13 julho 2014

Fanfiction: Ela é para o meu irmão - Capitulo 8

Texto FIC/Designer JESSICA TLM/ @JESSICA_KELI. 

A noite Makena não foi na minha casa, Adria mal chegou e precisava viajar para outro lugar outra vez e trevan passava maior parte do tempo em casa por isto. De manhã Trevan estava colocando as malas no carro.

Perguntei a ela,–mal chegou e já vai?

–é..Emi..desculpa eu estar nessa correria é o final deste projeto, as vezes é pior. 

–tá né..

–calma daqui a pouco eu não vou ter nada pra fazer por um tempo, acredite. 

Ela riu e sorri para ela.

–vamos Adria?     perguntouTrevan pegando a ultima mala.

–tchau Emi.             Disse me abraçando.

–tchau..
Eles foram até o carro.

Quando o carro saiu eu pensei em ir até a casa da Makena já que ela não me procurou a noite, fui caminhando até a porta da frente e chamei seu nome, mais ninguém respondeu.

 O portão de madeira do lado que levava até o jardim de trás da casa estava meio aberta. Empurrei um pouco e gritei seu nome, ouvi a televisão ligada.

Então entrei no jardim onde foi feito a festa e fui até a frente da porta não, subi os pequenos degraus mais gritei dali o seu nome.

Pensei em desistir e me virei para sair, quando dei meus primeiros passos ouvi passos suaves soarem próximo a porta.
 Então me virei. Taylor estava colocando seu boné e não parecia esperar que eu estivesse ali e o mesmo pensei. Se já não nos falávamos, oque eu poderia dizer agora?

Ele me viu e seu rosto ficou serio, esperou que eu dissesse algo.
 Mais não consegui, olhou-me de cima em baixo rapidamente enquanto colocava os fios de cabelo para dentro do boné.

Pronunciou baixo,–Makena saiu quase agora com os meus pais..

Em minha cabeça bateu um flash, que mal pude compreender minhas coordenações motoras por um estante, pisquei os olhos notando meu rosto parecer queimar.

–quer esperar? perguntou normalmente.

–não..obrigado.    Respondi educadamente virando-me para sair.

Tudo que pensei “precisava sair dali” caminhei apressada enquanto ouvia seus passos descerem os degraus.
Ouvi sua voz gritar,–hey, Emi.. Espera!

Respirei fundo e apertei o passo. –Emi! 

Apertei mais o passo ignorando e Senti ele correr.

Ele segurou meu braço. –Emi, deixa-me falar.

Sacudi meu braço pra tentar soltar. –oque você quer?

Ele soltou meu braço se posicionando na minha frente

–Taylor me deixa passar!
Mostrei-me brava, dei dois passos ao e ele seguiu impedindo minha passagem.

–não! Me deixa falar primeiro!     Disse em no mesmo tom.

Fiquei em silencio tentando me acalmar.

–não.

 Tentei desviar e ele veio na mesma direção.

–calma garota! Espera! Disse ele mais alto.

Então parei e cruzei os braços.

Perguntou,     –porque está me evitando?

Olhei para os lados procurando respostas convincentes.

–olha pra mim!     Disse firme dando um passo a frente.

E eu olhei dando um passo atrás. –eu não estou!

–mentira!.. eu quero saber!, porque? Porque evita tudo que eu estou envolvido. As meninas já perceberam isto, sabia?pronunciou seu comentário mais baixo,   -E eu já tinha percebido antes..

Fiquei em silencio por alguns segundos sem saber oque dizer.

–Anda! Fala!
Indaguei procurando respostas.
E ele quis insistir e riu antes de dizer.
–você esta me evitando desde o dia em que quase nos beijamos!
Deu os dois passos a frente que nos deixou cara a cara.

Fiquei sem defesas totalmente, era pura verdade e eu precisava me defender de todas as suas afirmações, meu coração dizia que era o certo.
Fazendo-me esquecer aqueles olhos negros que estavam bem na minha frente.

–não, não foi quase! Eu não te beijaria!
Mostrei toda minha chateação por aquela cena.

Ele ficou pensativo em segundos, olhou para o chão, como se quisesse me dar uma resposta grosseira, balançou a cabeça meio desacreditado com oque estava ouvindo e pronunciou junto há um sorriso sarcástico que eu não conhecia.
–sabe, que quem não quis fui eu..        Tentou mostrar toda a sua calma.
Percebendo que estava se contendo para não ser grosseiro fiquei sem respostas novamente e ele completou.

–e se eu quisesse eu teria te beijado.

Retruquei,–eu não deixaria.
Ele pareceu irritado e se agitou.
–deixaria sim, Porque fui eu quem cortei, eu vi seu flerte de longe.
Fiquei sem reação.

E mostrei agitação tanto quanto ele.
–Eu, eu realmente não beijaria você. Você pensa que é quem? Você se acha tanto assim?

Ele riu olhando para o céu parecendo ironizar tudo que estávamos falando,–haha.. tá.

Me olhou novamente irritado, - Eu fiz certo sabia, Foi á coisa mais certa que fiz desde quando te conheci! Você é doida! Maluca! Você não merece nem a grosseria de homem!

Ele estava cada vez mais perto do meu rosto que podia sentir a ponta do seu nariz no meu.

Percebi que ele estava mais furioso então não perderia minha oportunidade de faze-lo ficar mais longe de mim.

–aé? Então porque perde seu tempo então se preocupando porque estou evitando você?
Descruzei os braços.

Percebi que pela primeira vez consegui deixa-lo sem respostas também, seu rosto havia mudado.

–hem? Por quê? Se eu não mereço nem a grosseria de um homem.

Olhou para o lado e voltou a me olhar então finalmente tive coragem para continuar.
–se eu não mereço qualquer coisa que venha de um então, faça a sua parte!

Respondi dando um passo ao lado para me retirar.
 Seu rosto estava tão perto, ele foi para a mesma direção fazendo-me sentir o desejo de beija-lo.         

Eu estava tão irritada, mais ainda sentia um arrepia correr por todo o meu corpo.

A minha vontade de beija lo der repente surgiu mais forte, mais eu não cometeria este erro. Mesmo que a curiosidade fosse maior do que qualquer coisa.
Percebi que ele só tinha duvidas dos meus desejos por ele e desviei novamente para finalmente sair antes que tudo se confirmasse.

Meus olhos começaram a lacrimejar percebi que meu coração e minha razão estavam contra mim, ansiaram por ele agora desejando voltar lá.

 Isto me fazia me odiar.
Meus pensamentos pareciam uma rodovia. Minhas pernas tremiam e a pergunta que eu mesma me fazia “oque vai acontecer agora?” “oque deu em mim” me arrependi seriamente por ir até lá.

Deitada no sofá o Telefone tocou. Era Makena.
–amiga?

–oi Makes..       falei com a voz tremula.

–oque foi? Ta com a voz estranha.

–deve ser porque estou deitada..eu fui na sua casa, você não estava..

–eu precisei sair, fui com meus pais comprar um presente legal pra minha prima, vai ter uma festa dela hoje a noite em um restaurante e eu liguei pra perguntar se você pode ir comigo..meus pais vão passar a noite juntos.

–que fofos..       falei baixinho e ela riu.

–iai você vai poder ir comigo? Olha vamos..vai ser legal!, eu preciso que você vá comigo, porque eu preciso e quando as amigas precisam as outras tem que ajudar!

–ta..que horas ?

–as 19:30..

–tá..

–beleza! Então mais tarde te ligo.

–oque queria falar comigo? Era isso?

–não..não dá por telefone.. depois agente conversa.

–ta, mais é sobre oque?
–depois eu falo..     riu.

–ta ok..
E desliguei o telefone, Dona Marli fez o almoço, fiquei o dia todo vendo TV, liguei para as minha amigas Brasileiras, falei com a minha mãe e com o Jonas.

 Val me enviou todas as informações atualizadas do Taylor desde quando eu estava namorando com Evan.

 Evan morria de ciúmes e tínhamos brigas constantes devido a isso, então parei de administrar fansite com as meninas, elas não engoliam a ideia mais aceitavam.

 Desde então não me informava mais nada sobre ele. Mais eu tinha uma noção de como ele estava por eu estar perto das meninas e vê-las conversarem sobre ele.
 Então eu vi que muita coisa mudou e me julguei realmente poser por isto.

Mais mesmo eu me recusando a ler aquelas informações eu sentia vontade de vê las.
 Parei por um momento fechando os olhos e pensei “isso é ridículo” mais algo me fazia abrir os olhos novamente querendo mergulhar naquelas informações. Abri os olhos e comecei a passar meus olhos naquelas páginas. Procurei as revistas antigas que trouce do Brasil onde falava sobre ele e reli todas.

 Eu praticamente me viciei novamente fazendo-me esquecer que já o conhecia pessoalmente.

 Quando terminei de ler tudo, me joguei na cama. Olhando para o teto, Minha ficha havia caído, ele morava do outro de frente para minha casa.

 E eu o vi cara a cara, eu quase o beijei.
Me veio mais uma vez um desespero incontrolável quere-lo. Mais der repente despertei-me, eu não queria amar outra vez. Amor de fã é a única coisa que eu devo sentir. Pensei.

 As horas passaram e nem percebi, fui me arrumar e Trevan havia chegado e se ofereceu para nos levar até lá no restaurante.

Então Makena e eu fomos até o restaurante que mais parecia uma casa de festa. Saindo do Carro.
Trevan perguntou,–quer que eu venha te buscar?

Quando iria responder Makena me cortou,–não precisa Trevan, meu irmão já deve esta ai, agente vai embora com ele.

A olhei preocupada, porque ela não me disse que ele estava ai?
Trevan me despertou,–tudo bem Emi? Vai me ligar não né? Vou ir dormir.. 
O olhei se aconchegar na poltrona e rir.

–esta tudo bem, deve ta cansado.. eu vou embora com eles..

-ai que bom, Tchau meninas, juízo em Emi.

–tchau!      Respondemos nos afastando do carro.

–porque não chamou as meninas?

–porque eu só deveria trazer uma, a avó da Sandra não esta legal e a mãe da Amanda foi pra lá com ela..

–ata..então eu não seria a escolhida?     Falei fingindo me ofender e com um certo tom de ciúmes.

–claro que seria, sua boba, ta parecendo que ficou com ciúmes.

–não duvide.      Falei sorrindo.
Entramos no restaurante e fomos ao local reservado para festas dos aniversariantes.

–tem bastante gente aqui..         falei ao repararmos tanta gente.

–oi Makena!!       Disse uma garota abraçando Makena.

–Oi Aline! Meus parabéns!    Sorriu puxou um pequeno embrulho que estava na sua bolsa.

–toma..espero que goste, foi minha mãe quem escolheu..

–áh então com certeza eu vou amar!

Ela olhou para mim.     –Essa é a Emi, Aline e Emi essa é a minha prima Aline.

–Há..então você é a famosa Emi!..         disse ela ironicamente.

–não sabia que eu era famosa..        Falei olhando para Makena e elas sorriram.

–bom, fiquem a vontade gente..ta cheio mais tem mesas vagas por aqui.

Perguntou Makena,–você viu o Taylor?

–Ah, sim já falei com ele, ele esta por ai com uma amiga dele..
–é a Sarah?         Disse Makena estranhando.

–Han... não, eu não conheço, é uma loira e quero deixar bem claro que não concordo com isto, daqui a pouco a Sarah fica sabendo e fica com raiva de mim..

–nossa, ok..então eu vou me sentar, depois pede ele pra me procurar porque preciso dele pra ir pra casa.

–ta ok.
Percebi que Aline me reparava dos pés a cabeça enquanto reparava o lugar.
–Vamos Emi..        disse Makena olhando de um lado para o outro procurando algum lugar para sentarmos.
 Sentamos em uma mesa onde tinha alguns amigos da Aline.
–estou insegura, já pensou se agente fica aqui? É melhor eu ir procurar o Taylor. Eu já volto.

–tá..falei me sentando na mesa dos amigos da prima dela.
A mesa era longa Do meu lado direito havia um garoto e do outro lado da mesa á frente havia 2 garotos.

Eles pareciam estar em uma conversar muito boa. Então puxei meu celular e comecei olhar o site pelo celular, distrair minha mente se não as horas não passariam.

 Minha concentração foi interrompida pelo garoto ao lado.
–quer batata?

–não obrigada..      tentei ser gentil.

–iala, porque não?!      perguntou o da frente.

–não posso comer fritura temporariamente..

–ta fazendo regime?                 Perguntou o do lado do da frente.

–não.voltei a mexer no celular.

–acho que ela não ta afim de falar..       disse o que estava do meu lado.

–também uma moça dessa, deve ser mentida pra caramba..       disse o da frente rindo.

Sorri Voltando a dar atenção a eles,–sou mal morada é diferente.

–sorrindo?       perguntou o que estava ao meu lado.
Makena sentou do meu lado nervosa e impaciente.

Perguntei,–que foi?

–ih..outra mal morada.        Falou o da frente e eles riram, Makena ignorou não entendendo.

–oque foi Makes.?     Perguntei preocupada.

–se eu pedisse pra gente ir embora agora, nos iriamos?

–claro..mais só se chamarmos um taxi. Mais oque foi? Porque mudou de ideia?

–então vamos?

–ta, mais porque?
Ouvi meu celular vibrar das atualizações, olhei rápido e desliguei o visor.
 Quando olhei para frente, Taylor entrava pela porta com uma loira, uma atriz que eu nunca havia visto antes.
 Meu coração confirmou mais uma vez que eu realmente se importava com oque acontecia com ele.

 Meu coração disparou de modo que eu não conseguia pensar em nada se não na raiva que estava me consumindo pelo seu olhar tão sínico olhando bem em nossa direção.

Ele a olhou por um estante esticando sua mão pra pega la e as cruzou entre seus dedos, em seguida me olhou e eu rapidamente olhei para Makena que parecia tão nervosa quanto eu. Mais. “ Porque?

–vamos ficar ou vamos ir embora?    perguntei
Ela olhou por detrás de mim Aline a chamar.

O garoto da frente insistiu,–fica cara, mal chegaram.

–é..fica, vai voltar pra casa pra que? Pra dormir ?       disse o do meu lado sorrindo.

–Aline esta me chamando..

–vai lá então.         Disse o rapaz do meu lado.

Perguntei,–pera ai, você vai demorar?

–não..        disse ela se levantando.

Eu liguei o celular novamente colocando o celular no meu colo olhando pra baixo fingindo não perceber que ele estava na mesa bem da frente com aquela garota. E porque ali?

Não tinha outro lugar para ele sentar não? tinha que ser na mesa da frente da minha?

Fiquei irritada mais disfarcei. Era estranho, antigamente eu tinha tanta raiva quando isso acontecia quando eu via noticias e fotos sobre seus relacionamentos e pessoalmente a raiva era 10 vezes pior. Mais era coisa de fã.

Olhei no Site e em outros sites, diziam que aquela loira que saiu para ir a um restaurante hoje com o Taylor se chamava Mayka.
Ela havia feito vários papeis na TV e no cinema. Mais porque eu nunca vi ou ouvi falar dela antes disto? Fiquei 5 segundos sem pensar em nada e me veio na memoria oque aconteceu de manhã.

 Minha raiva ficava cada vez mais forte por ele e tudo se encaixava do jeito que ele parecia querer. Eu tinha duvidas de que poderia ser coisa da minha cabeça porque algo dizia que ele queria afetar a mim. Seu olhar dizia tudo. Ao olhar para cima novamente o olhei confirmando que era isto que ele queria, beijava o canto da boca daquela garota e olhava por detrás dela bem diretamente para mim. Porque ele estava fazendo isto? o encarei.
–ô, ei garota!    ouvi o garoto da frente.

–acho que ela não esta aqui..       disse o do meu lado.
 Despertei-me olhando para eles, –oi?

Perguntou,–você esta bem?

–estou..porque? Não parece?   Preocupei-me.

–bom, parece estressada..
–você adivinhou.    Falei baixo sorrindo para o da frente.

–você precisa se calmar, se quiser posso tentar te ajudar.. 
O rapaz ao meu lado apoiou seu braço na mesa.

Ele mostrou-se interessado em mim e olhei os meninos rirem.

Busquei coragem para olhar oque Taylor ainda fazia e me assustei ao vê-lo prestar atenção em nós.

Normalmente eu distribuiria foras, tapas e ponta pés para aquele garoto ao lado. Mais os homens servem para isto, para serem usados de formas racionais e opcionais e aquela hora estava sendo preciso.

–acho que iremos sobrar aqui..
Disse os garotos se levantando e Taylor levou seus olhos junto a eles e em seguida me encarou novamente e agradeci mentalmente por vê-lo com o olha mudado, mais duros então dei meu melhor sorriso a ele.


Fingi prestar atenção somente no rapaz o qual eu nem sabia o nome.
 Der repente o reparei, ele tinha cabelos castanhos um pouco grandes algumas mechas caiam em seus olhos azuis, era um rapaz muito bonito e isso não seria difícil de se fingir.

Perguntou cortando minha atenção,–eu nem perguntei seu nome.. me desculpe. Como se chama?

–Emili..mais pode me chamar de Emi.      Sorri.
–Emi..seu nome é muito bonito, não entendo porque diminui lo.

–É que no meu país não é muito comum este nome..

–há sim..de que país você é?

–sou do Brasil..

–há..então esta explicado a sua beleza..

–não precisa tantos elogios assim..       e sorri sem graça.

Por um estante esqueci a presença do Taylor, mais sentia que era observada o tempo todo.
Lembrando-me olhei pra frente em sua direção rapidamente. Seus olhos pareciam duros e frios. Como se não esperasse aquela situação. Eu não entendia muito oque o rapaz falava mais confirmei tudo.

Olhei novamente para o rapaz e ele disse.
–quer conhecer o lugar?

–é uma boa ideia..        eu sabia que se eu mostrasse que não me importava onde estaríamos daria o que eu já estava desconfiando que ele queria fazer.

Depois de Mark se levantar olhei Taylor pela ultima vez e me levantei. Eu via a sua cara agora tão seria, olhos foscos e adorei ,e sentir por cima daquela situação.
O feitiço virava contra o feiticeiro.

Saindo do local seu olhar me acompanhava, Seus olhos tão duros ao me olharem pareciam pegar fogo. Mais eu não havia começado esta guerra, foi ele. só ele e eu não levantaria bandeira branca para ninguém.

Makena estava distraída e nem me viu sair. Muita gente estava em cima dela querendo conversar suas primas e seus familiares distantes.
O lugar era muito grande e bonito, e quando entramos para a parte publica do restaurante percebia que ele era parecido mais com uma boate brasileira, luzes coloridas por todos os pontos do restaurante mais ainda era calmo e confortável.

 Ele me mostrava todos os lugares como se tivesse muita intimidade com o lugar.
–nossa você fala como se morasse aqui, você pelo jeito vem muito aqui né?

–é..        disse ele sorrindo.
Perguntei,–como se chama? Você não me disse..
Paramos próximo ao balcão,–você não perguntou..     Ele sorriu.

–desculpa..       falei me tocando da mancada.

–me chamo Mark.

–hum..então Mark.. como sabe de tudo isso?      Tentei sorrir.

–minha mãe é a dona do restaurante..

–ata..desculpa.. não conheço nada desse lugar, É a primeira vez que venho aqui.

–por isso eu resolvi te mostrar tudo, tem muito tempo que você veio pra cá?
–não..tem alguns meses..
–5, 10... ?

–não..deve ter uns 3 meses.    Falei sorrindo.

–é pouco tempo, se quiser um dia eu te mostro os melhores lugares de Santa Clarita.  Sou.

Comecei a lembrar de Makena, eu deveria avisa-la que estava com Mark. Comecei a ficar pensativa. Iria ou não iria?

–oque foi?
–não..nada demais, só lembrei que esqueci de avisar a Makes, talvez ela se chateie que não avisei que estava vindo aqui com você..

–então vamos voltar lá, eu ainda quero te mostrar o meu lugar favorito.

Voltando até o local onde Makena estava fui em direção a ela sem olhar para a direção do seu irmão.
–Makena, eu vou conhecer o restaurante com o Mark..

–oque..?quem é Mark?           Disse ela com expressão de duvida.

–o garoto que estava do nosso lado..      apontei discretamente para a direção dele, Ela o olhou e ele acenou sorrindo.

–Emi, que isto? E aquilo sobre os homens esqueceu?        Disse ela rindo.
Fiquei sem graça.

–eu só vou me distrair enquanto você esta ocupada..  apontei pra suas primas com os olhos.

–e eu vou conhecer o lugar, não ele.

Ela me olhou torto,–uhum. Sei..acho que não é uma boa ideia. Não sei porque..      disse ela olhando para trás.
Olhei para a mesma direção que ela e Taylor observava atento como se quisesse saber oque conversávamos.

 Realmente percebi que ele estava se importando com oque acontecia. Oque mais me motivou a continuar. Dei um leve sorriso enquanto ele me olhava duramente. 

Mais disfarcei muito para que não achasse que fosse feito de proposito aquela situação. Mais eu não sairia por baixo.

–Makena vou indo, eu já volto não vou demorar.. 
Falei olhando Taylor para que ele conseguisse ler meus lábios.

–ta né..tudo bem. Não demora.
–ok.

Fui em direção a Mark e não pude de dar uma ultima olhada para Trás. Ele continuava prestando atenção em meus passos.
Mark mostrou o resto do lugar

–agora eu vou te mostrar o meu lugar favorito desde criança..
Sorri o olhando enquanto caminhávamos devagar.
–ok..

Fomos caminhando em um corredor vazio e largo e cada vez mais o som do restaurante ficava mais baixo nos fazendo ouvir um novo som de chafariz.

–que silencio..
–eu gosto disto, já estamos chegando..

Viramos mais uma vez em um corredor e vi uma cena linda, de um jardim com chafariz, rosas vermelhas por todos os lados e pequenas lâmpadas de luzinhas.
 –nossa..que lindo..        falei desacreditando no que os meus olhos viam.

Fiquei boquiaberta vendo aquele lugar.

–sabia que você ia gostar. Eu amo estar aqui..        disse ele sorrindo.

–é impressionante!
Ele começou a me olhar de um jeito querendo mostrar toda a sua ternura, mostrando que eu era alguém muito especial, Só que nisso eu não cairia.

–para.       Falei cortando o sorriso aos poucos.

–hum?.. parar com oque?          Disse ele soltando uma risada sínica.

–me olhando assim, como se eu fosse a pessoa mais importante da sua vida. Você me conheceu á 1 hora atrás. Isso não cola. Não precisa mentir pra mim se quer um beijo.

Ele riu abaixando a cabeça.
–eu não fui mentiroso, eu fui hipócrita, é diferente..     disse ele e seus olhos ficaram mais  brilhosos

–tá, para de fazer essa cara de hipócrita então..      ri.

–nem a minha mãe me pega assim. Ela acredita nessa cara quando eu peço alguma coisa.       Disse ele calmo.

–eu consigo ver encrenca de longe..você não parece muito confiável.       Falei rindo.

–pior que você tem toda razão..eu não sou.. mais tenho cara, não é ?
disse ele sem graça colocando suas mãos no bolso.

–não, até o homem de aparência mais angelical, eu sei que não vale nada..a maioria não vale. Então eu automaticamente generalizo.

-isto soa injusto.    Riu e completou.
–mais um dia já vali muito, mais alguém me ensinou a ser assim e desde então.      Disse ele rindo.

–eu não sou qualquer uma, eu sei que não sou importante pra você e pra quem menti muito, você esta parecendo muito sincero..    Falei rindo.

–eu sei que na mentira, eu não vou ganhar um beijo seu, então.. talvez eu ganhe pela verdade..     disse ele sorrindo aproximando-me de mim.

–Então é isso? Você quer um beijo.. ?        falei aparentemente calma doida para sumir dali, sorri mostrando simpatia. Mais eu sentia vontade de esgana-lo.

–talvez, o seu numero também..       falou sorrindo e me contagiando.

 Ele tirou suas mãos do bolso dando um passo a minha frente e colocou as mãos em meus cabelos e deslizou as na maçã do meu rosto.

 Senti que seus lábios se aproximavam aos poucos do meu, quando senti que iriamos nos beijarfomos interrompidos pela voz de Aline que saia detrás de mim.

–Mark! Hey! Mark! Preciso da sua ajuda.

Assustei-me afastando se dele, Estranhando o jeito desesperado que ela falava.
–mais agora Aline?!        Disse ele passando por mim.

–uhum, Sua mãe pediu para você resolver pra mim.  Ela  esta ocupada e não posso deixar os convidados. É rapidinho..vem!

Ele me olhou.   –eu já volto.. quer esperar aqui?..
Confirmei com a cabeça.
–eu já volto..     disse ele inquieto.

Quando saiu eu pude reparar tudo daquele local tão lindo.

Chegando no meio do jardim tinha um banco de madeira branco muito lindo. Sentei e ia esperar, mais minha atenção foi dobrada por um lado cheio de rosas vermelhas, me levantei apressada para vê-las mais de perto.

Inclinei meu pescoço e peguei uma que estava solta ao lado, pareciam que já haviam a cortado e a cheirei.
Com olhos fechados apreciando ainda mais aquele lugar lindo.
Ouvi passos pisarem forte sobre a a grama entrando apressados no jardim.

Ouvi-los pararem me chamou atenção e me virei.
 Então não acreditei em quem vinha.
–Taylor?

DEIXE UM COMENTÁRIO. – muitas autoras deixam de escrever por falta de motivação. Diga o que achou, mostre interesse na continuação da história, que certamente ela continuará.
CLIQUE AQUI PARA IR A LISTA DE CAPITULOS

Frases ditas neste Capitulo: "eu não havia começado esta guerra, foi ele. Só ele e eu não levantaria bandeira branca para ninguém.  Por Emili."

Um comentário:

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA