20 agosto 2014

Fanfiction: A filha do chefe - Capítulo 10: Segredo



Nem acredito que hoje faz um ano que estamos juntos! Estávamos num motel fora da cidade, único lugar seguro onde poderíamos nos encontrar. Encontrava-me sobre o peito nu de Taylor, alisando-o quando me sentei de repente o questionando mais uma vez. Só não consigo entender o porquê de não podemos contar para ninguém, eu confesso no começo a idéia foi minha, mas as coisas mudaram, agora estamos juntos a algum tempo! ele se sentou ficando de frente pra mim olhou em meus olhos e disse.

Pela milésima vez, eu já te disse é melhor assim! aquela frase não me convencia e apesar de saber a resposta segui perguntando.

Por quê?! Até quando vamos manter essa farsa? Taylor, estou cansada de esconder o que eu sinto por você, pensa que as pessoas não são capazes de perceber?!

Se percebem ou não eu não sei, mas tomara que não.

Dei um salto da cama enrolada aos lençóis, furiosa, e perguntei com a voz já tremula. Você não me ama mais, é isso? ele saltou da cama num pulo me abraçando forte por trás, sussurrando ao seu ouvido.

É claro que eu amo, eu te amo sua boba ele beijou o meu pescoço. Senti um arrepio pelo corpo inteiro.

Então por que você disse aquilo? disse eu, fazendo um beicinho. Ele me virou roçando seu nariz no meu e disse.

Sabia que eu adoro quando você faz essa carinha? ele ia me dar outro beijo quanto me desviei e me livrei do abraço dele, me afastando e fingindo estar brava.

Não mude de assunto Tay, encontros as escondidas num hotelzinho de quinta depois do expediente, como nós fossemos amantes, você acha certo? Nem a minha mãe sabe da gente, quer dizer eu acho que não!

E você acha que eu gosto? Prefiro mil vezes o conforto das nossas camas... ele se aproximou mais de mim Mas trabalhamos juntos!

E dai?

E dai?!
Lembra meses depois que começamos a sair que alguém suspeitou apenas que estávamos juntos afirmei com a cabeça. Aquele boato quase tirou você da presidência... ele agarrou meu rosto e disse olhando nos meus olhos. Amor, pense, se você sair você acha que eles vão querer manter a empresa aberta? ele me abraçou novamente completando o raciocínio. É claro que não! E qual seria a primeira coisa que eles iriam fazer?

Vendê-la! respondi, suspirando pesado.

Isso vendê-la! E depois de tudo o que você fez, seu pai pense nele! então eu concordei com ele.

Eu já sabia mais você acha mesmo que eles fariam isso se soubessem? perguntei, me afastando um pouco dele.

Acho não, tenho certeza. Alguns não gostaram da ideia de você ficar no lugar de seu pai e impedir a venda... ele estava de pé na minha frente com a mão na cintura, sem nada cobrindo o seu corpo. Eu olhei para ele e com um sorrisinho "travesso" mordi o lábios inferior e Taylor perguntou rindo também.

O quê foi? me aproximei mais dele e disse baixinho.

Você tem toda razão. Não sei o que faria sem você! mordi a ponta da orelha dele e ouviu-o gemer baixinho e com uma das mãos apoiadas em seu peito e outra segurando o lençol fui empurrando ele em direção à cama.

Por hora vamos nos concentrar em outra coisa empurrei ele com toda força contra a cama, soltando o lençol que cobria meu corpo.

Você é quem manda Taylor disse com um sorriso “safado”, esse ajeitando mais na cama.
Saímos às cinco da manhã do motel, para dar tempo de ambos ir até em casa trocar de roupa antes de voltar a empresa.

Elena é você? minha mãe desceu as escadas ao ouvir o barulho da porta.

Droga! falei baixinho. Ah mãe, sou eu sim! estava me odiando e cheia de vergonha por ter sido pega logo pela minha mãe, como uma adolescente entrando em casa. Eu pensei que você ia ficar mais tempo na casa da tia Rose? eu passei por ela lhe dando um beijo na testa enquanto subia para o quarto e minha mãe me seguiu.
Sua tia até insistiu para que eu ficasse mais tempo, mas não queria te deixar mais tempo sozinha. É a sua vida, também estava sendo muito egoísta em pensar só em mim ele era o seu pai também!
  Não se preocupe comigo mãe, eu a entendo, papai era muito importante para você, mas estou bem! A empresa me toma quase meu tempo todo e a Srª precisa de companhia! já estava com a mão na maçaneta da porta quando ela veio com a pergunta.

E quem lhe faz companhia? Onde você estava até a essa hora? Namorado novo? encostei a cabeça na porta. "E agora pense rápido!" e depois de um minuto respondi.

Mãe, podemos conversar sobre isso depois? Estou atrasada para o trabalho fechei a porta sem deixar que ela tivesse chance para retrucar. 

Desculpa mãe, Taylor tem razão. É melhor ninguém saber por enquanto, nem você! disse baixinho encostada a porta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA