17 novembro 2014

Fanfiction: A Viagem – Capítulo 15: Operação “Cupido” – Parte 1





 Pov de Dany

A semana passou rápido e confesso que tudo estava sendo bem diferente do que eu imaginava. Eu virando líder de torcida, minha mãe surtando com a noticia, Henrique achando conspiração em tudo o que acontecia comigo e Gabriel pareceu se interessar por Nathaly, mas claro que Karyn não deu trégua, chega a ser divertido ver essa garota morrendo de ciúmes dos dois. Não vi Taylor essa semana, pois ele teve que viajar a trabalho, mas nos falamos sempre que dava por ligações e mensagens.



Hoje é sexta e o dia já começou chato, tivemos uma palestra pra assistirmos que ocupou quase a manhã toda. Já no refeitório preferi pegar algumas frutas para comer, estava sem fome, acho que estou passando muito tempo com a Hellen, eu mal vejo ela comer algo. Estava comendo minha maçã quando Léo aparece e se senta ao meu lado.


_ Posso saber o que você está fazendo aqui sozinha? Cadê aquelas malucas?

_ Devem estar lá na quadra, aquelas lá só sabem passar o tempo todo treinando ou falando sobre o treino, isso quando não falam de compras.

_ Como você aguenta? –Ele disse fazendo careta.

_ Esse mundo é novo pra mim... Até que é legal sabe, as outras coisas eu só finjo que escuto. Com o tempo você acaba se acostumando.

_ Só de pensar em aturar a Hellen e companhia tô fora.

_ Mas e você, o que faz aqui sem seus amigos?

_ Vim te buscar.

_ Pra que? –Eu disse sem entender.

_ Tenho que te levar a um lugar, venha. –Ele disse se levantando e me puxando junto.

_ Porque algo me diz que você está aprontando?

_ Anda logo... Não faz drama.

Logo saímos do refeitório e atravessamos toda a faculdade até chegar na biblioteca. O lugar estava com poucas pessoas, até que chegamos em uma parte mais isolada onde havia apenas um rapaz na mesa do fundo sozinho.

_ Chegamos. –Ele disse baixo.

_ E o que viemos fazer aqui exatamente?

_ Sei que você não vai gostar muito da ideia, mas é que não aguento ver meu melhor amigo sofrendo... O HD vive se isolando, não anda mais com a gente... Vai lá falar com ele.

_ Eu não tenho nada pra falar com ele. –Eu disse irritada.

_ Tem e você sabe disso. Dê uma chance a ele...

_ Chance de que? Está maluco?

_ Apenas vai lá e converse com ele.

Nisso ele saiu me deixando sozinha com Henrique. Eu estava achando bom esse afastamento, mas agora eu estava ali, sozinha com ele, e o que eu iria dizer a ele? Sem ter opção fui caminhando vagarosamente até ele, puxei a cadeira ao seu lado, ele levantou a cabeça e pude ver que ele estava bastante triste, parecia ter chorado, pois seus olhos estavam inchados.

_ Oi. –Eu disse sem graça.

_ O que você está fazendo aqui? –Ele disse seco.

_ Vim ver como você está... Você sumiu, mal te vejo em casa.

_ Já viu, agora pode ir. –Ele disse voltando a atenção para o livro.

_ Idiota! –Eu disse me levantando bruscamente. –Você é igualzinho aos caras do Brasil, ignorante! Não sei como o Léo ainda se importa com você!

_ Espere! –Ele disse segurando meu braço. – Me desculpe Dany... –Ele disse já em pé em minha frente. – Eu simplesmente não aguento mais, ver o Gabriel dando em cima de você o tempo todo, aqueles caras bombados te paparicando, isso me deixa muito mal! A Hellen está te transformando em uma de suas seguidoras.

_ Hey, eu ainda sou a mesma Dany de sempre ok, não é só porque me visto como elas que vou sair por aí fazendo as mesmas loucuras que elas.

_ Eu sei... Mas estou vendo você se afastar de mim e isso machuca demais.

_ Pelo amor de Deus Henrique, moramos na mesma casa. –Eu disse revirando os olhos.

_ Mas nem lá eu te vejo mais. Você tem os treinos... Cursos... E quando está em casa está trancada no quarto conversando com o Max Steel...

_ Max Steel...? –Eu disse sem entender.

_ Aquele atorzinho de mer...

_ Henrique!

_ Ok, foi mal...

_ Tudo bem. –Eu disse tentando me afastar dele, pois estávamos perigosamente próximos, mas minhas pernas não se moviam, eu sentia sua respiração em meu rosto.

Em um único movimento Henrique diminuiu o espaço que havia entre nós e selou nossos lábios em um beijo delicado, carinhoso. Não sei o que deu em mim para retribuir, dando passagem a sua língua que invadiu minha boca me trazendo sensações que eu não sentia nem pelo... Espera! O Taylor! Pensando nele eu me afastei assustada e saí correndo pelos corredores da biblioteca feito louca. Muitas coisas ao mesmo tempo acontecendo comigo, mas o que estou sentindo pelo Henrique é nova pra mim.

Já no lado de fora da biblioteca mandei uma mensagem para Hellen dizendo que não estava bem e que ia embora pra casa. Nem esperei pela resposta, joguei o celular dentro da bolsa e sai correndo, eu só queria sair dali. Assim que cheguei no outro quarteirão parei e fiquei apenas observando as pessoas passando por mim, a vida delas parecia ser tão simples... Ok, o que está acontecendo comigo é algo idiota, existem problemas maiores quem o meu, mas eu estava ali, parada na calçada com um conflito interno gigantesco e não tinha com quem conversar, então fui esfriar a cabeça, peguei um taxi e fui direto para a praia, eu precisava colocar meus pensamentos no lugar, me acalmar um pouco.

Não sei por quanto tempo fiquei ali olhando o mar, até que sinto uma mão em meu ombro, me virei assustada e vi Nathaly parada com um sorriso no rosto.

_ Hey, o que está fazendo aqui sozinha?

_ Ah... Oi. –Eu disse voltando a olhar para o mar. – Estou apenas pensando.

_ Você sumiu... O Henrique estava te procurando igual a um louco.

_ Tô precisando de um colinho de amiga... –Eu disse começando a chorar.

Logo ela se sentou ao meu lado e me abraçou apertado.

_ Você sabe que pode contar comigo sempre. O que houve pra você estar assim?

Sem perder tempo lhe contei sobre tudo o que estava acontecendo comigo, eu não aguentava mais ficar calada.

_ Fique calma. –Ela disse pegando em minha mão. – Vamos pra sua casa, pegue algumas coisas e diga pra sua mãe que você vai dormir em casa hoje. Vamos fazer uma festa do pijama, falar mal dos rapazes, comer porcarias... Você precisa de diversão.

_ Ai Nathaly, você não existe! –Eu disse rindo.

_ Você precisa relaxar garota! Você tem um deus grego aos seus pés. Vocês não estão juntos oficialmente, isso significa que você pode curtir a vida sem compromissos.

_ Nathaly! Ta doida? –Eu disse rindo.

_ Tô brincando amiga. Dá pra perceber que o Henrique te ama de verdade, não da pra ficar com ele e alimentar os sentimentos dele, mas veja o que o Taylor quer realmente com você, algo serio ou curtição. Aproveite cada momento ao lado dele e só no fim você ver que não vai dar em nada chega no Henrique e seja sincera com ele.

_ Mas eu não amo o Henrique... Eu acho.

_ Viu só! Nem você sabe! Vamos logo pra sua casa, temos a noite inteira pra debater sobre isso e chegar a uma conclusão.

Fomos pegar um taxi e não demorou muito para que chegássemos em casa. Tudo estava silencioso e acabei encontrando apenas Victor na cozinha assaltando a geladeira. Como minha mãe não estava pedi a ele pra ir dormir na casa de Nathaly e ele deixou, enquanto fui aprontar minha mochila com algumas roupas deixei os dois conversando. Depois de arrumar tudo me juntei a eles na cozinha e acabei devorando um bolo de chocolate antes de sair com Nathaly, eu estava vendo que o nosso fim de semana só estava começando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA