29 julho 2014

Fanfiction: Ela é para o meu irmão - Capitulo 9

Fanfic texto/FAN ARTS Designer: Jessica TLM/@JESSICA_KELI

Não acreditava em quem estava tão impaciente me olhando.

–Taylor?
Perguntou meio irritado,  –oque esta fazendo nesse lugar?


Retruquei,  –desde quando te devo explicações?
Ele ignorou oque disse.    –vamos, vamos sair daqui.
Disse pegando em minha mão para sair dali.

A puxei,  –não.. espera ai! Oque esta acontecendo?

–oque você! Pensa que vai fazer?!

–me deixa em paz! Não me trate como se eu fosse sua irmã!

–e eu não estou!        Disse ele puxando a minha mão novamente pra sair dali.

–aé! Então esta tratando como oque agora?!     Puxei minha mão novamente.

Ele parou de frente pra mim por alguns segundos passando suas mãos no rosto. Depois as colocou nos quadris pensativo.

E perguntou,  –pode. Por favor. Vir comigo.     

Pausadamente e seria respondi.
–não.. eu estou esperando alguém.

Respirou fundo impaciente e se virou de costas olhando para o lugar, talvez não tivesse visto antes o quanto ali era lindo.
Insisti,   –melhor você ir embora..

Respondeu rapidamente enquanto se virava para me olhar nos olhos,  –não!
E completou,  –você tem que sair daqui.

–porque isto?! Me da um bom motivo! Um motivo bem convincente! Ai avaliarei e pensarei se é bom ir ou não!
Mostrei que também sabia ser irônica lembrando-me do que ele havia feito á uma hora atrás.

Ele olhou para o cima impaciente.
 Continuou com as mãos nos quadris.

Ele parecia analisar os motivos e sua ficha caiu de que não tinha nenhum motivo.
–tem?!     Falei cortando seus pensamentos.
Ele ficou mudo e serio me olhava furioso,  –não.

–Então, a saída é bem ali, atrás de você.      Falei apontando para frente.

Eu sabia que a única coisa que o deixaria calmo naquele momento era me ver saindo daquele jardim, oque me deu mais vontade de ficar lá vendo o seu desespero. Era Marck quem estava o incomodando?

–não, eu não vou enquanto você não sair daqui.  Insistiu contendo sua raiva.

–então você vai sentar bem ali.      Falei apontando para o banco e completei.
–enquanto você ouve a grande conversa sobre Marck. Ai quando sairmos você sai com agente.

Ele indagou e abriu os olhos confirmando com a cabeça totalmente irônico.
  -tá!

Fiquei em silencio, não esperava isto.
E Ele sentou usando toda sua ironia mostrando que ficaria.

Preocupei-me com oque explicaria ao Mark, oque contar? Dizer que ele não queria largar do meu pé? Ou talvez Taylor se juntasse a nós para conversar, que tal? Ia dar maior merda..
Passei as mãos odiando ter que ir tentar me entender com ele.

–para Taylor, não dificulta as coisas. Pra que isso? Não tem graça.
Mostrei que estava me acalmando.

Ele riu, –esta achando que eu estou brincando?

–agora não..       falei pensando que ele realmente ficaria ali.

Então me virei continuando a olhar as flores esperando que ele desistisse desta pirraça.
Perguntou,  -não vai sair?

Respondi, -não..
Enquanto olhava as flores e ele respondeu, -ta bom..
Aconchegou-se no banco, Fiquei pensando em como Marck reagiria aquilo.

 Como não entenderia nada. Mais a minha plateia perfeita estava bem ali. Ouvi passos entrarem pelo jardim, então me virei assustada.

Novamente tive uma grande surpresa. Mayka entrava com a expressão desentendida totalmente confusa. Olhou para mim e em seguida para o Taylor que estava sentado no banco.

–oque vocês fazem aqui?          Disse ela nos olhando.
Perguntou novamente, –oque esta fazendo aqui garoto?

Segurei para não rir, mais ela notou.
“ela o chamava de garoto?” haha

–tem alguém aqui aprontando Mayka e eu tenho que ficar de olho..
Me olhou totalmente sínico, veja só, olha quem fala.

Ri Baixinho desacreditando no seu cinismo.
–e desde quando tem que ficar de olho? Anda, para de graça, Vem..
Ela foi até ele e o puxou,   –não.. esperai Mayka..
Tentou não ser puxado mais ela não deixava que ele explicasse.
–Anda Taylor! Anda, para de graça, deixa a menina em paz, que coisa! Vem! Anda!

Dizia ela enquanto o puxava para fora do jardim  e ele continuou me olhando enquanto ela o fazia sair.
 Então eu dei o meu melhor sorriso a ele novamente.

–Tchau Taylor..           Falei acenando ironicamente.

Ele queria que realmente aquela noite tivesse acontecido oque ele planejava. Mais não sabia ao certo oque, Mais sabia que queria me deixar constrangida.Vê-lo desesperado para que eu saísse do jardim fez com que as suas estratégias de me provocar havia dado errado.

Eu pude sentir o gostinha da vingança e percebi que era totalmente viciante. Talvez se eu tivesse a usado muito antes, meu coração não estaria arrebentado por dentro, cheio de marcas que Evan havia feito.

Quando eles saíram pude mudar minha expressão e não pensei duas vezes em respirar fundo para ver se me acalmava. Eu estava nervosa meus olhos seguravam as lagrima, porque ele estava fazendo isto? E para que?

 Já não me bastava o Evan tentar me deixar mal, Deus tinha que me colocar outra tão rápido na minha vida para atrapalhar tudo?!
 Eu estava com medo da reação do ele, Porque ele trouxe Mayka e tinha aquela intenção? E porque ele veio atrás de mim e quis me tirar do jardim, que sabia quem eu estava esperando?

Taylor mostrou em 1 dia de festa que ele poderia ser tão pior quanto Evan e eu não ia entrar em outro problema pior e se meu coração dizia que sentia algo pelo Taylor nem que se fosse pouco. Meu coração deveria mudar de ideia nesse exato momento e Eliminar oque ainda resta.

Pensei em como ele estava acompanhado com Mayka e não faria desfeita. Com certeza ele não insistiria novamente nisto. Então sentei no banco pensando em como Marck demorava. Olhei em volta daquele lugar “eu queria ter uma câmera agora” para registar aquele lugar.
Peguei o celular e tirei uma foto.
Ouvi passos adentrar ao jardim.
Desliguei o visor do celular me levantando do banco enquanto falava.

–ainda bem que chegou, você nem imagina oque.    Olhei para frente pensando que era Marck, mais Taylor voltava então não terminei a fala.

–caramba! Taylor!
Respondi enquanto ele vinha em minha direção.
–cadê a sua garota agora?!

Ele parou na minha frente por alguns segundos. E piscou os olhos rapidamente parecendo-se despertar.
Perguntei,  –oque foi?

–vem Emi.. Vamos sair daqui..          falou ele baixo.

–não Taylor, vai embora..                 falei no mesmo tom.

–por favor..      disse ele se aproximando do meu rosto.

–não..      respondi quase sem voz.

Ele se aproximava tanto do meu corpo suas mãos deslizavam em minhas maçãs do rosto e senti fraqueza por um momento,Eu não conseguia ter forças para tira-las de perto de mim.

 O arrepio invadia todo meu corpo a cada toque seu e as borboletas não conseguiam se esconder.

Eu nunca me o imaginei tão perto e flashs de todos os devaneios que tive sobre ele muito antes de conhece-lo pessoalmente, passou como um filme em minha mente.

Ele parecia esperar pela minha atitude de beija lo já que eu sentia a ponta dos seus lábios nos meus. Eu sentia somente desliza-las enquanto ele pedia por favor para que eu sai-se dali.

Sussurrei sem forças de me distanciar,  –Eu não vou te beijar..

Sussurrou,   –Eu não estou pedindo, também não quero beijar você..

–então, Oque, Vocêesta.. fazen..  rapidamente pensei na hipótese dele esperar Mark e ai, estragaria tudo e o odiei por isto.

O empurrei com raiva,  –fica longe de mim!
Parecia ter pensado o quanto havia passado dos limites.

–Não, Emi, calma! Olha me deix

Comecei a chorar de raiva,  –Para! Chega! Para de tentar fingir que se importa comigo! Você só quer brincar, testar se eu vou cair na sua! Esta na cara!Saiba que eu nunca cai e  nunca cairei! e você não quer nada de mim e se quisesse, dentro de mim não tem nada para te oferecer!

Mostrou-se irritado, ata! Mais porque? Quem deveria estar com raiva sou eu!
–E quem disse que eu quero algo com você?     Disse ele no mesmo tom.

Me afastei irritada,  –ah! não quer? Então pra que isso? Pra que me impedir de ficar aqui? Marck é algum assassino por acaso?
Cruzei os braços pronta para ouvir respostas.

Ele respirou fundo antes de falar,  –eu, Só, Não quero!
–Você não tem que querer, quem manda na minha vida sou eu! Você não tem influencia nenhuma sobre mim! você mal me conhece!

-Você é tão esquisita, porque é tão agressiva?

–há! Eu sou esquisita? Você traz sua garota pra uma festa e quer cuidar da amiga da sua irmã? Hahaha ta legal..            falei ironicamente e completei mostrando minha seriedade.

Dei um passo a sua frente novamente.
–tentando estragar a minha noite.. você não tem oque dizer. Isso é criancice! Sabia que eu viria com a Makena, você nunca foi de sair em publico com alguém nas festas de família, e der repente você sai com Mayka de mãos dadas, porque será?!       Cruzei os braços.

–eu não te devo explicação nenhuma..          falou baixo olhando nos meus olhos.

–há! E eu te devo né? Mais eu tenho que aguentar você aqui?

Ele me olhou pensativo,   –você não vai entender.

–tá! Então tenta! Porque eu vou fazer o máximo pra entender!    Afirmei.

Ele ficou pensativo em silencio,   -Anda Taylor, fala!

–Não dá! Eu não quero, Você é esquisita demais! Eu posso me arrepender.. Você não vale a pena para explicações.. você é totalmente de lua. É Imprevisível!

–há é? Eu sou imprevisível? E oque você esta fazendo é oque? você pensa que é oque? Nem parece o Taylor que todos dizem ser!

–Só você me deixa assim!       Respondeu ele agitado

–aham! Agora eu sou culpada do seu comportamento também?

–é! Você fica na defensiva o tempo todo, como se me bloqueasse de ser legal com você! Você parece um campo minado!          Ele deu um passo a mais na frente

Eu senti suas palavras soarem forte nos meus ouvidos. Então eu me calei procurando oque dizer. Então eu Disse.
–então não fica perto de mim!

–Eu deveria!        Afirmou.

Respondi,   –Então fica longe!
Ele ficou em silencio olhando nos meus olhos por alguns segundos e fiz o mesmo mostrando que não recuaria, eu estava certa!
E sussurrou.  –estranha..

Sussurrei furiosa.    –Criança..

Ouvi uma voz  –Taylor?! Emi?!    Fazendo nossos olhos voltarem ao normal.

Era a voz de Makena antes de entrar pela porta do jardim. Eu me afastei virando de costas. Ela sorriu com expressão de duvida no rosto.
–oque esta acontecendo aqui..?

Taylor olhou pra ela e passou as mãos no rosto.    –nada.. nada importante de ser lembrado.
Virei o olhando nos olhos furiosa pelas palavras escolhidas.

–Emi?      perguntou Makena com estranheza no rosto Chegando perto de nos. E cortei meu olhar pra ela.

–oi Amiga.. ?      Mostrei mais calma.

–cadê o garoto que estava com você?

Perguntei surpresa,  –ele não esta lá?

–não.. e a Aline também sumiu.. 
e Taylor a cortou.
–acho que ele deve estar muito ocupado.. deve estar fazendo algo mais importante que você.        sorriu.

Eu o encarei esai sem dizer nada a nenhum dos dois.

POV de TAYLOR:
Quando vi Emi avisar a Makena sobre sua saída meu coração vibrou.

 De um jeito que eu pensei que jamais ia vibrar por causa de uma simples garota que mal conhecia direito. O desespero der repente foi fora do normal.

Que me fez pensar em dizer as poucas coisas que eu sentia. Mais isto talvez não adiantasse e nos me confundiria. Lembrava das coisas que meu pai disse e nem mesmo isso acalmava o meu desespero de saber que Emi estava com alguém agora.

Eu me assustava comigo mesmo naquele estante.
–você esta bem?         Disse Mayka despertando-me.

–há! estou.. sim tô.. 

–seila, ficou estranho der repente.

Perguntei tentando sorrir,  –serio? 
Ela olhou para traz na direção que eu estava olhando e ficou calada. Vendo Emi sair com aquele rapaz novamente.

Perguntou-me,  –conhece aqueles dois?

–Ele é o filho da dona do restaurante.

–e a garota?
Perguntou Mayka se virando para mim ela mostrava-se sem graça pelas perguntas.
–ela veio com a minha irmã..

–hummm..           disse ela de um modo incomodo.

–eu já volto..       falei me levantando para ir até Makena eu estava segurava a minha impaciência.

Perguntei olhando as nossas primas em volta da mesa,  –Makena, pode vir comigo rapidinho?..

Fui andando em direção á um canto.
–oi.. fala..      disse chegando até a mim.

Perguntei tentando não mostrar irritação,  –como você deixa a Emi sair assim? 

–ué!? Vou fazer oque?       Disse ela com meio sorriso e completou.
–não se preocupe com a Emi.  Se preocupe com a garota que você trousse, há! A proposito, nem apresentou a namoradinha.. que grosseria hem..

Eu a olhei percebendo sua ironia, estava percebendo que ela já havia notado minha incomodação em relação a saída da Emili e ela sabia que eu tinha consciência disto, mais não diria.

–tá.. volta lá então.. eu vou ao banheiro..    falei sem graça.
–aham.. sei.. ao banheiro.          Disse ela rindo.

Passei perto da porta e vi que Aline saia e não pude perder esta oportunidade.
–hey! Aline!
Ela parou e olhou pra trás. Bem depois da entrada.
–iai Taylor..

–iai..

–quem é a menina que esta contigo? E a Sarah hem.. olha lá. ela não pode vir mais eu gosto dela ok.. quero deixar bem claro! Porque vocês vivem terminando e voltando!       falou ela seria.

Ignorei sua fala. olhando Emi se distanciar naquele restaurante com aquele garoto.

 –eu preciso da sua ajuda.       Falei a cortando.

Perguntou,  –em que? É pra fazer bondade ou maldade?
Sorri,    –acho que é maldade ou bondade.. não sei.
Ela riu. Olhando para trás na direção que eu olhava e viu Emi e aquele rapaz virarem e saírem de nossas vistas.

–preciso que você ocupe aquele rapaz. Aquele.. Marck.

–há! O Mark? Mais porque.. ele é um fofo, não faz mal nenhum. Porque isso?

Eu fiquei sem graça. Mayka já estava ligando. olhei o Celular.
Respondi a Aline,  –não posso dizer agora.. Mais preciso que faça isto..

falei colocando o celular no bolso
–hum.. tá..      disse ela pensativa e olhando para mim de rabo de olho totalmente curiosa.

–mais eu preciso saber onde ele estar.. eu vou ter que ir procura-lo

–elesestão indo ao jardim daquele chafariz.       Respondi com pressa para que ela fosse.

Ela arregalou os olhos,  –nossa! Que interesse de boicota-lo.

Cortei apressado,  –vai me ajudar? 

–esta bem.. já vou..       ela se virou.

Falei enquanto ela caminhava,  -E me da um toque quando conseguir.
Confirmou levantando a mal com sinal de confirmação.

Fui até a Mayka e esperei, parecia longas horas mais havia passado menos de 10 minutos.

Eu precisava fazer algo pra tira-la daquele lugar, eu não a deixaria sozinha com ele.

Eu notava suas expressões e via suas intenções tanto dele quanto dela. Eu não costumava fazer oque fiz, na verdade nunca fiz, mais Emili já havia sacado oque tentei fazer. E realmente foi considerei criancice da minha parte.

 Mais só queria testar a reação dela ao me ver com alguém. Eu precisava saber oque aquela garota pensava de mim.


Arrependendo-me severamente cada segundo que se passava, pois oque só rendi foi dor de cabeça pra mi. Não esperava sentir oque estava sentindo por causa de uma desconhecida.

O meu celular tocou.
–oque foi?        Disse Mayka.

–vou atender e já volto, que pedir alguma coisa?

–não precisa. vai lá.
Levantei-me e recebi somente uma chamada perdida e fui apressadamente até lá. Me perdi no restaurante e procurei um garçom que me disse onde ficava, fazendo me demorar mais pra chegar lá e perder tempo.

Pelo menos não naquela noite ela não ficaria com Mark. Eu estava agora arrependido de ter tentado fazer com que ela sentisse algo repugnante quando me visse com Mayka.

 Mais ela não pareceu demostrar nada. e eu tive todo o problema que eu queria que ela tivesse. Tentei leva-la dali, tinha a primeira intenção de contar tudo que passava na minha cabeça, mesmo que fossem pensamentos recentes.

Mais era o suficiente para mostrar o quanto ela já pertencia em meus pensamentos. Contaria. Mais ela não desistia de jogar.

Ela parecia querer confronto. Meus sentimentos mudavam de lugar o tempo todo. Não sabia se era certo ou errado. Se era raiva ou outra coisa.
Suas atitudes me faziam andar pra trás.

De me julgar esperto por não dizer uma palavra se quer sobre oque eu queria. Tudo que via sair Da Boca dela era ódio, raiva e rancor e eu mal sabia porque.

 Despertei-me dos meus pensamentos quando percebi toda a minha vontade sendo demostrada, Emili estava tão próximo a mim e dizia que não iria ne beijar, ta legal. Então porque ela simplesmente não se afasta?
 Depois de um tempo um  lutando contra vontade de outro seu pensamento pareceu mais convincente do que me ver sem controle perto dela.

Novamente me fazendo ser o vilão da historia que eu nunca fui, Ela interpretou mal minha reação, podia ter visto como um deslize, mais preferiu acreditar que esperava Mark nos ver juntos.

Enquanto discutíamos eu vi que não chegaríamos a lugar algum. E Marck realmente poderia driblar Aline e voltar para ali. Eu já não aguentava mais. Eu queria ir embora e nunca mais ver a cara daquela garota.
Quando Makena entrou no jardim tentamos disfarçar. Meu orgulho estava totalmente ferido. Fiz tudo para me redimir e compreender, Mais ela não queria compreensão nenhuma. Eu deveria deixar a ultima resposta.

 E ela saiu furiosa.
–ai meu Deus.. oque você falou pra ela?            Disse Makena rindo sem graça.

–nada demais, ela é maluca!          Falei.
–uhum.. tá.             Disse ela ironicamente.
Perguntei ao vê-la me olhar pensativo,    –oque foi
Eu estava muito irritado e isto não estava dando para esconder.

–Taylor eu conheço a Emi e também conheço você!

Tentei cortar sua imaginação,   –não viu que acabamos de discutir?

–por isso mesmo!

Mostrei desentendimento,  –tá. Não entendi.

Ela puxou-me para sentar no banco.
–eu sei que você mostrou algum interesse nela.. porque eu conheço Emili e ela não fugiria atoa.

–pode ser mais especifica com isso? Como assim? Porque ela fugiria?

–olha.. acho que eu não tenho permissão pra dizer.. mais eu preciso falar. Há Emi ela sofreu muito por um rapaz no passado e esse passado não tem muito tempo.. e ela não quis saber de ninguém desde então. Ela é uma boa garota, esperta, madura, mais ela mostra totalmente ao contrario quando isto envolve alguém que desperte algum o interesse nela.

Minhas duvidas totalmente foram acabadas, Era por isso que ela estava tanto daquela forma e eu a ajudei.
E completou ela,    –ninguém, ninguém mesmo e ela prometeu pra ela mesma que não consideraria nenhum homem outra vez. Então, cuidado.

Agora eu entendia sua defesa, suas raivas fortes demais, suas vinganças fáceis, ela queria fazer com que sentisse da mesma forma que tentei faze-la sentir. Talvez algo que ela havia aprendido no passado ou oque ela queria ter feito antigamente.

 E ela não parecia ter raiva de todos os homens. Somente os homens que despertavam algo nela.
Eu compreendia mais odiava fazer parte daquilo agora, pois querendo ou não me fazia ser envolvido nisso. “tantas mulheres no mundo e eu me interessei pela única que odiava os Homens”

Fui aproveitar a  festa, dei um toque para Aline. Por mais que eu tivesse com aquele medo. Eu deveria controla-lo e mesmo que a Emi fizesse algo eu deveria ficar na minha.

Talvez se ela não tivesse tempo de me observar, seria menos problemas. Mayka queria embora ela morava perto a levei em casa e voltei. Fiquei com alguns parentes conversando a um bom tempo e sempre de olho discretamente nelas.
O final da festa demoraria mais estava tarde,Fui até elas que cochichavam enquanto Marck e seus amigos estavam na mesma mesaconversando.

Perguntei,  –eai vamos?
Elas pararam de cochichar e me olharam.

–quer que eu te leve em casa Emi? Ai você fica mais tempo..       disse Marck.
Sorri para eles pensando “Idiota, cala boca.

Makena me olhou e não mostrei absolutamente nenhuma incomodação estava atento para ver de perto como Emili daria um fora nele também.

–Melhor não.. eu vou com eles, Eu moro bem na frente da casa deles. Então.. deixa pra próxima, mais obrigada.
Disse sorrindo.

Tentei continuar rindo enquanto olhei para Makena assustado “Cade a ignorância dela?” “Sumiu?” “Ela sabia ser educada?” Pensei.

Percebi que Emi não se interessava por ele, já que o tratava daquela forma tão gentilmente. Aquilo era super estranho!

Então afirmei com confiança me abaixando próximo ao seu ouvido,  –vai Emi, vai se divertir, depois ele te leva..

Ela olhou para o lado e sorri ironicamente,  –Taylor, para de se meter na minha vida.

Makena olhou pra ela segurando para não rir da sua reação, olhei para Makena e ela estava surpresa, pois nunca havia visto a Emili desta forma.
–desculpa Marck.      Falou ela.

–Tudo bem Emi.. vou te dar o meu cartão. Você me liga, ok? 

Pergou o cartão nas mãos,  –ta..
Cortei olhando para Makena,  –eai, vamos?

Fui andando na frente mais atentos á Emi que estava atrás. Fomos em direção ao carro e entramos. Makena havia esquecido sua bolsa em cima da mesa e precisou voltar correndo. Emi deitou no banco de trás do carro e o silencio no carro ficou.
DEIXE UM COMENTÁRIO. – muitas autoras deixam de escrever por falta de motivação. Diga o que achou, mostre interesse na continuação da história, que certamente ela continuará.

5 comentários:

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA