21 janeiro 2015

Your Love Is My Drug - Cap 10

Your Love Is My Drug 
Escrita por: Kelly Tatto
Capa: @jessica_keli  
Reescrita por: Jessica Keli.

POV de Lary *-

         Quando Lisa se foi fui até ao Taylor muito irritada. Ele me olhou percebendo que eu queria falar. Estava na pista de skate e esperei ele parar perto de mim.

- O que?  Falou ele sério e estranhando.

- O que deu em você? Por que está agindo assim com ela ainda? Ela gosta de você.

- Não... Ela não gosta. Só sente falta de alguém correndo o tempo todo atrás dela. Ela não me disse isso, então, eu não sei de nada!


- Não Taylor! Ela está arrependida.

- Arrependida? Por favor! Até eu estaria. Se você dissesse uma coisa e eu não acreditasse e depois essas coisas chegassem a minha cara me mostrando o quanto eu estava errado, eu ficaria do mesmo jeito!

- Não vejo sentido no que você diz – Taylor resmungou.

- Não vê sentido? Todo mundo ficaria do jeito que ela está! Eu não quero mais conversar sobre isso. Lary. Desculpe-me. - Falou ele saindo com o skate.

Respirei fundo. Ele era orgulhoso demais e Lisa teria trabalho se quisesse pelo menos sua amizade de volta.

POV de Lisa *-
Respirei fundo enquanto caminhava, torcendo nos meus pensamentos que ele estaria vindo correndo de skate atrás de mim agora.

Ouvi barulho de skate e olhei esperançosa para trás, mas meus pensamentos me enganavam. Era um rapaz qualquer passando.

         Respirei fundo novamente. Sentia-me muito mal por estar assim e só me conformava antes por pensar que amava Ryan, mas agora eu tinha totalmente certeza de quem eu estava amando e mesmo não me querendo, era o único que merecia meu sofrimento.
         Isso era totalmente estranho, achar que alguém merece seu sofrimento, mas Taylor estava cada vez mais merecedor de tudo que eu vivia.
         Voltei ao trabalho de sempre na biblioteca. Eu tive que registrar vários livros de romance que estavam sendo entregados.

 “Será que ninguém mais ler um livro normal?” – Sussurrei reclamando ao ver todos os livros de romance em cima do balcão.

         Olhei para um livro empilhado junto a outros romances, tinha a capa amarelada, intitulava “Eternos apaixonados”, embaixo dele outro livro “Perdão e Amor” e ainda “Você pertence a mim”, “Romeu e Julieta” “Crepúsculo”, apenas as capas e o que transpareciam davam-me ânsia.


- Af! Não dá! Assim não dá! - Falei segurando as lágrimas jogando os livros do lado, enquanto registrava-os.

         Ouvi o barulho da porta. Era Thais. Respirei fundo. Eu teria que agir normalmente.

– Éeee.. Boa tarde! - Disse ela sorrindo.

–Boa tarde. - Sorri forçando.

- O que posso ajudar? – Perguntei

- Hãn... Eu quero esses livros aqui.- Disse ela me entregando um papel.

- Ok... Vou ver se eles estão disponíveis. - Falei olhando no computador.

- Ah! Queria entregar esses aqui também. Bom, eu não entendo muito sobre biblioteca, mas meu namorado não quer vir aqui por algum motivo idiota. - Disse ela rindo se apoiando no balcão.

Eu fiquei sem graça e ela completou.

 – Então... Aqui está a carteirinha dele. Espero que dê para outra pessoa entregar, senão ele terá problemas por que ele não quer vir aqui.

         Ao dizer isso, ela esboçou um ar de deboche, mas eu estava mal demais pra revidar qualquer coisa, pelos menos naquele dia.

- Não... Tudo bem... Eu... Você pode entregar no lugar dele. - Falei pegando a carteirinha dele nas mãos. Olhei seu nome e sua foto e respirei suavemente para que não notasse minha tensão.

 O que eu podia fazer?

- Pronto. Livros entregues - Falei resolvendo tudo pra ela.

- Nossa, muito obrigada. - Disse ela dando um sorriso maroto como se estivesse esquecido o que ouve na escola.

         Continuei trabalhando. Não via a hora de sair de lá. Fui até meu pai e ele estava mal, mas não pretendia ajudá-lo, pois ele estava pagando pelos seus erros.

Fui finalmente pra casa.

Minha mãe me viu entrar.

- Filha...?

Não respondi.

- Você esta bem?

- Não mãe. - Ela veio me abraçando.

- O que foi filha? O Ryan está te fazendo mal? Quer mudar de escola?

- Não mãe... Não, não é o Ryan. - Falei secando minhas lágrimas e ela me convidou para sentar no sofá.

- Mãe... É o Taylor... Ele não quer mais saber de mim. Ele agora tem uma namorada.

Minha mãe ficou surpresa.

- E o que isso tem haver minha filha?

- Mãe... Eu estou apaixonada pelo Taylor... Eu estou sofrendo muito!   

- Nossa. Isso é um problema. – Disse ela abraçando-me novamente.
- Mãe. Ele está com uma garota que não dá valor para si mesma, como vai dar valor a ele?
 - Sabe... Eu não disse nada porque, fiquei com medo de você fazer alguma besteira na época. - Disse ela sorrindo.

- Como assim?

- Minha filha... Estava na testa dele que ele sentia alguma coisa por você e é engraçado, por que parecia se sentir do jeito que você se sente agora. – Disse ela com um sorrido.

Lembrei do que ele disse uma vez. Exatamente da forma como eu estava pensando agora. Ele também achava que Ryan não me merecia. – Falei refletindo e parando de chorar um pouco.

- Mãe... Eu fui tão burra não é? - Falei soltando um ar de riso junto as lágrimas.

 - Não filha... Só foi lezada. É diferente. Cega. Ou...
                        
- EPA mãe! Calma, quer me ajudar desse jeito - Falei rindo e soltando-a.

- Ah, filha, se ele estava falando essas coisas que me contou, por que não mostra que ele está errado?  

         Fiquei seria e pensativa. Ela poderia ter razão, então fui tomar banho e procurei me arrumar como se fosse aqui na esquina, mas procurei me arrumar o suficiente pra não parecer que estava arrumada.

         Coloquei um short jeans. Uma blusão com uma estampa “I NY”, fiz um rabo de cavalo e coloquei uma maquiagem suave, quase natural e fui para onde eu planejava ir desde começo.

         Era a noite, umas 23h00minh, parei na frente da casa do Taylor, estudando sua casa.
         Era possível pular sua janela, olhei pra ver se não tinha ninguém em volta e fui até a arvore de perto da sua janela e subi. Fui subindo com dificuldade, mas consegui chegar até a janela quando coloquei minha primeira perna dentro do seu quarto ele olhou assustado e se levantou da cadeira da sua escrivaninha. Olhando-me serio sério e abismado, indagou:

– O que ta fazendo aqui? - Perguntou.

- Precisamos conversar.

- Eu não tenho nada pra conversar com você Lisa, pode sair por onde entrou e não pense em fazer isso de novo. Você pode se machucar.

- Eu não tenho medo de altura.

- Mas você pode criar expectativas sobre nós que vão te machucar.

Eu olhei para ele surpresa. Estudando sua frieza nas palavras que dizia.

- O que foi? - Perguntou ele.

- Você nem parece o Taylor que eu conheci.

- Sério? Aquele Taylor morreu pra você Lisa.

- Olha só “Taylor” - falei com ênfase.

- Como é?

- Olha só. Eu sei que eu errei, ta bem, mas quando eu vou receber minha condicional. Hem?!
         Ele soltou um ar de riso.

  – Eu já te perdoei Lisa, isso não quer dizer que eu quero estar com você.

- Mas, Taylor! Eu... Eu não aguento mais ficar sem você.

- Não! Você consegue sim. Você só esta aqui porque não está mais com Ryan, e quem corria atrás de você era eu.  Agora veja só. Você esta sem o Ryan, sem sua amiga e sem seu amigo. Não é mesmo? - Falou ele dando um passo atrás.
                                          
         Eu estranhei aquela ironia toda. Eu estava mal. Mas não ao ponto de ter que ouvir tudo aquilo. Ele estava me pisando demais e essa seria minha ultima tentativa.

- Taylor, você já está passando dos limites, você esta me machucando dizendo essas coisas. - Falei segurando as lagrimas.

         Ele olhou pra mim e deu seus passos em minha direção. Chegando o seu rosto perto do meu.

 – Eu sei. – Disse ele. Senti seu rosto passar perto do meu e ele se afastar.

- Taylor? - Sussurrei totalmente séria.

- Oi – Respondeu sentando-se na cama.

Fiquei na frente dele e olhando nos seus olhos, pensava em como convencê-lo a me ouvir, mas para isso, eu precisava dos argumentos certos.

 – Veja bem, eu sei que eu errei e sei que você me perdoou como você mesmo disse, então, preste atenção, porque só direi isso  uma vez.

Taylor olhou para cima, em direção ao meu rosto.

- Eu amo você. E isso eu percebi desde quando eu te beijei a primeira vez. Ok, eu errei, mas porque estava confusa, se você estivesse no meu lugar você também estaria! Eu estou aqui, na sua frente mesmo sofrendo com tudo que você me disse agora, mas estou te implorando que aceite pelo menos minha amizade.

- Lisa... Desculpa, mas eu não quero mais ser seu amigo. Eu cansei. 

- Você cansou? – Indaguei deixando uma lagrima cair. Taylor tentou dizer algo a me ver chorar, mas não pôde, pois diante do meu estado, era dar muita importância para ele me ver daquele jeito.

         Fui apressada até a janela e sem dizer uma palavra, desci da árvore que levava ao seu quarto e sai com meu coração despedaçado e perdido entre a raiva, a dor e a certeza de que havia perdido Taylor definitivamente.

- Ei Lisa, espere. – Ouvi a voz do Taylor ficando para traz.


         Fui pra casa chorando de raiva e falei para mim mesma: “Já chega! Nem Ryan, nem Taylor! Nem ninguém mais!

2 comentários:

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA