06 junho 2015

Fanfiction: “One Day you hated”– Capítulo: 10


Acordei, era uma segunda feira fria, mais tinha um sol lindo lá fora, sim era sol de inverno, não queria levantar da cama, mas eu tinha, pois as meninas iriam embora com Johnny e o Igor.
Fiz minha higiene matinal e vesti uma roupa, meio sei lá, eu não estava nada legal, por isso vesti qualquer coisa que encontrei, fui para o quarto da Alessa ela estava terminando de fechar suas malas. A Christina também estava lá.

- Prontas? – Perguntei.

- Sim, amiga jura que vai ficar bem?

- Sim, já estou acostumada.

- Promete? – Disse Christina.

- Prometo. Agora vamos se não os meninos vão cansar de esperar vocês.

Descemos e Maria tinha aberto a porta para os meninos.

- Animadas? – Perguntou Igor.

- Sim, mas quero saber para onde vamos! – Disse Alessa.


 - Isso é surpresa minha linda. – Disse Johnny.

- Ei cuidem bem delas tá?  - Pedi.

- Pode deixar com a gente. – Disse Johnny.

- Cadê o Gui?


- Tá no hotel.- Respondeu Johnny.

- Ele também vai para essa tal viagem?

- Na verdade, íamos nós três e vocês três, né, só que aí surgiu esse problema então ele vai voltar para o Rio. – Disse Johnny.

- Ele vai voltar ao Rio hoje? – Perguntei.

- Não. Os vôos para lá atrasaram. ele só deve conseguir ir embora amanha ou quarta. – Respondeu Johnny.

- Me desculpem, não era para ser assim, mas aproveite por mim ta? 

- Pode deixar amiga, mas não fica assim. Se não eu vou ficar com peso no coração de te deixar aqui assim. Ah não vamos todos embora pro Rio não quero deixar a Hilary aqui assim. – Disse Alessa.

- De jeito nenhum, andem, podem ir, quando chegarem me liga

 Quando eles partiram, eu decidi ir até a casa de Taylor. Peguei meu long e fui. Chegando lá, eu estava nervosa, mas já estava lá. Então.


- Oi Daniel, o Taylor está? - Disse ao chegar a porta.

- Está sim, está trancado desde ontem no quarto. – Respondeu ele.

- Posso ir lá?
- Claro. Tenta a sorte. – Disse Daniel.

Caminhei até a porta do quarto de Taylor e bati.

- O que você quer Daniel? – Gritou Taylor.

- Sou eu Hilary. Escutei ele destrancando a porta. Quando ele abriu, me deparei com ele só de cueca Box.  Meu Deus que homem! Eu não ía consegui falar com ele daquele jeito, seminu.

- O que foi? – Perguntou Taylor.

- Podemos conversar?

- Do que adiantaria conversar? – Ele disse chateado.

- Posso entrar.

 - Argh... Entra logo.

Entrei e me sentei na cama. Logo naquela cama. Taylor parou na minha frente. Eu não conseguia raciocinar com ele daquele jeito na minha frente.

- Hilary, Hilary. Hilary.

- Hã que foi?

- Você ia começar a falar, lembra?

- Ah sim, então tem como você vestir uma roupa primeiro, porque eu não estou conseguindo raciocinar.

- Okay.

Ele tirou uma samba canção de dentro do guarda roupa e vestiu uma camisa que estava ali por perto.

- Pode falar.

- Obrigada. Então eu sei que é difícil você entender, mas o Guilherme apareceu de surpresa e já foi pedindo permissão para minha mãe para me deixar namorar com ele, sendo que ele nem me perguntou se eu queria. Olha eu estou amando você de novo, até porque eu vejo que é você que me dá mais valor, só que eu decidi dar um tempo para a minha cabeça. Decidi ficar sozinha por um tempo, até eu ver quem realmente eu amo de verdade, me entende? – Falei.

 - Entendo sim, se você quer esse tempo eu vou dá, eu respeito sua decisão.

- Obrigada, então por enquanto podemos ser amigos somente amigos sem beijo?

- Podemos sim, mas eu quero uma despedida até o seu veredicto final. Topa?

- É pode ser. - Sorri e nos beijamos, fizemos sexo. Dessa vez eu estava sã do que estava fazendo, e ele é incrivelmente maravilhoso e carinhoso. Tomamos um banho e chegou o fim de tarde.

- Preciso ir, tenho que resolver umas coisas.

- Tudo bem, quer que eu te levo?


- Não, você precisa descansar para ir pegar plantão daqui a pouco. Eu to de long, é rapidinho. Dei mais um beijo o último até o veredicto. Cheguei na sala e Daniel estava vendo filme.

- Preciso falar com você, me liga depois okay? - Disse Daniel.

- Okay, tchau. Sai e montei no meu long, cheguei em casa.

- Maria, liga para um taxi para mim.

- É para já. Mandei mensagem para o numero do Guilherme:

Me passa o nome do Hotel que esta hospedado.
Por favor? Hilary.

Ele demorou para responder, mas respondeu, o taxi chegou e dei o nome do Hotel para ele me levar. Chegando à recepção.

- Oi, por favor, Guilherme dos Santos.

- Quarto 3003,3° andar. – Disse o atendente.

- Obrigada. Peguei o elevador, chegando à porta do quarto toquei a campainha. Guilherme abriu a porta.

- Oi, posso entrar?

- Claro, entra. – Disse ele. Entrei no quarto onde ele estava.

- Nada mal.

- É, pois é.

- Olha eu vou ser breve, eu sei que você quer saber por que eu fiquei ou ficava com Taylor, mas é que foi tudo muito rápido, eu não sabia de nada. Contei a historia que minha mãe me contou sobre o passado de quando ela veio para cá, até a parte que Taylor me contou que só queria me defender.

- Ah fala sério essa não cola mais. Ele disse isso porque sabe que você é uma boa pessoa de coração mole. Ainda mais que amava ele, uma brechinha e você fico se entregou.

- Não Guilherme. Ele me reconquistou de novo. Ele me pediu perdão, e eu perdoei e ai rolou e tá difícil porque eu to amando você e ele.

- Me ama como eu te amo?

- Não sei, mas só sei que estou gostando muito de você de verdade. Eu só vim para cá nas minhas férias por causa de você. Porque estava me doendo ver a Andressa se gabando que dormiu com você.

- Esquece ela, e vamos pensar em nós dois daqui para frente. - Disse Guilherme se aproximando de mim.

- Eu tomei uma decisão. Eu decidi que é melhor eu ficar sozinha por enquanto, para mim pensar no que fazer porque ta muito difícil, sei lá vou tentar encher minha cabeça com a dança, eu vou voltar para o Brasil e vou pegar duro nos ensaios. Depois que eu tiver certeza de quem eu quero eu do o veredicto.

- Você tem certeza?

- Sim.

- Okay. – Disse Guilherme. Ele sentou na cama. Abaixou a cabeça.

- Hilary eu to te amando demais, é um sentimento que não esta cabendo dentro de mim. Eu vacilei de ter ficado com a Andressa e sim eu vou colocar a culpa na bebida, porque sim eu estava bêbado.

- Guilherme não quero mais falar disso, okay? Agora eu tenho que ir.

- Espera. Eu não mereço nem um beijo?

-É melhor não. – Falei, mas era tarde demais. Ele se aproximou muito.  nunca tinha rolado sexo entre eu e o Gui. Sempre que estávamos quase eu fugia, porque eu não queria me entregar facilmente, mais dessa vez não teve como.

Ele me deitou de leve na cama, e foi tirando minha roupa, e assim rolou. Guilherme dormiu e eu levantei bem devagar, e fui embora. Chegando em casa minha mãe estava na sala com Kevin vendo TV.

- Oi boa noite gente.

-Oi filha estava onde? Cadê as meninas?

- Boa noite. – Disse Kevin.

- As meninas foram curtir o final das férias com os novos namorados e eu fui dar uma volta.

- E para onde eles foram? – perguntou minha mãe.

- Não sei. Os meninos disseram que era surpresa. Mas eu pedi que quando elas chegassem que me ligassem.

- A mãe delas já sabe?

- Já deve saber sim mãe, vou comer algo.

- A Maria deixou um prato para você no micro ondas. Esquentei a comida e comi, bebi algo e subi para o meu quarto. Tomei um banho relaxante e deitei e dormi, o dia foi bem cansativo.



Um comentário:

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA