03 maio 2014

Fanfiction: Um Amor Maior Que Eu - Capítulo 39: Wanted You More


Capa: Érica Rocha
Texto/Fic:  @Rafaela_Vargaas
Beta: Letícia Monteiro
Música Tema: Wanted You More - Lady Antebellum



A fumaça que subia e evaporava da minha xícara de café em cima da mesa da cafeteria era tudo o que eu podia ver. Cinco dias se passaram desde o ano novo. Cinco dias se passaram desde que eu tive que me despedir dos meus pais e deixa-los ir para o Brasil sem poder fazer nada. Cinco dias se passaram desde que eu tive que dar um ultimo abraço na família Evans antes de vê-los partir assim como os outros. Cinco dias se passaram desde que eu vi as lágrimas aglomeradas nos olhos de Emile enquanto ela se despedia de Luan e o deixava partir no avião em destino ao Brasil. Cinco dias se passaram desde que eu tive a certeza que Emile permaneceria comigo.

Agora éramos nós três: eu, Emile e Liam.
Eu convenci Emile de ficar em Nova York por um tempo. Eu sei que era egoísta da minha parte, pois ela ficaria longe de Luan assim como eu ficaria longe da minha família, mas ali era o lugar dela. Seu sonho era ser atriz, e meus planos estavam em ação para que ela estudasse na Juilliard School – onde eu tinha esperanças de trabalhar-, mas tudo foi por água abaixo quando eu me toquei que não ganharia aquele emprego.
Balancei minha cabeça para afastar os pensamentos ruins que me atormentavam. Levantei meu olhar e vi Emile se aproximando da mesa onde eu estava sentada com uma xícara de café em suas mãos. Liam saiu mais cedo de casa dizendo que ia resolver alguns problemas, mas voltaria antes mesmo de eu e Emile sair. É, ele se atrasou.
- Que carinha é essa? – Perguntou-me ela com um sorriso no rosto, ajeitando-se na cadeira.

- Nada – Falei tentando convencer a mim mesma – Aonde iremos depois? – Mudei de assunto antes que ela pudesse perceber minha frustração.
- Você não disse que ia até a casa nova de Miguel? – Ela franziu o cenho.
Era difícil de eu me dar conta que meu irmão não morava mais comigo. Ele e Val se mudaram ontem, apressados e atrapalhados. Eu não concordava com a ideia, mas apoiei os dois e os ajudei com a mudança. Era muito estranho pensar que meu irmão e minha cunhada não estariam mais convivendo no mesmo lugar que eu.
A casa dos dois tinha um espaço bom: quatro quartos, dois banheiros, uma sala enorme, cozinha gigante, varanda confortável, garagem imensa, sem contar com os móveis que compunham a casa.
Parecia mais uma casa para uma família de cinco ou mais pessoas. Os dois sonhavam alto em ter uma família grande, e eu torcia por eles. Ontem a noite eu sai de lá tarde, peguei um táxi e voltei para o apartamento sozinha. Liam e Emile já estavam dormindo quando cheguei, então não via Liam desde ontem. E ontem eu prometi para Miguel que iria até lá para almoçar, mas a má vontade não me deixava me mover dali. Talvez Miguel não fique bravo se eu fosse apenas para jantar.
- Lice? – Chamou-me Emile.
- Oi? – Balancei minha cabeça – Acho que vou deixar para ir à janta hoje na casa de Miguel – Respondi.
- O.k – Disse.
Passamos mais alguns minutos na cafeteria e depois fomos nos sentar em um dos bancos do famoso Central Park. Lá era um lugar relaxante, pois não tinha muito barulho e o ar puro era o que reinava no local. Pela manhã o parque não estava lotado de gente, então era ainda mais silencioso. Ao nosso redor tinha apenas um casal de namorados sentados em um dos bancos e uma idosa com uma criança por volta de uns oito anos passeando no local.
- Me fale mais sobre Liam – A voz de Emile chegou aos meus ouvidos fazendo-me sorrir com sua pergunta.
- Liam é muito amável – Respondi sorrindo e baixando minha cabeça – Não vejo defeito nele, apenas qualidades maravilhosas que poucos seres humanos têm...

- Taylor... – Emile cochichou quase não emitindo som alguém.
- Estou falando de Liam – Disse me contorcendo um pouco ao ouvir o nome de Taylor, mas não a olhei.
- Não, estou falando que ele esta aqui!
Meu coração deu um pulo tão forte que eu pude jurar que o vi saltitar sobre minha camisa. Meu olhar voou de imediato para onde Emile estava olhando. Os cabelos negros e a pele bronzeada tomaram conta de minha visão, e tudo o que eu podia enxergar era ele.
Mesmo ele estando de costas, eu não podia negar que era Taylor, até mesmo pelo fato de como ele caminhava. Eu nunca ficara tão fora de mim como nesse exato momento. Era como se tudo o que eu sentia contra ele, sumisse assim que o via diante de meus olhos. E isso me deixava com raiva, não dele, mas de mim mesma.
Minha garganta fechou-se em um nó e minha boca pediu loucamente pela a sua. Eu passei dias dizendo para mim mesma me controlar, mas nesse momento, foi como se nada do que eu superei tivesse algum valor para mim. Eu apenas queria o sentir em mim.
Meu corpo moveu-se sozinho e fiquei em pé. Forcei minhas pernas a se moverem, dando passos lentos mesmo que eu me esforçasse a andar mais rápido. Eu apenas o queria nesse momento, e nada nem ninguém poderia me deter.
Eu não via mais ninguém, apenas ele. Permaneci com o meu olhar focado nele, até que eu o vi parar por um momento. Eu estava há mais ou menos vinte passos deles quando eu vi seu rosto virado de lado e com um sorriso largo, olhando para longe. Estranhei o ato dele. Será que ele estava sorrindo para os paparazzi ou estava simplesmente ficando maluco? Ignorei e continuei forçando minhas pernas a se moverem.
Enquanto eu caminhava, nada de ruim que Taylor me fez passou por minha cabeça. Foi como se ele tivesse me obrigado a esquecer de todas as coisas péssimas que ele me fez e ficado apenas com os momentos bons que tive com ele.
Eu continuei caminhando até ver o que realmente estava acontecendo. Taylor não estava sorrindo para os paparazzi e nem estava ficando maluco. Ele estava sorrindo para uma moça morena, que se aproximava dele com algo em suas mãos.
A encarei por alguns segundos e o corpo perfeitamente desenhado e o rosto lindo não me mentiam quem era. Tratava-se de Letícia Monteiro, a amiga da família Evans que esteve em meu apartamento dias atrás. O que ela estava fazendo ali?
O meu coração desacelerou imediatamente, parecendo derramar gotas de sangue em todo meu interior. Taylor havia seguido em frente, sem olhar para trás. Sem lembrar-se de mim. E tudo com que eu fiquei foi apenas arrependimento.
- Não fique aqui – Escutei a voz de Emile em meu ouvido, acompanhado com suas mãos em um de meus braços, puxando-me para sair dali.
Eu não tinha mais coordenação do meu próprio corpo. Por que todo esse sentimento tinha que voltar justo agora? Por que Taylor continuava mexendo comigo sendo que eu não o queria mais por perto? Por que eu sempre caia em minhas tentações? Perguntas como essas martelavam em minha mente até eu chegar em casa e Emile me fazer adormecer em seus braços.



***
O toque alto do meu celular foi o que eu consegui ouvir enquanto abria meus olhos. Alguém mudou o toque de me telefone, pois outrora era a música preferida de Taylor e agora é apenas um toque comum. Isso foi bom.
- Alo? – Falei tentando não manter a voz sonolenta.
- Olá, gostaria de falar com Alice Araújo – A voz meio familiar do outro lado da linha parecia tensa.
- É ela – Disse.
- Sou da faculdade Juilliard School, você veio até minha sala em busca de um emprego, ainda esta interessada?
- Oh, esta falando serio? – Levantei minha cabeça o mais rápido, sentando-me na cama.
- É serio – Pigarreou – Parabéns, o emprego é seu!
- Oh meu Deus! Obrigado! Quando começo? – Minha voz saiu quase num grito.
- Te esperarei amanhã, já que é segunda-feira, as 09h00min horas – Disse.
- Estarei lá, obrigada!
E parece que de alguma forma tudo voltou a ajeitar-se novamente.  Eu consegui um emprego novo e isso foi bom, pelo menos eu teria um rumo para mim e para minha amiga enquanto estivéssemos ali.
Tentei puxar a coberta para me cobrir mais, mas algo pesado parecia estar em cima dela. Estendi minha mão procurando o abajur na escuridão do quarto e quando o liguei, deparei-me com o loiro deitado ao meu lado, num sono profundo. Era Liam.
O relógio marcava 08h25min da manhã de domingo, então eu teria tempo o suficiente para levantar-me, tomar banho, tomar café da manhã e iniciar minha corrida matinal no quarteirão.
Levantei-me da cama com todo o cuidado do mundo para não acorda-lo e me dirigi até o banheiro do quarto, demorando cerca de 30 minutos no banho.
Coloquei um agasalho reforçado, calça jeans e bota de couro. Quando sai do banheiro Liam estava sentado na cama, parecendo me esperar.
- Bom dia – Falei educadamente.
- Bom dia – Disse ele num sorriso torto.

image

Ao ver Liam deitado em minha cama, eu passei a ter totalmente certeza que eu estava completamente e infinitamente dividida. Eu amava Taylor. Eu amava Liam. Como lidar com isso?
- Como foi o dia? – Perguntou-me ele, tirando-me de meus devaneios antes mesmo de eu cair inteiramente neles.
- Passei o dia com a Emile e de noite eu adormeci sem mal perceber, e o seu?
- Sai por Nova York... – Disse ele.
- Eu tenho uma boa noticia – Falei sorrindo, evitando lembrar-me do que vi ontem.
- E eu estava no Central Park – Completou, fechando a cara para mim.
Levei um choque por dentro de mim. Foi como se meu coração criasse pedras pontudas por dentro e me pinicavam, cortando-me. Liam viu tudo, com certeza. Eu fraquejei. Tudo que eu construí para esquecer Taylor foi desmoronado quando eu o segui. Taylor não merecia atenção. Liam não merecia passar por isso. Eu não merecia Liam.
Liam levantou-se calmamente da cama, segurou minha mão, levou-me até a cama e me pôs sentada em seu colo, aninhando-me em seu peitoral.
- Eu te entendo – Disse ele – Você ainda o ama.
- Não... – Tentei falar, mas Liam colocou o dedo indicador sobre meus lábios.
- Você não é obrigada a esquecer de ele, e nem ficar comigo – Falou – Mas quando você quiser, estarei aqui.
- Eu quero você – Cochichei, sentindo a bendita primeira lágrima escorrer em meu rosto.
- Estarei aqui para ajudar você a esquecê-lo, a segurar você quando estiver prestes a cair e a cuidar de ti assim como cuido de mim. – Completou ele, beijando meus cabelos.
- Eu não mereço isso – Indaguei, levantando-me – Não mereço que um cara tão bom como você cuide de mim dessa forma, eu não sou certa para você, você merece muito mais do que eu! – Minhas pernas me moviam de um lado para o outro dentro do quarto. As mãos em minha cabeça só entregavam o quanto eu estava nervosa.
Eu não podia simplesmente usar Liam para esquecer um idiota. Liam era tão bom e tão certo, ele merecia alguém melhor do que eu. Alguém totalmente diferente de mim.
- Pare! – Gritou ele, indo para a minha frente e segurando meus braços os tirando de minha cabeça e olhando em meus olhos.
Levantei minha cabeça e o olhei. Suas mãos seguravam meus braços sem me machucar. Seus olhos azuis eram tudo o que eu enxergava enquanto as lágrimas escorriam de meus olhos.
- Eu estou aqui – Disse ele – Não vou deixar ninguém te ferir, ok?
Balancei minha cabeça negativamente. Eu não merecia aquilo.
- Eu sei que você ficou ainda mais louca por saber que aquela mulher era Letícia – Falou – Mas não importa, o que importa é que estou aqui!
- Por que justo a Leticia? – Perguntei quase com a voz inaudível.
- Ela é mesquinha e consegue tudo o que quer, não pense que ela é melhor que você! – Disse ele com a voz alterando-se a cada lagrima que escorria em meu rosto.
- Se ela não fosse melhor, ela não o teria! – Deixei as palavras saírem de minha boca, sem se quer pensar nelas, surtando novamente. Tentei livrar-me das mãos de Liam para correr dali e não precisar encara-lo depois de minhas palavras.
- Em meu mundo você é a melhor, é difícil de entender? – Gritou ele, segurando-me ainda mais forte.
Ao ouvir suas palavras eu me rendi completamente. Parei de tentar escapar dali. Parei de chorar. Parei de respirar. Tudo o que eu fiz foi olha-lo. Liam ignorou o meu recém-surto e jogou sua cabeça para frente, puxando minha nuca com sua mão e beijando-me.
Minhas mãos foram até seu pescoço, puxando-o para mim. Senti as mãos de Liam descendo até minha cintura, apertando-me, fazendo-me sentir uma dor relaxante.
Aquele beijo mais parecia um calmante. Liam era o único que conseguira fazer aquilo. Os lábios dele eram água com açúcar para mim. Suas mãos me acariciando eram pétalas de rosas. Seu coração batendo contra meu peito era minha outra metade. De todas as incertezas que eu tinha, de uma eu estava completamente certa: Eu o amo, assim como amo Taylor. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA