03 setembro 2014

Fanfiction: A filha do chefe - Capítulo 12: Ciúmes (Taylor)



No fim do expediente seguíamos em nossos carros, mas sempre bem colado na minha traseira. Estávamos indo para o nosso "cantinho" quando o meu celular tocou.

Alô. Mãe, Tudo bem? esperei sua resposta, era raro Dona Sarah me ligar. Ok, tudo bem, eu já estou chegando. Surpresa tá, mas você sabe que eu não gosto muito de surpresas. Sim, Taylor está comigo. Tá bom, eu vou falar com ele. Beijinho, tchau! desliguei e liguei para Taylor.

Mudança de planos, minha mãe inventou um jantar e disse que a gente tem que ir, ela tem uma surpresa! disse fazendo uma careta. Odeio surpresa, ainda vindo com uma convocação da minha mãe junto. Se bem que meu último jantar com meus pais me rendeu uma bela surpresa... Mas mesmo assim. Olhei de volta pro Taylor e ele estava rindo. Está rindo de quê?

Nada, presta atenção! ele se referia ao sinal e os carros buzinando atrás de mim.

Vamos? isso não foi um convite, mas soou como se fosse e ele concordou, então ele me seguiu até a minha casa.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Luka! assim que eu abri a porta da frente dei de cara com meu primo de primeiro grau que estava sentado com minha mãe no sofá numa conversa amimada.

Filha se lembra de seu primo, Luka, filho da sua tia Nanda? minha mãe falava toda animada e me puxou pra sentar perto deles

Claro mãe!

Oi Elena,como você cresceu! Luka se levantou e me deu um abraço que eu retribuí totalmente surpresa. Olhando por cima do ombro dele vi Taylor que estava na porta se encolher.

Mas eu pensei que você estava nos E.U.A?

Estava, mas quando soube do tio Nicolas eu tive que voltar. Pensei em você e, claro, na tia Sarah sozinhas aqui numa hora dessas... Taylor o interrompeu entrando e fechando a porta.

Elas não estavam sozinhas!

Luka esse é o Srº Taylor Lautner, o vice-presidente do grupo Formam no qual eu sou presidente e também o melhor amigo da família! apresentei os dois e eles apertaram as mãos. Nunca estive numa situação tão constrangedora.

Presidente "formiguinha"? Luka me perguntou rindo.

Eu vou te matar! sussurrei entre os dentes e ele riu ainda mais.

For-mi-gui-nha?? Taylor soletrou as palavras olhando para mim.

É, esse foi o apelido que dei a ela. Você já deve ter reparado nesse jeitinho... Pequenininha, mas esperta e ágil como só ela! Luka fez um gingado com o corpo quando falou a palavra ágil. Taylor só deu meio sorriso e olhou para mim que a essa altura já tinha escondido minha cara entre as mãos.

Minha mãe me salvou vindo da cozinha, nem tinha reparado que ela tinha saído.

O jantar está servido! Luka foi à minha frente e Taylor me deu passagem para eu ir na sua frente, enquanto ele cochichava algo para mim que eu me fiz de desentendida.

Luka se sentou do meu lado e do outro Taylor me obrigando a ficar no meio dos dois, e, na nossa frente, minha mãe com um sorriso que não saia do rosto.

Tá rindo dê que mamãe? falei com muita ironia mesmo, era tudo culpa dela. Não sabia onde mais enviar minha cara.

Vontade não me voltava de sair correndo daquela casa.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Já na sala.
Aquilo parecia que não acabava nunca, sempre surgia entre ele e minha mãe mais história do passado. Luka foi o único dos meus primos que cresceu comigo até eu fazer 17 anos e sair de casa. Luka sempre arrumava um modo de tocar em mim e isso deixava Taylor louco até que ele veio com a "bomba".

Quer dizer que você ficou no lugar de seu pai? ele olhou para Taylor e disse em meio às gargalhadas. Quando Elena eu éramos namorados...

Você namorou o seu primo? Taylor disse, com aquela voz que indicava que eu estava em apuros. Luka percebendo o clima tratou de concertar o mais rápido possível.

Éramos pequenos, tínhamos uns 5...7 anos... A senhora se lembra tia Sarah? minha mãe somente assentiu com a cabeça.

Taylor está me ajudando muito, eu tenho um excelente vice. eu tentei dar um sorriso para ele, mas ele ainda continuava sério, então eu completei me virando para meu primo dizendo: Os números não são mais os “monstros de sete cabeças” que eu pensava Taylor deu um pulo do sofá se colocando de pé.

Acho que é melhor eu ir. Bia está me esperando para pô-la na cama olhei para ele, eu sabia que ele estava mentindo. Me levantei também.

Não vai ficar nem pra sobremesa, Taylor? minha mãe falou tentando "quebrar" o clima ruim que baixou ali.
Não Sarah, tenho mesmo que ir... Boa noite... Foi um prazer conhecê-lo, Luka. ele andou em direção a porta.
Eu levo você até lá fora! eu o acompanhei e abri a porta para ele que passou em silêncio.
Do lado de fora da casa Taylor virou para mim e me perguntou muito sério.
Namorados, formiguinha? tive que revirar os olhos e bufar com sua ironia.

Você ouviu o que ele disse. Éramos crianças, tínhamos sete anos... Sete!

Esse cara... Vira e mexe ele arrumava um jeito de encostar-se a você. E aquela historinhas, o que foi aquilo? Taylor fazia cara de nojo enquanto falava.

Fale baixo, você quer que toda a vizinhança saiba que você está tendo um ataque de ciúmes por causa do meu primo?

Eu não estou tendo ataque nenhum e eu estou falando baixo!

Eu não sabia que ele tinha voltado. Luka e eu crescemos juntos, a minha mãe é irmã da mãe dele ele é meu primo, e aquelas historinhas, por mais vergonhosas que sejam, são as nossas histórias. Acho até razoável ele vir fazer uma visita depois do que houve! tentava explicar para ele, mas ele parecia que não me ouvia.
E você gostou? ele falou isso de um jeito que parecia que estava insinuando outra coisa.
Gostei de quê? ele olhou para mim e eu para ele e bem no fundo dos seus olhos. Eu vi o que ele quis dizer com a pergunta, mas não o meu Taylor,e u soltei um suspiro pesado em rendimento, eu não queria brigar com ele. Não ali, não daquele jeito e, talvez eu nunca fosse querer brigar com ele então acabei por disse.

É melhor você ir! ele entrou no carro sem falar nada e arrancou, eu forcei um sorriso e entrei.

É ele não é? Taylor é o seu namorado, porque você vinha escondendo isso de mim?

Mãe, podemos conversar sobre isso uma outra hora.

Lamento... Quer dizer, Elena, eu não sabia que minha presença ia causar tantos problemas. Luka disse, segurando a minha mão.

Não se preocupe primo tirei minha mão da dele. Você não fez nada, foi ele quem ficou maluco...

Por uma coisa que eu disse, deveria ter ficado calado! eu olhei para ele. Luka até que ficou um homem bonito, mas... Não era o meu Taylor, o meu ursinho. Luka, você não se importa se eu for para o meu quarto agora né, amanhã eu levanto cedo.

Claro que não, Elena! ele se aproximou de mim e deu um beijo em cada lado das minhas bochechas.Boa noite, priminha! minha mãe ainda me olhava estranho, mas não dizia nada. Ia ser uma longa conversa entre a gente.
Boa noite, Luka. Boa noite, mãe! quando eu subia as escadas virei para ele e disse: Luka, foi bom revê-lo!
Assim que cheguei no quarto eu estava chorando. Não gostava de brigar com ele. Taylor foi o primeiro que havia conseguido mexer de verdade comigo a ponto de está aqui aos prantos. O toque do meu celular me fez despertar, corri para atender.

TAYLOR! o nome dele piscava sem parar. Com o celular nas mãos, enxuguei as lágrimas e deitei na cama e deixei tocar mais algumas vezes. Estava um pouco ofendida com tudo aquilo.

Alô? disse com uma voz firme, porém ainda soluçava, ninguém falou do outro lado da linha só conseguia ouvia a respiração pesada dele. Alô?! Eu repetia, mas ele permanecia mudo. De repente a ligação caiu. Desligou.  Eu coloquei o celular no criado-mudo ao lado da cama, me ajeitando nos travesseiros e me encolhendo deixando as lágrimas recomeçaram a escorrer por meu rosto.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Taylor dirigia até sua residência totalmente confuso, arrasado, não sabia ao certo o que estava acontecendo. Aquilo foi mais que uma simples briga. Normalmente, quando um grita o outro, também grita em resposta e as pazes são feitas em sequência, porém agora não houve discussão. As atitudes de Elena já são esperadas sabe como ela era, mas as dele ele não compreendia.

Papai! - Beatriz pulou no pescoço dele assim que ele abriu a porta.

Oi amor! Taylor disse, com uma voz triste.

Bia agora tinha seis anos e meio, quase sete. Era uma menina esperta e faladeira gostava muito de conversar.

Ela não comeu nada! Sandra se aproximou deles.


Porque você não comeu mocinha? Obrigada Sandra por cuidar dela. Sandra era irmã de Taylor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA