27 março 2015

Fanfiction: Bizarre Love triangle - Capítulo 30


Já passavam das duas da tarde quando acordei de um sono tumultuado. Por incrível que parecesse, eu me sentia mais cansada que antes de deitar. Foram muitas emoções em uma noite só.

A conversa com Robert ainda martelava em minha cabeça. Apesar de sentir muita raiva pelo que ele havia feito, não podia negar que o jeito de “cachorro que caiu da mudança” como ele veio até mim se desculpar, tinha mexido comigo. E ainda tinha toda a defesa feita por Taylor.


Mesmo assim eu estava confusa, sem saber como reagir. Tinha que pensar. Se contasse para Luana era capaz dela ir atrás da Kirsten e enchê-la de tabefes. Eu tinha que decidir por mim mesma dessa vez.

Me levantei ainda um pouco tonta e fui até a cozinha tentar tomar algo que me despertasse. Dali há algumas horas eu teria que representar e precisava melhorar, pelo menos, a minha cara.

Enquanto colocava o café para fazer na cafeteira, percebi um certo burburinho vindo da rua. Era uma agitação mais que o normal, buzinas, gente falando e gritando, o barulho já estava me incomodando.

Enchi minha xícara de café forte e liguei pelo interfone para John, procurando saber o que estava acontecendo. Não ia chegar até a varanda de camisola, vai que um paparazzo estivesse a espreita...

-Alô? Bom dia John. Eu queria sab...- não consegui terminar a frase. John falava nervoso do outro lado da linha.

-Graças a Deus Srta. Flávia! O que eu faço? - ele me perguntou e, pra variar, minha cara de tacho se formou em minha face. O homem enlouqueceu ou o que?

-Calma John. Como assim? O que houve? - eu perguntei a ele rindo, não sabia o que ele queria dizer com tudo aquilo.

-Ora Srta. Flávia, o que eu faço com os fotógrafos que insistem em subir e falar com a senhora? - ele disse e eu gelei dos pés a cabeça. Como assim comigo?

Nem me dei ao trabalho de perguntar ao John o porquê disso tudo. Seria patético. Mas qual seria o motivo? O que será que eles especulavam dessa vez?

Fiquei tentada a ir até a varanda pra adivinhar, mas não tive coragem. O que será que eles queriam? Será que era sobre a minha festa de ontem? Mas eu já tinha feito festas antes e nem por isso ele me incomodaram...

Será que era por causa de Gill e Amanda? “Ah!”, pensei na hora. “Eles que se ralem por Gill. Não to nem ai.”

Abri um pedacinho da cortina e olhei para baixo. A rua estava todinha repleta deles. As buzinas e a gritaria eram por bloquearem a avenida, impedindo o fluxo de carros.

Ouvi um barulho vindo da porta e me virei. Luanaentrou sala a dentro com o jornal na mão. A cara dela era péssima. Jogou o jornal na mesinha de centro com raiva e se posicionou na minha frente. Ainda estava de camisola e roupão, então, imaginei que estivesse vindo da casa de Tomaz e não da portaria.

-Quando você ia contar pra mim? Eu vou matar aquela lambisgóia. - ela disse com as mãos na cintura, demonstrando incrível raiva.

-Do que você ta falando? Por que todo mundo acordou hoje achando que eu sei todas as respostas? - eu falei a ela enchendo novamente minha xícara com café. Pelo jeito eu iria precisar de muita cafeína hoje para entender o que estava acontecendo.

-         Flavinha.... Não precisa ficar assim comigo. Só porque eu sou um pouco esquentadinha, não quer dizer que... - ela falava e gesticulava sem parar, já estava me dando nos nervos.

-Contar o que criatura? Ficou louca? Eu não sei o que está acontecendo... - eu disse a ela me sentando e pegando o jornal que ela trazia. Meu corpo tremeu inteiro de raiva quando li a notícia estampada nele e vi minha privacidade invadida mais uma vez. Eu ia matar aquela garota.

“Disputa de “Bellas” esquenta os bastidores do showbiss”“Twilight – A Saga”, seja nos cinemas ou nos palcos da Broadway, está oferecendo muito mais ultimamente. Nas vésperas do lançamento do quarto filme da saga, não somente Edward e Jacob disputam seu amor pela heroína. A disputa entre as atrizes que representam a mocinha da saga no teatro, faz toda a trama ficar mais envolvente e, por que não dizer, melodramática. Robert Pattinson, que no cinema interpreta o vampiro “Edward”, está sendo disputado entre as “Bellas” da ficção e da realidade.As atrizes Kristen Stewart, suposto ex-amor do jovem ator, e Flávia Sánchez,atual relacionamento, foram vistas ontem, na saída da recém inaugurada boate LEXUS, em uma situação bastante desagradável. As duas disputavam a atenção de Robert! A situação só não piorou porque um carro apareceu, tirando Flávia do local. Quem será esse príncipe misterioso? E com quem Pattinson ficará?
(matéria totalmente fictícia)



Inacreditável como esses caras da imprensa são rápidos. Nem bem tinha acontecido isso, eles já colocaram nos jornais. Só fico feliz deles não terem visto quem era o tal misterioso. Ia dar mais pano pra manga...

-Ah... - eu disse sem emoção nenhuma na voz. - Isso. Não to nem ai... - eu falei jogando o jornal de volta na mesa e bebendo um gole de café.

-Então não é verdade? –Luana perguntou, sentando-se ao meu lado. Ela me olhava curiosa, mas ao mesmo tempo já estava menos agitada e visivelmente mais calma.

-Bom, em partes sim... - eu disse tentando explicar. Ela me olhou com as sobrancelhas erguidas como quem diz “Qual parte?” e esperou minha explicação cruzando os braços em frente ao peito.

Revirei os olhos e me ajeitei no sofá, mesmo sem vontade de falar sobre isso, me preparando para contar à ela tudo que havia acontecido.

-Quando sai da boate, dei de cara com um grupo de pessoas bebendo na varanda e Rob estava junto, com.... Ela. –Luana me olhou de olhos arregalados; já dava para ver a veia do pescoço saltando de raiva quando falei da parte sobre Kirsten tem me chamado de a “amiguinha brasileira”.

-E você não fez nada? - ela quis saber, indignada.

-E o que você queria que eu fizesse? Um barraco? Francamente.... - melevantei e coloquei a caneca na pia, indo em direção ao quarto me arrumar. Ela aliviou o rosto concordando comigo que barraco, definitivamente, não era a melhor coisa a ser feita. Me seguiu até o quarto, ainda curiosa.

-E esse “príncipe”? Era Taylor, não era?- ela me olhou matreira. Luana agora já desconfiava que eu tivesse me excedido e feito uma grande besteira.

Joguei umas roupas em cima da cama, escolhendo o que usar, e olhei para ela com um leve sorriso nos lábios. Ela se sentou com cara de assustada, me cobrando “Não vai me dizer que...”

-Era ele sim, Luh. Mas não aconteceu nada do que você está pensando. - tive que rir de sua cara de alívio quando disse isso. Contei à ela toda minha conversa com Taylor e de como tinha ficado impressionada com sua maturidade e amizade por Robert. Ela me olhava mais uma vez com o olhar dizendo “Eu te falei...”.

-Pois é, eu sei.... E quando vi Robert me esperando aqui, eu... - ela se levantou e esticou a mão em minha direção.

-Péra só um pouquinho.... Ele veio aqui? Que cara de pau! - dessa vez não contive a gargalhada. Minha amiga era realmente passional.

-Veio sim Luh, e nós conversamos. Mas eu o mandei embora. Na verdade eu queria ouvir o que ele tinha para me dizer. Ele não negou, sabe? E isso me aliviou um pouco. - ela me olhou confusa.

-Ta... e agora? - cruzou os braços na frente do peito e esperou minha fala. Eu olhei para ela sem saber o que dizer. E era verdade, eu não sabia.

Minha primeira ideia era acabar o romance. Seria um bom meio de resolver tudo com Taylor também. Mas minha conversa com ele, e o jeito que Rob ficou desolado com meu flagra, me levavam a repensar. Afinal, todo mundo merece uma segunda chance.

-Ah, dá um tempo Flávia! - ela disse irritada. - Quando aconteceu com Gill você foi terrivelmente enfática e nem deixou ele se explicar. E agora vem com esse papinho de segunda chance? Fala sério! - eu sabia o quanto ela gostava de Gill e de que,assim como minha mãe, ela ainda queria que a gente ficasse junto de novo.

-Mas é diferente Luh. Gill até poderia ter bebido e surtado. Ele estava enciumado. Acho até mesmo que eu o perdoaria por isso. Mas ele foi se consolar justamente com Amanda. - o nome dela me causava arrepios.

-Mas te confesso que uma parte da conversa com Taylor me deixou preocupada...–continuei falando e ela me olhou confusa, como quem pergunta "como assim?" - Parecia que ele estava tentando me contar algo que não podia ser dito, sei lá...

Minha explicação não convenceu a muito, mas Luana não quis insistir. Eu também já estava ficando atrasada para o teatro e tinha que me arrumar.

-E esse mundaréu de gente lá na porta? O que a gente faz? - ela quis saber sobre os paparazzi. Olhei para ela rindo.

-Resolve você ué. Não vive dizendo que é minha administradora? - tive que rir da cara que ela fez.

-Se fosse sua administradora você não estaria nessa situação.... – Luana disse fazendo careta.Ela saiu dizendo que ia até o saguão resolver tudo. Se virou e disse “boa sorte”, já que sabia que eu teria que decidir isso tudo o mais rápido possível. Terminei de me vestir e resolvi ligar meu celular, antes de colocá-lo na bolsa.

Tinham 30 ligações perdidas, parte delas eram de Robert, de ontem a noite, e duas dele de hoje. Olhei no visor e percebi a caixa de mensagem piscando. Abri e o que eu li me fez dar um sorriso e fez meu coração pular como se fosse sair do peito.

-“Obrigado por escutá-lo. Ainda assim, não desistirei de você. Com Amor, T”

A imagem de nosso beijo de despedida dentro do carro veio até mim como um raio. Senti meu corpo inteiro se arrepiar de desejo. Taylor se revelava cada vez mais romântico e sedutor, e eu tinha um grande dilema em minhas mãos. Como escolher entre dois homens tão incrivelmente envolventes? Não era a toa que faziam tanto sucesso.

Sai pelos fundos do prédio, evitando assim que os paparazzi me vissem e segui de carro até o teatro. No caminho ia pensando em como iria resolver a situação com Rob e Taylor. Na verdade eu gostava dos dois. Era difícil de entender.

Estacionei meu carro na vaga de sempre e estranhei uma marca vermelha no chão, que saia de minha vaga e seguia até a porta dos fundos do teatro. Desci do carro e vi que eram pétalas de rosas, milhares delas, fazendo um tapete que levava até a entrada.


Segui pelo tapete de pétalas e abri a porta, levando um susto maior quando vi que o tapete se estendia até o camarim. Fui andando sobre as rosas com um sorriso nos lábios e ouvindo o pessoal, que estava no mesmo corredor, bater palmas e assoviar a cada passada minha.

-O que vocês estão aprontando?- eu perguntei, divertida, a eles, indo em direção ao meu camarim, que agora era separado porque eu representava a Isabella Swan. Quase cai pra trás com o que vi.

-Uau! - foi o que consegui dizer ao ver todo o ambiente coberto de pétalas de rosas e dezenas de arranjos, lindos, com velas perfumadas, enfeitando o lugar. No espelho, escrito com batom vermelho, estava escrito “Me perdoa! Eu te amo! Rob”.


Me demorei um tempo ainda na frase “Eu te amo!”. Agora sim as coisas se complicaram de vez. Amor??? Ou seria só maneira de falar? As meninas do elenco vieram até minha porta e entraram curiosas no camarim, sorrindo com toda aquela demonstração de carinho.

-Nossa! Ele deve ter mesmo pisado na bola. - Katy falou rindo enquanto entrava.

-E o que você faria? - aproveitei para perguntar e ver se algo me ajudava em minha decisão.

-Humm... - ela fez que pensava e me olhou sorrindo. - Quem nunca errou antes? E pelo jeito ele está muito arrependido.- ela disse dando uma piscadinha.

Ficamos ali ainda conversando sobre a situação e a decoração e percebi que as opiniões se misturavam. Mas a maioria delas perdoaria, isso ficou visível.

Cada uma foi se arrumar para a peça e, depois de pronta, eu fiquei sentada de frente ao espelho, olhando a frase escrita com batom vermelho, pensando em tudo isso. Robert já tinha me confessado seus sentimentos. Mas ele foi fraco cedendo a Kirsten tão facilmente.

Por outro lado, Taylor me falou de como ela era convincente e manipuladora, e ela deixou claro aquele dia no banheiro que não seria uma briga justa. “Os patrocinadores querem...”, tive que rir lembrando dela falando isso toda raivosa no banheiro. Deixei para pensar nisso depois do espetáculo.

A peça iniciou com casa lotada. Eu me realizava a cada dia com o que fazia. Ser Isabella Swan era algo muito natural para mim agora,eu conhecia cada emoção dessa personagem.

Durante a troca de figurino, quando passaríamos para a cena em que Edward conversa com Bella no quarto e promete amá-la para sempre, pedindo-a em casamento, percebi uma agitação incomum nos bastidores. Imaginei ser porque Paolo e Richard estavam brigados.

Entrei em cena, pronta para minhas falas, quando minhas pernas fraquejaram e eu quase cai no palco com o que veio em seguida.

-Isabella Swan!–Olhei para a lateral do palco e quase cai de susto. Robert entrou dizendo, no lugar de Richard, em cena. Ele vinha vestido como Edward e tinha nas mãos uma caixinha. O teatro veio abaixo nessa hora. Gritos e aplausos interromperam a cena e eu fiquei olhando para ele incrédula, com a cara mais admirada do mundo.

Robert me olhava sorrindo, sabia que eu não poderia sair correndo e eu confesso que nada mais importava naquela hora. Ele parou em frente a mim e esperou que o público se acalmasse.


-Isabella Swan, quer dizer, Flávia Sánchez- ele continuou, assim que foi possível, depois que a platéia parou de gritar e aplaudir, e se aproximou de mim, dizendo:

- Prometo te amar cada momento, para sempre. - Robert se ajoelhou como pedia a cena e abriu a caixinha. Percebi que o anel que estava ali dentro não era o cenográfico. Era um anel diferente, lindo. Eu o olhei incrédula. Ele estava firmando compromisso comigo?

-Você me daria a extraordinária honra de “namorar” comigo?- Robert continuou dizendo e eu ri da forma como ele havia mudado as falas, trocando de “casar” para “namorar”. O público foi ao delírio. Estava mais que óbvio que ele estava ali para me pedir desculpas por tudo.


Levei a mão a cabeça e tentei me acalmar. Eu sorria nervosa, mas estava comovida. A cena era linda, ele tinha conseguido. A platéia inteira gritava repetitivamente “sim, sim, sim” e ele pegou minha mão colocando o anel em meu dedo. Se levantou ficando próximo de meus lábios e me olhou nos olhos, profundamente.

Ficamos nos olhando alguns segundos, ouvindo o público delirar e curtindo nosso momento. Ele sussurrou “Me desculpa?” e eu sorri, abaixando o rosto. Voltei a olhá-lo, mas dessa vez seu sorriso era enorme. Ele sabia que havia conseguido.

Eu e Isabella Swan dissemos juntas: -SIM!

Robert segurou meu rosto com as duas mãos e me beijou no palco, na frente de todos. Agora era mais que oficial.

 ****
N/A: Estou.... Sem..... Palavras..... Ahhhhhhhhhhhh!!!! Para tudooooooo!!!! Quem imaginaria um pedido de desculpas desses? E agora, como vai ser? Uhhhhh..... Aguardem que tem muito mais por ai. Beijocas!



Fique por dentro das novidades e atualizações sobre suas fanfics favoritas, siga-nos nas redes sociais do Lautner Fanfics. 

Acesse nossa página no Facebook - clique aqui

Siga nosso Twitter - clique aqui

Em caso de dúvidas, pergunte em nossa Ask - clique aqui

4 comentários:

  1. Essa fanfic é demais!!! Mas eu ficaria com o Taylor sem pensar!!! Kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrs Pois é Jennifer... Uma dúvida cruel essa, não acha?
      Que bom que vc está gostando da fic. Assim me animo a fazer mais capítulos.
      bjão

      Excluir
  2. Xiiii... agora o namoro é oficial!
    Será que, ainda assim, ela vai conseguir resistir às investidas do Taylor?
    Eles pegam fogo só de se olharem!!! Hahahaha!
    Bjus, Flavinha!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Joyce!!!! Uma coisa esses dois. Mas diz ai.... vc resistiria???? Eu nããããããããooooo!!!!
      kkkkkkkkkkkkkkkk
      bjão linda

      Excluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA