11 julho 2014

Fanfiction: Bizarre love triangle – BLT - CAP 16


Capítulo 16

Nem sei como cheguei no quarto, pois chorei a noite toda. Acordei com Luana abrindo as cortinas, pois já passavam das 17h e eu ainda não havia saído da cama. Estava com a mesma roupa de ontem e com uma ressaca moral terrível...


-Como você ta? - ela me perguntou olhando meu estado e sentando na ponta da cama.

-Péssima, né? O que você esperava, Luh? Foi horrível.... - eu disse a ela já sentindo os olhos encherem de água.

- Mas para de me olhar assim. Não quero que sintam pena de mim. Eu vou ficar bem. - percebi pelo jeito dela que mais alguma coisa estava errada. - Xiii.... O que foi? Fala! - eu disse pressionando-a.

-Amiga.... Você tem que ser forte...- ela se levantou e me trouxe o jornal. Estava lá, estampado. Eu não poderia imaginar.

(N/A: manchete completamente fictícia.)


“Twilight – A Saga” proporciona show dentro e fora dos palcos
Histórias românticas são o tipo de material com o qual a maioria dos escândalos são feitos.
O que “Twilight – A Saga” não contava era que de sucesso musical as notícias passassem do romance a traição.
O casal queridinho de todos parece ter mudado seus protagonistas, e de maneira bastante polemica.
Gill Davis, jovem empresário de sucesso, resolveu investir ainda mais em sua participação no show biss e deu um espetáculo de bebedeira e mau gosto na festa comemorativa das 1000 apresentações do musical “Twilight – A Saga”.



Completamente fora de si, Sr. Davis não só agrediu e reclamou de seu (antigo) affair, a atriz brasileira Flávia Sánchez, como a trocou visivelmente pela protagonista do espetáculo, Amanda Beins.


E agora? Será que esse romance terá futuro?
Os fãs de “FlaGil”  afirmam que não.
“Não acho que Gill terá coragem. Flávia é superior a Amanda, em talento e beleza” disse um fã sobre o assunto.

Eu fiquei muda. Luana estava me olhando como quem dizia: “diz alguma coisa, peloamordedeus”, mas eu não conseguia falar nada. Meus olhos não paravam de soltar lágrimas.

- Flavinha... - ela me disse quando me viu levantar, secar as lágrimas e ir em direção ao banheiro. Eu não sentia vontade de nada, só chorava. Entrei no banho como se quisesse lavar toda aquela sujeira de mim.

Por que os bons moços sempre resolvem se transformar quando se sentem acuados ou inseguros? Eu não conseguia entender a postura de Gill. Por mais que estivesse atraída por Robert eu jamais o deixaria.

-Foi ele mesmo quem me jogou para os leões... – falei para mim mesma depois de tomar uma decisão ao sair do banho.

Sai do banho enrolada na toalha e me sentei na cama. Luana ainda me esperava sentada. A preocupação era visível em seus olhos.

- O que você pretende fazer, amiga? - ela me perguntou.

- A partir de agora? Nada! Acabou Luh, não tenho nada pra fazer. Tomara que eles sejam felizes. - eu disse debochada e decidida. Algo estava mudando dentro de mim. Uma força corajosa me invadiu naquele momento e eu não pensei em mais nada. Estava arrasada, mas não iria chorar mais por eles. Me levantei e fui até o armário do quarto.

-Gill está lá em casa com Tomaz. Ele está inconsolável. Disse que precisa falar com você de qualquer jeito. - ela me falou enquanto eu olhava as roupas no armário, pensando no que iria usar. Olhei para Luana muito irritada.

-Como é que é? Falar com ele? Você só pode estar doida de me pedir isso. - gritei com ela. Não podia aceitar que ela defenderia Gill agora.

-Não é bem assim amiga. Vocês têm uma relação. Você tem que falar com ele. - ela me disse cheia de moral, como se estivesse mandando ou algo assim.

-Como é? Tenho o que? - eu me virei para e a encarei, muito séria.

- Isso já foi longe demais. Ninguém mais vai dizer o que eu tenho ou não que fazer. Chega! – Luana me olhou de maneira assustada. Eu nunca tinha falado assim com ela. Mas já era hora de mudar. E ela entendeu...

-E o que eu digo a ele então? - ela perguntou.

- Pois você, se quiser, diga a ele que está tudo bem. Que eu desejo toda a sorte do mundo ao casal. E que ele nunca mais fale comigo. - falei sem nem olhar para ela. A única coisa que Gill sabia que eu não perdoaria era ele ficar com Amanda.

Ele pagou pra ver... e me perdeu...

Peguei um vestido no armário e comecei a me arrumar. Luana estava achando meu comportamento um tanto estranho, mas resolveu não falar nada. Eu já sabia o que iria fazer.

Luana ficou me olhando sem entender muito bem o que eu estava fazendo. Eu me arrumava e não olhava para ela. Na verdade não queria que ela se metesse mais uma vez em minha vida. Eu iria dar as cartas agora.

- Que tal estou? - perguntei a ela depois de me arrumar inteirinha, roupa, cabelo e maquiagem.



-Deslumbrante... Mas onde você vai? - ela me perguntou ainda sem entender o que estava acontecendo. - Ainda acho uma boa ideia você falar com Gill e ...

-Tenho um encontro. - interrompi e ela me olhou com cara de quem diz “ficou doida”. Peguei meu celular. Procurei em meus contatos e lá estava o número dele. Disquei com ainda me olhando.

- Alô Robert? É ...

oOo
Desci até o hall do prédio e lá estava ele. Lindo, perfumado e com um olhar pra lá de sexy. Ele sorria e me esperava com as mãos nos bolsos.

-Nem acreditei quando você me ligou pedindo pra sair. - ele disse. - Achei que só ligaria para dizer que estava bem. Foi melhor do que eu esperava! - ele me abraçou e me deu um beijo no rosto.

- Nossa, que perfume delicioso... - ele disse passando o nariz em meu pescoço e me fazendo arrepiar.

- Você está muito elegante, Sr. Pattinson. - sussurrei em seu ouvido nessa hora e pude ver que ele também se arrepiou. Era fato! Eu mexia com ele e ele comigo.

John nos olhava com o olhar mais reprovador que eu já havia visto. Eu e Robert o cumprimentamos com a cabeça e saímos, ele me abraçava nos ombros, indo em direção ao carro.

- Você está linda... - Robert sussurrou em meu ouvido antes de eu entrar no carro. Eu abaixei o olhar e enrubesci. Era uma tática, eu já sabia bem o que queria. Iria provocá-lo ao máximo.



Seguimos de carro, eu não sabia onde iríamos, mas estava feliz por estar com ele. Pelo menos não iria pensar em Gill. Saímos de carro pela cidade, sem um lugar específico em mente. Era noite, as luzes da cidade brilhavam e o movimento de carros era intenso. Robert mexeu no rádio. Reconheci a música na hora em que iniciou.

- Que engraçado... - eu falei. - Já escutamos essa música juntos antes..... - falei a ele sorrindo maliciosamente.

- Sério? Quando? - ele quis saber. Robert tinha um sorriso leve nos lábios e me olhava de maneira intensa. Senti um arrepio subir por minha coluna quando ele me olhou dentro dos olhos.

- Na primeira vez que saímos juntos, no café. Estávamos na mesa conversando e ela tocou. - falei retribuindo o olhar com a mesma intensidade. Percebi como ele ficou preso em meu olhar.

- A vez em que eu me declarei a você.... - ele disse e eu sorri de novo mordendo meu lábio inferior e abaixando o olhar de forma sedutora.

Robert parou o carro em frente a um restaurante. Ele desceu e veio até minha porta para me ajudar a sair do carro.

- Por favor, senhorita. - estendeu a mão e eu sai do carro ficando em pé tão próximo dele que nossos narizes quase se encontraram. Olhei sua boca e voltei a olhar em seus olhos sussurrando um “obrigada”, sorrindo maliciosamente em seguida.
-Ouvi dizer que este restaurante é excelente. Primeiro paramos aqui, depois vemos o que a noite nos reserva... - ele sussurrou em meu ouvido e eu arrepiei novamente. Eu sabia que Robert iria usar toda sua sedução para me ganhar essa noite. Ele só não contava que quem estava no comando era eu. Mesmo me arrepiando com as investidas de Robert, eu sabia bem o que queria.

A noite com Robert estava muito agradável. Seus modos eram elegantes, e sua fala e gestos extremamente charmosos, como se não bastasse toda a sua beleza. Eu não deixei por menos e usei toda minha sensualidade há tempo guardada.


-Aceita um champanhe Flavia?-ele me perguntou com seu tradicional sorriso nos lábios. Percebi que ele estava seguro, como se já soubesse o que iria acontecer essa noite.

-Acho champanhe uma ótima ideia. Assim podemos comemorar as 1000 apresentações que eu não consegui. E... hã.... Rob.... Pode me chamar de Flavinha. Estou mais acostumada com meu apelido que com meu próprio nome. - falei a ele enquanto dava um gole na taça e umedecia os lábios com o próprio champanhe.

Robert me olhou intensamente. Eu podia sentir o calor vindo de seu corpo mesmo com a distância da mesa entre nós. Era bem o que eu queria. A partir desse dia eu iria usar de toda a minha sensualidade para jogar com os homens, não importava quem fosse.

Fizemos o pedido. Deixei por conta dele a escolha dos pratos, não queria ter que me preocupar com isso.

-Percebi que você não tem fumado do meu lado. Parou? - falei puxando um assunto descontraído.


-Ainda não, mas estou tentando. Como você não é muito fã...
- ele fez uma careta e me olhou. Eu ri quando ele brincou sobre isso.

-Melhor pra você, não acha? Pelo jeito eu lhe dou qualidade de vida. - eu sorri e dei mais um gole na champanhe. Robert sorriu, dando uma piscadinha para mim e também bebeu mais um pouco de seu champanhe. A sedução estava no ar.

-Fazia tempo que eu queria te levar para jantar. - ele me disse me servindo mais uma taça de champanhe. O efeito da bebida já estava começando. Robert e eu conversamos sobre vários assuntos e a cada gole ficávamos mais soltos.

O jantar transcorreu agradavelmente. Robert ficou bem mais tranquilo depois de algumas taças de champanhe e eu também me deixei envolver pelo clima de sedução que estava se criando.

-Nem acredito que você está aqui comigo Flavinha. Só não me agrada ter sido por uma desilusão em seu relacionamento. Preferia que fosse por mim.... -Robert disse me provocando, já que em nenhum momento eu havia falado sobre o episódio da noite anterior.

Eu continuei olhando-o nos olhos, peguei minha taça de champanhe e dei um gole, ainda encarando-o.

- Na verdade Robert, estou aqui pelos dois motivos, mas também estou por um terceiro motivo: por mim mesma! - disse a ele colocando a taça na mesa e me posicionando de maneira muito sensual. Mexi nos cabelos, molhei os lábios e o encarei novamente.

- Eu queria sair com você, Eu queria esquecer o que aconteceu, Eu queira começar a viver coisas novas. A partir de agora quero viver a vida de maneira intensa e você me passa essa intensidade. Quero experimentar tudo que não pude nesses dois anos. - disse e esperei sua reação.
Robert arregalou os olhos e engoliu em seco. Pegou sua taça de champanhe e deu um longo gole. Depois passou a mão nos cabelos e soltou o ar pela boca como num susto, voltado a sorrir de maneira encantadora.

-Assustei você pelo jeito....- eu disse, meio matreira meio debochada provocando ele de todas as maneiras. Eu queria ver até onde ele iria.

-Não me assusto assim tão fácil - ele disse - E se você procura intensidade, está falando com a pessoa certa. - Robert pegou minha mão e entrelaçou nossos dedos. Eu dei um olhar debaixo para cima e puxei minha mão.

-Já está tarde. Amanhã tenho ensaio e preciso descansar. - eu falei quebrando um pouco do clima, mas ainda olhando-o nos olhos. Robert e eu saímos abraçados do restaurante e lá fora haviam muitos paparazzi nos esperando. Foi um alvoroço até chegarmos no carro, mas nem eu nem ele nos importamos com isso. Na verdade, eu queria mesmo que saísse em todos os jornais.

No caminho de volta para casa Robert colocou uma música suave e fez o caminho mais longo. Passamos por todo Central Park, observando a vista. Eu sabia o que ele estava tentando, mas deixei que ele fizesse só para ver como terminaria.

-Adorei nosso encontro. - eu disse puxando assunto. - Poderemos repetir mais vezes se você quiser. - eu olhava pra fora da janela, mas estava esperando sua reação.

Olhei para ele que sorria meio malicioso e de leve deixou a mão escapar, indo parar em minha perna, na altura do meu joelho. Não me mexi. Queria que ele pensasse que a noite estaria ganha. Ele não sabia com quem estava lidando.
Robert parou o carro na frente do prédio e virou-se para falar comigo.
-Ele não precisa terminar agora. - ele disse me olhando com mais malícia e passando a mão em meu rosto delicadamente.

- Não mesmo? - falei entrando em seu joguinho de sedução. - Tem razão. - olhei para Robert bem dentro de seus olhos e fui me aproximando dele. Deixei meus lábios entre abertos, apenas umedecendo-os com a língua. Robert acelerou sua respiração, ele não esperava minha reação.

Me aproximei ainda mais olhando alternadamente seus olhos e sua boca. Robert também olhava para meus olhos e minha boca. Percebi um leve sorriso brotar em seus lábios a medida em que eu me aproximava.

- Mas eu quero que termine agora. - sussurrei, praticamente encostando meus lábios no dele. Dava pra sentir o perfume de seu hálito e ele provavelmente sentiria o meu. Ouvi seu coração falhar uma batida. Era bem isso que eu queria. Iria provocá-lo até onde fosse possível.

Me afastei dele sorrindo, com a cara mais safada que sabia fazer. Percebi que Robert sorriu e gostou de meu jogo.

- Você é..... Estonteante!!!!- ele mordeu o lábio inferior e balançou a cabeça. Ainda sorria. -Eu te ligo, com certeza. - deu tempo dele falar antes que eu saísse do carro.


Subi as escadas da entrada e cheguei ao hall ainda com um sorriso malicioso nos lábios. Minha alegria infelizmente foi muito breve.....

- Onde você estava?! - ouvi Gill gritar assim que me viu entrar no edifício.


N/A: Hummmm... Sedução pra todo lado. É meninas e meninos, acho que agora inicia a parte da nossa heroína com Robert Pattison. Afinal de contas, a fic se chama Bizarre Love Triangle. Rsrsrsrs  Vcs acham que ela está certa? Que tal uma opinião sobre o assunto.... Vou esperar vcs falarem. Beijos apertados e Abraços sufocantes! Flavinha


Fique por dentro das novidades e atualizações sobre suas fanfics favoritas, siga-nos nas redes sociais do Lautner Fanfics. 

Acesse nossa página no Facebook - clique aqui

Siga nosso Twitter - clique aqui

Em caso de dúvidas, pergunte em nossa Ask - clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA