14 junho 2014

Fanfiction: "Um Amor Maior Que Eu" - Capítulo 46: Beautiful With You


Capa: Érica Rocha
Texto/Fic:  @Rafaela_Vargaas
Beta: Letícia Monteiro
Música Tema: Beautiful With You - Halestorm



Mantive meus olhos fechados e minha cabeça recostada no banco do avião enquanto eu tratava de obrigar meu coração bater normalmente enquanto voltávamos para casa. Com os olhos fechados, imagens apareciam loucamente: eu me via em cima de um palco, com um violão e milhares de fãs gritando meu nome na plateia. Gritos cheios de amor e orgulho. Eu estava sentindo exatamente o que eu sempre quis sentir: o verdadeiro sentimento da realização de um grande sonho.
Era como se mesmo não ter fechado nenhum contrato, aquelas imagens em minha cabeça já fossem reais e faziam parte de meu presente.

- Como você está? – Liam me perguntando fazendo-me sair de meus devaneios.
- Estou bem – balancei a cabeça para voltar ao mundo real – E você?
Ele fez que sim com a cabeça, mas não diz nada. Seus olhos fitavam o vazio, parecendo pensar em algo. Eu o observei esperando que ele falasse algo, mas ele não o fez.
Fechei meus olhos novamente e dessa vez tratei e tentar dormir, pois eu queria chegar à Nova York com energia total e não esperar para falar com Will. Quando eu já estava quase caindo num sono profundo, ouvi Liam recitar no meu ouvido algo muito familiar:
- “Há quem diga que todas as noites são de sonhos” – sua voz era melancólica.
- “Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão. No fundo, isto não tem muita importância”. – continuei a recitação ao lembrar qual se tratava, era uma das obras de William Shakespeare, Sonho De Uma Noite De Verão.
- “O que interessa mesmo não é à noite em si, são os sonhos. Sonhos que o homem sonha sempre...” – ele continuou.
-.”..Em todos os lugares...” – continuei.
- “...Em todas as épocas do ano...” – ele falou entre o sorriso.
- “Dormindo ou acordado.” – falamos juntos.
- Shakespeare sempre presente nos melhores momentos da vida – sorri.
- Ás vezes penso que eu era um poeta nas vidas passadas.
- Ou talvez uma imitação ruim de um – tirei sarro.
- Você está querendo insinuar que sou um péssimo recitador de poemas? – ele revirou os olhos.
- Não é isso – eu disse e passei a mão na sua franja – Eu tenho certeza.
Ele revirou os olhos e tampou meu rosto com sua mão enorme.
- Eu estou brincando, você é bom nisso – admiti ao dar-lhe um selinho.
- Ah, eu sabia disso – zombou – Mas agora a futura Estrela precisa descansar – senti seus lábios nos meus e sua mão puxando levemente minha nuca para eu apoiar meu rosto em seu ombro.
Eu não lembro mais de nada depois de fechar meus olhos e respirar uma ultima vez o perfume inebriante de Liam.

***
- Chegamos à cidade das realizações – ouvia uma voz masculina acompanhada de leves cutucões em meu braço.
Abri meus olhos rapidamente e vi o rosto de Liam bem próximo do meu. Sorri automaticamente e senti um impulso ao perceber que ele havia me puxado para ficar em pé.
Eu estava meio inconsciente até descer do avião e sentir a brisa gelada bater em meu rosto. Mas depois eu me recordei de que eu estava voltando para Nova York, já que o vento gelado, o cheiro de combustível, a inquietação das pessoas e os arranha-céus enormes estavam ao meu redor agora.
- Eu te amo – disse para Liam segurando sua mão e o fazendo parar.
- Eu te amo – falou e selou meus lábios.
Fechei meus olhos e por um segundo foi como se nada ao meu redor existisse. Eu não tinha medo de enfrentar nada quando ele estava ao meu lado segurando minha mão.
- Melancólicos! – escutei um grito alto até de mais de uma voz familiar.
Abri meus olhos e varri o lugar procurando a dona da voz. A poucos metros de nós eu pude ver Érica batendo o pé e segurando uma plaquinha escrita “pombinhos apaixonados” - aquilo sem duvida foi feito por ela -, e logo atrás Will estava sorrindo e com os braços abertos.
Liam pegou as duas malas antes mesmo de eu pensar em pega-las e caminhamos rápido até os dois. Quando faltavam poucos passos eu não me contive e corri para abraçar Érica.
Fechei meus olhos assim que senti seus braços ao meu redor e o seu aroma parecido com o do irmão encher meus pulmões. Seus cabelos acariciavam minha face enquanto ela afagava minhas costas e me balançava suavemente. Conseguir sentir a paz da infância depois de tantos anos era como um presente abençoado enviado por Deus.
- Como foi à viagem? – ela me perguntou quando nos separei e permaneci com uma mão em cada ombro seu.
- Tudo foi ótimo – falei.
- Eu imagino uma mensagem subliminar muito perversa no meio dessa sua frase ridiculamente minúscula – ela gargalhou.
- Com quem você aprendeu tanta malicia? – gargalhei também.
- Talvez com o Loiro que te levou pra passar uns dias em Paris – ela apontou para ele.
Liam ainda estava abraçado em Will. Mesmo não estando abraçada a eles, pude sentia uma intensidade imensa vinda deles. Sorri com a cena e senti falta de meu pai que estava no Brasil, senti falta de seu abraço e de seus conselhos. Eu queria meus pais ali num momento tão importante da minha vida, mas eu tinha escolhas e eu escolhi estar ali para realizar tudo o que eu sempre quis.
Depois de alguns minutos os dois se separaram do abraço e os olhos de Will voaram até mim.
- Minha Estrela! – ele abriu os braços.
Sorri e corri para abraça-lo, e assim que senti seus braços fazendo a volta em mim, foi como se eu tivesse me tornado uma criança novamente que estava no pátio da minha antiga casa.
- Obrigada – falei tentando manter a voz normal ao me emocionar.
- Eu sempre soube que dentro daquela pequena garotinha tinha um grande talento – ele disse e saiu do nosso abraço, segurando meu rosto com as duas mãos – Eu sempre acreditei nisso.
Tentei conter as lagrimas, mas elas foram mias fortes do que eu. Elas precisavam ser liberadas, mas dessa vez por um motivo diferente do que eu chorei nas ultimas vezes. Agora eu estava chorando de alegria. Alegria por ter conseguido o que eu queria. Alegria por me sentir bem. Alegria por realizar meu sonho. Alegria por saber que ele acreditava em mim.
- Não chore – disse.
Coloquei minhas mãos em meu rosto e o abaixei deixando, mais uma vez, que as lagrimas fossem liberadas. Tudo o que eu conseguia dizer era “obrigada, obrigada, obrigada e obrigada”, repetindo isso várias vezes. Senti braços musculosos me envolverem por trás e logo depois o perfume que tanto amo entrou pelas minhas narinas.
Respirei fundo algumas vezes e limpei as lagrimas com a palma da minha mão. Sorri para Will assim que me recuperei e virei-me de costas para me encaixar nos braços de Liam.
Ele recostou o queixo em minha cabeça e começou a acariciar meus cabelos. Apertei minhas mãos ao redor de sua cintura e me aninhei ainda mais em Liam. Ficamos ali por mais alguns longos minutos e depois nos distanciamos com Liam dando um beijo no alto de minha cabeça.
- Vamos para casa descansar – o loiro que estava em minha casa estava falando para seu pai.
- Amanhã ás 08 h, estarei em seu apartamento para busca-la para leva-la até o estúdio, ok? – Will disse se aproximando.
- Claro – sorri – Estarei pronta.
- TÁXI! – Érica gritou fazendo-me pular.
Imediatamente o táxi parou e abriram as portas para eu e Liam entrarmos. Despedimo-nos de Érica e Will e seguimos o caminho em silencio até a portaria do hotel.
Eu tomava cuidado em cada degrau que eu subia para não me desiquilibrar. Meu braço estava enganchado no braço de Liam e eu estava respirando seu aroma deliciosamente aconchegante.
Quando estávamos há um passo da porta eu senti meu corpo flutuar.
- Você tem cérebro? – falei entre a gargalhada, me segurando em seu pescoço.
- Talvez sim – ele riu e abriu a porta.
Eu ainda estava em seus braços quando ele adentrou o apartamento e fechou a porta, logo depois me beijando e me virando para ficar com as pernas em volta de sua cintura. Suas mãos desceram até meu bumbum e eu apertei seus cabelos entre meus dedos.
Sua língua quente dançava com a minha dentro de nossas bocas e suas mãos apertavam-me cada vez mais. Separei nossos lábios para respirar e joguei a cabeça para trás, sentindo seus lábios deslizarem por meu pescoço.
Senti minhas costas contra a parede gelada e fiquei prensada entre a parede e seu corpo. Desci minhas mãos até a barra de sua camisa e a levantei para passar as mãos por dentro da mesma e arranhar seu abdômen.
- Sejam bem vindos – ouvi uma voz familiar e logo depois pigarrear.
Em meio ao susto, Liam largou-me e soltei-me dele.
Fechei meus olhos por dois segundos e depois eu os abri vendo o rosto vermelho de Liam. Ele estava em minha frente, então eu não conseguia ver o sujeito, mas eu sabia quem era.
Liam foi desviando lentamente de minha frente e me permitindo olhar para o sujeito. Ele estava sentado na mesa da cozinha, as pernas cruzadas, um cotovelo apoiado sobre a mesa e os olhos lampejando para nós. Ao seu lado a mulher baixinha com cabelos negros nos fitava com os olhos arregalados e a boca aberta.
- Oi Miguel – falei meio sem jeito – Oi Val.
- Eu ia perguntar como foi à viagem, mas já tenho a resposta – Miguel disse.
- Olha Mi... – falei, mas ele me interrompeu:
- Você não me deve satisfações. Liam é um cara bom. Você o ama. Vocês dois se merecem. – ele disse pausadamente e erguendo cada vez mais as mãos em cada frase que ele pausava.
Assenti com a cabeça e caminhei até eles. Nas mãos de Val tinha dois papeis que mais pareciam envelopes brancos.
Miguel levantou-se, colocou a mão na cintura de Val e os dois seguraram os papeis. Estreitei os olhos e permaneci os olhando. Senti Liam atrás de mim e uma de suas mãos em minhas costas.
- Vocês dois são nossos convidados de honra – Val disse com sua voz doce e os dois nos entregaram um papel para cada um.
Era um envelope branco com detalhes pratas. Olhei para eles antes de abri-lo. Lá dentro tinha com várias letras, mas eu li a frase que mais me chamou a atenção:
“Convidamos você para comparecer ao nosso casamento.”
Olhei para eles e olhei para o papel para ler novamente e ter certeza que eu realmente estava lendo aquilo.
- Isso é serio? – sorri.
- Sim – os dois falaram juntos.
- Isso é tão perfeito! – falei e abracei os dois de uma vez só.
Liam os parabenizou depois que eu os larguei.
- Eu quero convidar vocês dois para serem meus padrinhos de casamento – Miguel falou.
- Seria uma honra – Liam disse.
- É claro! – falei depois que me recuperei.
Eu os olhei novamente e sem querer acabei imaginando eu e Taylor no lugar deles. Eu não queria pensar nele agora, mas isso se tornava impossível. Eu sempre me imaginei entrando vestida de noite em uma Igreja e que Taylor estivesse me esperando no altar. Eu sempre imaginei aquilo e isso era um dos sonhos que eu queria realizar.
E com Liam isso não era diferente: eu também o imaginei ali comigo. Lembrei-me do quanto seria linda a nossa história de amor, que nos conhecemos desde a infância e agora estávamos ali, nos comprometendo um com o outro pelo resto de nossas vidas.
Era difícil ter que lhe dar com essa situação, a situação de saber que estava dividida e amando duas pessoas ao mesmo tempo e com o mesmo amor. 

PARA LER TODOS OS CAPÍTULOS - CLIQUE AQUI

2 comentários:

  1. Parabéns Rafa. O capítulo ta lindo to ansiosa pelos próximos. Estou apaixonada pot Liam...só que as vezes parece que ela só ta usando ele. ansiosa, ansiosa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, flor! Fico feliz que esteja gostando.
      Liam realmente é muito amável, e a Lice ainda provará o amor que sente por ele...
      Semana que vem tem mais! rsrssrsr

      Excluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA