01 junho 2014

Fanfiction: Ela é para o meu irmão - Capitulo 2

Texto FIC/Designer JESSICA TLM/ @JESSICA_KELI


ATENÇÃO: Os primeiros Capitulos contaram primeiro oque acontece na vida de EMI 

 No outro dia, novas decisões, acordei pensando no que faria, mesmo alguns problemas que me faziam sufocada, gostava do lugar, dos colegas, do ambiente.

   Evan mexia comigo, mesmo sabendo que suas intenções eram diferentes da minha. Eu o amava e queria ficar ao lado dele. Mais suas vontades suas escolhas me fizeram desistir, oque não me impedia de ainda pensar nele.


  Fui caminhando até o pátio do colégio, parei por um estante e pensei como ficaria longe daquele lugar. Meus pensamentos foram interrompidos pelo grito de Joyce.
Uma das Minha melhores amigas.

–amiga onde você foi ontem? Comemoramos sem você! Você era o motivo disto e não estava lá.

–tive que resolver algumas coisas

–iai resolveu?
–não.    Coloquei os óculos escuros.

–oque você foi resolver?
–Evan.
Respondi começando a caminhar e ela acompanhou meus passos.
–Evan? Oque você queria com ele?

–pergunte oque ele queria comigo.

–na boa, se afasta dele Emi, preciso te dizer que ele estava no maior Love na frente de todos aqui com aquela azeda na frente de todo mundo ontem quando fomos comemorar..

–imaginei.

–e ele pediu ela em namoro na frente de todo mundo.    Parei de andar e a olhei.
Perguntou,–oque foi?

–ele me implorou perdão ontem, assim que acabou o jogo.
–iai?

–iai que ele queria voltar!.        Respondi irritada abrindo o armário.

–safado, hipócrita, galinha, falso!       Disse ela enquanto eu pegava as coisas.

–acho que falso também é hipócrita...      respondi rindo fechando o armário.

–e você fica assim calma?

–já me irritei demais, oque ele vai ter de mim é somente desprezo, raiva, Nada mais.

–quer que eu dê um jeito nele?      Disse ela autoritária, Batendo as mãos como sempre defensora das amigas.

–não! Não precisa, não vale a pena uma expulsão por isto.       Respondi sorrindo.
–vou falar com a professora de historia, se eu tirar menos de 7 não fico no time. Vem comigo?

–não vai dar Joyce preciso recolher algumas coisas, preciso te contar algo muito importante.

–pra que? E oque é, fala logo.

–eu não sei como dizer..ã..

Ela olhou o relógio assustada, –ok, então daqui a pouco eu te vejo no banheiro do ginásio.
      disse ela correndo apressada.

Fui em direção ao banheiro e todas as meninas do time estavam lá. Éramos todas bem unidas e eu sentiria muita falta delas.
Algumas ouviram passos e olharam para trás e me viram entrar, contagiando as outras com um “uuh...”

–caramba Emi! Arrasou ontem!      Disse Val

–Emi!!      Alexia correu para me abraçar.

–foi demais como você bateu a bola com vontade, caramba!      Dani Falou eufórica.

–e no ultimo tempo caramba! Você é demais amiga!       Disse Eduarda batendo nas minhas mãos.

–gente isso não seria possível sem vocês, isso não foi eu.       Respondi sorrindo.

–oque? Parece até historia de fanfic.      Disse Val.
E todo mundo olhou pra ela segurando para não rir.
–que foi? Não pareceu?!

Dani cortou,–esquece! Abafa!       Todas riram do comentário.

–então, você foi Ótima ! E você nem estava lá pra comemorar com agente oque aconteceu?

Comecei a lembrar do que deveria contar e meu sorriso se distanciava,
–precisei fazer algumas coisas.

–ih...                   Disse Carol fazendo com que todas as meninas fizessem o mesmo.  “–ih... “

–eu vou sentir falta disso..      fechei os olhos e sorri.

–como assim vai sentir falta disso?      Disse Val
–senta ai..eu vou explicar a vocês..
Todas ficaram atentas.

–eu vou ir para o Estados unidos jogar em uma Escola em que o vôlei é muito importante, como aqui, vou tentar minha carreira de jogadora.
–oque?! !        Disseram em couro.

–mais e agente Emi?!          Disse Carol.
Fechei os olhos segurando as lagrimas.

Val olhou-me abatida,–Carol, agente vai ser egoísta pedindo ela pra ficar.. você sabe..

Ela olhou para Carol fazendo-a lembrar do Evan.

–vocês sabem muito bem, que de alguns meses pra cá a minha vida neste lugar não esta sendo fácil. Na verdade esta sendo um inferno e Eu ter amigas como vocês é tudo que me mantem, aqui com forças..mais eu preciso ir, dar um tempo pelo menos. De tudo.

–Emi não vai..         Alexia manhosa pronunciou.

–ah, não vou mentir. Eu não quero que você vá..     disse Eduarda.

–eu também não quero que você vá, você tem que ficar aqui, quem a gente vai defender das fodonas do time adversário? Você é muito boba, você esqueceu que elas implicam com você?.     Disse Rafa tentando rir.

–eu também não quero que você vá!     Disse Joycepor detrás de mim.
Virei-me para olhar a entrada, com Lagrimas nos olhos vendo todas ficarem tão abaladas quanto eu.

Ariane chegava com Joyce, irmã de Evan e ela estava aparentemente assustada e a ignoramos por um minuto, ela também fazia parte do time.
–você ouviu?                  Perguntei a Joyce.

–ouvi tudo, amiga, eu sei que você precisa ir, mais não quero que você vá...
Veio em minha direção chorando.

Minha decisão foi mais dolorosa do que pensava e todas vieram em minha direção me abraçar. Ouvimos Ariana correr.

–me desculpa gente..eu amo tanto vocês! Mais..não dá mais para continuar aqui.

–agente entende não entende muito porque queria você aqui, mais entedemos que é para o seu bem.      Disse Val
E as meninas concordaram.

–é para o seu bem, então entendemos.      Disse Eduarda
A treinadora entrou chamando todo mundo para o treinar e elas se foram.
Exceto Joyce que ainda estava sem uniforme.

–era isso que você queria falar?
Confirmei com a cabeça secando o rosto e ela me abraçou de novo.

–eu estou certa de ir, mais na verdade meu interior diz que ainda não decidi..

–eu sei que você vai, você só precisa ver quem você quer. Quando  ver, vai ter certeza do que é certo fazer.

–eu odeio quando você tem certeza das minhas coisas..Sorri

–e eu não sei?     Ela riu e completou.   –vou indo para você ver qual besteiras deve guardar. Não encontrei a professora, vou procurar nas outras salas.

-tá.
Ela saiu.
Fui colocando algumas coisas dentro da mochila.
Quando terminava de recolher oque precisava puxei uma revista do crepúsculo que estava no canto do armário, abri e havia caído uma foto. Me abaixei para pegar, quando virei , era minha e do Evan

no verso estava escrito “para a minha garota favorita” levantei com a intenção de jogar fora e ficar com a revista.

 Quando joguei no lixo, olhei para foto na lixeira pensando.
 Então peguei e coloquei  ela dentro da revista novamente quando me virei para coloca la dentro da mochila, Evan entrava com aparência desesperada.

Guardei rapidamente a revista dentro da mochila.
–oque faz aqui?     Mantive-me seria enquanto ele olhava a mochila.

Insisti,–sabe que não pode ficar aqui.

Seus olhos verdes estavam quase escuros da vermelhidão das suas pupilas.
–é verdade que irá sair daqui?!       Disse ele com expressão preocupada

Ignorei sua pergunta tirando as ultimas coisas do armário e o fechando.
–me responde!

Virei-me em silencio colocando o resto das coisas do banco dentro da mochila.
–Emi me responde!            Disse ele dando alguns passos para frente.

–como ficou sabendo disto? Creio eu que isso não seja da sua conta. 
Insisti em minha frieza.

Sussurrou, –por favor.. não vai..

Me virei e vi suas primeiras lagrimas caírem. Isso fazia meu coração apertar sentindo vontade de abraça-lo e enxugar todas as suas lagrimas.
Mais oque aquelas lagrimas representavam? Ele já estava com aquela garota!
Meu ódio voltou.

-por favor não vai.. Emi.

–pra que você quer me ver aqui?

–eu preciso de você aqui, eu eu não consigo ficar longe de você.
Eu ri ironicamente.

–ontem você dizia que não conseguia viver sem mim! E pra que disse isto? Pra você fazer pior do que já fez? Acha que eu vou ficar aqui enquanto você não sabe oque quer?! Eu odeio os seus sentimentos, as suas decisões, as suas vontades, eu não. Eu nunca te entendi!!!

 –eu quero vo..      o interrompi.

–você não quer nada!! Você não sabe oque quer! Você nunca vai mudar! Você é igual á todos os outros! Não tenta ser indiferente!! Porque se for. Você é pior que todos.

Eu me virei de costas.
–eu nunca mais quero te ver!! Eu vou dizer isso todos os dias da minha vida! E agradecer toda a minha distancia.

Respondi segurando as lagrimas.
–não, não diz isso. Por favorEmi, não vai..
Eu me virei novamente.

–Evan. Agradeça por eu te dizer Adeus.
Ele ficou em silencio.

 Puxei minha mochila e passei pela porta, ali estava Kelly ouvindo  tudo e se assustou.
Gritei,–esta bem agora?! Ele é todo seu!!

saí eela não disse nenhuma palavra e entrou no banheiro enquanto eu andava em direção a  saída.
Chegando em casa larguei a bolsa no chão e sai correndo para o quarto, me jogando na cama chorei tudo que tinha para chorar, aquelas lagrimas seriam as ultimas a serem dedicadas ao Evan.

Se eu fosse mesmo para os Estados Unidos, um fardo ficaria no brasil. Era minha vontade de focar em meus estudos para o futuro e junto vinha a vingança que me deixava mais tranquila, Evan nunca mais me veria e nem me faria de boba outra vez.
- - - - - -
No penúltimo e ultimo dia que eu estaria no Brasil, minha mãe e minhas amigas fizeram uma surpresa maravilhosa na minha casa, oque fez doer mais ainda minha ida.

Ficamos vendo filmes enquanto comíamos doces, pipoca, pizza todas as besteiras gostosas.

 Tiramos fotos, brincamos de guerra de travesseiro, dormimos na sala todas juntas.

 No dia seguinte as 10:00 horas estávamos tomando café na mesa. Em minha casa estava. Alexia,Joyce,Val, Carol,Rafaela,Eduarda, Dani, Erica, Talita, Jéssica, Paloma e minha mãe, der repente meus olhos encheram-se de lagrimas, As olhei em volta da mesa, sentiria saudades delas.
–amiga oque foi?      Perguntou Talita.
Dani se emocionou, –não chora se não vou chorar também..

-Vocês são muito sentimentais grr.   Erica Tentou não demostrar.
Eu enxuguei as lagrimas e tentei sorrir.

Alexia tentou animar todas,–precisamos estar felizes para quando nos lembrarmos deste dia.

Falei,–eu só tenho medo de não ter mais dias como estes.

Val cortou,–que isso? Vamos te ver todo ano e você vai vir nos ver toda vez que puder e vai ligar todos os dias, isso é uma intimação. 
–é, e pra mim também!       Disse Rafa.
–e pra mim também.     Disse Carol.

–e pra mim!      Responderam em couro.
Enquanto comíamos minha mãe trazia o refrigerante.

Val pronunciou um gemido. –que lindo meu Deus!
Ela estava concentrada ao notebook e Todo mundo olhou para ela querendo saber oque era, inclusive minha mãe ficou curiosa.

–oque foi isso Val?       Disse Joyce.

-orgasmos no café da manhã?    Rafa gargalhou.

Ela ignorou ainda atenta ao notebook e clicou em algo que sua expressão mudou para insatisfação.

–ah! Agora! Vocês nem imaginam oque eu acabei de ver, que raiva! Gr!!

–eita! Diz pra gente oque é por favor?    Disse Joyce curiosa.

–aquela cara de Buldogue! esta com nosso marido outra vez ! olha aqui!

–Sarah?                  Perguntou Alexia.

–e quem mais seria?!                  Disse Val irritada.

–nossa..Calma Val, na verdade, acho que ela tem muita influencia sobre ele. Eu acho.     Disse Carol.

–ou ao contrario.      Respondi sorrindo.

–a única influenciada por um garoto é você Emi.      Respondeu Rafa. Elas soltaram risinhos e eu me indignei mais guardei.

E ela percebeu seu furo na brincadeira.
–foi mal saiu sem querer.    Sorriu sem graça.

–Percebi.    Respondi seria.
Val cortou,–vamos mudar de assunto? Olha que gato que ele esta aqui!  –OwnT!!
Eelas se inclinaram para olhar, outras se levantaram.
–oWn!
–Que lindo..
–nossa meu Deus!!

Continuei sentada no meu lugar, lembrando a quanto tempo não parava para olhar as fotos de Taylor Lautner, tudo porque Evan morria de ciúmes de um ator, quem morre de ciúmes de um ator?!

Ouvia elas elogiarem a cada foto que Val mostrava.
Elas eram muito engraçadas. Eu somente ria as vendo loucas.

–quanto Elogio assim. Quem é?         Disse minha mãe curiosa.

–Tia, estamos falando do homem mais lindo do mundo!      Disse Val

–mãe, nem tanto ao ponto dessadoidera toda que elas estão falando e fazendo. O Robert é muito mais e..

Elas me olharam irritadas, quase me fuzilaram com o olhar.
Acho que elas esqueceram de que eu iria embora hoje.. Riso.

–o que foi?    Arregalei os olhos.
–ham essas que falam assim, é as que mais acha gostosão e o orgulho não deixa sai da boca.                  Falou Erica meio irritada.
Olhei a rindo.

–E! e quem desdenha quer comprar, valeu.    Disse Alexia piscando.

–eu não disse que ele era feio, calma gente!   Ri.

–deixa eu ver de quem vocês estão falando.    Disse minha mãe doida para ver a tela do notebook, ela sentou do lado delas.

E se sentaram em seus lugares novamente.
–há! Esse rapaz eu conheço..é esse que a Emi coloca no papel de parede do celular dela não é?      Disse minha mãe rindo. querendo me zuar.
 E as meninas gargalharam.

–mãe!.    Respondi indignada e totalmente sem graça.

–vê, é esse aqui mesmo não é?       Disse minha mãe virando o notebook.

–para mãe!!não tenho nada!.      Fiquei sem graça

–ôh..deu pra mentir agora? Ele é mesmo um gatinho, tem mais fotos ai Val?

–tem..
Minha mãe riu,–nossa. Que fofinho, Enquanto ela passava as fotos.

–há, aqui. Essa aqui ela tem! Um poste Grandão.

–mãe!!.       Respondi entre os dentes sem graça e as meninas riam.

–que foi filha?     Disse ela rindo.
–para mãe..

–que isso filha só são fotos.      Disse ela rindo.

–ok, ta bem, vou sentar aqui e vou dizer a verdade, ela não tem todas essas fotos.
–obrigado mãe.
–só algumas.      Disse ela rindo e contagiando as meninas pelo meu nervosismo.

–não acho tanto. Prefiro o Robert!      Disse uma voz tentando me imitar. Era a minha mãe. E as meninas gargalhavam.
–não tem graça, ta bom!

- - - - - - - -

Chegando a hora de sair, todas estavam em pé na calçada perto do gramado da frente da minha casa conversando. Olhei pela janela da cozinha.
–Ahhgrrghrraghr!      Fez  perto do meu rosto Jonas como se fosse o som dos zumbis do The Walkingdead
 –que isso?!ta doido?         Falei sem tomar susto.

–esta esperta! Não se assusta mais..jáesta livre pra voar passarinho.
Olhei pra ele tentando o entender.   

–doido.

Ele riu. –eu disse, valeu a pena os sustos que eu te dei, agora nem toma mais sustos. quero que leve essa caixa com você.
    Esticou os braços.
Quando eu ia abrir ele disse.    –não. Não abra agora, só abra quando chegar lá, ok?

Sorri.  –ok..

–vou sentir sua falta..     disse ele ficando serio.

–eu também vou sentir falta dos seus sustos.

–Ownt!      Fez ele imitando uma velhinha feliz e apertou as minhas bochechas.

–ai!
–opa! Desculpa! Desculpa!    Disse ele preocupado e risonho.

–se cuida pequena..não deixa que mudem você. Você me entende né? A sua irmã né..

Jonas conheceu minha mãe quando eu tinha 8 anos, pelos problemas que minha mãe passou ele teve muito trabalho para conquista la, e conquistou eu e minha irmã também, ele é como um pai, ele nos ajudou, nos protegeu. Ele é um verdadeiro herói na nossa vida. Ele é humilde, alegre, brincalhão. Ele conhecia a Adria e sabia que ela com certeza iria querer que eu fizesse a vontade dela.
–promete que vai cuidar da minha mãe?

–poxa, pensei que ia dizer pra sua mãe cuidar de mim..      disse ele sorrindo.

–a! eu disse pra cuidar dela pra ela ficar boa e cuidar de você!   Gargalhei

–hãm... se saiu bem!      Disse colocando o dedo na ponta do meu nariz.
Eu tirei o sorriso devagar e ele ficou serio e me abraçou novamente.

–não queria que você fosse..       ele se afastou passando as mãos nos olhos.
E sorriu dizendo

–acho que estou parecendo a sua mãe.   –hôh!     Disse ele imitando a voz de uma mulher me fazendo rir.
–você é muito bobo.       E ele sorriu mais uma vez.

–acha que eu estou muito novo pra te chamar de filha?

–acho que esta muito velho pra isso. Vô!      Gargalhei e o contagiou me abraçando de novo.

–tchau Jon.      Respondi baixo.

Parecíamos duas crianças juntas, nem minha mãe entendia nossas brincadeiras.
–tchau princesa e se vier rapazes na sua cola, diz que seu pai esta aqui com uma peixeira enorme.      Disse ele soltando um sorriso fraco. –Tchau..

Fui para fora da casa. o taxi já esperava, elas queriam tirar uma foto. Val conversava com o velhinho do taxi, fazendo Joyce morrer de rir.

Cheguei até a frente delas e todas ficaram em silencio.
–Val, promete pra mim que todas vocês vão se reunir pra falar comigo? Nem que se for uma vez no mês?

–prometo se você me prometer que vai contar todos os dias oque esta acontecendo lá.

–pode deixar..      respondi a abraçando.
–eu amo vocês
–nos te amamos.     Disseram elas em couro fazendo até o velhinho ficar triste.
Se afastaram.      Olharam para o taxista.     
–olha oque agente fez com o senhor?
Ele riu.

Olhei para trás e Jonas estava encostado na porta e acenou. Minha mãe veio em minha direção.
–Ai..que coisa tão difícil de se fazer..     disse minha mãe me abraçando.

–te amo mãe.

–ôh minha filha eu te amo muito mais, você nem imagina!
Ela me levou para perto do carro.

–não esquece de passar protetor quando for sair no sol, ouviu?
Sussurrei sem graça pela preocupação na frente das meninas, –para mãe.. ta bom!   Entrei no taxi.
–Tchau Emi!      Disse Rafa
–Tchau Emi.    Ouvi em seguida varias vozes.

Vi o carro se afastar daquele lugar, segurei as lagrimas, coloquei o fone de ouvido e coloquei a minha musica favorita “ Pussycatdolls - Stickwitu “
Quando Temos objetivos devemos em busca deles. fazer com que eles se realizem, mais a minha maior parte da vontade de sair do Brasil, era a que eu daria tempo de tudo que me afetava. Então focar nas decisões que faram meu futuro melhor é necessário. Doa quem doer, mesmo que essa pessoa seja Eu mesma.

Eu me preocupava tanto com oque eu perderia no Brasil, que nem deu tempo para pensar no que eu iria encontrar nos Estados Unidos. Novo ambiente, rostos novos, língua nova. Oque realmente eu encontraria fora do Brasil? É oque eu pensava agora.

DEIXE UM COMENTÁRIO. – muitas autoras deixam de escrever por falta de motivação. Diga o que achou, mostre interesse na continuação da história, que certamente ela continuará.

3 comentários:

  1. Nossa q mudança radical ela tomou,continua q eu tô anciosa pra saber o q vai acontecer quando ela chegar lá nos Estados Unidos...

    ResponderExcluir
  2. Nossa q mudança radical ela tomou,continua q eu tô anciosa pra saber o q vai acontecer quando ela chegar lá nos Estados Unidos...

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA