03 junho 2015

Fanfiction: O ANJO - Capítulo 6: “Capturada''

 
Texto/Fic: Carla Ferrari – Capa: Jessica Keli – Beta: @ValzinhaBarreto

POV ARIEL.

Na semana seguinte Taylor foi para o trabalho e eu fiquei em casa sozinha. A tarde sem nada para fazer eu decidi ir atrás dele, e vesti uma roupa bem bonitinha que ele havia comprado pra mim.

Eu coloquei uma blusinha branca com desenhos de estrelinhas, uma calça jeans nova, e um par de botas que agora serviam, pois eram de uma vizinha que não usava.

Eu saí de casa feliz da vida, e fui andando até o centro da cidade, onde ele trabalhava. Taylor me viu chegando e abriu o maior sorriso pra mim.

- Oi- ele disse em meio a um abraço.

- Oi - Falei e dei um beijo na frente do amigo dele. Taylor corou um pouco, e eu achei super fofo.

- Ah esse é o Kevin. - Ele me apresenta o amigo do outro dia.

- Oi gata e ai?- Kevin da um sorriso e uma piscada pra mim.

Eu sorri e estendi a mão para cumprimentar ele. Nós ficamos ali conversando por alguns minutos, até chegar a hora do Taylor sair.

Depois do trabalho nós resolvemos ir para uma lanchonete.
Na porta da lanchonete Taylor esbarrou em um cara que estava saindo as pressas, e tentou se desculpar com ele.

- Ops, foi ma..- Ele parou de falar quando viu que o cara tinha uma arma.

Ma mesma hora o cara se revoltou e disse:

- Pra traz! Pra traz! Eu já disse... Senão eu atiro em você!

Taylor se posicionou na minha frente e disse:

- Calma... Não precisa se alterar.

Eu fiquei preocupada por ele ter se colocado na minha frente, mas Taylor não me deixou nem espiar por cima do ombro dele. O ladrão se virou e começou a correr, e de repente o dono da lanchonete saiu e gritou:

- Segurem ele! Ele vai fugir!

Taylor num ato de heroísmo corre atrás do bandido, e pulou nas costas dele enquanto ele corria. Eu fiquei completamente em choque com a cena, mas não o suficiente pra deixar que o ladrão fizesse alguma coisa com o Taylor, e acabei indo pra cima dele também.

O ladrão caiu depois do Taylor pular nele, e derrubou o saco de dinheiro que ele havia roubado.

Taylor da um soco nele, tentando fazer ele largar a arma também, mas isso não aconteceu. O ladrão conseguiu se desviar dos golpes, e se levantou pra fugir outra vez. Eu corri em direção aos dois, e antes que o ladrão tentasse fazer alguma coisa com o Taylor, eu entrei na sua frente para o protegê-lo.

Tudo acontece muito rápido, num piscar de olhos. O cara posicionou a arma e atirou, eu abri minhas asas indestrutíveis e fiquei na frente do Taylor para salvar ele.

Todos que estavam na rua ficam de boca aberta, sem acreditar no que estavam vendo. Eu fiquei imóvel, pensando somente em proteger tudo aquilo que significa algo pra mim: ele.

Taylor tentou me puxar para o chão, mas a bala ricocheteia em minhas asas e não atinge nem a mim, ou a ele, e o bandido desistiu de atirar outra vez.

Ele ficou pasmo, e perdeu até o rumo na hora de tentou fugir. O bandido correu alguns quarteirões, mas depois de perder a sua vantagem na fuga devido a luta com o Taylor, a policia conseguiu pegá-lo.

Logo depois do acontecido, eu desmaiei sem saber o porquê, e Taylor ficou completamente assustado sem saber o que fazer, ou pra quem pedir ajuda.

POV TAYLOR.

Eu não podia acreditar no que estava acontecendo, e nem menos que ela havia dado sua vida pra salvar a minha. Quando percebi que ela se exporia na frente de todos, tentei impedir, mas foi inútil e o bandido atirou nela antes que eu pudesse agir.

Ariel agora estava no chão, com suas asas abertas em modo de defesa sobre o meu corpo. Fiquei atordoado só de imaginar que ela poderia ter partido desse jeito.

Abaixei-me ao seu lado no meio da rua, e segurei seu rosto implorando pra que ela desse algum sinal de vida.

- Por favor, meu anjo, volta pra mim, por favor. - Procurei por uma ferida de bala, mas não havia nada.

Fiquei confuso, e continuei a chamando:

- Ariel, por favor... Volta meu anjo... Volta pra mim... Acorda!- implorei sentindo o ar escapar de meus pulmões.

Ela abriu os olhos lentamente, e olhou em volta vendo não só a mim, mas toda uma multidão que havia se formado ao redor dela.

- Ahh graças a Deus!- agradeci aliviado e abracei forte.

Ela continuou observando todos a nossa volta com atenção, e só aí é que percebi também.

Ariel começou a se levantar devagar, ainda com suas asas a mostra, e todos a olharam com rostos surpresos e espantados. Dessa vez fui eu que se posicionou na frente dela, embora eu soubesse o que todos estavam pensando.

Se há alguns dias o boato de uma garota anjo era ridículo mesmo até depois de ir parar na TV, agora parecia muito mais real e todos iriam querem saber o porquê ela estava ali.

Algumas pessoas começam a cochichar, e elas falavam sobre o cartaz espalhado pela cidade que ninguém tinha dado atenção. Agora parecia que todos eles se importavam, e queriam saber o que ela era, e de onde ela vinha.

Puxei-a pela mão para sair dali, e enquanto fugíamos pra casa, as pessoas continuavam nos olhando por causa das suas asas enormes.

POV ARIEL.

Fechei minhas asas só depois de me tocar que era por isso que todos me olhavam. No momento em que as abri para proteger Taylor eu não pensei em nada, só queria impedir que algo o machucasse. Agora, porém todos me olhavam ainda, e eu esquecia porque não havia fechado elas.

Ele me arrastou até o carro, e nós voltamos pra casa o mais rápido possível.

Taylor sabia que era perigoso e arriscado ficarmos lá, mas depois de tudo o que foi visto na rua naquele dia, nós não poderíamos ficar ali por nem um minuto mais.

Nós chegamos à entrada da casa, e Taylor me pediu entrar no galpão e pra ficar lá dentro e esperar por ele.

- Aonde você vai? Eu não quero ficar sozinha aqui!- disse com medo.

- Eu já volto, só vou pegar algumas coisas. Tenho que te tirar dessa cidade. Agora!- ele me beijou antes de fechar a porta do galpão e se virar.

Taylor correu para dentro da casa, e ficou lá por alguns instantes. Enquanto isso, eu esperei ansiosa pela volta dele, e derrepente escutei um barulho de vários carros chegando à entrada.

Eu espiei por uma fresta na madeira, e vi que eram carros de oficiais do governo. Eles foram até a porta, e alguns ficaram parados na porta do lado de fora, enquanto outros entram para conversar com Taylor.

Ele atendeu a aporta parecendo nervoso, e eu o vi olhar para o galpão mais de uma vez antes de entrar com um dos homens. Ele já sabia o que eles queriam, mas não deixou nenhum deles perceber que tinha algo no galpão.
Eu fiquei agachada no chão, com minhas asas me envolvendo como um abraço. Eu me sentia mais segura quando ficava assim, desde criança.

Alguns minutos se passaram, e eu escutei Taylor gritar: - NÃO! Eu fiquei parada no mesmo lugar, e a porta do galpão começou a se abrir. Um homem de terno preto entrou e acendeu a luz, ele me viu sentada no chão ao lado do carro do Taylor, com as asas em volta do meu corpo. Ele me avaliou com olhos curiosos e surpresos e então ordenou:

- Ela esta aqui. Leve ela, agora!

Eu me levantei e comecei a me afastar, mas sem ter pra onde ir eu não consegui recuar mais. Um outro homem, vestido com uma farda do exercito e um escudo se aproximou de mim.

- Calma, não precisa ter medo. Nós só queremos te ajudar. -ele estendeu a mão para me demonstrar que era inofensivo.

Eu vacilei um passo a diante, mas escutei Taylor gritar outra vez, e tentei ir à direção da voz dele. O homem de terno preto entrou na minha frente, e falou:

- Se você quiser ver seu namorado vivo de novo, é melhor vir com a gente por bem, senão nós te levaremos do mesmo jeito, só que por mal!

Eu engoli em seco, e passei por ele andando livremente até o lado de fora para ver onde Taylor estava.
Ele estava de joelhos, com os braços presos nas costas, e tinha um homem forte com farda do exercito também, apontando uma arma grande pra ele.

- Taylor!- gritei tentando correr na direção dele, mas um dos caras de farda me segurou por traz.

- Se você colocar um dedo nela, eu juro que acabo com você!- Taylor rosnou.

O homem de terno não se intimidou com a ameaça, e Taylor levou um golpe na cabeça do homem forte de farda. Ele caiu, e eu dei um grito de pânico abafado por uma das mãos do homem que me segurava por traz.

O homem que me segurava colocou um saco na minha cabeça, amarrou as minhas mãos, e em seguida me colocou no ombro e me carregou pra algum lugar.

Ele me jogou dentro de um carro (eu imaginei), e depois ouvi o barulho do carro se afastar da entrada da casa do Taylor.


5 comentários:

  1. Aaaai continuaaaa! :(

    ResponderExcluir
  2. Oh my god! Continuaaa ... minha curiosidade d saber mais aumenta a cada segundo

    ResponderExcluir
  3. Se preparem meninas.. Porque o próximo capitulo sera bombástico.

    ResponderExcluir
  4. Continua quero ver o que vai acontecer com a Ariel.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA