25 setembro 2014

Fanfiction-Herói de Batalha:-Capitulo 8


Fanfiction-Herói de Batalha:-Capitulo 8


Capa: @jessica_keli TLM
Texto/Fic@DanniPinheiro
Nome/Sobrenome do autor: Daniela Pinheiro

Nome da Fanfiction: Herói de batalha
Personagens principais: Taylor Lautner e Isabela Felitini
GêneroRomance/ Drama
Censura 13 anos Restrições: Sexo
Status: Em andamento
Nº de capítulos: Indeterminado
 Sinopse : Encontrar um amor verdadeiro, não é fácil, más o mais difícil é aguentar as consequência e mesmo assim  não desistir dele. 

Capitulo 8= Passado

  Entrei dentro da casa dele, que parecia estranhamente arrumada.

- Pode sentar no sofá meu amor, já volto. _ falou ele saindo da sala.


 Caminhei pela sala, e fiquei examinando se não teria algo imprópio por ali, mas nada havia além de filmes de ação e jogos. Isso na verdade era meio estranho, para um homem na idade dele, a casa estaria suja, com roupas fora do lugar. Peguei o controle e liguei a televisão, e estava passando o filme que eu adorava “ Querido John”.


 - Então é romântica? _ falou Taylor rindo me entregando uma cerveja.


- Digamos que sim. Essa história é muito linda. Mesmo eles estando longe, continuam se amando, e se escrevem cartas para matar a saudade.

- Que tal trocarmos de filme em?

- Não, por favor, só mais uma horinha e acaba. _ falei abraçando ele.

- Ta bom, deixa eu pegar um lenço, por que eu sei que você vai chorar.

- Seu bobo.


 (...)


          O filme havia terminado, e já estava quase de madrugada.


- Mais um filme? _ perguntou ele todo animado.

- Claro.

- Homem de ferro, ai vai. _ falou ele me colocando uma de suas mãos em meu ombro.


  O filme estava ótimo, más mesmo assim, acabei pegando no sono.


 (...)

 Me acordei sem rumo, olhei para o meu lado, e vi Taylor deitada, ( ainda acordado ), com as mãos no pescoço, e olhando para o teto, como se pensasse em alguma coisa.


 - Não é a primeira vez que apago e me acordo em outro lugar. _ falei olhando para ele. Mas ele, parecia não me ouvir. _ Ei, Taylor. _ falei dando um soco de leve no braço dele.

 - Ãhm? O que? Ah, não é a primeira vez não.

- No que você estava pensando?

- Em nada não meu amor, você não merece ouvir os problemas. Quer dormir? _ falou ele saindo da cama e me cobrindo com um edredom.

- Ta brincando? Acabei de acordar e você me diz isso?_ falei saindo da cama e parando em sua frente.

- Quer fazer o que então em?_ falou ele me abraçando por trás, colocando suas mãos em minha cintura, e me dando um selinho em meu pescoço.

- Eu to morrendo de fome! Têm alguma comida aqui?_ falei indo em direção a cozinha e vasculhando nos vários armários que tinha.

 - Espera ai que to pedindo uma pizza. Vai querer de que sabor?

- Meia calabresa e meio queijo!


(... )


 15 minutos depois, veio as duas pizzas que ele havia encomendado. Eu demorei uns 4 
pedaços, enquanto ele mal tocou no seu pedaço de pizza.


 - O que foi amor? _ perguntei

- O que foi?

- Você não tocou na pizza.

- Eu estou meio sem fome._ falou ele com um sorriso que não me convenceu.

- Tem algo para me contar?

- Não! Que coisa, eu só não quero ainda, será que você não entende? _ falou ele jogando no chão o resto de pizza que havia em seu prato.

- Calma Taylor, eu não fiz por mal, eu só me preocupei com você, só isso.

- Por que quer tanto saber do meu passado? _ seu rosto estava vermelho de raiva.

 Fiquei com tanto medo dele, que nada respondi. Taylor pegou a chave do carro, e saiu da sua própia casa, fechando a porta com força.


 “ Ah, ele deve ter saído para esfriar a cabeça” pensei eu mesma.


 Mas as horas passavam, passavam e nada dele chegar, e eu cada vez mais com medo, com  os barulhos que aquela fazia á noite. Peguei o controle do portão que estavam no balcão da cozinha e sai da casa dele, indo direto para a minha.


 Minha irmã, que agora estava com 10 anos, abriu a porta, para mim e perguntou:

 - O que o Taylor fez?


 Minha irmã, apesar de ser pequena entendia das coisas.


 - Nada não, eu só resolvi dormir aqui.


 Eu nem morta, iria falar para ela tudo que aconteceu, ela não tinha cabeça para isso, e sem falar que com certeza iria falar o meu pai, fazendo com que ele brigasse com Taylor. Apesar do que ele havia feito comigo, eu não queria que ele sentisse a raiva do meu pai.


 Deitei na cama, passei as mãos sobre a minha cabeça, e comecei a chorar.


- Mana, por que ta chorando?_ falou minha irmã, surgindo no quarto com a sua camisola rosa.

- Um cisco caiu no meu olho. Agora vai dormir, vai? Amanhã você não tem que ir em uma das suas amigas?

- Sim.

 - Então, pode ir lá, que estou bem ok?


 Logo depois que ela saiu, eu fechei a porta, e voltei novamente para a cama me desabando a chorara, e me culpando pela raiva que Taylor estava. “Eu fui uma tola, uma tola,” repetia para mim mesma.


 De repente ouço uma batidinha na varando  do meu quarto.  Caminhei até lá, e eis que vejo Taylor, com um olhar de pobre coitado. Abro a janela, e deixo ele entrar, dou uma olhada rapidinha para baixo, e não tinha nenhuma escada, como ele havia consigo?



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA