar bem ou não? –Ela me olhou fingindo surpresa, com lágrima nos olhos. Isso fazia os meus marejarem também.

-  Nessie, você sabe que ligo, que sempre liguei, não diga isso! –Tentei me aproximar, mas ela deu um passo para trás.

-Se ligasse não teria mentido para mim, Jacob! –Ela chorou. –Você me enganou! Me fez acreditar que ainda estávamos juntos! –Ela disse irritada e isso me doía.

- Por que deveríamos estar juntos, por que nada que aconteceu nas últimas semanas deveria ter acontecido! –Eu respondi.

- E por isso você mentiu? Disse que estávamos bem, enquanto seu irmão sofria por eu ter esquecido dele? Mas não adianta dizer que fez isso por ordens médicas, por que você seria muito covarde em se atrever a dizer isso! –Ela quase gritou e a essa altura, algumas pessoas já se assustavam em nossa volta. Ela limpou o rosto.

- Eu juro, Nessie, eu queria te contar, mas eu não consegui! Eu não tive coragem o suficiente para te dizer que você estava apaixonada pelo meu irmão gêmeo, por que isso me machuca, saber que você o ama, por isso eu não te contei! –Respondi, com algumas lágrimas caindo e a pressão no peito aumentando.

- Você me usou, Jacob! Teve coragem de dormir comigo enquanto sabia o que eu realmente sentia. Disso você teve coragem, de me enganar e me fazer acreditar de que estava tudo bem enquanto tudo estava de cabeça pra baixo, enquanto meus verdadeiros sentimentos estavam embaralhados e você os usou! –Ela se afastou mais.

- Eu não queria ter feito isso, Renesmee, eu juro! Mas eu tive medo! –Completei, agora baixo, com um nó na garganta pelas lágrimas.

-Medo de que, Jacob? –Ela negou com a cabeça, fungando.

- Medo de você fazer o que está fazendo agora, me abandonando. –A frase doeu em minha garganta. –De você escolher ele e me deixar, esquecer todos os anos que passamos juntos e que éramos felizes por apenas estarmos perto um do outro. Eu tive medo de te ver chorar de saudade de alguém que não era eu, de não poder mais dormir com você todas as noites, de não poder mais planejar nosso futuro juntos. Eu tive medo de você notar que não me ama mais como amava e me esquecer, esquecer nós dois. 

Eu tive medo de te ver indo embora e nunca mais voltar, de nunca mais poder dizer o quanto você me faz bem e o quanto me faz feliz! –Eu não conseguia segurar as lágrimas e nem ela. –Por isso eu não contei a verdade, Nessie, por que eu te amo demais para ver você me deixando, pra suportar a ideia que não me quer mais e de que não sou eu que te faz feliz.

 E eu peço desculpa por isso, eu errei e sei disso, mas eu nunca quis te magoar ou te usar, sua felicidade é a coisa mais importante da minha vida e por isso eu queria que você fosse feliz comigo, eu quero ser o motivo da sua felicidade e por mais que seja egoísta e ingrato eu fiz isso por um único motivo: Eu não consigo ser feliz sem você, por que eu te amo! –Completei.

   Por três segundos eu só ouvia meu coração, enquanto ela me encarava ainda chorando. Ela se aproximou e me abraçou, chorando, me dando certo alivio ao apertar seu corpo no meu, devolvendo o abraço.

-Eu te amo, Jake! Sempre amei e você sabe disso! –Ela disse. –Mas... –Ela se soltou. –Eu preciso ver ele, preciso dizer que me lembro de tudo, por que... –Ela se encolheu. –Desculpa, Jake, mas eu amo o Taylor também! –Ela negou com a cabeça e se afastou, indo para 2b antes que eu a impedisse.

-Não, Nessie! Por favor! –Eu fui atrás dela, mas os seguranças me seguraram na entrada, me impedindo.

    Eu a vi me olhar e acenar e depois ela sumiu, me deixando ali, sozinho.
    Taylor:

     “Estou preocupada com você, você desapareceu! Não quer conversar? É ruim guardar a dor para você! Lembre-se de que estou aqui para tudo, para o que precisar!” –Era a mensagem de Jessie.

    Ela tinha razão, eu tinha desaparecido, talvez fosse bom para todos, inclusive para ela. Meu problema era obvio e por isso eu não queria que Jessie ficasse perto para conversar sobre isso. Por mais que ela dissesse que tudo bem, eu sabia que ela não gostava de ouvir sobre Nessie.

     Eu tentava me convencer de que ela estava feliz sem mim e isso me fazia seguir à diante. Desde sempre eu tentava ajudar os outros, apenas por gostar de deixar as pessoas que estavam perto, felizes. Mas agora quem não estava feliz era eu, e eu sentia que as poucas pessoas ao meu redor, as que não me abandonaram, também estavam infelizes e eu me sentia mal por isso.

    Jessie era a melhor amiga que um cara podia ter e eu a fazia mal, por mais que fosse sem querer, e eu acabava pensando que teria sido melhor se ela fosse com Sara, Gabi, Dean e Brad, ao menos não estaria mal por minha culpa. Minha mãe estava mal pela minha recém descoberta sobre meu pai. E Nessie... bem... se recuperando de um acidente graças a mim. Afinal, se eu tivesse avisado a Jay que não iria embora, ou se ficasse em casa, ela estaria comigo ao em vez de estar capotando em um carro.

    Eu me perguntava se um dia ela me desculparia, se um dia ela realmente for se lembrar de mim e, se lembrasse, lembraria de algum sentimento sobre nós dois.

   Se eu ao menos não tivesse concordado em viajar, nada disso estaria acontecendo e quem sabe todos estariam bem, principalmente eu.

    Me deitei no sofá onde eu estava sentado mirando o nada e fechei os olhos, secando as poucas lagrimas que caíram com meus pensamentos. Mas antes que eu pensasse em alguma coisa, a campainha ecoou pelo apartamento, me fazendo respirar fundo. Será que Jessie não sabia que eu queria ficar sozinho?

    Me levantei desanimado, ajeitando a bermuda já que eu estava sem camisa. Destranquei a porta de entrada e virei a maçaneta, abrindo a porta logo depois.

    Meus olhos se arregalaram e meu ar faltou, senti que poderia cair no chão quando notei minhas pernas bambas ao vê-la ali.

-Nessie... –Foi a única coisa que eu consegui dizer.

    Ela se aproximou já com lágrimas derramadas pelos olhos e me abraçou. Demorou alguns segundos para eu ver que aquilo era realmente real, por que eu sentia o calor de seu corpo junto ao meu, de seus braços ao redor do meu pescoço. Meus braços envolveram sua cintura logo depois, apertando-a contra mim.


-Desculpa! Me desculpa! Eu me lembro, me lembro de tudo! Eu me lembro de você, Taylor! Eu lembro que eu te amo! –Ela disse, chorosa e eu senti a felicidade me invadir com o alivio e eu voltei a respirar, fechando os olhos e sentindo algumas lágrimas escorrerem pela minha bochecha com isso. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA