16 janeiro 2015

Your Love Is My Drug - Cap 8

 Your Love Is My Drug 
 Escrita por: Kelly Tatto
Capa: @jessica_keli  
Reescrita por: Jessica Keli.

Nossa, fazia tempo que isso não acontecia! - falei enquanto saía do beijo, recuperando o fôlego!

– Eu sei.

– Por que você fez isso? Quer dizer, do nada?

– Não sei, me deu vontade.



Fiquei quieta, parecia mais que ele tava todo carente...

O que foi? A Gabi abandonou ele?

Ai de novo essa história... Esquece isso, Lisa.

Entramos no carro.

Liguei o rádio e deixei a música tocar, estava naquele carro com o Ryan, mas o pensamento estava longe, em outra pessoa.

Quando passamos na praça de skate, procurei ele, mas só vi o Zach, o Cameron e o Michael... Onde será que ele tava?

– Lisa?

Voltei ao Planeta Terra.

– Sim?

– Ta pensando no que?

– Nada de mais.

– Hum, vamos naquela lanchonete que você gosta?

– Pode ser.

– Você ta bem?

– To.

– Sério Lisa, o que você tem?

– Só preocupada com um amigo.

– Quem? Com o filho da Puta do Taylor?

– Ryan, não fala assim dele, okay?

– Affz, ta bom Lisa.

[...]

Assim que chegamos, fui para uma mesa em um canto bem reservado, aquele lugar não era mais o mesmo, não depois de ter visto meu pai com outra.

– Hey! - Ryan chamou o garçom.

– Sim?

– Eu quero um Milk Shake de baunilha e... - Ele olhou pra mim, esperando a resposta.

– hum, pode ser um de morango.

Enquanto esperávamos, Ryan mandava mensagem de texto pra algum amigo, nem me interessei em perguntar pra quem era.

Foi então que a porta abriu e vi Taylor entrando com uma garota loira...

* POV TAYLOR *

Depois de ficarmos um tempo conversando, chamei ela para tomar um sorvete, deixei meu skate com o Zach e fui.

Ela era muito simpática, até fez eu esquecer alguns problemas, pra falar a verdade, eu tava bem melhor!

Assim que entramos, vi a Lisa com aquele idiota. Nem fiz questão de falar com ela, e foi o melhor momento pra encontrar com ela, afinal, eu tava com uma gata, isso era pra ela perceber que não preciso dela.

Quando passamos por eles, vi que ela me olhava, na mesma hora, coloquei a mão na cintura da Thais, pra provocar ciúmes nela e percebi quando ela abaixou a cabeça, provavelmente tentando não ver tudo aquilo.

– Olha quem apareceu, Lisa! Não é o seu amiguinho, o Taylor? - Ryan disse provocando.

Continuei andando, não queria arrumar briga.

– Cala boca, Ryan. - Lisa.

– O que foi? Não vai falar com ela?

Ignorei.

– Ah Taylor, qual é? Ta triste porque a Lisa não te quer?

– Ryan, para com isso agora!

– Ah é, ele é viado!

COMO É?

– Viado? Quem é viado, mesmo?

– Você.

– Ah é, claro! Como poderia me esquecer? - disse em um tom bem irônico. - Verdade, é que não sou eu que depilo o peito.

– O que você disse, desgraçado?

– Simples, disse que não sou eu que depilo o peito. - Fiz questão de gritar, queria que todos ali soubessem quem era o viado da história!

Logo fui atingido com um soco na boca, senti o gosto de sangue, fiquei um pouco tonto, mas nao ia deixar barato.

– RYAN! - Lisa logo gritou.

Dei um soco no nariz dele, acho que com a força fui capaz de quebrar o nariz dele, assim que ele colocou a mão no rosto, dei uma joelhada na barriga dele, fazendo - o curvar de tanta dor!

Thaís pedia ajuda pros garçons, mas com certeza só seria pra eu limpar meu sangue!

– PARA COM ISSO, SEU ESTÚPIDO! - Lisa gritou comigo!

– Ah, não se preocupe, nao preciso fazer mais nada! - E pra finalizar: - Não esquece de chamar a Gabi pra cuidar dele!

Vi uma lágrima escorrer no rosto da Lisa, não queria fazer isso, mas a raiva por ver ela sendo enganada e ainda defender ele, fez eu dizer aquilo com todas as minhas forças! Ela que escolheu isso.

Fui no banheiro lavar meu rosto, e assim que limpei o machucado, peguei na mão da Thaís e saí dali, não queria mais ver aqueles dois.

[...]

Deixei a Thaís em casa e passei na casa do Zach pra pegar meu skate, não demorei muito lá, só o tempo de contar a história da briga e fui direto pra casa.

Quando cheguei, ouvi muita bronca da minha mãe, coisas do tipo "Se meteu em briga de novo, Taylor?" "Quantas vezes eu já te disse pra ignorar?" "Não sei qual foi o motivo da briga, só espero que não teja sido por causa de garota" "Você ta me ouvindo?" "Daniel, preste atenção em mim"...

Sempre fui um bom filho, quer dizer, era assim que eu me considerava, mas sei que não sou motivo de orgulho quando o assunto era briga, sempre fui briguento, desde da época da pré-escola, mas fazer o que né? Não levo desaforo pra casa. Ignorandoi totalmente a minha mãe, fui pro meu quarto, será que eu fui muito grosso com a Lisa? Ah, qualé, ela mereceu, não vou ficar me culpando.

Era mais ou menos 17h, ainda tava cedo, mas adormeci....

[...]

* POV LISA *

Fala sério, o Taylor é um idiota mesmo.

Precisava fazer aquilo com o Ryan? Ficar me provocando com aquela garota? E ele tinha mesmo que falar da Gabi?

Queria mostrar que eu era forte, mas infelizmente, ele viu quando uma lágrima rolou pelo meu rosto, e aquilo foi o pior.

Cansei disso, to apaixonada, sei disso, mas não posso ficar correndo atrás dele, que agora só quer me magoar.

Uns caras lá da lanchonete levaram o Ryan pra casa, eu fui caminhando, pensando na vida, tenho que parar de frequentar aquele lugar, sempre acontece uma desgraça lá....Ou talvez, a minha vida fosse uma desgraça mesmo.

Perdi a confiança no Ryan, apesar de gostar muito dele, aquilo que o Taylor me contou me deixou um pouco mexida. Taylor, o cara que tava comigo quando precisei, que virou meu melhor amigo e depois uma paixão secreta, que me amava, mas que depois de uma briga estúpida...perdi, e não duvido nada que seja pra sempre.

Aquilo estava me deixando muito confusa, precisava de uma amiga, mas dessa vez, uma amiga de verdade!

[...]

– Mãããe!

– Oi filha!

– Ta aonde?

– Aqui na cozinha!

Fui até lá e ela preparava um jantar delicioso.

– Mãe, to precisando de conselhos.

Ela desligou o forno e sentou - se na minha frente!

– Claro filha! O que aconteceu?

[...]

Depois que eu contei tudo, ela me disse:

– Olha, quando foi comigo, você aceitou o conselho do Taylor, que foi me falar, melhor do que eu ficar dormindo com um homem que nao me amava, e eu acreditei em você.

– Eu sei mãe! Mas acontece que o Taylor gosta de mim, ou pelo menos gostava, não sei mais... - Doeu dizer aquilo - Quem garante que ele não fez tudo isso por ciúmes?

– Eu te entendo filha, mas acho que você deveria ficar mais esperta com esse Ryan, nunca confiei muito nele e outra, quando você precisou, ele nem te ligava, quem se importou foi só o Taylor, por isso, prefiro pensar que ele só quer o seu bem, por isso te contou a verdade!

– Aii mãe, tudo é tão dificil! - Falei enquanto encostava minha cabeça em seu ombro.

– Eu sei filha, mas faz o que eu te falei, fica de olho no Ryan e tenta, pelo menos tenta, conseguir a amizade dele de volta.

– Vai ser complicado.

– Sim, mas você tem que tentar.

– Ta bom mãe, vou fazer isso! - Disse depois de um logo suspiro!

No Outro Dia...

Okay, minha mãe tinha razão! Mas quer saber? Já cansei de ser boazinha, quero mais que o Taylor se foda, ele e aquela vaca!

Vou aproveitar meu namoro com o Ryan, por falar nele, ele está vindo me buscar, vamos em um restaurante, comemorar nosso 1º ano de namoro e bom, logo depois eu iria para a casa dele, os pais estavam viajando, era a nossa chance. Ryan não era mais virgem, eu ainda era, então, estava muito insegura!

– Calma, é só deixar rolar! - Lu.

Ela sempre me dizia isso, entre nós três (eu, ela e Gabi) ela era a única que não era mais virgem!

– Mas e se doer? - Perguntava Gabi.

– Meninas, é só relaxar e curitr o momento!

Fiquei pensando nisso: relaxar e curtir o momento.

Não iria estragar aquela noite.

Tomei um banho rápido e me troquei, coloquei um vestido não muito curto, um salto preto, passei rímel, lápis, delineador, e nos lábios, um gloss incolor. Queria chamar mais atenção apenas nos olhos.

Passei um perfume bem suave e desci, fiquei esperando na sala. Minha mãe tinha saído, portanto, estava sozinha.

Ouvi um carro parando em frente a minha casa, no mesmo instante recebi uma mensagem, era do Ryan!

#Amor, já cheguei.

Tranquei a casa e entrei no carro.

Ele estava muito lindo!

Com uma camisa social e calças jeans, ele fazia aquele estilo que me conquistava.

Seu cabelo loiro estava um pouco bagunçado, seu sorriso brilhava e o perfume deixava tudo ainda mais perfeito.

– Uau! Você está linda! – Disse, logo depois me dando um selinho!

– Obrigada! E você está perfeito!

Depois de um beijo demorado, enfim ele ligou o carro e saímos.

Ryan me levou em um restaurante japonês, desses que tiramos os sapatos. Ele ficou do meu lado. Enquanto comíamos, ele ficava passando a mão na minha coxa. Isso pra mim já era uma coisa normal, tínhamos nossos momentos "amassos", mas claro, nunca passamos disso! Acho legal ele ter me esperado todo esse tempo.

Quando me virei para beijá-lo, vi Zach e Thassy entrando no restaurante, como estava morrendo de saudades deles, não aguentei e levantei, Ryan obviamente veio atrás de mim.

– Thassy... Zach - chamei.

Eles acenaram e vieram até mim.

– Oi sua louca, como você está? - Thassy me abraçando.

– Estou bem e vocês?

– Ah também estamos bem! - Zach.

– Amor, quem são eles? - Ryan.

– Ryan, esse é o Zach - Zach assentiu - e essa é a Thassy.
Thassy deu um sorriso amarelo.
– Então você é o Ryan? - Zach, fechando a cara logo em seguida, com certeza aquele idiota do Taylor tinha falado merda!

– Sou sim. Por quê? De onde você me conhece? - Ryan.

Senti que o clima ia ficar tenso, e antes dele responder, falei:

– Então amor, eles estavam naquela viagem que eu fiz, lembra?

– Atah! Com aquele idiota do Taylor.

Thassy segurou o braço do Zach enquanto ele dizia:

– Lisa, foi bom te ver, mas estamos indo! - Ele me deu um beijo no rosto e se virou, dei tchau para a Thassy, que seguiu o Zach.

Ambos não falaram com o Ryan.

– Acho que eles não gostaram de mim.

– Bobagem! - Falei.

Os dois saíram do restaurante. Zach não era estressadinho, mas não ia aguentar ficar perto do cara que o melhor amigo dele tanto odeia, bom, acho que agora ele odeia também.

[...]

Quando terminamos de comer, Ryan pagou a conta e de mãos dadas fomos para o carro!

Ele pegou o caminho mais curto e em menos de 10 minutos estavamos em sua casa.

Enquando subíamos as escadas, ele me agarrou por trás e começou a beijar meus ombros nus (já que meu vestido era um tomara-que-caia), me virou e me deu um daqueles beijos de tirar o fôlego, enquanto uma de suas mãos segurava minha nunca, a outra estava na minha bunda. É, ele queria aquilo!

Quando chegamos em seu quarto, ele me jogou na cama, e se deitou por cima de mim delicadamente para não me machucar, entre um beijo e outro, sentia nossa respiração ofegante, ele começou a tirar a camisa, abriu o zíper do meu vestido que tinha nas costas e quando vi, ele já havia tirado as calças, e vi que seu membro já estava ereto, ainda em sua cueca box azul-marinho, eu estava apenas com as minhas roupas intimas, ainda estava insegura, não me sentia a vontade, foi então que eu tive certeza:

Enquanto ele beijava meu pescoço e tentava abrir o meu sutiã, comecei a me lembrar do Taylor, daquela noite na minha casa, quando ele me beijou daquele jeito, me seduzindo, passando a mão na minha coxa, se não fosse a minha mãe, com certeza teria rolado alguma coisa.

Não queria, mas meu pensamento era ele, e aquilo estava muito errado.

– Ryan, para!

Ele continuou me beijando.

– Para, por favor!

– Por que? - Perguntou, beijando minha barriga!

– Não to pronta.

– É claro que tá!

– Não! Não to! - Falei levantando da cama!

– Ah qualé, Lisa! Volta pra cá! - Ele disse, batendo no espaço vazio ao seu lado.

– Não, eu vou embora!

– O que? Como assim? E as minhas necessidades? - Ele disse olhando para baixo!

– Sinto muito, mas hoje seu amiguinho aí vai se dar mal!

– Então espera um pouco até ele aceitar que foi rejeitado que eu te levo embora.

– Não precisa! Eu chamo um taxi. - Disse, colocando meu vestido.

– Certeza? - Ele perguntou - Ainda da tempo de aproveitar.

– Sim, eu tenho certeza. Quando chegar eu te ligo.

– Ta. - Disse me dando um selinho.

Saí do quarto confusa, assim que o táxi chegou, passei o endereço da minha e comecei a pensar no que tinha acabdo de acontecer!
Mas não hoje, só quero deitar na minha cama e dormir, me desconectar desse mundo onde estou indecisa entre dois homens...

[...]

Como o sono não vinha, peguei meu iPod e coloquei as músicas no aleatorio e por incrível que pareça, começou a tocar a música Es Un Drama e vei, a tradução descreve a minha situação neste exato momento.

Depois de tantas musicas...Caí no sono.


[...]


Quando eu levantei, estava disposta a fazer daquele dia ser um dos melhores, chega de sofrer...

Eu vou falar com o Taylor, amo ele, mas também amo o Ryan... O que fazer?

Primeiramente, vou tentar recuperar a minha amizade com o Taylor, ele faz falta...

Tomei um banho bem quente, coloquei uma roupa simples, alguns colares e pulseiras e saí.

No caminho, parei no starbucks e comprei um café e fui tomando.

Assim que cheguei, falei com a Gabi, perguntei se ela tinha visto o Ryan e ela disse que não. Então, esse era o momento de falar com o Taylor. Procurei ele pelo colégio inteiro e não encontrei, bateu o sinal e eu tive qu ir pra sala.

Demorava um ano pra passar um minuto, e eu não aguentava mais aquela aula de geografia.. Então, resolvi mandar uma mensagem.

#Oi Taylor, sei que você não está querendo nada comigo, mas precisamos conversar!

Tinha esperanças dele responder... Alguns segundos depois, apareceu o aviso de que a mensagem foi entregue, agora era só esperar pra ver.

Enquanto guardava as coisas no meu armário, vi o Michael, no mesmo instante:

– Hey, Michael. - Chamei.

– Oi Lisa, como você ta? - Disse enquanto me cumprimentava com um beijo na bochecha.

– To bem e você?

– Bem.

– É, então Michael, você viu o Taylor?

– Olha, ele tava saindo. Mas acho que não é uma boa idéia você ir falar com ele.

– Sei que ele ta com raiva de mim, mas tenho que resolver isso e obrigada! - Disse rapidamente enquanto beijava seu rosto.

Corri em direção a saída, e percebi que o Taylor estava falando com aquela vaca loira.

– Taylor? Eu posso falar com você?

Ele se virou.

– O que você quer? Não ta vendo que eu to falando com a minha namorada?

Olhei pra ela de cima a baixo.

– É, caso você não percebeu, nós já estavamos conversando. - Ela se intrometeu,

– Olha aqui, to pouco me fudendo pro que vocês estavam fazendo antes de eu chegar.

– Toma cuidado com o jeito que você fala com ela! - Taylor defendeu.

– Tanto faz... Mas podemos conversar?

Ele se virou pra vadia, deu um selinho nela e disse:

– Já volto.

Esperei ela se afastar um pouco e disse:

– Olha, ta tudo muito errado.

– Sério? Pra mim ta tudo ótimo.

– Taylor, a gente brigou por um motivo idiota.

– Idiota? Eu simplesmente fiz meu papel de "melhor amigo", mas você preferiu acreditar nele.

– Sei que eu errei, mas... - Fui cortada por ele.

– Mas nada, Lisa. Se você tivesse vergonha na cara, você teria pedido um tempo pra ele, pra ver quem estava mentindo.

– Taylor, foi errado, eu sei disso, mas você sabe que eu amo o Ryan, e bem, eu ainda te considero meu melhor amigo.

– Esse é o seu problema, você ama o cara errado e não confia no seu melhor amigo.

Abaixei o rosto, sentindo muita vergonha.

– Me desculpa?

Silêncio. Ele me encarava.

– Me desculpa? - Repeti.

Por fim ele disse:

– Lisa, entenda, um pedido de desculpas não muda nada, você sabe o quanto eu gosto de você.... ou gostava...Nem sei mais, - doeu ouvir aquilo - mas enquanto você estiver com ele, nem me procura mais ok?

E assim, ele se virou e foi embora, senti uma lágrima escorrendo em minha face.

[...]

Sabe, já era dificil perder um amigo, e o pior é quando ele não é só o seu amigo.

Fui pra biblioteca, cumprir meu serviço e lá fiquei lendo, lembrando de mim me escondendo do Taylor...

Ai que porra, tudo me lembra ele!

Bom, não posso fazer mais nada, ele não quer mais nada comigo, ele que aproveite com aquela vaca.

Enquanto não aparecia ninguém por lá, fiquei trocando mensagem com a Lu.

[...]


Antes de ir direto pra casa, passei em uma sorveteria e lá, encontrei a Lary:

– Oi Lary!

– Lisa...Quanto tempo!

– Verdade né? Posso me sentar aqui com você?

– Claro nega, senta ai. - Ela me olhou por um tempo e perguntou: Você ta bem?

– To sim e você?

– Eu to bem, mas Lisa, o que você tem? Sério.

– Nada ué.

– Quem nada é peixe...Desembucha.

Quando vi, já estava contando todos os meus problemas.

– Você quer que eu fale com ele? - Lary.

– Não, deixa quieto, já tem muita gente envolvida nisso.

– Lisa, mas você já parou pra pensar no que ele disse?

–Como assim?

– Sabe, acho que você deveria tomar cuidado com o Ryan... Porque pelo o que eu conheço do Taylor, ele não iria falar isso se fosse mentira.

Todos me dizendo isso!

– Sabe, pode até ser, mas eu amo ele.

– E ama o Taylor também.

– Isso que complica tudo.

– Não, não é isso que complica, pensa: Você ama o Taylor, ele te ama... - cortei ela.

–Não, ele não ama mais.

– .. Ele te ama e ainda é o cara que você confia, que esteve com você sempre que você precisou... Ta entendendo o que eu to falando? - Ignorando totalmente o que eu disse.

– To.

– Lisa, tem mais alguma coisa pra me contar?

É, ela percebeu.

Contei do incidente da noite anterior.

– Como é que é? Você tava quase transando com o Ryan mas estava pensando no Taylor?

– Fala baixo por favor?

– Okay, desculpe.

– E então, o que você tem a dizer?

– O mesmo de antes, larga logo o idiota do Rayn e pega o Taylor.

– Mas ele ta com essa vadia..

– E daí? Ele gosta de você desde sempre e tá com essa vaca desde...

– 1 mês?

– Lisa, para de ser idiota, 1 mês atrás ele tava quase beijando seus pés, deve ta com essa garota há uma semana...no maximo.

Abaixei a cabeça, pensando no que dizer.

– Olha, vai por mim!

– Ta.

– To falando sério.

– Eu sei, Lary. Hoje eu resolvo tudo isso.

– Okay! Bom meu amor, tenho que ir agora! Cameron já ta me ligando!

– Okay, vai lá e manda um beijão pra ele!

– Pode deixar! Ainda vamos sair todos juntos...Você e Taylor, Thassy e Zach, Michael e Mônica e Eu e o Cameron.

– Mas já fizemos isso.

– Sim, e foi a melhor viagem da minha vida e na próxima vai ser ainda melhor...Vamos sair em casais!

– Quem dera! - Desanimei um pouco.

– Para com isso menina! Se Anima! - O celular dela apitou mais uma vez. - Bom, agora eu vou...Beijos e se cuida...Pensa direitinho!

– Pode deixar.

Olhei no meu celular e era exatamente 17:00, terminei meu milk shake e fui pra casa do Ryan, não tinha visto ele o dia inteiro e eu precisava conversar com ele sobre muita coisa.

[...]

Quando cheguei, vi o carro dele lá na frente, então, quando ia tocar a campainha, lembrei que ela tava quebrada, ia bater na porta mas vi que esta estava só encostada.

Então entrei, fui na cozinha e nada, na sala, nada...

Bom, só poderia estar no quarto.

Subi as escadas e quando abri a porta, mal pude acreditar no que eu estava vendo!

Um comentário:

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA