19 junho 2015

Fanfic: I know is forever – Cap. 12


Lily, esse é o meu irmão Theodoro Somerhalder. ­ Ian disse, quando o homem a nossa frente terminou de se virar, não sei se foi algo da minha cabeça mais podia jurar que o seu irmão fez uma cara de espanto ao me ver , mais logo disfarçou e voltou ao normal.

­ Prazer Lily! – disse parecendo sair do transe.

­ O prazer é todo meu Theodoro. ­ disse sendo simpática e agora percebendo como aquele homem é bonito, não como o Ian, ele tinha a sua própria beleza, logo me repreendi pelos pensamentos.

­ Por favor, me chama de Theo ou de James, não suporto meu nome todo, me sinto mais velho. – disse simpático.

­ James? Perguntei sem entender.

­ Oh! , claro eu não me apresentei, meu nome é Theodoro James Somerhalder. – me disse, agora tinha entendido.

­ Cadê a nossa mãe? – Ian se pronunciou pela primeira vez depois da apresentação.

­ Ela foi ao quarto e disse que desceria logo. – Ian concordou com a cabeça e virou em direção à porta, quando ela foi  aberta e uma mulher foi revelada...

­ Meu filho! – veio em direção ao Ian e o abraçou – quem é essa linda jovem?

­ Mãe essa é a Lily, Lily essa é a minha mãe Edna. – apresentou-a antes que eu pudesse abrir a boca, ela me abraçou e foi totalmente inesperado, eles olharam para mim como se dissessem “pode ir se acostumando!”

­ Querido ela é tão linda! – ela disse começando a me soltar aos poucos. – precisamo-nos Conhecer melhor, pode me chamar de mãe se quiser agora você é da família. – fiquei Triste com a parte de chamar-lhe de mãe.

­ Mãe, por favor! Ela acabou de te conhecer está a assustando! – Theo disse um pouco compreensivo.

­ Não ligue para essa velha senhora, eu já não sei o que digo! – deu um sorriso me encorajando. – estava pensando que poderíamos passar o dia de amanhã em família, já que meus filhos nem se lembram de que tem uma mãe. – eles reviraram os olhos e eu segurei o riso – olha o respeito!

Posso ser velha mais ainda bato em vocês dois! – rapidinhos ficaram quietos, e eu com vontade de rir. – pensei que seria bom ficar um tempo juntos, e também quero conhecer a futura esposa do meu filhinho! – ela apertou as bochechas do Ian – eu não aguentei e ri, Ian me olhou bravo e eu lhe mandei um olhar de desculpas, mas continuei rindo.

­ Ótima ideia mãe, vamos passar esse tempo que temos juntos.– Theo já interrompeu antes que sobra­se para ele.

­ E você minha filha? Gostaria de passar o dia conosco? – perguntou esperançosa.

­ Mas é claro! – ela deu um sorriso na hora, como eu não iria querer passar o dia com eles sinto que será um dia muito bom e cheios de risadas da minha parte!
­ Primeiramente vamos jantar, pedi que preparasse a comida preferida do Ian, peixe assado! Andem logo, que a comida já deve estar na mesa.

– ela foi em direção da porta, e o Ian falou algo em seu ouvido, ela deu um sorriso de lado e saiu acompanhada pelo Theo.

­ Sabia que é uma atitude rude rir de seu noivo? – perguntou divertido.

­ Não sabia, mas pode deixar que vou me lembrar! – disse risonha então lembrei que em nenhum momento foi citado o nome do seu pai – E o seu pai? – perguntei, não querendo ser intrometida.

­ Eu não conheci o meu pai – disse normal – quando minha mãe ficou grávida ele descobriu que a sua amante também estava grávida, ele nunca amou a minha mãe só se casaram pela sociedade, nunca foram felizes e ele deixou o dinheiro todo para trás, pois pensava que esse dinheiro e tudo que tinha era um carma que carregava.

­ Carma? – como alguém pensa que dinheiro é um carma.

­ Sim como ele tinha dinheiro, todas as mulheres queriam ter um marido rico ao seu lado para lhe dar tudo, e a única coisa que ele queria era ser amado e amar. Foi então que a minha mãe apareceu ele percebeu que ela era a única que não estava atrás do seu dinheiro, por isso fez uma proposta. – Ian falava mais dava para ver que estava perdido em seus pensamentos – Eles se casavam e ela lhe daria filhos e faria tudo que uma esposa faz, com o tempo minha mãe aprendeu a amá-lo só que não foi um sentimento recíproco, um dia ela descobriu que a empregada estava grávida do meu pai , eles se “amavam” (fez aspas com as mãos )no mesmo dia que minha mãe descobriu tudo, meu pai contou que tinha decidido que iria embora com a mulher que amava e seu filho. Deixou todo o dinheiro para trás, pois não queria um dinheiro que não trouxe nenhuma felicidade a sua vida. Largou a minha mãe com um filho de dois anos para criar, ela ficou tão triste e nervosa que passou mal e parou no hospital descobrindo que não poderia ficar nervosa, pois mais um filho vinha a caminho. – terminou de contar suspirando.

­ Deve ser difícil crescer sem pai – fui interrompida.

­ No início era difícil não vou mentir mais depois eu aceitei. Nunca tive pai, mas para Theo foi um pouco complicado aceitar, ele já conhecia nosso pai e depois começou a sentir a falta dele, ele era apenas uma criança para poder entender.

­ Sua mãe é uma mulher admirável! – queria ter a força que ela teve e tem.

­ Faço tudo por ela até morro, minha mãe foi um pai e também foi mãe e fez de tudo por mim. Posso parecer louco dizendo isso... – disse balançando a cabeça em negação.

­ O que? – perguntei interessada.


­ Minha mãe é o meu maior tesouro!

Um comentário:

  1. To adorando continua!!!! Mas esse capitulo foi meio curto, pode fazer maior? Bjs

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA