23 maio 2014

Fanfiction: Um Amor Maior Que Eu - Capítulo 43: Contra todas as probabilidades


Capa: Érica Rocha
Texto/Fic:  @Rafaela_Vargaas
Beta: Letícia Monteiro
Música Tema: Against All Odds (Take look at me now) - Phil Collins 




Eu apertava meus dedos no casaco de Liam, com minhas mãos enganchadas em seus braços, tento me equilibrar enquanto eu dava passos desengonçados com o salto alto que  usava, o mesmo que estava fazendo barulhinhos no chão do restaurante.
O restaurante tinha o nome de “Bel Canto” – o que somente pelo nome, já me fez adorá-lo -, seus moveis refinados, a iluminação baixa tornando o ambiente mais romântico, o cheiro agradável de comida, o calor ali de dentro e os garçons cantores tornavam o ambiente ainda mais sóbrio e sofisticado.
Assim que damos mais ou menos dez passos ali dentro, uma moça de cabelos escuros e cacheados veio até nós, nos mostrando a mesa de dois lugares reservada, agradecemos gentilmente e Liam puxou a cadeira, ajudando-me a sentar, percebendo minha “briga” com o salto.
Meus cabelos formava uma cortina em meus olhos com a franja que deixei meio solta em frente a minha testa. Eu queria evitar saber que tinha alguém me observando. Eu sei que também sou um ser humano, mas qual tipo de mulher anda desajeitada daquela forma em cima de um sapato? Nenhuma, somente eu.
Levantei um pouco meu olhar apenas para ver o loiro sentado em minha frente. Eu me perdi naquele olhar brilhante, mostrando certa aprovação a me ver. Olhei-o por mais alguns minutos e desviei o olhar somente quando percebi que tinha alguém de pé ao nosso lado.
- Sejam bem vindos – A voz masculina cantarolou para nós.
Pisquei algumas vezes e sorri, agora olhando para o homem ao nosso lado. Era um moreno, alto e com músculos muito bem definidos, fazendo seu uniforme branco ficar perfeitamente colocado aos seus braços, realçando o seu volume.
Pisquei algumas vezes balançando minha cabeça e tratando de ler o cardápio que o garçom nos entregou. Ao abri-lo percebi que o restaurante era voltado completamente para a culinária francesa. Fiquei feliz com isso. A minha família e a família Evans comíamos comida francesa na maioria dos nossos jantares semanais. Liam deve ter lembrado disso. Varri meu olhar pela lista imensa de comidas e escolhi uma especial.
- Boeuf Bourguignon – Falei levando meu olhar até o moreno e logo depois pousando meu olhar em Liam, vendo sua nostalgia aparente em sua face.
O prato era composto de carne, purê de batata e farofa crocante de pão. Esse foi o primeiro prato do jantar que fizemos entre família. E como eu não me esqueci disso? Simples! Eu e Liam fomos os cozinheiros que fizeram a abertura do primeiro de muitos outros jantares. Isso foi há muito tempo, mas as imagens em minha mente são tão nítidas que eu não consigo acreditar que se passaram anos.
Nem ouvi Liam fazendo seu pedido, apenas voltei ao mundo real quando vi o homem saindo dali e entrando na cozinha, certamente para entregar os pedidos.
Senti os olhos de Liam mais uma vez em mim. O fitei por alguns instantes até não conter o riso e deixa-lo sair, fazendo-o rir também.
Depois de alguns minutos o mesmo homem moreno voltou, colocou as taças sobre a mesa e nos serviu um vinho, que li como “Merlot”, o mesmo que combinava muito bem com o tipo de comida que comeríamos. Rapidamente as taças transparentes encheram-se do liquido vermelho-púrpura e o aroma denso e frutado voou no ar, entrando em minhas narinas e fazendo-me fechar os olhos por dois segundos para usufruir daquele cheiro maravilhoso.
Vi Liam levantando a taça de vinho e abrindo um sorriso logo após. Repeti seu ato e dei uma batidinha em sua taça, gargalhando baixinho e tomando o primeiro gole em seguida. Imediatamente o gosto equilibrado e sedoso espalhou-se em minha boca, fazendo-me dar mais um gole enquanto via o loiro me observar.
Estendi minha mão sobre a mesa, sentindo a mão macia e quente dele tocar a minha em seguida. Virei à palma da minha mão para cima, deixando que ele a segurasse. Não tinha nada melhor do que sustentar meu olhar ao dele. Aquilo me deixava em estado de êxtase.
Depois de alguns minutos o mesmo homem voltou e colocou os pratos sobre a mesa. Afastei-me um pouco e esperei o garçom sair dali. Com cuidado, peguei o garfo e espetei a carne, colocando em minha boca em seguida.
Enquanto eu mastigava a comida, varri meus olhos sobre o lugar. Avistei uma família grande ao fundo, um casal apaixonado, uma turma de adolescentes, uma moça solitária, um homem apressado, uma família que parecia ser recém-formada por ter um bebe pequeno no colo da mulher, outro casal apaixonado, um casal homossexual, duas adolescentes e Taylor. Calma... Taylor? Parei meus olhos imediatamente e forcei minha visão sobre ele. O sujeito com cabelos escuros estava de costas, os ombros não muito largos estavam levantados por estar com os cotovelos sobre a mesa, a camisa azul bebe era discreta e apesar de estar com uma musica meio baixa tocando no radio, eu pude escutar bem lá do fundo, a gargalhada e a jogada de cabeça para trás enquanto ria. Era ele. Sem duvida.
A comida que eu estava mastigando de repente ficou dura como um ferro e parou em minha garganta, embuchando-me e me fazendo beber toda a taça em um só gole.
Fiquei sem ar por alguns minutos ao sentir todo o liquido passar por minha garganta. Aquilo se tornara forte. Fechei meus olhos e escutei passos ao meu lado e logo depois os instrumentos tocando. Agora era a hora dos garçons começarem a cantar no meio do restaurante. Abri meus olhos e levei até o local de antes. O sujeito virou-se e eu não tive mais duvidas. Apesar da barba meio grande e dos cabelos maiores. Era Taylor Daniel Lautner.
- Com licença – Falei quase num sussurro ao me levantar da mesa.
Liam olhou-me confuso, mas fez que sim com a cabeça. Baixei meu rosto e procurei a porta do toalhete enquanto eu passava entre os garçons que estavam se posicionando e começando a cantarolar os primeiros trechos de Last Friday Night, de Katy Perry”.
Dei passos rápidos até finalmente entrar no banheiro e me debruçar sobre a pia do mesmo. Tentei controlar minha respiração, mas ela me contrariava a cada tentativa. Eu estava devastada. Não aguentaria ver nem por mais um segundo aquela cena de Taylor e outra mulher que eu não tinha conhecimento de quem era. Apenas queria sair dali e esquecer daquilo. Mas como o fazer sem magoar Liam?
Escutei um pigarro baixo atrás de mim, fazendo-me levantar a cabeça e olhar pelo espelho.
Os cabelos escuros clareando cada vez mais até as pontas, os olhos esverdeados muito bem destacados sobre a pele bronzeada e a boca rosada tomaram conta de minha visão. Sua beleza inigualável era estonteante.
O vestido preto com um imenso decote no busto e muito bem desenhado em seu corpo fizeram meus olhos arderem. Ela conquistaria quem ela quisesse. Ela conquistou o meu amor. Ela era Leticia Monteiro.
A encarei pelo espelho, vendo seus olhos se voltarem aos meus e paralisarem ali. Passei a língua sobre a minha boca seca e continuei a olhando, esperando por alguma palavra. Agradeci mentalmente por não ter derramado nenhuma lagrima antes dela chegar ali. Um silencio mortal se instalou no local.
- Ele é lindo, não é? – Escutei sua voz finalmente quebrando o silencio.
Arqueei uma sobrancelha e continuei em silencio.
- Liam. – Ela finalizou, mostrando algo em seu olhar que eu não fui capaz de decifrar.
Eu não tinha o que falar. O que ela tinha com Liam? O que aquilo tinha a ver? O que ela queria comigo?
- Não se faça – Ela segurou em meu braço e virou-me para eu ficar de frente a ela.
Arregalei os olhos e estremeci com a batida de meu quadril sobre a pia de mármore em minhas costas. Puxei meu braço com força, mas ela o segurava fortemente. Tentei livrar-me mais uma vez, mas seus dedos apertavam-me ainda mais, fazendo suas unhas penetrarem levemente minha pele.
- O que eu fiz para você? – murmurei.
- Não é o que você fez! – sua voz alterou-se – É o que você continua fazendo.
- Louca – gritei segurando sua mão e a tirando de meu braço – Você é louca!
Eu nunca tinha falado nada além de um “oi” para ela. Eu nunca fiz nada de mal para que ela agisse daquela maneira comigo.
- Afaste-se do meu homem! – ela gritou, segurando mais uma vez meu braço.
- Eu mal sei quem é você! – relutei, empurrando-a pelos ombros, a fazendo dar dois passos para trás.
- Eu sou o amor de Liam – sua voz agora parecia forçada para não chorar.
- É mesmo? Então o que ele esta fazendo comigo? – Perguntei dando um sorriso sarcástico.
- Ele me ama – ela revidou o mesmo sorriso.
- Você o ama? – a encarei.
Ela ficou em silencio por alguns segundos após minha pergunta e depois levantou uma das mãos rapidamente, pronta para me acertar. Segurei a sua mão antes que ela me tocasse a olhando fixamente nos olhos.
- Não se atreva – falei entre os dentes – Não tente.
- Taylor é tão quente... – ela me provocou, revirando os olhos e mordendo o lábio inferior num ato de “prazer”.
- É mesmo? Sorte a sua. – joguei sua mão e sai o mais rápido que pude dali, dando um ultimo olhar naquela mesquinha.
Ela gostava de Liam, isso era aparente em seus olhos. Mas o que ela sabia de mim e de Taylor? Por que ela me veio falar aquelas coisas? Ela é louca!
Eu já não ligava mais para meus passos desengonçados. Eu apenas queria sair dali. Antes de chegar perto da mesa onde Liam se encontrava, levei meu olhar até Taylor e ele estava lá, parado na mesma posição. Era com se aquilo fosse um imã: aonde eu ia ele estava.
Por mais que eu tentasse o esquecer, aquilo parecia se tornar impossível a cada dia que se passava.
- Lice – ouvi a voz de Liam chegar aos meus ouvidos assim que me ajeitei na cadeira.
- Estou bem – falei levando minhas mãos até a garrafa de vinho e enchendo minha taça.
- O que aconteceu? – ele perguntou olhando para a taça cheia e logo depois me encarando.
- Estou com sede – tentei disfarçar em um sorriso.
Lancei um olhar mortal assim que a vi saindo do banheiro tão elegante como nunca. Sua cintura mexia em um rebolado descontrolado, fazendo todos os homens a olharem. Ela lançava um olhar para cada um. Vi sua coluna curva-se para beijar a boca do meu homem e logo depois se sentou, encarando-me por um breve segundo e depois tratando a manter sua postura. Ela era uma megera sedutora. Engoli todo o vinho de minha taça e mais uma vez me senti tonta por aquilo.
- Você não vai comer? – ele me perguntou, fazendo meus olhos voarem para ele.
- Estou sem fome – engoli em seco – E você? – perguntei vendo seu prato cheio.
- Estou sem fome – ele disse sarcástico e voltando a me encarar.
Enchi novamente minha taça de vinho, dessa vez fazendo os olhos de Liam lampejar para mim. Ele permaneceu em silencio e mais uma vez eu bebi toda a taça em um gole só.
- Você realmente esta bem?
- Sim – pisquei os olhos pela tontura que voltou a mim.
A minha visão começou a ter um pequeno embaciado, mas a ignorei. Tentei segurar a taça de vinho, mas eu estava sem forças.
- Por favor... – pedi quase num sussurro – Coloque mais para mim.
- Não – ele balançou a cabeça – Chega de bebida por hoje.
image
- Por favor – choraminguei.
Ele não respondeu, apenas ficou me observando encher a taça de vinho com dificuldade e logo em seguida tomando tudo novamente. Minha cabeça começou a latejar e minha língua enrolou-se, impedindo-me de falar. Senti algo quente em meu peito, ameaçando subir a qualquer momento. Meus olhos me mostravam que não queria mais ficar abertos.
- Alice? – Liam chamou-me segurando uma de minhas mãos sobre a mesa – Pare de beber – ele puxou a garrafa de vinho de minhas mãos que estava prestes a encher a taça novamente.
- Eu quero mais – minhas palavras quase saíram impossíveis de serem reconhecidas.
- Vamos embora daqui – disse ele e em questão de segundos senti sua mão em minha cintura, levantando-me da cadeira e sustentando meu peso em seu corpo.
Comecei a dar passos retardados pelo meio do restaurante, tropicando hora e outra. Minha visão não era nada mais do que uma grande fumaça em minha frente. Minha cabeça doía tão forte que quando eu fechava meus olhos davam uma leve dor.
Eu nunca bebi. Muito menos daquela maneira. Eu me lembro de poucas coisas, como de ver Liam colocando-me dentro do carro e de ele me pegando nos braços enquanto subíamos as escadas do hotel familiar, logo depois abrindo a porta do apartamento que havíamos saído mais cedo.
Senti meu corpo sobre algo macio que logo depois deduzi como uma cama. Logo depois as mãos de Liam deslizaram sobre o zíper que ficava na lateral de meu vestido, abrindo-o e se livrando daquela peça de roupa. Pisquei algumas vezes, mas tudo o que eu conseguia enxergar era a cabeleira dourada de Liam em minha frente. A luz do quarto estava fraca de mais.
A consciência era quase escassa. Logo senti algo gelado cair sobre mim, fazendo o coque de meu cabelo soltar-se por completo, sentindo meu corpo ficar gelado com a água que caia sobre mim agora.
- Eu estou com frio – reclamei tentando sair dali.
- Fique ai – Liam pediu, entrando no box do banheiro e forçando minha cabeça a ficar em baixo da água fria.
- Eu não quero ficar aqui – murmurei.
Liam permaneceu em silencio e eu fiquei ali por mais alguns minutos. Eu estava com muito frio e completamente entorpecida.
Meu queixo tremia sozinho enquanto Liam secava-me e colocava um de meus pijamas em mim. Agora minha visão começou a voltar vagarosamente ao normal.
Tudo de que eu me lembro depois disso é do loiro colocando-me sobre a cama novamente, me tampando e massageando meus cabelos enquanto eu estava fechando meus olhos. Em uma das minhas ultimas piscadas eu senti uma gota quente cair sobre minha bochecha e logo depois ser limpa por ele. Liam estava chorando? Tentei falar algo, mas meus olhos fecharam-se e eu adormeci. 

PARA LER TODOS OS CAPÍTULOS - CLIQUE AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA