23 janeiro 2015

Bizarre Love triangle – Cap 22


Fiquei muda alguns minutos antes de responder. Como assim? Não podia acreditar que ele estava na portaria. Levei a mão à cabeça e me levantei da cama, ainda zonza. Eu tremia. Parecia que meu coração iria sair pela boca.

-Portaria? - perguntei nervosa. - Como assim? Oi??? Hã... subir? NÃO!!!!! - gritei. Eu estava atormentada e não fiz nenhuma questão de esconder isso. Como assim ele queria subir? Ficou maluco!!! Minha respiração estava ofegante e eu sabia que ele percebia no outro lado da linha. Senti que sua respiração também parecia ofegante.

As dúvidas estavam na minha cabeça. No fundo eu sabia que não deveria ver Taylor nunca mais, mas eu também sabia que se ele subisse, eu não conseguiria me afastar. A atração que sentimos foi muito forte, ficou nítido naquela hora na varanda.

-Precisamos conversar Flávia. Me deixa subir. - Taylor pediu de maneira insistente. Eu andava pelo quarto e ainda tremia do susto. Sabia que ele ligaria ou me procuraria, só não imaginei que fosse hoje.

Ainda mais que ele estava acompanhado nessa noite. Só de lembrar a imagem dele junto da garota me deu um arrepio no corpo inteiro e uma mistura de raiva e insegurança me invadiu.

-Taylor, por favor. Não temos nada o que falar. Aquilo foi um erro, uma loucura. Você e Robert são... - comecei a falar nervosa no telefone, tentando fazê-lo mudar de ideia. Taylor me interrompeu de maneira brusca, com voz nervosa.


- Flávia. Não pode chamar aquilo de erro. Foi incrível! Você é incrível, é perfeita pra mim. Me deixa subir... Você não pode fazer isso comigo, com a gente. Eu preciso falar com você. - Taylor pedia nervosamente no celular.

Eu tremia ainda mais. Eu e Taylor, juntos e sozinhos, isso não iria prestar... Eu tinha que ser forte. Senti as lágrimas em meu rosto saindo sem permissão. Estava doendo demais mandá-lo embora.

-Vá pra casa Taylor. Descanse. Se você ainda quiser falar comigo amanhã, me liga e conversamos. Mas hoje não... - falei a ele. Naquela hora eu não poderia me deixar levar pela emoção. Eu e Taylor, juntos, seríamos muito perigosos, eu não queria me arrepender ainda mais.

Ficamos mudos durante um tempo ainda, só ouvindo nossas respirações pelo telefone. Eu não tinha mais como disfarçar as lágrimas. Não poderia negar que estava com vontade de tê-lo comigo de novo, de beijá-lo de novo. Mas não podia. Robert e ele eram amigos, aliás, muito amigos. Isso não estava certo.

E, além disso, Taylor estava comprometido com a tal Lilly. Senti uma ponta de raiva de novo ao lembrar-me dele, abraçado nela durante a festa. Foi o suficiente para minha determinação.

- Flávia, por favor... Não faça isso comigo. Eu sei que você também me quer... - ele pediu mais uma vez. Sua voz era urgente, mesmo em um quase sussurro. Meu coração estava acelerado assim como meus pensamentos. Não, eu não poderia deixá-lo subir. Infelizmente...

-Taylor... não insista. Você sabe que é melhor para nós dois. - fiquei ainda uns minutos sem falar nada, apenas escutando sua respiração tão acelerada quanto a minha e finalmente disse: - Vá embora Taylor. Será melhor assim...
Eu desliguei o telefone e já comecei a sentir as lágrimas chegando com toda intensidade. Ficar com Taylor era o que eu mais queria, o que eu mais esperava há muito tempo. Ou seria Jacob que eu queria? Tudo estava muito confuso agora. Robert, Taylor, Jacob.... O que mais aconteceria?

Taylor insistia em ligar, mas eu não atendi mais. Me abracei em minhas pernas e chorei ainda mais olhando o visor e sabendo que era ele. Taylor, o homem por quem eu suspirava desde o momento em que cheguei em Nova Iorque. E ele me queria...

As lágrimas ainda corriam. Ultimamente eu estava chorando bastante, desde que eu e Gill terminamos na verdade. Pensar em Gill me deixou ainda mais deprimida. Senti falta do jeito como ele me abraçava quando eu ficava triste com alguma coisa. Pronto! Enlouqueci!

Minha vida estava um redemoinho. E pensar que alguns dias atrás estava tudo tão perfeito, tão certinho. Como tudo isso foi chegar a esse ponto? Eu bem sabia que conhecer Robert me levaria a conhecer Taylor, mas.... Quando eu imaginaria isso?

Eu ainda chorava deitada na minha cama quando ouvi um barulho de gente se aproximando. Ouvi baterem na porta e me chamarem:

-Flavinha? Ta tudo bem? - era Luh. Nunca fiquei tão feliz em vê-la. Sentei na cama e olhei para ela. Eu devia estar um horror porque seu olhar para mim foi desolador. Ela veio até mim e me abraçou de maneira maternal.

-Calma amiga. Chora! Depois você me conta tudo, mas agora chora. – Luana sabia bem como lidar comigo. Eu precisava de colo naquele momento. E então eu chorei, chorei até adormecer em seus braços.

oOo

- Aqui ó, toma. – Luana me trouxe um chá depois que eu acordei. Já era de manhã. Percebi que ela havia dormido comigo ali em casa. Eu estava de camisola, mas ainda estava borrada. Com certeza ela deve ter trocado minha roupa porque eu não me lembro de nada.

-Mais calma agora? - ela me perguntou ajeitando uma mecha do meu cabelo, todo emaranhado, atrás da orelha. Deu um sorriso maternal e ficou esperando uma resposta minha.

-Ai amiga, deu tudo errado... - e já comecei a sentir que iria chorar de novo.

-Ô,ô,ô... Pó para! Chega desse chororô e me conta logo o que aconteceu. Robert foi ruim com você? - ela perguntou enquanto secava as minhas lágrimas com a mão. - Anda, fala. O que houve pra você ficar assim, descontrolada?

Eu tentei me preparar para poder contar tudo a ela. Respirei fundo, sabia que Luana iria surtar em algumas partes, então tinha que ter calma também.

-Robert é um amor. - comecei dizendo assim para que ela não pensasse que estava descontrolada por algum erro dele. - Ele foi maravilhoso a noite toda.

-Tá, então não tô entendendo. Você tá assim, por que? - ela se ajeitou ainda mais na cama me olhando com cara de louca. Dei um gole em meu chá para continuar a história, a parte difícil da história....

-Sabe de quem era a festa que ele me levou? - perguntei e olhei para ela que me olhava de volta como se dissesse: “Hello! Claro que não!”

- Lançamento do filme de Taylor Lautner! – eu disse dando ênfase no nome.

-Oh! - ela levou a mão na boca, se assustando. - Do lobisomem? Não acredito! Você finalmente conheceu o lobisomem? E aiiiiii????? - ela pulava eufórica na cama. Tinha um sorriso no rosto que foi embora assim que percebeu as lágrimas voltarem a meu rosto.

-Sim... eu conheci ele.... muitomais do que deveria. - eu disse abaixando a cabeça. Luana levantou o meu rosto com as mãos e ficou me olhando sem entender muito.

- Taylor foi grosso com você? Porque se foi eu.... - ela disse se levantando e eu a interrompi.

-Não! Ele me beijou! - eu gritei e ela parou me olhando assustada.

-Taylor te beijou na frente de Robert? – Luana estava confusa. Me deu até vontade de rir nessa hora.

-Claro que não! Ele me beijou na varanda, aliás nós nos beijamos. - falei pra ela, que se sentou novamente na cama, mais assustada que antes.

-Peloamordedeus! Me conta isso que eu tô ficando tonta. - ela disse levando as mãos na cabeça e se ajeitando na cama para ouvir toda história.

Contei tudo à ela, desde a parte em que nosso olhar se encontrou no meio da festa, o beijo enlouquecedor na varanda, o barraco com Kirsten no banheiro, o encontro na mesa junto com Robert, a festa, o abraço dele na saída e seu telefonema. Tudo! Luaname ouvia com atenção tendo chiliques ocasionais.

Quando eu parei, ouvi ela suspirar fundo e fiquei esperando pra ver o que ela diria.

-Que noite agitada, hein?! - ela disse rindo e fazendo piada.
Tive que rolar os olhos e rir também. Não sei como ela conseguia isso, mas era típico de minha amiga fazer piada das coisas trágicas.

-É tudo o que você tem pra me dizer? - perguntei me levantando da cama, agora mais calma e menos chorosa. - E então? O que eu faço? - definitivamente eu precisava de ajuda.

- E eu é que sei? - ela disse rindo e se sentou na cama.

- Flavinha, mesmo se eu te dissesse o que fazer, você faria do seu jeito, sempre foi assim. E pelo que eu saiba, seu jeito tem funcionado muito bem nesses 20 anos.

Fiquei olhando para ela com cara confusa e Luana riu do meu jeito. Ela sabia que eu estava esperando um conselho, uma resposta melhor que aquela.

-Descanse. Você precisa botar as ideias no lugar. E se acalme. Pra tudo tem um jeito. Eu confio em você. - ela disse saindo e me deixando sozinha. Ótimo! Pelo menos alguém confiava em mim...


Tomei um banho e não pude evitar de pensar em tudo o que aconteceu. A traição de Gill, o início com Robert, o beijo de Taylor..... Será que essa montanha russa vai parar algum dia?


Me ajeitei para o teatro pois teria espetáculo naquele dia. Ai merda! Vou ter que encarar a vaca da Amanda. Não pude esquecer que ela estaria lá no teatro. Pelo menos a ideia de deixar o espetáculo já havia saído completamente da minha cabeça. Ela até poderia ficar com Gill, mas não ia destruir minha carreira.

Estava pronta para sair quando o telefone tocou. Tive medo de atender pensando ser Taylor de novo. Olhei no visor e era Robert. Sorri aliviada.

-Olá! - disse a ele de maneira receptiva. - A que devo a honra?

-Você é muito engraçadinha. E ai? O que vamos fazer hoje?- ele disse divertido do outro lado. Pelo jeito não tinha ideia de nada e eu ia continuar mantendo tudo assim. Não tinha porque magoá-lo.

-Humm... Hoje eu tenho espetáculo, esqueceu? Aliás, você já assistiu a peça? - perguntei a ele já imaginando a resposta.

-Hã... não... - ele disse constrangido.



-Então por que você não aproveita e me assiste hoje e depois saímos para jantar em algum lugar? Vou adorar sua crítica teatral. - falei rindo e vi que Robert adorou a ideia.

- Já estou indo para o teatro. Te encontro lá. - eu disse a ele.

-Já ta saindo? Eu te levo. Passo ai em 5 minutos. - ele disse desligando o telefone sem nem dar tempo de eu falar alguma coisa. Já que estava pronta, desci até a portaria e fiquei esperando por Robert.

Em menos de cinco minutos ele chegou, estonteante como sempre, com um sorriso no rosto. Parecia muito feliz com tudo que estava acontecendo.


-Você está linda, minha Flávia, como sempre. - Robert falou e veio em minha direção dando-me um selinho de cumprimento. Pelo jeito era oficial, estávamos juntos. Retribui o beijo e percebi que ele ficou mais animado ainda, me abraçou cheirando meu pescoço, como sempre fazia. - Adoro seu perfume, ele me embriaga. - Robert disse me levando até o carro.

Sorri agradecida, entrei no carro e fomos ouvindo música no caminho. Durante a ida ao teatro Robert estava sorrindo o tempo todo, pegou minha mão diversas vezes e a beijava todo tempo. Ele me fazia bem.

Robert estacionou e veio abrir a porta para que eu descesse. Fomos juntos até a entrada dos camarins onde eu ficaria para me preparar para o espetáculo. Na hora em que chegamos em frente a porta tive o encontro mais bizarro da minha vida.

- Hum... Vejo que você é rapidinha. Rapidinha e espertinha. - ouvi Amanda dizer de maneira debochada ao lado de Gill, que nessa hora parecia muito constrangido.


Tive que respirar fundo antes de pensar em falar qualquer coisa. Robert passou o braço pelos meus ombros me apertando para perto dele e eu adorei. Passei a mão por trás dele, abraçando-lhe a cintura. 





- Conheço gente mais rápida....–falei e olhei com desdém para ela e virei em direção a Gill. - Como vai Gill? - disse olhando-lhe nos olhos.

Percebi como ele ficou sem jeito com o que eu disse e o vi se afastar mais de Amanda, o que me fez sorri sutilmente. Robert continuava abraçado a mim com olhar bastante tranquilo, mas com toda segurança que deveria ter e isso me deixou muito confortável com a situação.





-Bem. E você? - Gill respondeu com um sorriso triste nos lábios. Era a primeira vez que eu o encontrava depois de tudo o que acontecera. Respondi a ele com um aceno de cabeça.


Robert me virou de frente a ele, ignorando totalmente a presença dos dois, e me abraçou. - Te encontro aqui depois do espetáculo, ok? - ele disse e me deu um selinho carinhoso.

Olhou para o casal “ternura” que estava parado de boca aberta em nossa frente e se despediu educadamente com um aceno de cabeça.





Minha vitória não poderia ser melhor. Entrei no camarim sem nem olhá-los novamente. Percebi que Gill queria falar alguma coisa, mas logo o vi se calar quando Amanda o puxou para perto dela e deu-lhe um beijo, que a meu ver parecia muito nojento.

Ela também entrou no camarim depois de se despedir de Gill e sentou-se numa cadeira ao meu lado, olhando-me da maneira mais debochada que ela sabia fazer. Eu fui me aprontando, tentando ignorá-la.

-Viu? - finalmente ela disse conseguindo minha atenção. - Eu disse que tiraria ele de você! -Amanda provocou minha ira naquela hora. Eu não poderia perder as estribeiras com ela, não ainda. Virei o rosto em direção a ela, com uma mistura de raiva e deboche.


-Tirou mesmo Amanda? - eu parei e a olhei desafiando-a no olhar e depois continuei fazendo o que fazia. Ela ficou séria e emburrou. Ficou olhando me arrumar, mostrando-se bastante irritada com minha insinuação.

-Ele é meu agora! - disse em um tom mais alto, bastante irritada. -Você perdeu! - ela já estava descontrolada por causa do meu descaso. Ele é meu... Que Dejavú.... Dei uma risadinha baixa lembrando da cena de Kirsten no banheiro e não pude deixar de notar que elas eram muito parecidas. Só faltava ela me dizer que os patrocinadores queriam.

Terminei de me arrumar e já estava quase pronta para entrar em cena quando ouvi o celular tocar. Fui correndo atendê-lo, mais uma vez achando que seria Robert me desejando boa sorte ou algo assim.

Comecei a ter um ataque cardíaco quando li o nome no visor... Taylor.

 Notas da autora:
N/A: Oooooooiiiii???? Taylorrrr???? De novo????? Hummmmmm!!!! Pelo jeito isso ainda não terminou.... Ahhhh!!! Atende logo!!! Eu atenderia..... Vamos ver no que isso vai dar.... Beijos apertados e Abraços sufocantes. Fui!




Seu comentário pode fazer a diferença para que essa história continue. Deixe um comentário. Basta usar seu gmail.




Fique por dentro das novidades e atualizações sobre suas fanfics favoritas, siga-nos nas redes sociais do Lautner Fanfics. 

Acesse nossa página no Facebook - clique aqui

Siga nosso Twitter - clique aqui

Em caso de dúvidas, pergunte em nossa Ask - clique aqui






2 comentários:

  1. My Gold! Quero ver Quando Taylor e ela vai Ficar Junto, Aff tem uma Menina que me Odeia na Escola, e o Nome dela é Exatamente Amanda, Você Escolheu o nome Perfeito, tava Doida para que a Flavia desse um Soco na Cara dela mas Keep Calm And Carry on né.😘 😚

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Serio Nayara???? kkkkk Essa Amanda é fogo!!! Mas calma que tem muita surpresa vindo por ai.
      Que bom que vc está acompanhando. \o/ bjão

      Excluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA