01 maio 2015

Fanfic: Cap. 5: How it is that it is???


Notas da Autora
Vamos para mais um capítulo da minha fic, espero que gostem qualquer erro de português me avisem. Aguardo seus comentários, espero que possam dar a opinião de vocês sobre o desenrolar da história.

Não sabia qual era a minha reação, ele estava na minha frente de terno e gravata, ‘lindo’ era a palavra que o definia naquele momento e aquele sorriso branquinho, meu Deus, que homem.

Eu nada disse e nem ninguém, não esperava vê­lo outra vez e naquela hora estava aqui na minha frente para me levar para o meu futuro noivo.

Meu pai ficou olhando para nós dois e aquele silêncio começou a incomodar e para a minha salvação meu pai resolveu falar.

─ Minha filha, esse é o Taylor, o motorista que irá acompanhá­la até o seu destino. Taylor essa é a Lily minha filha ­ ele sorriu e eu retribui.

─ Taylor, será que você poderia nos dar licença para nos despedimos? – Indagou meu pai.

─ Claro, me desculpe, estarei esperando lá fora ­ Disse Taylor e virou as costas e se retirou. Eu me virei para o meu pai.

─ Meu amor... Não quero que fique triste, tudo isso é para o seu bem.  ­ ele sorriu tentando me reconfortar.

─ Tudo bem pai, o senhor já me disse isso, eu já disse que irei fazer isso.

 ─ Eu sei, mas tenho que te pedir algo muito importante, minha filha e você deverá ouvir com atenção.

─ Pode pedir.

─ Não quero que faça nada quando sair dessa casa, digo não quero que se envolva ou trabalhe com os empregados na casa do Sr. Ian sei que você gosta de ajudar e fazer amizades, mas você se casará com um homem da alta sociedade e não será bom para ele e nem para você que faça o trabalho dos empregados.

─ Eu serei uma dama da alta sociedade e não poderei lavar um copo. Okay pai, eu entendi.

─ Eu sei que estou pedindo muito, mas terá que mudar seus modos.  Vai ter que fazer o que as esposas da sociedade fazem ­ Disse ele.

Fiquei triste em saber que o meu verdadeiro ‘eu’ ia ser guardado no meu coração. Eu não poderia ser eu mesma, eu adoro pessoas simples e humildes, por isso sempre preferi a amizade de serviçais, ele não são tão arrogantes, como a maioria das pessoas.

 ─ Espero que tenha entendido Lily. Seu marido não pode desconfiar desse seu lado nunca, agora vamos que o motorista está te aguardando.

Fomos andando para a saída e em tudo que eu andava uma lembrança vinha a minha cabeça, os momentos que eu passei nessa casa sendo eles bons ou ruins eu sentiria falta de lá.

Chegando do lado de fora, Taylor já estava nos aguardando, dei um abraço e um beijo em cada empregado, a minha irmã disse que estava passando mal e não veio se despedir. Quando chegou a vez do meu pai eu já estava chorando, o abracei e ele me disse emocionado:

─ Vai dar tudo certo filha, lembre­se do que conversamos ­ Disse ele.

Chorei mais ainda em lembrar de como tudo seria dali em diante. Seria uma mentira e um sofrimento.

─ Adeus, pai...

─ Adeus nada, semana que vem estarei lá para o seu casamento ­ Ele disse segurando o choro. O abracei forte e nós separamos para eu ir embora.

─ Te amo muito, pai e pode deixar que eu serei a melhor esposa que esse homem poderia ter ­ Falei.

Sorri e entrei no carro, Taylor fechou a porta, o carro era lindo, mas eu nem sabia a marca, pois não entendia nada de carros, Taylor ocupou o seu lugar de motorista e ligou o carro.

Dei uma ultima olhada para a minha antiga casa, e tantas coisas me vieram na cabeça. Eu não esperava sair dela nunca e lá estava  eu indo para bem longe, para nunca mais voltar.

─ Você está bem? ­ Taylor disse me tirando dos meus pensamentos.

─ Não estou, mas vou ficar ­ olhei para frente e não olhei mais para trás em nenhum momento.

─ Você sabia que era eu a futura esposa do seu patrão?
­ Sabia sim, só que quando eu ia te contar, você já tinha que sair e como iríamos nos ver em breve, não teria problema. Está animada para conhecer Londres? ­ ele me olhava pelo retrovisor como aquele sorriso lindo.

─ Para falar a verdade sempre quis conhecer Londres, só que pela situação que estou indo conhecê­la não me anima nem um pouco, preferia nem conhecer ­ disse sendo sincera.

 Taylor pareceu triste com a minha resposta, mais ficou muito feliz em saber que íamos nos ver por lá.

Agora quero saber de você, trabalha há muito tempo para o Sr. Somerhalder?

─ Não, eu comecei há pouco tempo. Você não deveria chamá­lo assim, ele será o seu marido.

─ Eu sei, mas terá coisas sobre mim que ele nunca saberá e para que isso aconteça acho bom o tratar com formalidade ­ disse sem querer.

─ Como assim? ­ pareceu curioso, resolvi contar, ele já sabia de tudo mesmo.

─ Meu pai me pediu para não contar certas coisas para ele, então acho que não serei eu que estará se casando com ele e sim uma menina que tem que manter as aparências ­ tentei dar o mínimo de informações possíveis.

─ Se não for muito incomodo, o que o Sr. Somerhalder não pode saber?

─ Eu gosto muito de fazer amizades com os empregados e também de fazer as tarefas de casa, sempre fiz isso na minha casa, só que para casar com um homem como ele, eu não posso fazer nada disso e essas coisas são algumas das minhas características e teria que abandoná-las
por ele ­ suspirei.

─ Me desculpa me meter nesse assunto, mas acho que ele deverá gostar de você pelo que é, e não pelo que as pessoas dizem ou tem que achar que você deve ser.

─ Você tem razão, agora vamos mudar de assunto para a onde estamos indo nesse momento?

─ Bom, vamos pegar um jatinho daqui há 20 minutos, direto para Londres.. ­ ele iria continuar, mas seu celular tocou. Olhei para fora e fiquei apreciando a vista enquanto ele falava no celular.

 ─ Ok, então pode deixar que eu cuido de tudo ­ Taylor desligou o celular.

─ Está tudo bem? – Indaguei.

─ Sim, está, mas temos uma mudança de planos. O jatinho não saiu de Londres e teremos que ficar aqui até amanhã dormiremos em um hotel que fica perto do local que pegaremos o jatinho. Acordaremos bem cedo, eles estão ligando para fazer a nossa reserva no hotel.

─ Tudo bem ­ Concordei. Quanto mais tempo eu demorasse para chegar, mais tempo eu teria para assimilar aquilo tudo.

Fomos o resto do caminho todo em silêncio chegou até ser chato e irritante, mais eu queria ficar quieta no meu canto vendo pela ultima vez a minha cidade que eu tanto amava.

Chegamos ao hotel e fomos direto até a recepção pegar a chave do quarto, mas uma coisa me chamou a atenção, só entregaram uma chave, mas preferi não falar sobre isso.

Subimos em silêncio e quando vi estávamos na cobertura, quarto 512 entramos e os entregadores colocaram as malas no quarto. Quando me virei achando que estava sozinha tomei um susto quando encontro Taylor sentado no sofá.

─ Não vai descansar no seu quarto você deve estar cansado e amanhã teremos uma viagem longa pela frente ­ ele me olhou e sorriu.

─ Eu acho que esqueci de avisar, nós vamos ficar no mesmo quarto.

─ COMO É QUE É????

­ CONTINUA!!!!

Notas Finais:
Gente, espero que tenha ficado bom, ei gostei. Espero a opinião de vocês sobre essas coincidências. Primeiro Taylor é o motorista do futuro marido de Lily e agora, eles vão ter que ficar no mesmo quarto de Hotel. Será que ela vai aceitar isso, ou vai expulsar o motorista charmoso? Continuem acompanhando, okay.

Um comentário:

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA