09 junho 2015

Fanfiction: A VIAGEM - Capítulo 22: Apenas me ignore


~ Pov de Henrique ~

Desde o que aconteceu não falei mais com Dany, não por falta de tentativa e sim porque meu pai e Nanda me proibiram de falar com ela sobre o assunto. É estranho estar na mesma casa com ela e não poder lhe dirigir a palavra. Falei tudo o que realmente aconteceu e quem disse que meu pai e Nanda me escutaram? Me irrita o fato de que nem meu próprio pai acredita em mim.

A regra agora é ir para a faculdade, depois para empresa do meu pai e finalmente casa. Ele me proibiu de telefonar ou ir à casa de Léo, nossa amizade só se restringia a faculdade, fora isso eu não poderia fazer mais nada, vida social? Não terei mais graças ao idiota do Taylor. O que mais dói é saber que Dany não quer saber de mim, nem mesmo como amigo. Nathy tentou saber o nosso lado da história, mas como já esperava ela não acreditou alegando que conhecia pouco o Taylor, mas foi o suficiente para saber que ele não seria capaz de algo tão baixo.

A semana começou tensa, íamos juntos para a faculdade junto com meu pai e chagando lá cada um seguia o seu caminho. Era irritante ver a cara de deboche de Gabriel, algo me dizia que isso tudo tinha dedo dele. Já as meninas estavam estranhas uma com as outras, Hellen parecia toda feliz já Karen era um mal humor de dar medo. Eu estava na diretoria, sentado esperando meu professor quando de repente Dany aparece, mas ao me ver ela ficou tensa e se sentou em duas poltronas ao meu lado, ela parecia tensa. Só havia nós dois no local, então aproveitei para puxar assunto.

_ Oi. –Eu disse receoso, mas não ouve resposta. – Até quando vai continuar a me ignorar?

_ Até eu completar a maioridade, depois disso saio da sua casa.

_ A casa também é sua.

_ Não... Não é. Aquela casa pertence a você e seu pai e a minha mãe por ter casado com o seu pai.

_ Por você ser filha da Nanda te dá o direito a...

_ Já disse que não. –Ela parecia bastante irritada. – Eu vim apenas para fazer a faculdade não tenho nada haver com as decisões da minha mãe. Não quero que ela me inclua a nada de sua nova vida. Assim que eu completar 18 vou morar sozinha e ter minha própria vida.

_ Como você vai fazer faculdade? Você nem trabalha!

_ Já estou correndo atrás de um emprego, não se preocupe quanto a isso.

_ A Nanda não vai concordar com isso.

_ Sempre fui independente como ela, com toda certeza ela não vai se opor a isso.

_ Com certeza ela vai te colocar na empresa...

_ Não quero nada que venha de vocês ou você não entendeu ainda? Não tente querer me encaixar nessa nova família porque eu faço questão de não pertencer a ela. Minha mãe me deixou pra ter uma nova vida, só estou aqui pela faculdade, então não insista em algo que nunca vai acontecer.

_ Você não acredita em mim não é? Eu não tenho nada haver com o lance do seu diário! Eu não tenho de o porquê te zoar pelo simples fato de que te amo! O que eu tenho que fazer pra você acreditar em mim?

_ Nada que você diga vai me fazer me mudar de ideia! –Ela disse se levantando. – Então por favor... Apenas me ignore, não é tão difícil.

Sem dizer mais nada ela saiu e me deixou ali sozinho. Muitas coisas se passavam em minha cabeça, como eu perdi a garota que amo sem ter realmente culpa? Ser acusado por algo que não fiz. Pensando nisso saí da diretoria e fui direto pra casa, eu precisava de um tempo para pensar. Assim que cheguei fui direto para meu quarto e cai na cama chorando feito criança. Me recuso a aceitar isso assim tão facilmente. Não sei por quanto tempo fiquei ali chorando desesperadamente quando minha porta foi aberta e logo meu pai apareceu com uma cara séria.

_ Por favor, sem discussões ok, só quero ficar sozinho. Estou cansado de todos me julgarem por algo que não fiz e não ter como provar.

_ Eu acredito em você. –Ele disse vindo em minha direção e se sentando na beira da cama. – Você é meu filho.

_ Não quero que você acredite em mim porque sou seu filho e sim porque você confia em mim. –Eu disse pegando o travesseiro e colocando em meu rosto. – Você disse para eu lutar por ela da maneira certa e olha no que deu! A perdi por uma mentira deslavada! Eu só quero saber como é que aquela agenda foi parar nas minhas coisas! –Eu disse chorando mais ainda.

_ Fique calmo ok. Já que você a ama tanto prove seu amor por ela! Vá atrás da verdade!

_ Como?! A Dany não quer saber de mim! Como vou provar que foi aquele idiota que pegou a agenda dela?!

_ Vou te ajudar nessa.

_ E eu posso saber como?

_ Posso mexer meus pauzinhos, mandar vigiar o cara, colocar escutas...

_ Você anda vendo muito filme de espionagem pai. –Eu disse desanimado. – Isso não vai dar certo, sem contar que o senhor pode ir preso por causa disso.

_ Então faça do modo mais simples, arranque a confirmação dele, dê um jeito de gravar e mostre a Dany.

_ Esse é o problema pai! A Nanda já mandou eu ficar longe dos dois!

_ Eu sei que você vai dar um jeito, confio em você. E se precisar de algo é só vir falar comigo.

_ Obrigado pai. –Eu disse sentando na cama e enxugando as lagrimas que ainda escorriam por meu rosto.

_ Pelo que?

_ Pelo voto de confiança. Vou tentar o meu melhor.

_ Você é o melhor Henrique, vá e desbanque o seu rival com classe ok, mostre do que os Dansky são capazes.

Se é guerra que esse cara quer... É guerra que ele terá.


Um comentário:

  1. Ta certo que o Henrique e do mau mas ele não merece sofrer assim. A fic ta ótima mas achei esse capítulo muito curto. Continua

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA