02 julho 2015

Fanfic: I know is forever - Capítulo 14


Capa: BWD | Fic: Jessica Fraga | Beta: Mariana Leticia

POV: Lily

Depois de tudo que o Ian disse eu não tinha palavras para expressar, só pude pensar em como ele é um grande homem e como deve ter sido difícil para a sua mãe ser pai e mãe ao mesmo tempo. Não imagino a minha vida sem o meu pai e sem a minha mãe, eu sei que a perdi mais sei que seria pior se tivesse nascido sem ela ao meu lado em todos esses anos.


­ Acho melhor irmos descansar. – Ian se manifestou
­ Não vamos acompanhar sua mãe e seu irmão no jantar? – perguntei em dúvida.
­ Não, eu me esqueci de avisar que tínhamos lanchado antes – eu tinha lembrado que tinha comido só que não quis fazer desfeita – você ainda quer comer algo? Se quiser podemos acompanha-los no jantar.
­ Não, eu estou satisfeita obrigada.
­ Vamos para a sala de jantar avisar a minha mãe que iremos ir para os nossos quartos– assenti e fomos em direção à sala de jantar chegando lá tinha uma grande mesa que deveria ter uns 20 lugares e em alguns deles estavam Theo e Edna sentados.
­ Mãe nós já comemos e amanhã será um longo dia preferimos ir dormir. – ela se levantou e veio até nós
­Eu entendo vocês devem estar ansiosos para o grande dia – disse dando um beijo no rosto do Ian – vão descansar foi um longo dia para todos nós principalmente para os noivos, o nosso dia em família terá que ser adiado, pois eu acho que a noiva deve querer ver como anda os preparativos para o casamento – me deu um beijo no rosto e depois nos desejou boa noite e fomos em direção à escada, paramos quando ouvimos chamarem o Ian.
­ Sr. Somerhalder? – um homem chamou.
­ Sim, Taylor.
­ Queria saber se ainda vai precisar dos meus serviços.
­ Por hoje foi só pode ir descansar, na verdade espere um pouco. – ele se virou para mim – Lily esse é o Taylor meu motorista e amigo Taylor essa é a Lily minha noiva – então esse é o verdadeiro Taylor afinal.
­ Prazer – disse simpática
­ O prazer é todo meu senhorita – demos um aperto de mão.
­ Pode ir Taylor tenha uma boa noite.
­ Obrigado Senhor igualmente – se retirou.
­ Podemos ir agora – disse Ian, subimos as escadas paramos na porta do meu quarto – Boa noite e até amanhã.
­ Boa noite – respondi e abri a porta do meu quarto encontrando Lucia arrumando a minha cama.
­ Boa noite Lily, gostaria de algo? – perguntou
­ Não, muito obrigada agora eu só desejo dormir.
­ Tenha uma boa noite de sono senhorita – estava indo tão bem ela me chamando de Lily – quer dizer... Lily
­ Uma hora você se acostuma Lucia não se preocupe, lembre que eu sou só uma amiga – falei lhe dando um sorriso reconfortante enquanto ela saia do meu quarto, fui pegar uma roupa e logo em seguida batem na porta.
­ Lucia está tudo bem eu não preciso de mais nada muito obrigada – disse um pouco auto para que ela pudesse ouvir do lado de fora
­ Não é a Lucia – podia está enganada mais essa era a voz do... Theo?? Fui para a porta e a abri dando de cara com ele.
­ Algum problema? – perguntei sem entender o motivo de estar na porta do meu quarto a essa hora da noite
­ Sim e não – olhei para ele totalmente sem entente e ele pareceu entender o meu olhar – eu só queria ficar um tempo com a minha cunhada, como amanhã você deve passar o dia todo com a minha mãe e depois já é o seu casamento pensei que poderíamos nos conhecer melhor agora o que me diz?
­ Claro, aonde poderemos ir?
­ O que acha do jardim? – respondeu com outra pergunta
­ Eu adoraria – ele me deu seu braço fechei a porta e seguimos rumo ao jardim chegando lá encontrei diversas flores uma mais linda que a outra e de cores variadas – nossa aqui é lindo!
­ É sim, o Ian ama flores e por isso a nossa mãe fez todo esse jardim para ele – era um lugar tão lindo e calmo me trazia paz algo que há muito tempo eu não sentia, sentamos em um dos bancos que tinha por ali.
­ Não sabia que o Ian gostava de flores. – disse parando para perceber que não sabia nada sobre a vida do Ian, as maiorias das nossas conversas eram sobre a minha vida.
­ Ele ama flores desde criança, mais o motivo de estarmos aqui não é para falar sobre o Ian eu já sei tudo sobre ele, me fale sobre vocês – fiz cara de confusa – sobre como se conheceram.
­ Nós nos conhecemos há pouco tempo...
­ E já vão casar? Não acha um pouco rápido?
­ Na verdade foi o Ian que propôs casamento. – ele era irmão não tinha problema contar, se ele já não soubesse a verdade.
­ Nossa eu não sabia que o meu irmão fosse querer casar assim sem conhecer a pessoa direito.
­ Eu acho que esse casamento fará bem para gente.
­ Vocês se amam? – fez a pergunta obvia logo de uma vez.
­ Na verdade não, nós nem nos conhecemos. – suspirei frustrada
­ E por que vão se casar?
­ Ele mandou uma carta para o meu pai me pedindo em casamento e ele aceitou ­ ele me olhou de uma forma estranha.
­ Uma carta? – assenti – e você chegou a ver essa carta?
­ Não, nunca me interessei em vê-la.
­ O Ian já te conhecia antes de mandar a carta? – perguntou interessado no assunto.
­ Não, nenhum de nós dois nos conhecíamos. – disse esclarecendo.
Ficamos conversando mais algum tempo, conheci melhor o Theo e posso dizer que é um homem surpreendente. Ele viaja o mundo nunca sabe para aonde vai quanto tempo ficará e se voltará, e isso me fez pensar em como deve ser prazeroso ter uma vida assim. Falamos sobre
varias coisas mais foi ficando tarde e eu me despedi, depois desse longo e produtivo dia eu fui para o quarto para dormi porque amanhã verei os preparativos para o casamento com a Edna. Tomei um banho me arrumando para dormir, me deitei e nem percebi que já tinha dormido. Levantei e tinha uma bandeja com o meu café da manhã e um bilhete rapidamente o peguei e li.
“Bom dia!!! Fui ao seu quarto levar o café e ainda estava dormindo não quis te acordar, pois ainda temos um longo dia pela frente, quando terminar me encontre no salão. Beijos de sua nova mãe”
Edna é uma mulher incrível nem percebi que tinha lido o bilhete com um sorriso no rosto, rapidamente comi o que estava na bandeja e fui ao seu encontro no salão claro que tive que perguntar onde ele ficava eu ainda não sabia me achar naquela casa, chegando ao salão encontrei Edna.
­ Minha querida! Dormiu bem? – perguntou como sempre simpática.
­ Dormi muito bem obrigada.
­ Sente-se porque agora irei mostrar o andamento do casamento. – ela pegou o seu laptop e começou a entrar em várias pastas e arquivos – agora vou mostrar como será a arrumação do jardim.
­ Jardim?
­ Sim, lá que será o casamento de vocês. – me surpreendi com a afirmação mais fiquei feliz por ser em um lugar tão lindo como aquele, ela sorriu ao achar o que queria – essa será a arrumação do jardim – ela virou o computador e eu pude ver no meio tinha um tapete vermelho com uma linha em cada lado feita por flores brancas e em cada lado tinha quatro arranjos de rosas, brancas em um vaso de vidro, e dos lados tinham vários cadeiras todas brancas com um X no encosto delas.
­ Nossa, está magnifico.
­ Você gostaria de mudar algo?
­ Eu posso? – ela assentiu – eu fui ao jardim ontem e eu acho que ficaria lindo se tivessem nos vasos, rosas brancas e lilás.
­ Uma ótima ideia – ela anotou algo – agora vamos para o bolo.
O bolo era todo branco de três andares quadrado, tinha uma fita do primeiro andar do bolo ao ultimo com uma flor no primeiro andar e no segundo e tudo era branco, embaixo do bolo tinha um pano rendado e que também era branco.
­ O bolo é simplesmente lindo.
­ Fico feliz que tenha gostado essa parte eu fiz questão de escolher ­ depois disso vimos as mesas para os convidados e claro dei a minha opinião nela também, tinha que ver a mesa que ficaria o bolo eu queria bastante flores nada muito exagerado é claro, nunca pensei que organizar um casamento desses daria tanto trabalho mesmo eu tendo ficado com a parte de só ver o que escolheram, no final de tudo eu só não sabia da minha roupa e da do Ian.
­ Ficamos tão entretidas que nem vi o tempo passar. – e quando fui ver já havia passado das sete da noite – vamos que você ainda tem um jantar com seu noivo e tem que dormir cedo, ninguém quer uma noiva com olheiras amanhã. – saímos do salão e fui direto para o quarto tomei
banho e coloquei um vestido simples coral, como eu iria jantar com o Ian agora que fui perceber que não vejo meu pai desde ontem, terminei de me arrumar e ouvi batidas na porta do quarto abri e lá estava o Ian com calça e camisa azul marinho social.
­ Minha mãe disse que temos um jantar.
­ Ela acabou de me avisar.
­ Vamos? – perguntou me oferecendo o braço.
­ Sim. – peguei em seu braço e seguimos para o final do corredor e quando o Ian abriu a porta eu percebi que era um quarto.
­ Aqui é o meu quarto. – olhei para ele confusa, não era um simples quarto era o seu quarto.
– não olhe para mim assim, foi a minha mãe que me mandou te trazer aqui disse que estava tudo pronto. – foi então que eu percebi que tinha uma mesa posta para duas pessoas no canto do quarto, ele puxou a cadeira para eu me sentar.
­ Obrigada! – olhei no prato e havia um tipo de peixe, começamos a comer enquanto conversávamos sobre coisas aleatórias até que não teve escapatória e chegou o assunto tão esperado o casamento.
­ Conseguiu ver os preparativos com a minha mãe? – assenti.
­ Está tudo perfeito!
­ Que bom que gostou. – seus olhos brilhavam.
­ Eu só não vi o meu vestido.
­ Eu também não – deu um sorriso – não se preocupe foi a minha mãe que o escolheu.
­ Se esta com ela está em boas mãos.
­ Pode ter certeza que sim! – ele se levantou e voltou com um bilhete – ela pediu para lhe entregar isso.
­ Sua mãe e seus bilhetes! – ele me olhou confuso – de manhã ela me mandou o café da manhã e junto havia um bilhete.
­ Pode se acostumar ela sempre faz isso– abri o bilhete: “Minha querida nora, venho avisar que já deve está tarde e precisa dormir cedo amanhã
teremos um longo dia e não queremos a noiva cansada. De boa noite a esse meu filho e vá direto para seu quarto. E eu já ia me esquecendo de que amanhã quando acordar terá uma surpresa em seu quarto Beijos de sua nova mãe” Ri ao termino do bilhete.
­ Parece que devo ir. – disse e ele pareceu triste – não queremos uma noiva cheia de olheiras amanhã.
­ Tem razão, eu desistiria do casamento na hora.
­ Nada que uma maquiagem não resolva! – eu ri e levantei – devo ir agora, nos vemos amanhã. – ele me levou até a porta e nós despedimos, fui para o quarto e me arrumei para deitar quando sai do banheiro encontro meu pai sentado na minha cama
­ Minha filha eu não te vi o dia todo e vim te dar boa noite antes do seu grande dia chegar.
­ Ah pai! – disse indo em sua direção e o abraçando forte.
­ Seu quiser ainda pode desistir.
­ Não vou pai, já tomei a minha decisão.
­ Tudo bem filha, só quero que saiba que irei te apoiar – ele suspirou – sempre.
­ Sempre. – sai dos seus braços.
­ A sua mãe saberia o que dizer nessa hora.
­ Eu sei – dei um sorriso – ela sempre sabia o que me falar como você sabe me abraçar – nos abraçamos de novo e ele me soltou.
­ Vou deixa-la dormir. – me deitou e me tapou com as cobertas depositou um beijo na testa igual quando fazia quando eu  era criança – você sempre será a minha princesinha.
­ Boa noite! – disse já ficando sonolenta.
­ Boa noite, meu amor.

Naquela noite ao invés de eu ficar preocupada, pois o grande dia enfim chegaria, eu não me abalei e pode até ser loucura mais essa foi uma das melhores noites da minha vida enfim irei construir a minha história e irei dar os meus passos, nunca pensei que chegaria até aqui como cheguei, e nem que seria tão rápido! mais agora estou aqui e nada me impedi de ser feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA