24 julho 2015

Fanfic: I know is forever – Capítulo 17


Capa: BWD | Fic: Jessica Fraga | Beta: Erica Rocha

POV. Ian

      Faltavam dois dias para que eu me encontrasse com Lily novamente, o que parecia uma longa eternidade para mim. Eu contava cada minuto, cada segundo, que pareciam não passar. Nestes dois dias que se seguiram decidi ocupar minha cabeça, portanto resolvi algumas pendências da empresa em Nova York antes de voltar à Londres. Com isso os dias passaram rápido com a quantidade de trabalho.


    Enfim havia chegado o grande dia em que eu saberia como estava a minha Lily. Obviamente eu sabia que ela estava bem, pois sempre havia um segurança a vigiando e a casa também, no entanto, não era o mesmo que contemplá-la, tocá-la ou ouvi-la. Vesti uma roupa de motorista, segui para sua casa e mandei meus seguranças avisarem que o motorista já estava a caminho. Ao chegar à casa fui recebido por Luiza.
      — Eu sei que você vai embora — disse ela com tristeza.
      Agachei-me para ficar da mesma altura que ela.
      — E quem te disse isso? — perguntei, observando-a.
   — Minha mãe. E eu também sei que Lily vai embora. Você veio buscá-la — Luiza respondeu desanimada. – No fim, vocês dois vão embora.
    — Eu venho visitá-la afirmei.
     Seus olhos brilharam ao ouvir as palavras.
    — Promete? perguntou esperançosa.
    — É claro eu nunca poderei dizer não a essa menina.
    — De dedinho? Luiza perguntou, e uma expressão manhosa surgiu em seu rosto.
     Eu ri com a sua infantilidade.
    — De dedinho confirmei sorrindo, enlaçando meu dedo mindinho ao dela.
     A mãe de Luiza surgiu no ambiente. Quando me, disse-me por fim:
    — Estão o esperando na sala, me acompanhe ela começou a me guiar. – É por ali – indicou com a cabeça uma porta larga no corredor.
    — Obrigado — agradeci. Olhei uma última vez para Luiza, e sorri, acenando levemente com a cabeça.
     Virei-me em direção à sala. Quando estava quase chegando à sala, ouvi o pai de Lily lhe dizer algumas palavras.
    — Aí está você, achei que tinha desistido houve uma pausa. Ela pensou em desistir? Não se preocupe meu amor, tudo dará certo. Estarei lá para entrar com você na igreja e, infelizmente, ele acabou me vendo na porta. — Filha, esse é o motorista que te levará à Londres.
      Lily se virou e pude admirar tamanha beleza. Percebi em seu olhar um misto de confusão e susto, e nos meus lábios um sorriso estampado.
     — Você? ela ficou parada me fitando.
      Seu pai se manifestou por nós:
    — Minha filha, esse é Taylor, o motorista que irá acompanhá-la até o seu destino. — ele se voltou para mim. — Taylor, essa é Lily, minha filha.
       Eu sorri e ela retribuiu.
   — Taylor, será que você poderia nos dar licença para nos despedirmos? — seu pai perguntou.
      — Claro, me desculpe, estarei esperando lá fora — virei-me e me retirei da sala.
      Segui para a saída da casa. Esperei alguns minutos, que me pareceram uma eternidade. Então, enfim saíram da casa, e pararam ao meu lado. Lily fez algo que não me surpreendeu, pela pessoa maravilhosa que ela era, mas me fez admirá-la ainda mais: ela abraçou e beijou cada empregado. Entretanto, quando estava indo em direção ao seu pai, pude notar seu choro.
      — Vai dar tudo certo, filha. Lembre-se do que conversamos — seu pai falava em seu ouvido, e parecia que ela chorava cada vez mais. — Na próxima semana estarei lá para o seu casamento.
      Por fim, abraçaram-se fortemente e se separaram.
     Quando chegássemos lá Lily teria a surpresa de ver seu pai. Não queria que ela sofresse pela perda.
     — Te amo muito, pai. E pode deixar que eu serei a melhor esposa que esse homem poderia ter.
      — Não tenho dúvidas que você será.
   Abri a porta do carro para que Lily pudesse entrar. Fechei a porta e fui para frente, ocupando o lugar do motorista. Liguei o carro, e pelo retrovisor pude vê-la olhando para sua casa.
      — Você está bem? — chamei sua atenção.
     — Não, mas vou ficar — irei fazer de tudo para que fique, pensei. — Você sabia que eu era a futura esposa do seu patrão?
      — Apenas sabia que quando eu te contaria você já tinha que sair, e como iriamos nos ver em breve, não teria problema. — Eu não iria falar. Conhecê-la antes foi melhor que o esperado. — Então, animada para conhecer Londres?
     — Para falar a verdade, sempre quis conhecer Londres. Só que pela situação que estou indo, conhecê-la não me anima nem um pouco. Preferia nem conhecer — eu não posso mentir dizendo que essa resposta me deixou contente. — Mas fico muito feliz em saber que vamos nos ver por lá. — fez uma pausa. — Agora quero saber de você. Trabalha há muito tempo para o Sr. Somerhalder?
      — Não, comecei há pouco tempo. E você não deveria chamá-lo assim. Quer dizer, ele será seu marido — me sentia mal mentindo para ela.
      — Eu sei, mas terá coisas sobre mim que ele nunca saberá. E para que isso aconteça acho bom o tratar com formalidade — disse Lily, parecendo perceber o erro que cometeu ao falar.
      — Como assim? — queria entender sobre o que ela estava falando.
     — Meu pai me pediu para não contar certas coisas a ele, então acho que não serei eu quem estará se casando com ele, e sim uma garota que precisa manter as aparências.
      Lily ia me esconder sobre a sua vida?
      — Se não for muito incomodo — não queria que ela me achasse indiscreto, mas a minha curiosidade sempre falou mais alto. — O que o Sr. Somerhalder não pode saber?
      — Gosto muito de fazer amizades com os empregados e também de fazer as tarefas de casa. Sempre fiz isso em minha casa. Mas, para casar com um homem como ele eu não posso fazer nada disso, e essas coisas são algumas das minhas características — Lily confessou-me. — Eu teria que abandoná-las por ele — ela soltou um suspiro.
      — Me desculpe por me meter nesse assunto, mas acho que ele deverá gostar de você pelo que é, e não pelo que as pessoas dizem.
    Eu nunca deixaria de gostar de você por causa disso, isso a faz ser digna, disse eu mentalmente.
      — Você tem razão — ela sorriu levemente. — Agora vamos mudar de assunto. Para onde estamos indo nesse momento?
      — Bem, vamos pegar um jatinho daqui a vinte minutos, direto para Londres.
    Meu celular tocou antes que eu pudesse continuar a dizer. Atendi a chamada. Recebi a notícia de que tudo estava certo para o dia seguinte. Comuniquei que cuidaria de tudo e finalizei a chamada.
      Olhei para Lily.
      — Mudança de planos. O jatinho não saiu de Londres, teremos que ficar aqui até amanhã. Dormiremos em um hotel que é próximo ao local em que pegaremos o jatinho bem cedo. Já estão ligando para fazer a nossa reserva no hotel — comuniquei a ela.
      — Tudo bem — concordou.
      Dirigi o automóvel em direção ao hotel. O plano estava dando certo. Eu ficaria o maior tempo possível com Lily.
      Segui rumo ao hotel. O caminho foi feito em silêncio. Não foi agradável, mas por Lily estar ali atrás, fez toda a diferença. Alguns longos minutos depois, chegamos ao hotel. Resolvemos tudo e seguimos para o quarto. Entramos acompanhados pelos entregadores que logo colocaram as malas e saíram.
      — Não vai descansar no seu quarto? — Lily perguntou. — Você deve estar cansado, e amanhã teremos uma viagem longa pela frente.
      Olhei em sua direção sorrindo.
     — Eu acho que me esqueci de avisar. Nós vamos ficar no mesmo quarto — a observei enquanto esperava sua reação.
      — Como é que é?! — Lily exclamou inteiramente surpresa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA