10 fevereiro 2015

Fanfiction: Quem são esses garotos? – Capítulo 2


POV Ian

         Após passarmos uma tarde bem agradável, estava indo em direção a minha casa quando decido mandar uma mensagem para Eduarda.

Mensagem ON

Eu: Duda, eu estava pensando em como te chamar para sair, sem parecer que eu tenho segundas intenções. Gostaria que você aceitasse, pois estou apaixonado por você.

Duda: Nossa! Serio? '-'

Eu: Serio mesmo. Mas e aí? Topa sair comigo?

Duda: CLARO!

Mensagem OFF

Fico alguns minutos olhando a sua resposta e sorrio. Nunca pensei que fosse tão fácil. Agora era só eu ligar para o Taylor e confirmar que a nossa aposta estava de pé.


POV Taylor Lautner

     Já estava a caminho de casa quando ouço o meu telefone tocar. Após deixar Anna no hotel em que ela e as meninas estavam hospedadas, sigo em direção ao apartamento que divido com Ian e Paul. Precisávamos conversar o mais rápido possível.

    Por fim, atendo Ian e espero que ele tenha boas notícias.

_Fala, Ian!

  _A aposta está de pé, certo? – Apesar de sermos amigos a séculos, nunca tinha visto ele tão alegre.

  _Claro! São apenas dois dias.

  _Como? Serio? – Ele dá uma longa risada como se aquilo tudo fosse um caso novo.

 _Estou indo para casa. Lá podemos conversar mais tranquilamente.

  _Então, me espera na portaria, por que estou chegando! Tchau.

     Desligo o telefone e sigo para casa. Essa seria a nossa conversa mais interessante.

         Chego à portaria do hotel e espero Ian chegar. Sentado em uma dessas cadeiras velhas e antigas, penso em como ganhar essa aposta. Ela estaria no papo se tudo desse certo. Eu seria o vitorioso dessa vez.
         Após 5 minutos de espera, Ian aparece na portaria com um sorriso enorme no rosto. Aqueles olhos azuis estavam prestes a aprontar. Subimos de elevador até o andar do nosso apartamento, quando Ian abre a porta e nós nos deparamos com uma cena lastimável: Paul e Maria nus na sala.

        _O que é isso? – Ian arregala os seus olhos sem acreditar no que estava vendo.

          _Não é nada disso que você esta pensando! – Por mais que tentassem explicar o que estava acontecendo, Paul e Maria nunca encontrariam palavras o suficiente para se explicarem.

         _COMO NÃO? VOCÊS ESTÃO TRANSANDO NO NOSSO SOFÁ! – Eu entro e fecho a porta atrás de mim. Ian está vermelho de raiva e posso acreditar que ele irá matar Paul assim que puder. Maria tenta se esconder atrás de duas almofadas, mas faz um péssimo trabalho. – Onde estão as roupas de vocês? – Ian tenta se manter calmo, mas sei que isso é apenas fachada para não assustar Maria ainda mais. – ONDE ESTÁ A ROUPA DE VOCÊS? – Paul simplesmente balança a cabeça em direção à cozinha e já sabemos a resposta. -QUE PORRA CARA! TRATEM DE TACAR FOGO NAQUELA MERDA DE MESA POR QUE LÁ EU NÃO COMO MAIS! - Ian diz quase explodindo.

            Apesar de estar me divertindo com a cena, tento me manter sério. Isso ainda iria dar muito problema até o final do dia.

_Fique calmo Ian! Deixe os dois em paz. Até parece que você nunca fez isso! - Digo olhando para Ian que estava pensativo.  Todos riram.  Menos o próprio Ian que não via a menor graça.

ALGUMAS HORAS DEPOIS

            Após dispensarmos Maria, da maneira mais vergonhosa possível, decido ficar longe da cozinha e da sala por alguns dias. O local estava inabitado.  Ian ainda estava com raiva, mas isso não o impede de entrar no meu quarto enquanto mando uma mensagem para Anna convidando-a para sair comigo hoje à noite. Ela aceita e decidimos ir até uma soverteria. Precisava pensar em uma tática infalível. Então, começo a me arrumar para pega-la ás 19h30min. Entretido com os meus pensamentos, não percebo o quanto Ian me chamava desesperadamente.

          _Terra chamando, Taylor! Me ajuda, cara! Que roupa eu escolho? A preta ou a cinza? –Ian me olha como se eu tivesse cara de consultor de moda. Decido por qualquer uma.

   _A cinza. Que desespero é esse homem?

      _Cala a boca! – Diz ele grosseiramente enquanto saí do meu quarto e bate a porta. Aí tinha coisa, e precisava descobrir.

         Terminei de me arrumar e me despedi de Ian. Paul estava trancado em seu quarto desde a hora em que Maria foi embora. Prefiro não incomodá-lo e passo direto pela porta do seu quarto. Quando voltasse, talvez, as coisas estivessem melhores. Pego a chave do meu carro, saio do hotel e vou direto para a casa de Anna.

           No dia em que fomos ao parque, ela me contou que estava passando alguns dias com uma tia. O endereço não me era familiar, mas tinha certeza que seria fácil encontrá-lo. Os bairros em Las Vegas nunca eram os mesmo.

         Ao chegar à rua indicada, percebo que não se trata de um bairro de classe baixa, mas sim de um bairro em que os moradores tinham condições financeiras boas. Aperto a campainha da casa, e Anna é quem abre a porta. Ela estava extremamente linda.

        _Oi! - Digo sorrindo. Era impossível não notar a beleza singular e Anna. Ela não era alta ou baixa, uma estatura mediana e na medida certa pra mim. Seus longos cabelos negros estavam em uma trança de lado e ela usava uma blusa preta com bordados e um short jeans. Usava uma sandália cheia de pedras e seu perfume era suava. Uma beleza rara. - Você está linda! -Digo abrindo a porta do carro para Anna.

         _Ah... Obrigada. – Ela sorri encabulada e vejo o quanto o seu sorriso era lindo.

_Não, é sério! Você está muito linda, muito linda mesmo. - Digo tentando parecer o mais natural possível, mas por dentro estou pensado malicia.

_Muito obrigada! - Ela fala ficando cada vez mais corada.

         Antes de pensarmos em ir á pizzaria, fomos à sorveteria. Divertimos-nos e nos conhecemos mais um pouco. Após algumas horas, decidimos ir até minha casa para ela conhecer. Durante o caminho, fomos conversando e mantendo um papo agradável. Entrei com o carro na garagem, estacionei-o na minha vaga e subimos para o meu apartamento.

         Garanti de que ninguém estivesse em casa quando chegássemos. Ian certamente estaria com Eduarda e Paul... Esse seria um pouco mais complicado saber. Entramos no apartamento e orei para que ninguém voltasse cedo. Anna estava um pouco nervosa por estar ali, mas garanti a mim mesmo que tudo daria certo e que essa aposta seria minha.

          Permiti que ela andasse pela sala e visse o que quisesse. Levei-a para conhecer os outros cômodos e em certos momentos, ficávamos nos olhando. Após alguns minutos -que pareciam horas –ela já tinha olhado todos os cômodos e decidi avançar. Estávamos na sala quando dei o primeiro paço ao meu desejo.

         Fui chegando cada vez mais perto dela. Podia sentir a nossa respiração ficar ofegante na medida em que diminuía a distância entre nós. Passei os meus braços por sua cintura e ela me enlaçou pelo pescoço. Passei os meus lábios no seu rosto e pescoço, ela jogou a cabeça pra trás e pude ver quanto ela me queria.

         Beijamos-nos intensamente e fui descendo minha mão pelas suas costas até encontrar o final da blusa.  Deixei que a minha mão percorresse a sua pele lisa e descobri o quanto era bom tocar a sua pele. Era macia e ela estava arrepiada com a minha inesperada invasão.

         Isso me fez sentir como se tudo fosse dar certo naquele momento. Eu parei de beijá-la e a olhei nos olhos. Ela estava indecisa e cheia de perguntas, mas aquele não seria o momento para resposta ou perguntas. Em um ato desesperado, tirei sua blusa.

         Com os cabelos em frete os olhos, podia ver o quanto ela me queria. Apesar de todas as duvidas. Ela fez o mesmo com a minha blusa. Ela volta a passar os braços pelo meu pescoço e continuamos a nos beijar. Parávamos apenas para respirar.

          Eu continuei a acariciá-la e cada vez mais sem decência trazia as minhas mãos para abrindo os botões do seu short.Ela me acariciava e arranhava as minhas costas. Admito que é uma dor excitante. Ela não me impede de tentar avançar.

         Ela tira seu short e se senta em meu colo. Se ela tinha dúvidas sobre o que estávamos fazendo, não demonstrava. Fiquei arrepiado com o seu ato de sensualidade e tirei meu short. Enquanto, ela me beijava, eu tirei seu sutiã e comecei a acariciar seus seios. Ela arquejava com os meus movimentos e me deixava cada vez mais excitado.

         Cansado de tanta demora, tirei sua calcinha e tirei rapidamente minha cueca box. Comecei a beijar sua barriga até descer para o seu órgão. Ela ria por sentir cócegas, e eu ria por saber que essa aposta seria minha. Chego ao meu ponto desejado e ela estremece.

         Ela gemia e se contorcia com os meus movimentos leves. Subo até a sua e a beijo com desejo. Coloco minha mão em sua bunda e a puxei para meu colo. Eu a acaricio e desejo que ela esteja pronta pra me receber. Continuo a beijá-la e por fim, enterro todo o meu membro em seu corpo.

         Ela começa a gemer, e descubro que adoro ouvi-la gemer. Eu a beijo com intensidade.  A carrego para o meu quarto e começamos tudo novamente. Essa aposta já estava no papo. Anna havia sido minha.

POV Eduarda

         Após passearmos e trocarmos confidências, eu e o Ian estávamos conversando sobre futilidades. Ela era legal e lindo, mas sempre que ele tentava se aproximar de mim, eu me afastava. Não queria nada com ele ainda.
         Eu sabia o que ele queria. Não queria ser mais uma de sua imensa lista.  Apesar de tudo, ele era um estranho para mim. Estávamos em uma cafeteria quando decido pedir nossas bebidas. Ian faz sinal para o meu lado mostrando que ia atender ao telefone. Curiosa, fui atrás. Ele para perto da entrada de um beco e eu fico do outro lado da parede

     _Fala ai Taylão! – Ian coloca o telefone no viva voz e certamente não se preocupa se alguém ira escutar.

_Cara, já ganhei a aposta. – Reconheço imediatamente essa voz como sendo de Taylor. Mas de que aposta eles estão falando?

     _Como assim você ganhou a aposta? – Ian parecia extremamente desconfortável com isso.

  _Acabamos de transar em nosso apartamento.

     _Mas que porra! Eu ia agora. Não é justo você ter ganhado a aposta. –Ian está de costas e não percebe que estou na porta do beco. Estava com raiva e indignada. E queria respostas.


      _Ian! Que aposta é essa?

Para acessar a lista de capítulos  CLIQUE AQUI

GOSTOU?  DEIXE SEU COMENTÁRIO!
Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho dos outros deixando um comentário.


3 comentários:

  1. que sacanagem deles fazer uma aposta pra ver quem transa primeiro continua logo estou super curiosa

    ResponderExcluir
  2. Que pilantragem a deles em ?!! Mas estou sem entender qual o casal principal, continua!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA