28 março 2015

Fanfiction: Ela é para o meu irmão - Capitulo 25


Capa/Fic Texto: Jessica keli - TLM


QUERO APRESENTAR ESTE RAPAZ DA IMAGEM AO LADO.
Para quem não leu os primeiros Capítulos da Fanfic, Quero apresentar o Ex-namorado da Emili. o causador do seu trauma sentimental. Ele esta de volta. EVAN GREICE. 

POV de Makena:
Ao puxar Taylor para o elevador novamente descemos somente um andar e ele saiu indo para o corredor mais vazio.
-Taylor!
Corri até ele percebendo estar cada vez mais nervoso e ele parou dando um murro na parede e passando as mãos na cabeça em silêncio.

-Fica calmo, ele veio por causa do primo dele..
Ele respirou fundo tentou dizer algo mais desistiu me olhando.

-Desculpa Makes, mais me deixa sozinho.. ta.
Falou controlando a voz, passando por mim indo em direção as escadas.

 Fiquei tão preocupada e percebi a forma que ele tanto se preocupava com a Emili, pensei que não deveria ter deixado de intervir no relacionamento dos dois. Por causa dos problemas da Emili isso fez dificultar as coisas para ele e eu simplesmente não ajudei por uma promessa idiota achando também que não seria sentimentos duradouros para os dois. Voltei para o nono andar ainda preocupada com o meu irmão, pensando no que estava acontecendo, no que passava em sua cabeça..
 Saí do elevador percebendo uma movimentação, Evan estava passando muito mal.

quando me aproximei Adria entregava o copo de água para ele.
-Mãe, vou levar ele para casa, não vai adiantar ele aqui assim, daqui a pouco o Trevan pode ser liberado, o médico disse que pode ser a qualquer momento..

E Suêmi concordou.
 Ao perceber a melhora de Evan depois de algum tempo sentado, ela resolveu leva-lo e seria melhor não te-lo por ali.

Sandra finalmente saiu do quarto de Trevan.
Ela disse meio tensa. -Viu quem estava aqui?

-Vi e ele também descobriu que a Emi esta no hospital..

 nos abraçamos lembrando do estado da Emili e de como ela ficaria sabendo que Evan estava aqui. Olhei Suêmi conversar com a minha mãe e sentamos para esperar notícias enquanto olhava minha mãe ir procurar o meu irmão.


Pov de Taylor:

Estava ficando louco sem notícias da Emili, me sentindo cada minuto mais arrependido de ter tomado a decisão de dar o troco por tudo que ela havia me feito passar, refleti em como fui idiota.
 Me encontrei pensativo sentado do lado de fora do hospital, me encostei na parede segurando a raiva de ver aquele cara aqui.
 Lembrei-me que quase o fui buscar no Aeroporto e seria um inferno se eu estivesse ido no lugar do meu pai.
  
 Me perguntei, oque iria acontecer agora? E a Emili, oque ela faria quando acordasse vendo que aquele cara estava aqui?

Bufei encostando a cabeça na parede e olhei para céu controlando cada vez mais meu desespero. Senti alguém me olhar e olhei para a direção e Evan estava saindo do hospital me encarando parecendo confuso e respirei fundo tentando voltar á olhar para o céu controlando minha vontade de ir lá e socar a cara dele.
 Ao não me conter olhei novamente o encarando e Adria o despertou convidando para ir onde seu carro estava. E me preocupei como Emili reagiria a isto.

Estava sentindo um medo incompreensível, porquê;
" como se perde o que não tem? "
 Quando passaram em frente o hospital de carro, me levantei indo ao banheiro.
 Molhei meu rosto sentindo o peso de todo o medo que eu merecia sentir.

 E se por impulso pelo que aconteceu com a gente, ela quisesse ir embora com ele?
 Meus pensamentos acabavam comigo.. me deixando desesperado.

Me despertei ao ouvir a voz da minha mãe do lado de fora.
-Taylor?Taylor? Esta ai?

Sequei meu rosto e minhas mãos.
-estou..

-então vem aqui fora.
Quando sai minha mãe olhou dentro dos meus olhos fazendo-Me desviar.

Ela então riu.  -filho, você ficou com ciúmes da Adria?

Respondi calmo.  -oque? Não, claro que não..

-Então oque foi aquilo? Você encarou o garoto do lado dela como se fosse mata-lo, que isto filho? A mãe da Adria me perguntou se você tinha ciúmes dela, mais eu não sabia oque responder pelo oque também vi.

Encostei-me na parede olhando para os lados encanto ela me estudava me deixando cada vez mais nervoso com isto.

-Você conhece aquele rapaz, Taylor?

Não a olhei nos olhos e ela procurou meu rosto.
Respondi. -Não.

-Então não justifica, não entendo.. creio eu que ele não percebeu.

Olhei para baixo percebendo que ela tinha ficado cada vez mais intrigada em saber porque reagi desta forma.
-Taylor, olha para mim, você esta tão estranho desde que.

Ela pareceu concluir seus próprios pensamentos e a olhei sem graça rapidamente.
 Ela passou as mãos no rosto.
-Taylor, você passou mal pelo oque aconteceu com a Emili, você não sentiu ciúmes da Adria.. então

Percebi que ela me conhecia mais do que qualquer pessoa e seria fácil negar qualquer coisa, só não sabia se seria fácil engana-la.

-Eu te conheço Taylor, eu nem estou acreditando em como pude ser tão ingênua e não ter percebido isto de sua parte antes.

Indaguei segurando meu nervosismo de ter que me explicar se ela exigisse.

-Seu problema não é a Adria, você ficou irritado quando viu aquele rapaz porque, nossa tenho até medo dizer..
Respirou fundo.

-É por causa da Emi, né? Ele é alguma coisa dela, é isto?

Permaneci calado.
-ele é alguma coisa da Emili, Taylor?

Indaguei ignorando suas perguntas.
-eu estou falando com você. Quer me responder!

Sussurrei.  -é..

Percebi ela me olhar preocupada e me abraçou, senti um grande conforto nos braços da minha mãe.
-A Emi vai ficar bem meu filho.. e você precisa pensar no que você vai fazer a respeito destas coisas que vem sentindo, ela sabe?

Sussurrei com o rosto em seu pescoço. -Não sei..

Me jogou todo o seu olhar de ternura me deixando mais calmo.
-Sinto muito meu filho..

Fomos em direção aos corredores próximo ao quarto da Emili, Tarik e Ashley haviam chegado, todos estavam felizes por receberem a notícia que poderiam ve-la e Trevan mesmo com dificuldade estava querendo ser o primeiro a entrar no quarto e todos esperavam ansiosos.

Pov de Trevan:

Quando Evan chegou, notei o quanto havia crescido, não o via a 5 anos desde quando sai do Brasil. Enquanto ele entrava no quarto.

 Sandra me observava levantar como a enfermeira havia pedido para que eu continuasse tentando.

Sandra mostrou-se sem graça pelo olhar que Evan fazia para ela.

-Acho que vou esperar lá fora para você conversar com o seu primo direito..

Ele sorriu.  -Tudo bem.. pode ficar..

Ela estranhou procurando o rosto dele mais uma vez, ele sorriu achando ser um elogio ou algo do tipo.

E ela mordeu fora. -Eu acho que te conheço de algum lugar..

-Impossível, nunca vim aqui, moro no Brasil..

A enfermeira pediu que eu tentasse colocar os pés no chão.
Forcei os braços na cama para levantar e tentei distrair Evan para que não deixasse Sandra mais desconfortável do que estava pelo olhar dele nela.
-Evan, dá para me ajudar aqui?

Ela mostrou-se assustada e olhou rapidamente para ele.
-Seu nome é Evan?

Ele Riu sem graça. -É.. porque o espanto?

Ela me olhou sem graça. -Ha.. nada. Por nada, Trevan daqui a pouco eu volto.. eu vou rapidinho ali falar com a Makena e depois venho ver como você ficou..
Tentou sorrir.

Ele estranhou assim como eu e Ela saiu.

Ri -parece que nunca viu mulher..

Ele riu. -Ela é uma ruiva linda..

-Você não muda, né?

 Depois de um tempo a médica chegou com a notícia que já poderia ir embora e Evan foi para a casa de Adria antes que pudesse saber que eu havia sido liberado.

-Trevan, esta pronto?     Perguntou a médica.

-Estou.  Forcei para levantar e minha cabeça doeu. -ai..

Perguntou preocupada.  -esta bem? Consegue se levantar sozinho?

-Sim.   me levantei com dificuldade pondo as mãos no curativo da cabeça.

-Que bom.. então isto é sinal de que esta melhorando muito rápido.
sorriu.

Tentei sorrir mais senti dor na cabeça.
Ela riu. -esta bem esta bem, não ria!

E sorri mesmo sentindo dor.
Ouvimos a porta abrir e todo meu sorriso foi cortado.

-que bom que esta bem..   sorriu Adria.

A ignorei passando a mão no curativo que me incomodava.

Sussurrou a médica puxando minha mão.
 -Não, não mexe..

Olhei Adria ainda parada ali.
Perguntei serio.  -cadê a Emili?

Seus olhos mostraram tristeza.
-Ela ainda não acordou.. ela não esta bem Trevan..

Me desesperei, que estupidez que
 fiz?!
-Eu quero ve-la.

-Ele pode ver Doutora?

Ela me olhou.
-Na verdade não é uma boa idéia, mas darei um jeito de você ir ver ela rapidinho..
E sorri agradecido.

Levantei e senti dor no pé e elas se aproximaram, com a ajuda delas consegui me sentar na cama.

A médica disse.
-vou precisar conseguir uma muleta para você até melhorar o seu pé.

(..) 
Quando finalmente consegui andar de muletas preferi entrar sozinho no quarto que Emili estava. Ao abrir a porta pude ouvir o som dos batimentos dela no monitor. Ao fechar a porta com dificuldade olhei para Emili deitada.

 Encostei-me em choque por ve-la do jeito que estava, tão pálida e não me aguentei em chorar. Me aproximei dela quase sem forças.

Me perguntei com angústia, "oque fiz?!"

Me aproximei percebendo que ela nem se mexia. Me desesperei.
-Emi, me desculpa... eu sei que pode me ouvir.. acorda, eu prometo que vou pedir desculpas todos os dias se você quiser.

Tentei abraça-la, encostei meu rosto em sua barriga não acreditando no que estava acontecendo. E não pude conter as lágrimas e soluços de meu choro, me senti a pessoa mais estúpida do mundo.
  Se acontecesse alguma coisa grave com ela eu jamais me perdoaria.

Sussurrei sem forças.
-Você é a minha irmãzinha.. eu não deveria ter provocado isto, eu nunca vou me perdoar!

Tentei explicar entre meus soluços.

-acorda Emi, por favor..
Olhei seu rosto muito pálido sua sobrancelha estava com um curativo e me senti mais mal por ver que ela não mostrava nenhuma reação nenhum sinal de entendimento e me preocupei.

Sequei as lágrimas.

Dei um beijo em sua testa.
-eu sei que você vai ficar bem.. mas acorda.. Por favor..

(...)
 Ao sair em choque do hospital Fiquei o tempo todo em transe enquanto Adria dirigia até em casa. Refleti em tudo que havia feito e pensei em como amar Adria me fez pensar e fazer tanta estupidez e eu não queria mais isto para a minha vida.

 Despertou-me dos meus pensamentos.
-Chegamos Trevan.

Olhei me assustando vendo onde já estávamos.

Abri a porta com dificuldade e ela rapidamente saiu para me ajudar.
-não precisa.   Falei conseguindo ficar em pé.

-Quer que eu entre com você?
Perguntou mais sai andando mesmo com dificuldade.

Falei serio.  -não precisa.

Ao chegar dentro de casa fechei a porta com dificuldade sentindo muita dor na cabeça.

Cheguei na sala vendo Evan no sofá. Ele me olhou com os olhos cheios de lágrimas junto com uma raiva que não entendi, estranhei em suas mãos a foto da Emili.

Antes que pudesse dizer ou pensar em alguma coisa ele se levantou.
-Foi ela que estava no carro com você!

Olhei novamente em suas mãos a foto e me lembrei de Emili dizer o nome de Evan algumas vezes e me lembrei rapidamente de dizer quantos Evans eu conhecia, de dizer o quanto ela era sortuda por não conhecer um ou mais neste lugar para que o nome não fizesse lembrar suas mágoas.

Me assustei com a coincidência.
-Você é..

Ele me interrompeu. -Seu filho da puta!!

E quando percebi seu soco me encostei na beira do sofá sentindo uma grande dor no maxilar o olhei percebendo que estava descontrolado de raiva.

Gritei.  -Eu não fiz de propósito seu idiota!

Gritou.  -não importa! Ela pode não acordar sendo a mesma!!

-isso facilitaria as coisas pra você Já que fez pior do que um acidente de trânsito! Garanto que ela iria querer passar por isto duas vezes ao invés de passar de novo pelo oque você fez!

Ele mostrou-se desapontado.
Completei. -Você não deu valor que ela merecia, a Emili não merece alguém como você!!

Se alterou além do seu limite.
-Há! E como você merece?!

-não pense isto, meu carinho por ela é de irmão e você não há merece, mal chegou e já estava dando em cima da amiga dela na minha frente!

-eu não sabia que aquela menina era amiga dela!

-Não sabia porque estava cego! Tanto que não teve capacidade para ligar as coisas! A Adria a Mãe dela!

Senti faze-lo não ter defesas.

-ou você é burro ou definitivamente não presta!

 Ele indagou e me virei para sair para acabar com aquela discussão.
E ele quis continuar.

-E você quer que eu seja oque? O segurança e motorista dela pelo resto da vida enquanto ela sai nas manchetes com outros homens?! É isso ?!

Me virei com todo ódio e raiva pelo oque ouvi, dando um soco na cara dele e mobilizando com um soco na barriga fazendo-o cair no chão.

 E ele tentava respirar provocando a tosse consecutivamente.

O olhei no chão.
-eu posso ser assim por amor, mais eu nunca seria infiel ou seria um cafajeste com uma mulher que entregou o amor há mim.

me abaixei próximo há sua orelha.
-traiçoeiro, é isto que você é, vá embora antes que a Emi acorde. Seu caso já foi encerrado por ela, ela já virou a sua pagina.

Me levantei ainda o vendo buscar ar.
-E há. Sua tia não é puta..

Me retirei indo tomar um banho para me deitar, precisava melhorar para quando Emili acordasse.



GOSTOU DO CAPITULO? COMENTE SOBRE ELE!

8 comentários:

  1. Awwwn eu amo essa fanfic, quero mais capítulos ;-)

    ResponderExcluir
  2. E eeu ao qdo vcs comentam! :DDD"
    que bom que estao gostandoo

    ResponderExcluir
  3. PrimeiroPrimeiro: que capa é essa? AMEI!!!
    segundo: eu aceitaria numa boa ter uma desilusão amorosa cm um gato desse!
    Tenho nem o que comentar. Continua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Po nem fala,a Emili tem um ótimo gosto pq 1 e o Evans que e Lindo e o 2 e o Taylor que Lindoooo.

      Excluir
  4. Continua.Quero ver se a Emili vai acordar e o que ela vai fazer quando ver que o Evans voltou.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA