17 junho 2015

Fanfiction: O ANJO - Capítulo 8: “De volta pra casa”.


Texto/Fic: Carla Ferrari – Capa: Jessica Keli – Beta: @ValzinhaBarreto

POV ARIEL.

Na manha seguinte eu acordo com o Taylor me fazendo carinho no rosto com uma pena.

- Bom dia.- disse me espreguiçando.

- Bom dia minha anjinha. -ele me beija de um jeito muito carinhoso

- O que é isso?- eu aponto para a sua mão com a pena.

- Ah isso? É sua.- ele sorriu e explicou apontando pra cama.

Foi aí que eu percebi, que estava deitada de lado com minhas asas abertas na cama.

- Você fica linda assim.- ele me olhou enrolada no lençol.

- Assim como? Nua? Ou com asas?- ri

- Dos dois jeitos. - ele sorriu e me deu um beijo de tirar o fôlego.

- Calma, senão eu te agarro e não vou querer mais sair daqui!- ele diz me soltando.

- Foi você quem começou. - sorri levada.

Saímos do hotel depois do café, e Taylor ligou para um amigo dele que poderia ajudar com o nosso problema.

- Alô? Calvin? - ele perguntou no alto falante.

- E aí? Estou com elas. Pode vir buscar..- disse o amigo dele Calvin

- Valeu cara, estou indo aí.- Taylor desligou.

Taylor me disse durante o caminho, que tinha pedido ao amigo dele pra arranjar documentos falsos. Ele queria sair da cidade e comprar uma casa no campo, ou em um lugar bem mais afastado que a casa dele era, pra que ninguém nos encontrasse jamais.

Depois de chegamos até a casa do Calvin, Taylor me pediu pra esperar no carro enquanto ele ia buscar nossos documentos novos. Os dois apareceram na porta da casa, e eu ouvi Taylor se despedir do amigo.

- Ei cara, não ficaram prefeitos, você me pediu muito encima da hora.- Calvin se desculpou.

- Não tem problema, desde que nós consigamos sair daqui. -

- Claro, não ficaram perfeitos, mas mesmo assim estão muito bons. Pode confiar.

- Valeu cara, mesmo. - Taylor agradeceu

- Não precisa agradecer, você merece essa... Merece ser feliz depois da Grace. - Calvin sorriu gentilmente

Taylor assentiu agradecendo e disse:

- Nós mandamos noticias com o tempo.

- Beleza.

Eles se despediram, e Taylor voltou para o carro me entregando os nossos novos documentos.  Nós fomos em direção a rodovia comprar passagens de ônibus pra sair da cidade.

Taylor queria estar bem longe o quanto antes, pois sabia que os mesmos homens que estavam atrás de mim ontem, poderiam aparecer a qualquer momento hoje.

Na rodovia, Taylor me deixou sentada esperando por ele, enquanto comprava nossas passagens. Ele estava demorando, e eu comecei a olhar em volta procurando um lugar para comprar o que comer, quando vi dois homens de terno preto conversando com um segurança do lugar.

Corri até a fila de passagens, onde Taylor ainda estava esperando chegar a sua vez.

- Taylor eles estão aqui!- falei abraçando ele pra me esconder.

-O que? Como assim?- ele olhou em volta atento.

- Os homens que me levaram... Eles estão aqui! - Eu o abracei e me escondi em seu peito.

- Calma, eu vou tirar você daqui, eu prometo que ninguém vai te tirar de mim.- ele levantou meu rosto pra olhar nos meus olhos.

Taylor saiu da fila comigo, e me arrastou para a entrada da rodovia. De repente eu ouço um apito, e um homem gritou:

- PAREM! Vocês estão presos!

Taylor segurou forte na minha mão e disse:

- Vem, corre!

Eu não consegui acompanhar os passos dele, e acabei caindo no chão. Taylor tentou parar e me ajudar a levantar, mas os dois homens de preto se antecipam e nos seguram antes de conseguirmos correr.

Um deles deu um soco no Taylor e ele caiu no chão, mas logo se levantou e revidou o golpe. Eu tentei me livrar das mãos pesadas do outro homem de preto, mas ele era mais forte do que eu, então eu decidi fazer uma coisa.

Eu abro minhas asas, na intenção de me livrar do abraço de urso que ele me deu por traz, e consigo fazer ele me soltar.

O homem ficou meio surpreso com a cena, mas mesmo assim tentou me segurar de novo. Eu levanto voo, e tentei ir pra cima do homem que estava lutando com o Taylor.

Eles rolavam no meio da rodovia, trocando socos e pontapés, quando de repente eu vi um dos seguranças apontando uma arma para o Taylor. O segurança hesitava em atirar, então o homem de terno que me segurava tomou a arma do guarda, e atirou no Taylor.

Fiquei sem ar.
Sem chão.
Tudo o que era importante pra mim naquele momento, estava sendo arrancado dos meus braços e tudo aconteceu tão rápido, que eu mal podia sentir meu próprio coração.

Meus gritos foram ecoados por todo o local, sendo abafados apenas com o som do tiro, e do raio que nesse momento cruzou o céu. Taylor caiu no chão, deixando o homem livre da sua chave de braço.

Eu, que voava por cima deles, naquele momento caí também, sentindo o desespero me corroer por dentro como ácido em minhas veias. Aproximei-me do corpo dele no chão, quase sem vida. Sentia seus batimentos diminuírem a cada batida, e reunindo forças entre as lagrimas que começaram a descer eu disse:

-Taylor... Não vá. Eu preciso de você, por favor. - o abracei chorando.
Mas ele não conseguiu responder.

Eu o envolvi com minhas asas, tentando protegê-lo dos olhares curiosos, enquanto os dois homens de preto nos observam esperando apenas que eu simplesmente me levantasse e me despedisse dele. Eu sussurro em seu ouvido:

- Você me ensinou muita coisa, e eu nunca vou me esquecer de você. Eu te amo Taylor Daniel.

Eu o abracei forte de novo, e de repente escutei vários trovões surgirem junto as nuvens pretas no céu. O que era muito estranho, porque estava sol minutos atrás.

Mas as nuvens não eram um sinal de chuva, e sim um sinal de que alguém estava vindo atrás de mim, e eu sabia que esse alguém era meu pai, o rei de Axtrid.

E eu estava certa, porque logo aconteceu. Nuvens negras surgiram no céu, formando um redemoinho feroz, e raios e trovões ecoavam por toda parte. De repente tudo se congelou. Cada pessoa, cada coisa em seu devido lugar, ficou imóvel, como uma cena fotografada.

- Pai?- perguntei já sabendo que se tratava dele.

E do meio daquele redemoinho saiu meu pai voando na minha direção, e ele parecia muito zangado.

- Ariel.- ele disse com seu tom de voz grave, de quando esta bravo.

- Pai eu....- eu tentei explicar
.
- Está vendo o que você causou? Tudo isso!- ele me acusava.

- Me desculpe por ter fugido, eu não quero ser rainha, e nem me casar com Cali!- falei soluçando

- Eu não te perguntei o que você queria! Eu decido o que é melhor para você. - ele berrou.

- E como você sabe o que é melhor pra mim? Eu não vou voltar pra casa! Eu não posso viver em um mundo, onde o amor não exista. Só posso viver, se for com ele. Meu mundo agora é ele, e eu não vou abandoná-lo!- falei entre o choro.

- Então terá que aprender a conviver sem ele, pois se você não sabe, ele não pode sobreviver, a menos que você o deixe.- ele alertou-me

- O Que? Do que você esta falando?- perguntei confusa.

- Isso mesmo o que você ouviu... Se você não voltar para Axtrid sempre existiram pessoas que machucaria ele pra chegar ate você! Venha comigo  ou ele vai morrer.- ele me ameaçou.

- Eu não posso fazer isso! Eu o amo!

- Então o deixe. Se você o ama tanto, volte para casa, e eu o salvarei- ele disse se aproximando.
.
Ele sabia exatamente o que dizer pra me convencer a voltar com ele, eu sabia que meu pai podia fazer mesmo aquilo, só um rei podia fazer coisas assim em Axtrid, e se eu me tornasse rainha, eu teria tudo o que ele tem... Poderia fazer tudo o que ele fazia.

Pensei na sua proposta, e olhando o corpo já sem vida do Taylor em meus braços, eu aceitei seu pedido.

- SIM. Eu vou então, mas com uma condição, que ele fique a salvo, e que ninguém tente machucar ele, para chegar até mim.

- Isso não vai ser um problema, vamos.- disse meu pai, se voltando para o redemoinho que surgia outra vez.

Ele parou e estendeu a mão pra mim esperando minha reação, e logo depois de me despedir do Taylor com um beijo na testa, eu obedeci meu pai deixando Taylor, e seguindo ele por entre as nuvens.


 Nós voamos em direção ao redemoinho que surgiu, e instantes eu não via mais o aeroporto, e tudo voltava ao normal como antes.

Eu estava de volta a Axtrid mesmo contra a minha vontade, e para salvar o amor da minha vida, eu tive que prometer que jamais fugiria de novo, ou jamais voltaria a vê-lo vivo.

4 comentários:

  1. ahhh vou choraaaar continue continue

    ResponderExcluir
  2. continua.quero saber qual vai ser o destino de Ariel sem Taylor

    ResponderExcluir
  3. Continua quero ver o que vai acontecer com o Taylor e com a Ariel.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA