31 dezembro 2014

Fanfiction: Your Love Is My Drug - CAP 2

  Your Love Is My Drug
Escrita por: Kelly Tatto
Reescrita por: Jessica Keli.
Enfim, SEXTA!



Pra falar a verdade, eu não estava com nenhuma vontade de ir pra escola, não tinha nada de interessante por lá, exceto: Lisa. Levantei com toda preguiça do mundo, praticamente eu fui me arrastando até o banheiro.


Me olhei no espelho, eu estava horrível, coma boca inchada e ainda dolorida (espero que o soco que eu dei naquele idiota também tenha feito um grande estrago), joguei uma água no rosto, escovei os dentes e desci para tomar café, ainda com a roupa que eu uso pra dormir, todos já estavam na mesa, me sentei, peguei uma torrada e tomei um pouco de leite.



– Bom dia filhão!
– Bom dia pai.
– E aí, vai tentar falar com aquela garota que você está afim?
– Paiiê, para. - reclamei.
– Como é? O Taylor está gostando de uma menina?
– De um menino que não ia ser - Minha mãe "tentou" me defender.
– Ah sei não, ele é muito viado, não duvido.
– Eu vou te mostrar quem é viado sua pirralha, vem aqui agora. - Comecei a correr atrás dela pela casa, até que a nossa mãe interferiu.
- Ei, vocês dois, voltem para a mesa agora! Makena, respeite seu irmão e Taylor, me conta, como é essa menina?
- Fazer o que né? – Reclamou Makena, enquanto sentava para terminar o café.
- Mãe, não é nada, tá bom? – Respondi, sentando também.
Depois de tomar café, meu pai foi para o Consultório (Sim, ele era médico....Doutor Lautner), minha mãe foi lavar a louça enquanto eu arrumava a mesa e a Makena foi se arrumar para ir à escola.
Quando terminei, subi e me arrumei, eu estava bem básico, mas charmoso.
Cara, eu sou demais...Tá, parei.

[...]

Nem preciso comentar que eu quase dormi na sala de aula né? O tempo não passava e aquilo estava me deixando louco. A única aula em que eu realmente me diverti, foi na de Artes, não que eu desenhe bem (pelo contrário), mas invés de estar pensando nos maiores artistas que “expressaram seus sentimentos pintando” fiquei jogando tinta no Michael, e ele em mim.

Michael é um dos meus melhores amigos, e é o único que estuda na mesma escola que eu. Bom, acho que fica fácil adivinhar que o professor Osmar nos expulsou da sala e claro, quando a aula terminou, tivemos que limpar a sujeira, o que se tornou mais bagunça ainda.

Quando chegou a hora da saída, procurei pela Lisa, e encontrei-a guardando seus materiais no armário.

– Oi Lisa.
– Oi Taylor, tá melhor?
– Estou sim, nem tá mais doendo. – Okay, isso era mentira.
– Ah que bom - respondeu com um sorriso no rosto.
- Ei, você conseguiu achar o livro “Crescendo” em algum lugar?
- Pra falar a verdade, não. Fui em três bibliotecas, todos estão emprestados.
- Bom, não sei se te ajuda, mas serve esse aqui? – Perguntei enquanto segurava o livro.
-  Nossa Taylor, é claro que serve? – Ela realmente ficou feliz. – É seu? Quer dizer, você está me emprestando?
-  Nem, é da minha irmã, ela tem a coleção completa, quando você precisar, é só pedir. E sim, estou te emprestando.
– Ah muito obrigada, sério mesmo... Podemos dizer que você salvou o meu fim de semana.
– Ah que isso, não foi na...
– O que você tá fazendo com a minha namorada? - É, ele deixou bem claro que ela é dele.
– Eu não estou fazendo nada! Aliás, estou sim, você não percebeu que a gente tá conversando?
– Ryan, a gente não tá fazendo nada. - Ela respondeu.
– Ah verdade? Você sabia que foi ele quem me bateu?
Cara, agora que eu percebi, o olho dele estava inchado! Sim, eu sou foda.
– Você que provocou. - Retruquei.
– Ryan, o que você fez? - ela estava ficando irritada.
– Você vai acreditar nesse cara? Ele tá mentindo.
– Ah claro, afinal, quem foi que me xingou de filha da puta? E quem é que não sabe brigar? Quem é que precisa da ajuda dos amigos? Ah foi mal, mas não sou eu. - Eu tenho esse dom pra provocar as pessoas.
– Eu deveria fazer pedacinhos de você.
- Nossa, sério? Pode vir então, eu aguento, não vai ser nem um pouquinho difícil. Ah, esse seu olho roxo tá muito bonito. – Podem dizer, eu sou chato né?
Ele queria mesmo me matar, mas Lisa o segurou pelo braço e cochichou algo no ouvido dele, o que fez ele se acalmar.
– Taylor, vai embora, por favor... Sem confusões! – Lisa pediu.
– Tá, eu vou indo. Mas só porque você pediu.
Ela assentiu com a cabeça, enquanto o Ryan me fuzilava com os olhos.

[...]

Quando eu cheguei em casa, larguei a bolsa em cima do sofá, preparei um sanduíche e o devorei com uma coca bem gelada enquanto brincava com a minha cadela, Roxy. Como hoje estou de folga, peguei meu skate e lá vou eu.

Chegando no Parque, encontrei os meninos, Cameron e Zach, eles são meus outros amigos, moram no mesmo bairro que eu, porém, são de outra escola. Bom, quando os vi, pensei que eles deveriam estar doentes, pois eles estavam parados, com os skates na mão, e olhavam fixamente para um lugar... Resolvi perguntar:

– E aí gente, tudo de boa?
– Melhor impossível. - respondeu Zach.
– E por que vocês não estão andando?
– Temos coisas melhores pra fazer - Cam.
Esse era mesmo o Cameron? O que dizia que nada é melhor do que andar de skate?
– Tipo? – Perguntei.
– Ver aquelas gracinhas ali. - Zach apontou e eu olhei na direção.
Vou confessar que era duas gracinhas (gatinhas) aquelas meninas, uma um pouco mais morena, elas pareciam ter uns 15,16 anos e estavam admirando os meninos. Me senti muito forever alone ali.
– Quer saber? Vou falar com ela.
*P.O.V. CAMERON*
Aquela moreninha era demais, gostei tanto dela que quando me dei conta, já estava no meio do caminho, ela estava sem skate, cheguei com toda moral e perguntei:
– E aí gata, curte um skatista? - Ela me olhou de um jeito...
– Não muito... Mas você é exceção.
– Hum, entendi. Quer dar uma volta comigo?
– Só se você me falar seu nome. - Gostava de garota assim.
– Cameron e o seu, princesa?
– Larissa, mas não me chama assim, não curto conto de fadas.

essa menina era foda. Cheia de atitude. fomos andar um pouco... Nos conhecer melhor.

* P.O.V Zach *
Depois de um tempo em transe, olhando aquela garota, me dei conta do estado que estava a boca do Taylor.
– Taylor, o que aconteceu contigo cara?
– Me envolvi em uma briga.
– De novo?
– Sim.
-  Por quê?

[...]

Tá, ele falou pra caramba, mas eu não estava nem aí, preferia ficar admirando aquela gata.

– Taylor, foi mal, mas tenho uma coisa pra fazer!
– O que? Você pelo menos ouviu tudo que eu disse? Agora me diz, esse Ryan é ou não é um idiota?
Deixei-o no vácuo e fui.
Ela foi ficando vermelha conforme eu me aproximava, percebi a timidez assim que me sentei ao seu lado.
– Oi, tudo bem?
– Ér... Oi, sim e com você?
– Ah eu tô bem também. - Sempre fui um pouco tímido, mas hoje, não sei porquê, estava de boa. - Então, eu estava te observando e te achei muito linda...
– Ah que isso, você que é muito gato.
– Opa, eu sou um gato? Isso é um bom sinal né? - começamos a rir. Ela estava se soltando com o tempo.
– E o nome do gato, como é?
– Bom, o do gato eu não sei, mas o meu é Zach e o seu?
– Sou a Thassia.
– Que nome lindo hein?
– Ah para.
– Tá bom parei, né.. então eu acho que é melhor eu ir..    falei sem graça.
– Ah não, fica, por favor.    Sorriu ela.

[...]

* P.O.V Larissa *

Eu realmente gostei desse cara, ele era solto, um pouco atrevido, mas era bacana. Falamos sobre muitas coisas...
– Ah, mas então quer dizer que você também anda de skate?
– Sim, só que ele tá quebrado.
– E o que você veio fazer aqui no parque hoje?
– Ah, não tinha nada pra fazer em casa, então resolvi ficar aqui, vendo as manobras..
– Nossa que legal e deixa eu perguntar só uma coisa?
– pergunta...

– Você tem namorado? Ficante? Algum rolinho?
Dei uma risadinha baixa, ele enrolou tanto pra perguntar isso?
– Não, estou solteira..
– E isso quer dizer que eu tenho uma chance?
– Não sei. Pode ser. Quem sabe?
-Só diga sim ou não..    sorriu.
-Claro que você tem uma chance.

– Agora eu gostei.
Ele deu um sorriso maravilhoso. Eu queria ficar a tarde inteira com ele, mas já estava dando a hora de voltar para a casa.
– Bom, Cameron, eu já vou indo.
– Hum, não pode ficar mais?
– Não, hoje nem rola.
-  Mas ainda é cedo?
- Não para a minha mãe.
– Ah, - ele fez cara de decepcionado. -Mas então, me passa seu número?
– Ahan, anota aí 6536-9557.
- Posso te ligar hoje à noite?
- Pode, ligue sempre que quiser. – Respondi dando uma piscadinha.
– Bom, então a gente se fala.

Ele me deu um beijo no rosto, eu fui em frente, tinha que procurar a Thassia, afinal, ela estava de olho no outro garoto, não duvido nada que os dois tenham dado uma "fugidinha".

Comecei a procurar, e vi aquele moreno que estava com o Cameron.

– Ér... Oi, você viu aquela minha amiga?
Ele estava sentado, com o skate ao lado, e estava bem distraído.
– Hellooo, você viu a minha amiga?
Parece que do nada ele acordou e voltou pra vida real.
– An? Desculpa o que você disse?
Suspirei e tentei manter a calma...
– Você viu a minha amiga?
– Ah vi sim, ela foi pra aquele lado junto com o Zach.
– Ah obrigada.
Ele só balançou a cabeça.
Depois de algumas voltas na praça, a encontrei.

* P.O.V Thassia *
– Então quer dizer que você não mora aqui? - Ele perguntou.
– Não, quer dizer, eu moro agora, mas não morava antes... Dá pra entender?
– Pera, você não mora aqui?
– Ai meu Deus... - Disse aquilo rindo.
– Brincadeira, entendi sim. Então a Larissa, aquela que o Cameron gostou, é sua vizinha?
– Exatamente...Podemos dizer que foi a primeira amiga que fiz aqui.
– Bom, não sei, mas acho que já fez um amigo também.
– Ah é? Tipo quem? - Falei brincando.
– Ah, sei lá, eu.
– Gostei muito desse amigo, ele é muito engraçado, fofo, carismático... Muito Legal.
Dei um sorriso e ele retribuiu.
– Ah, já que você não tem namorado.... - Ele foi se aproximando - Eu poderia ter esse papel em sua vida não acha?
A testa dele estava encostada na minha, o perfume dele dominava o ar, quando virei um pouco meu rosto...

* P.O.V. Larissa *
Não queria fazer aquilo, mas a gente tinha que ir embora, e eles estavam rindo, ela tentava explicar alguma coisa pra ele.
Quando abri a boca para gritar, chegou uma mensagem, quando abri estava escrito:
" Oi Linda *-*
 Beijos: Cameron"

Fiquei encantada com a mensagem e mesmo distraída gritei:
– THASSIA, VAMOS EMBORA.
Quando olhei, percebi que fiz besteira. Eles estavam quase se beijando, ela só virou o rosto e me olhou com uma cara, que não foi muito legal...

* P.O.V Taylor *
Logo depois que aquela menina saiu, chegou o Cameron e alguns minutos depois o Zach.
Eles ficaram falando das garotas, eu não estava a fim de ouvir aquele papo, peguei meu skate e comecei a fazer algumas manobras, precisava me distrair... Os meninos me chamaram para ir até uma lanchonete, não recusei né? Afinal, a fome me matava.

A gente zuou e muito, e quando eu digo zuar, é no sentido de: Ketchup na camisa do Cam, mostarda no cabelo do Zach, Refrigerante nas minhas pernas, o dono falando pra gente fazer menos bagunça e tudo mais.

Foi muito divertido aquele dia, todos se deram bem no amor, o Cam ficou trocando mensagem com a Larissa, o Zach revoltado da vida porque não conseguiu beijar a Thassia, e eu, estava na mesma situação de sempre. Pois é.

Depois daquele longo dia, fui para casa descansar, nem demorou muito e eu caí no sono.

[...]

Quando chegou segunda, eu inventei uma dor de cabeça e fiquei em casa, fiquei deitado até 12:00, que era mais ou menos o horário em que eu saía do Colégio. Recebi uma ligação, quando fui ver era do Michael.
-  Alô?
– Oi Michael, por que você me ligou?
– SEU VIADO DESGRAÇADO, EU VOU TE MATAR.
– Epa, vai com calma. O que foi que eu fiz?
– Eu não sei se o Senhor “não da pra ir pra escola hoje" se lembra, mas a gente tinha que apresentar o trabalho de História.
Puta merda, eu tinha esquecido totalmente.
– Ai Michael, velho, me desculpa mesmo, eu tinha esquecido, mas como eu sei que você é uma pessoa muito inteligente, conseguiu se virar sozinho né? - Dei ênfase no "Muito".
– Ah claro, a gente tirou zero, porque eu não decorei a sua parte.
– Ah, é só um trabalho.
– Um trabalho que fez a gente ficar de recuperação. E se não conseguirmos uma nota boa, você sabe né? Seremos reprovados.
– Michael, tenho que desligar, depois a gente se fala.

Tipo, muito legal. Mal acordei e já recebo a noticia de que estou de recuperação. E agora quem iria me ajudar?

[...]

Passei na casa da Lisa, uma mulher de uns 30 e poucos anos, morena e baixinha atendeu a porta, não parecia sua mãe, deveria ser empregada.

– Posso ajudar?
– Eu posso falar com a Lisa?
– Só um momento.
Ela encostou a porta, e em menos de 2 minutos estava de volta.
– Ela já vai descer. – Abrindo a porta e com o braço esticado, ela me convidou para entrar.
Sentei-me no sofá, observei os porta- retratos, Lisa sempre foi bonita, tinha fotos dela bebê, dos seus pais, da sua irmã que morava no Brasil, enfim, muitas fotos.
– Oi Taylor.
Levantei e dei um beijo no rosto dela.
– Pra começar, seu namorado tá aqui?
Ela deu uma risadinha e respondeu:
–Não, ele não está aqui. Mas o que te traz aqui?
– Então, eu estou de recuperação em História e queria saber se... - fui cortada por ela.
– Queria saber se eu posso te ajudar?
– Isso mesmo! Pode ser?
– Claro. Quando começamos a estudar?
– An, amanhã?
– Ok, pode ser.
Nem preciso falar que eu fiquei super ansioso, né?

Tipo é óbvio que não pra estudar, mas sim pra ver ela.

Logo depois da escola, ela passou na minha casa, ouvi a companhia tocar, corri pra atender, mas não podia parecer ansioso, então, contei mentalmente:

" Um Mississipi, Dois Mississipis, Três Mississipis..."

– Filho, atende logo essa porta, é só uma garota. – Sim, ela disse muito alto, tenho certeza que Lisa a ouviu.

– Obrigado mãe - Disse sarcástico.

Abri a porta.

– Oi Lisa.

– Oi Taylor.

– Nossa você está linda!

Ela riu baixinho e disse:

– Ah obrigada.

– Nada. Tudo bem?

– Ahan... Ér, Taylor, eu posso entrar? Meus livros estão pesados.

IDIOTA.
– Ah claro, desculpe-me.

Peguei os livros dela e gesticulei para que ela entrasse.

– E então, vamos ao trabalho?

– Vamos.

[...]

Ficamos praticamente a tarde inteira juntos e isso era demais, mas vou confessar: eu fingia que não entendia as coisas, só para ela me explicar novamente.

Estávamos rindo da minha resposta, quando o seu celular tocou:

– Com licença.

– Ok, vai lá.

* Lisa No Celular *

– Oi amor... Ahan... Tá eu vou sim... Não, eu não falei com o Taylor esses dias (ela olhou para mim)... Já falei, estou na casa da Lu... Tá bom, beijos... Também te amo.

– Nossa, que legal, eu não sabia que eu era a Lu.

– É só pra evitar brigas.

– Ah tá bom então, amiga. Vamos falar sobre cabelos, unhas, maquiagens ou sobre garotos? Esse último é o meu assunto favorito!- Imitei uma voz bem fina.

– Taylor, que voz é essa?

– A da Lu. - Tentei ficar sério.

– Então Lu, devolve meu amigo Taylor?

– Ah tá bom - Voltei ao meu ser normal - Oi, voltei, a Lu falou alguma besteira?

– Ai Taylor, você não presta.

– Magoou. - Fiz cara de triste e ela riu.

– Então tá, você presta sim! Ok?! - Mas agora, vamos estudar.

- Lisa, só uma perguntinha.

- Sim, ficou com dúvida no que?

- Não, não é relacionada à matéria, é sobre... Quer dizer, o que você disse pro Ryan, aquele dia na escola, que ele se segurou pra não me bater?

- Ah, eu só disse que ele já tinha apanhado de você, e que não cairia bem o Capitão do time apanhar de novo do mesmo cara, e pior ainda, na frente de todo mundo.

- Ah entendi, bom, você falou toda a verdade.  Ri.

- To ligada, agora, se concentra nos estudos!   Deu um tapa de leve na minha cabeça.

- ai! Ta ok.. Pode deixar!

Podemos dizer que eu consegui aprender algumas coisinhas. Uns 10 minutos depois, Lisa teve que ir embora, ela ia se encontrar com o Ryan, aquele sem noção.

Pra não perder o costume, chamei o Michael, o Zach e o Cameron para jogarem Vídeo-Game comigo.

Os três estavam ocupados:

Michael: Estava estudando.

Zach: Tinha que lavar o carro do pai se quisesse passear com a Thassia.

Cameron: Trabalhar e depois se encontrar com a Larissa.

Então, como não tinha nada melhor pra fazer, fui andar de skate, no meu bairro mesmo, com meus fones de ouvido e o iPod no último volume.

* P.O.V. Lisa *

Foi bem divertido na casa do Taylor, vou confessar que quase não estudamos ali.

Aquele negócio dele ser a Lu me fez rir e muito, falando nela, estou na frente da casa dela, esperando o Ryan vir me buscar.

Pra ele não desconfiar de nada.

Ele demorou um pouco, então, comecei a trocar mensagens com a Gabi, ela é minha melhor amiga, dessas que sempre está com a gente, contamos todos os segredos uma para a outra.

“ E aí? Como foi na casa do Taylor?” – Gabi.

“Gabriela, nós estávamos estudando, apenas”

“Ah qualé? Não rolou nem um beijinho?” – Gabi.

“Eu tenho namorado, sabia?”

“-Sim, eu sei que você namora o loiro mais gato da escola, mas não podemos ignorar o fato de que você estava na casa do #MorenoSedução” – Gabi.

“Garota, eu não sou como você. Falo contigo lá na casa do Rodrigo, beijos”

“Okay! Bjs” – Gabi.

Quando menos espero, vejo o carro vermelho do Ryan na esquina, ele estacionou de um péssimo jeito e disse:

– Oi Gata, entra aê.

– Poderia ser mais sensível né?

Entrei no carro e dei um selinho nele.

 Liguei o rádio, e ficamos em silêncio no caminho inteiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA