22 setembro 2014

Fanfiction: A Viagem Cap 11 - O Jantar-Parte 2

 

~ Pov de Taylor ~

Eu não conseguia acreditar no que estava vendo. Se antes eu achava Dany linda, agora eu não tinha palavras. Ela estava simplesmente perfeita. Assim que nossos olhos se encontraram meu coração falhou uma batida. Eu estava pensando em leva-la para algum restaurante, mas eu sabia que alguma nota sairia no jornal e eu realmente não queria assustá-la, então resolvi que a levaria pro hotel, para termos mais privacidade.

Assim que chegamos até meu carro abri a porta para que ela entrasse e logo entrei no carro e dei a partida. O carro já estava em movimento e notei que ela estava nervosa, então comecei a puxar assunto pra quebrar o gelo.

_ Mas e aí, me conta como é sua vida no Brasil.


_ N-não tenho n-nada pra contar de lá. –Ela disse toda tímida.

_ Relaxa... Não precisa ficar nervosa. Eu não mordo, a não ser que você queira.

_ Hum? –Ela disse fazendo uma carinha de gatinho assustado.

_ Mas e aí o que você gosta de fazer?

_ Muitas coisas... Escrever, ouvir música, dançar...!

_ Você escreve poemas? – Disse tentando ver se ela era honesta comigo.

_ Um dia já escrevi poemas... Mas não escrevo mais. Agora escrevo histórias.

_ É escritora?

_ Quem dera. –Ela disse com um sorriso tímido. –Escrevo fan fictions.

_ Acho que já ouvi falar sobre isso...! Não são histórias escritas por fãs? Tipo... Com atores, bandas, filmes que a pessoa curte?

_ Eu achava que você não curtia internet.

_ Não curto, mas às vezes não tenho nada pra fazer, então fico dando uma olhada pra passar o tempo, mas você escreve sobre quem?

_ Tenho mesmo que responder?

_ Sim.

_ Escrevo sobre várias categorias, mas a maioria é sobre a Saga Crepúsculo.

_ Você é super fã né?

_ Sim, a história é linda, mas o meu ponto de vista é outra. Não gostei da Bella ter ficado com o Edward, acho que ela deveria ter ficado com o... –Nisso ela se calou.

_ Que foi? Continua, está interessante.

_ É estranho conversar com você sobre isso.

_ Por quê?

_ Porque sou team Jacob e... Você interpretou o próprio...!

_ Não me diga que suas histórias são sobre Jacob Black? –Eu disse já sabendo da resposta.

_ Sim. – Ela disse baixando a cabeça, com certeza ela estava envergonhada.

_ Não precisa ficar assim. –Eu disse passando a mão em seu rosto. –Qualquer dia você pode me mostrar suas histórias.

_ É... Quem sabe...!

_ Olha, eu não queria te assustar em nosso primeiro encontro, então resolvi te trazer onde moro, assim teríamos privacidade.

_ Tudo bem, eu não iria ficar a vontade se meu rosto estivesse nas revistas que eu costumo ler. –Ela disse toda sem graça.

_ Confesso... Já conheci muitas fãs... Mas você é diferente.

_ Diferente como? Só porque não pulei no seu pescoço?

_ Também, mas não sei... Tem algo em você diferente das outras... Algo que me chamou a atenção entende?

_ Sei sim... Mas e você, me conte mais de você. –Ela disse mudando de assunto.

_ Bom... Sou tímido também, sou reservado, gosto de privacidade e por ser ator não tenho muito isso. – Eu disse tirando a chave da ignição. –É melhor subirmos antes que alguém venha perturbar.

Desci do carro e fui abrir a porta pra ela, e depois de trancar o carro fomos para o elevador. Não demorou muito para que chegássemos a minha suíte. Eu tinha que dar um jeito de causar uma boa impressão, eu não poderia atacar de frente, mas também não poderia ficar parado, eu tinha que marcar presença e mostrar que eu estou na área e que não iria desistir dela tão facilmente.

Assim que chegamos a minha suíte, eu a levei até o terraço, eu queria ficar um tempo com ela, para que ela me conhecesse melhor.

_ Nossa que lindo. –Ela disse olhando a paisagem a sua frente.

_ Por isso que prefiro ficar nesse andar, a imagem é única.

_ Deve ser legal morar sozinho, trabalhar no que gosta e ter sua independência.

_ É bem legal, mas tem dia que eu queria estar com minha família, sinto muito a falta deles.

_ Eu queria ter minha independência, mas se depender da minha mãe eu me caso e moro com ela. –Ela disse rindo. –Eu queria ser independente.

_ Por quê? Não gosta da sua família?

_ É que me acostumei a ficar sempre sozinha. Eu morava com meu pai no Brasil, éramos apenas nós dois. Ele não é bem de vida como minha mãe, e sempre ficava fora trabalhando, eu ficava com a vizinha, mas por ela trabalhar em casa eu ficava mais na minha entende? A filha dela sempre estava comigo e assim eu cresci. Depois que eu cresci eu ficava em casa sozinha. Aí meu pai arrumou alguém, mas eu passava muito tempo na rua, indo à escola, fazendo cursos, dando aulas, trabalhando com computadores e por isso eu mal parava em casa.

_ Já com sua mãe não é assim.

_ Isso mesmo. O marido dela é rico, aparece no escritório quando quer, ela também, e o Henrique sempre está na casa. Enquanto as aulas na faculdade não começarem, essa é minha rotina. Eu me acostumei a ficar sozinha ou apenas na companhia da minha melhor amiga, não curto muito agitação em família.

_ Não se preocupe, sempre teremos algo pra fazer na rua. –Eu disse dando meu melhor sorriso. –Eu sei que você é menor e eu nem deveria te oferecer, mas... Me acompanha em uma taça de vinho ou quer ficar no suco?

_ Acompanho sim.

Sem perder tempo fui até meu quarto e peguei o balde com a garrafa de vinho que eu deixei no gelo quando saí e voltei pro terraço e as taças e logo a servi e nos sentamos em um sofá que eu mandei colocar no terraço para ficarmos mais a vontade.

_ Me fala mais sobre suas histórias, eu gostei.

_ Ah... Eu escrevo em cinco categorias diferentes...

_ E o que você escreve exatamente?

_ Minhas fan fics são alternativas.

_ Você realmente não gosta de conversar sobre elas não é?

_ É estranho porque a maioria são com você ou seu personagem. –Ela disse timidamente.

_ Ao invés de falar, porque você não me mostra?

_ Tudo bem... Você venceu.

Sem perder tempo dei minha taça de vinho a ela e fui pegar meu notebook e logo voltei. Ela digitou algumas coisas e um tempo depois ela me devolveu.

_ Prontinho, eu coloquei meu perfil no favoritos, assim quando você quiser ler alguma coisa é só ir no meu perfil que terá uma listagem das minhas histórias. Lá terá um tradutor, aí é só se divertir.

Logo fiz o que Dany disse e assim que vi o nome das histórias eu fui em uma em especial que eu já havia lido meio que por cima e gostado, “Desejo proibido”. Uma história bem quente entre dois vizinhos e tinha como personagens principais eu e Dani. Deu pra perceber porque a personagem tinha as mesmas características físicas.

Assim que cliquei notei que ela fechou os olhos, eu sabia que estava indo pelo lugar certo. Ao traduzir a pagina comecei a ler, já na segunda pagina a história começou a pegar fogo e assim que terminei de ler...

_ Nossa. –Disse fingindo surpresa.

_ Que foi? Tá muito ruim? Peguei pesado demais? –Ela disse nervosa.

_ Pelo contrário, está ótimo. Você escreve muito bem.

_ Obrigada. –Ela disse sem graça.

_ São bem quentes as cenas, você consegue colocar tudo nos mínimos detalhes sem ser vulgar, da pra sentir tudo o que eles sentem e... –De repente eu me toquei no que eu havia acabado de dizer, acabei de ler uma cena de sexo tórrido e que eu havia me excitado só em ler. Não sei quem ficou mais sem graça, se era eu ou Dany.

_ E-essa foi f-feita pra um concurso que eu participei. Estou começando a postar ela agora no meu site. Ela não é muito grande.

_ Então já está terminada? –Eu disse enchendo nossos copos.

_ Sim.

_ Então depois eu quero ler, gostei dela. E a personagem tem o seu nome, gostei.

_ É que a promoção exigia isso.

Eu realmente estava sem graça com a situação e fomos salvos pela campainha, eu já havia deixado tudo combinado para o nosso jantar. Logo fui atender a porta e duas pessoas entraram e arrumaram a mesa pra mim, então voltei pro terraço.

_ Apenas uma vez eu queria ter um momento especial sem alguém pra atrapalhar.

_ Você fala de um jeito...

_ É que sempre  acontece algo, dessa vez eu fiz diferente, mandei divulgar que eu estava hospedado do outro lado da cidade, mandei um sósia meu pra lá, parece que está funcionando.

_ Só você mesmo. –Ela disse sorvendo um gole do vinho. – E você ficará em Miami até quando?

_ Vou ficar um bom tempo, pois tenho muitas sessões de fotos por aqui. Sem contar alguns comerciais que meu agente está quase fechando contrato.

Assim que ouvi a porta sendo batida eu peguei em sua mão e a levei pra dentro, quando ela viu a mesa ficou muito surpresa, estava realmente linda, toda decorada com rosas vermelhas e brancas.

_ Espero que você goste.

_ Nossa! Está tudo lindo! –Ela disse com os olhos brilhando. –Obrigada.

_ Pelo que?

_ Por me convidar. É a primeira vez que alguém me chama pra jantar.

_ Que bom que estou sendo o primeiro e gostaria muito de que fosse o único também. –Eu disse sorrindo.

_ Ah com certeza será ó único. As pessoas não me chamam pra fazer essas coisas não.

Eu queria causar um impacto, então aproveitei aquele momento e lhe dei um beijo suave, e logo a puxei para se sentar, não dando tempo dela dizer nada.

~ Pov de Daniely ~

Tudo estava sendo magico pra mim, e vendo aquela mesa eu pude ter a certeza de que realmente não estava sonhando.

_ Espero que você goste. –Ele disse calmamente.

_ Nossa! Está tudo lindo! –Ela disse eufórica. –Obrigada.

_ Pelo que?

_ Por me convidar. É a primeira vez que alguém me chama pra jantar.

_ Que bom que estou sendo o primeiro e gostaria muito de que fosse o único também. –Ele disse sorrindo.

_ Ah com certeza será ó único. As pessoas não me chamam pra fazer essas coisas não.

Eu estava ansiosa, eufórica, tudo ao mesmo tempo e pra minha surpresa ele me deu um beijo suave e logo me levou para a mesa, sem me dar chance de dizer nada. Por tudo o que eu já havia passado com o sexo oposto, se isso era uma zoação, estava sendo a melhor da minha vida e isso eu jamais iria esquecer meu primeiro beijo havia sido dado por ninguém mais que Taylor Lautner.

Ele estava sendo um amor comigo, seria mesmo tudo zoação? Eu quero aproveitar cada momento, não é todo dia que jantamos com o ídolo que tanto amamos e de quebra ganhar um beijo dele.

O jantar foi tranquilo, achei que travaria, mas até que correu tudo bem. Ao fim do jantar fomos nos sentar novamente no sofá no terraço e isso estava me deixando muito nervosa depois do beijo que ele havia me dado.

Pensar em nós dois sozinhos ali me fazia tremer e nesse momento eu não conseguia encontrar assunto, ele ficava apenas me observando com intensidade.

_ O que foi? Porque está me olhando desse jeito? –Eu disse tremendo.

_ Quero me lembrar de cada detalhe seu essa noite. –Ele disse passando o dedo em meu rosto, o que me fez tremer mais ainda. –Está com frio? Você está tremendo. –Ele disse preocupado.

_ Não. É que... Você está me deixando nervosa.

_ Relaxa e aproveita o momento aqui comigo. –Ele disse afagando meus cabelos.

Ele logo se ajeito no sofá e me puxou pros seus braços e com isso meu vestido subiu, quando ele viu a sinta liga ficou doido.

_ Nossa! Se você queria me enlouquecer... Ótimo trabalho. –Ele disse com um sorriso safado nos lábios e passando o dedo pela extensão da sinta liga me fazendo gemer baixo pelas novas sensações que eu estava experimentando.

Nisso ele voltou a me beijar, mas dessa vez com voracidade, como se precisasse da minha boca para sobreviver, ele me beija com urgência, até que tivemos que sessar o beijo, pois o ar foi preciso.

Pov de Taylor
_ M-me desculpe. –Eu disse assim que terminamos o beijo. –Eu não queria te atacar dessa forma.

_ E-eu que peço desculpas. –Ela disse se ajeitando. –Eu não sou assim atirada, mas é que... Não sei o que me deu, estava bom e...

_ Você gostou?

_ G-gostei. –Ela disse toda tímida.

Nossa! Como Dany me enlouquecia em todas as formas. Eu nunca me senti assim com mulher nenhuma, mas ela realmente sabia como mexer comigo.

_ Eu não quero que você pense que eu quero aproveitar de você é que você realmente mexe comigo, não sei explicar.

_ Eu não estou pensando nada não.

Ao ouvir isso, não resisti e a beijei novamente, parecia que eu precisava dela como preciso de ar pra sobreviver. Eu estava sentindo algo intenso, eu sentia uma corrente elétrica passar pelo meu corpo, eu sentia borboletas no estomago, era uma mistura de sentimentos que eu não sabia nem explicar.

Pov de Dany

Sem perder tempo ele me ajeitou melhor no sofá me fazendo deitar e logo ele se ajeitou em cima de mim e voltou a me beijar com intensidade, eu não sabia o que fazer, apenas deixava ele me guiar, até que suas mãos foram parar em minha coxa, dando uma leve apertada, a outra acariciava um dos meus seios por cima do sutiã, até que em um único movimento ele o tira pra fora e cai de boca me fazendo estremecer inteira e não pude conter um gemido mais alto.

_ Ah... Nossa...!

_ Você é linda Dany...! Eu quero te sentir...! –Ele sussurrou.

Nisso ele desliza sua mão pra dentro da minha virilha e ao encostar os dedos em minha calcinha eu quase tive um treco, eu estava sentindo algumas coisas que estavam me deixando louca, mas ao ser tocada parece que eu havia levado um choque e com isso eu fiquei um pouco tensa, por sentir tantas coisas ao mesmo tempo.

_ Tay... E-eu... E-eu n-não...! -Eu não conseguia nem mesmo falar, eram tantas sensações novas e eu realmente estava gostando disso.

_ Ah... –Ele gemeu ao sentir como eu estava quente e molhada. – Tão quente... Tão molhada... Tão apertada... –Ele disse deslizando dois dedos pra dentro de mim.

Eu tremia sem parar com as investidas dele de vai vem, eu me contraia inteira até que não me aguentei e gemi alto, eu sentia espasmos que eu nunca havia sentido antes. Nossas respirações estavam alteradas, eu estava com o corpo todo mole, não conseguia nem me mexer no lugar.

_ Você é incrível sabia? –Ele disse deitado sobre mim.

_ M-mas eu nem fiz nada. –Eu disse ofegante e com a voz falhada.

_ Por isso mesmo. Imagine quando fizer?

_ Taylor... E-eu... N-nunca... N-nunca...! –Eu disse totalmente envergonhada.

_ Você é virgem?

_ S-sim. D-deu pra perceber que eu n-não... Não t-tenho experiência né. –Eu disse desviando o olhar.

_ Não se preocupe. –Ele disse me dando um selinho. –Eu quero que a nossa primeira vez seja especial e não em um sofá. –Ele foi distribuindo beijos por toda a extensão do meu pescoço e isso foi me arrepiando.

_ Tay...! –Eu disse em um gemido baixo. –Para com isso...!

_ O que você acha de vermos um filme? -Ele disse se afastando de mim.

_ Ok. -Eu disse aliviada, eu sentia que ainda não era o momento, mesmo sendo o grande amor da minha vida.

Logo ele se levantou e me ajudou a me levantar. Depois de nos ajeitarmos fomos para o quarto e ele ligou a Tv e colocou um filme de suspense pra assistirmos, mas antes mesmo do filme começar, lá estávamos nos beijando novamente.


Já era tarde quando o filme finalmente acabou, mas nem prestamos muita a atenção, só ficamos nos curtindo. Lá pela 1 hora da manhã, finalmente ele me levou em casa e depois de nos despedirmos com um beijo voraz ele finalmente foi embora e quando eu entrei fui direto para meu quarto, eu estava um pouco cansada. Ao chegar ao meu quarto fui direto para o banheiro, tomei uma ducha rápida, me enxuguei, vesti minha camisola e cai na cama dormindo quase de imediato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA