25 julho 2015

Fanfiction: Ela é para o meu irmão - Cap 36

Texto Fic: Jéssica keli/ @Jessica_keli

Beijamos ainda ouvindo o celular tocar e ele tentou levantar para pega-lo mas o impedi.
-Emili.. deve ser sua mãe ou a minha.
-idaí?                    Voltei distribuir beijos em seu pescoço.

-idaí que disseram para termos juízo.
-idai?                     Ignorei seu comentário.
Riu tentando se afastar,  -idai, que cadê o seu?
Olhei em seus olhos e sorri,       -a culpa é toda sua, foi você quem o roubou.
Sorriu se arrastando na cama procurando sua calça para pegar o celular.
 Então desisti de beija-lo e me cobri com o lençol e ele me olhou e sorriu.
Perguntei intrigada com seu silencio,    -oque foi? Não vai pegar o celular?
Sorriu voltando ao meu lado, -não..
Achei que deveria lembra-lo, estava com tanta pressa um tempo atrás.
 -você precisa ir embora, esqueceu?
-Eu não quero sair daqui nunca mais Você tinha razão, não tenho forças nenhuma pra sair dessa cama.
Fazendo-me rir me abraçou.
Paramos um olhando nos olhos do outro e ele sussurrou, -eu não acredito no que esta acontecendo.
-nem eu..           Sorri sem jeito admirando seus olhos.
-parece que nada é real..
-Estou com medo de acordar e se estivermos dormindo?
Ele riu e me beijou. Tive a necessidade de dizer novamente, -Taylor. Eu te amo.
Ele sorriu e me beijou novamente.
Estranhei por não vê-lo dizer um simples “Eu também” ou um “Eu te amo”, será que eu deveria quase morrer outra vez para ouvir isto novamente?
Ele percebeu minha expressão pensativa, Perguntou inocentemente,                -o que foi?
-nada, nada..    Tentei sorrir.
Ele alisou meus cabelos e me aconcheguei em seus braços pensativa.
- - - - - - - - - - - -
Minha mãe e Adria foram para casa depois da festa, chegando na frente de casa minha mãe deu de cara com dona Marli, -Oi!             Disse minha mãe muito animada enquanto Adria pedia licença para entrar em casa.
Marli com expressão entristecida e preocupada respondeu, -Oi..
Minha mãe como sempre muito hospitaleira se preocupou, -Dona Marli, esta tudo bem?
-Esta sim, só tive um pressentimento ruim, a Emili esta bem?
Minha mãe se preocupou, tinha algo haver comigo?
-ela esta bem, mais não entendi.. como assim, pressentimento? Tem haver com a Emi?
Marli se arrependeu, -Ah.. esquece, perdoe-me por preocupa-la, eu preciso ir.
Minha mãe se pôs em sua frente mostrando que ela não sairia enquanto não contasse realmente oque estava sentindo.
-é serio, tem haver com a Emili?
Marli indagou se entregando aos seus pressentimentos.
Minha mãe sentou-se com ela na varanda de casa.
-Conta Marli, oque foi? Adria me disse que você tem um dom de interpretar as coisas, bom não acredito muito, mais é sempre bom ouvir, se não fosse verdade você não estaria com esta cara..
Marli olhou para o chão pensando se diria ou não e minha mãe a olhou e insistiu.
-hem?
Respirou fundo, -Sonhei que a Emili estava correndo de alguém e quando chegava próximo a um precipício ela poderia escolher, voltar o caminho que percorreu ou pular.
Minha mãe como sempre mostrou com suas expressões o quanto estava pasma pelo oque ouvia.
-E ai? Oque aconteceu?
-Ela preferiu pular e foi horrível porque quando ela pulou pude sentir uma sensação estranha, como se algo me sufocasse, tenho medo disto ser oque ela irá sentir.
Minha mãe tentou pensar em algo que fizesse com que nada do que ela disse fosse virar verdade um dia. –Estou preocupada Suêmi.. nunca falhei em nenhuma interpretação..
Minha mãe indagou preocupada. –Obrigado por me contar, iremos ficar de olho nela, esta bem? Você me ajuda?
Sorriu minha mãe e Marli retribuiu confirmando com a cabeça.
Ao se levantarem Marli se despediu e minha mãe entrou em casa e trancou a porta parando pensativa.
-Cadê a Emi? – pulou de susto ao ouvir a voz rouca de Evan.
-Ai que susto Evan! – Ela o olhou sentado na cadeira e se aproximou dele.
Tirou a jaqueta e o olhou sentado na cadeira com os olhos avermelhados.
-Emili não conseguiria descansar com você aqui.
-Ela ficou lá?      Ameaçou a levantar e minha mãe o impediu.
-não, não esta lá e você não vai atrás dela.
-mais.
-mais nada Evan, chega. Será que você não vê que a Emili não quer nada com você?
Afirmou.
-Eu vejo que ela tenta dizer que não quer nada comigo, mais ela ainda me ama, ela só esta encantada porque aquele cara é o ídolo dela desde pequena.
Minha mãe jogou o olhar para o alto e ele continuou.
-Sei que você também não concorda com oque ela esta fazendo agora, achando que aquele cara é o amor da vida dela, quando ela ver que ele não a ama, ela vai voltar pra mim e eu estarei aqui!
Minha mãe arregalou os olhos e soltou um ar descrente com oque ouvia.
 -Evan, Cadê sua alto estima, você esta se ouvindo?
Ele ficou sem graça, olhou para os lados antes de responder, -Estou, mais, eu fui muito idiota e é isto que ela quer que eu sinta.
-e Você vai mesmo deixar que ela se vingue de você? Te faça sentir este desespero.
Ele mostrou-se sem jeito,           -Eu amo a Emili, não vou desistir dela.
-Ela não quer mais nada com você, entenda, ela só irá te machucar Evan, vá embora enquanto é tempo, se não só irá se machucar.
Ele a olhou segurando as lagrimas.
-Desculpe dona Suêmi, queria realmente dar ouvidos à você, mas o fato é que eu não consigo, eu tenho que tentar se não irei pensar nisto por toda a minha vida. Eu só preciso tentar.
Minha mãe percebeu seus brilharem. Ele estava muito esperançoso por mais que ouvisse todos os nãos.
-Sabe que isto não será fácil, não é mesmo?
-sei.
-Sabe que ela pode machucar você, querer se vingar e mais, não sabe?
-sei.
Minha mãe se assustou com suas respostas,     -esta disposto a isto Evan?
-Eu vou lutar, esperar, até ela voltar pra mim.
Minha mãe levantou as sobrancelhas surpresa com tudo que ouvia.
Passou as mãos no rosto, não sabia ao certo se era algo bom ou algo ruim ve-lo tão determinado à querer se entender comigo.
Sentou ao seu lado pensando o quanto a família dele estaria sofrendo.
-Seus pais sabem que você esta aqui?
-Sabem..
-como eles reagiram ao saber oque te motivou a ficar aqui?
-meu pai me acha um idiota, minha irmã e minha mãe estão muito preocupadas.
-e seu irmão mais velho?
-ele esta à trabalho, esta organizando alguns shows para nós, ele ainda não sabe..
Minha mãe passou as mãos no rosto, -E oque você irá fazer quando ele voltar?
-irei fazer meu trabalho e irei voltar, Adria e Trevan me deixaram ficar por um tempo no quarto de lá de cima com a condição de deixar a Emili em paz.
-mais.
-eu sei é loucura, mais eu preciso tentar esta bem? Se todas as minhas tentativas não foram concretizadas eu prometo que irei embora, esta bem?
-Evan, eu penso na sua mãe.. ela vai ficar tão triste longe de você, ainda mais por este motivo ela.
-eu sei que minha mãe quer o meu bem, mais sem a Emili não dá, ela vai entender..
Minha mãe o olhou e tentou compreendê-lo, ela sempre foi uma pessoa compreensiva e justa, mais não entendia como ela poderia ver algo justo em tê-lo em casa.
-Esta bem, você quer ficar não é mesmo?
Ele confirmou com a cabeça secando os olhos antes que caísse as lagrimas.
-Eles colocaram condições e eu as acrescentarei também.
Ele sorriu, -Deixar a Emili em paz também é, não tente nada que ela não quiser. Ouviu bem?
Ele sorriu, -porque vocês acham que eu irei fazer algo que ela não queira? Eu me sinto mal ouvindo estas coisas.
-Vamos dizer que, você não tem exemplos bons, não é mesmo?
Ele riu, -nem ruins assim.
-Verdade.    Minha mãe riu, -Mais vacilou com ela, se não tivesse vacilado ela ainda estaria com você no Brasil.
-Lembrar disto todos os dias é oque mais doi..
-Imagino.. -Bom, vamos dormir. Emili esta muito bem e irei conversar com ela amanhã sobre você ficar aqui, esta bem?
Ele confirmou mostrando tristeza, sabia que eu o odiaria mais ainda por querer ficar ali.
- - - -
No outro dia no Hotel depois de Taylor ir embora sem ninguém descobrir minha mãe chegou querendo conversar sobre o Evan ficar em nossa casa.
-Oque?                  Perguntei desesperada ouvindo as explicações dela.
-mais Emili ele prometeu que
-Não importa mãe, ele não vai cumprir!
-Vai sim, ele disse há mim.
-Mãe, não dá eu não entrar naquela casa se ele estiver.
-há, esta com medo do que? Você não disse que não ama mais ele? Então não tem porque ter medo!
Joguei-me na cama, era claro que eu ainda amava aquele idiota! Mais não tinha ideia do que iria sentir se ficasse muito tempo perto dele. Pensei em oque Taylor tinha dito. Meus Deus oque eu faria!
-Filha se não sente mais nada por ele, então será supernormal, até sentirá repulsa por vê-lo lá.
Não tinha como esconder estas coisas da minha mãe, ser sincera com ela me ajudaria.
-Mãe eu ainda gosto dele..
-Ai meu Deus.. não entendo, porque ? você disse que gosta do Taylor oque esta havendo com você?
Indaguei levantando-me.
-mãe eu estava longe do Evan, pensei que havia esquecido, quando conheci o Taylor achei que não gostava de nenhum dos dois, der repente eu gostei tanto do Taylor que achei que o Evan nunca mais existiria no meu coração e ai der repente ele volta e bagunçou todos os meus sentimentos. Parece que eu gosto dos dois, eu realmente não entendo!
Sentei-me na cama sentindo as primeiras lagrimas caírem.
Pensei por um momento no Taylor, em como ficaria mal longe dele.
Eu poderia muito bem deixar do jeito que estava, Evan não faria diferença. Mais me preocupava em estar perto do Evan e achar que Taylor também não faria diferença.
-Minha filha, falei pra você não ir rápido demais com o Taylor, agora olha como você esta..
Sequei as lagrimas lamentando não tê-la ouvido antes. Mais ao mesmo tempo não daria razão, se não, não teria passado o acontecimento incrível que passei de ontem para hoje.
-Você terá de ir, sabe porque?
-porque?   – preocupei-me
-porque qualquer falha sua o Evan vê como esperança, se você não for, ele vai achar tudo que você não quer que ele ache e ai irá insistir muito mais.
Insisti,   -mais se ele perceber isto pessoalmente vai ser muito pior.
-ele não vai, se você não deixar.
Respirei fundo, preocupando-me.
-eu tenho que conversar com o Taylor antes.
Minha mãe se alertou, -vocês estão namorando?
Estranhei sua pergunta, realmente não sabia como responder.
-não sei, para todos os efeitos a resposta é não. – me levantei indo arrumar minhas coisas.
-Se não estão, porque tem que dar satisfações?
Respondi sem a olha-la, com medo do que poderia perceber.
-porque eu disse que não sei se estamos, melhor evitar o desentendimento.
Ela me estudou enquanto colocava algumas roupas na bolsa.
-Emili, tem alguma coisa para me contar?
Procurei respostas rapidamente, -não, porque, parece que tenho algo para contar?
Retirei-me para ir ao banheiro e ela veio atrás somente para dizer.
-Enfim, então o avise.    – se retirou e respirei fundo agradecendo por não insistir naquela conversa.
Não gostei do que senti, tinha muita coisa para conversar com o Taylor, sobre coisas que tínhamos de resolver, coisas que deveriam estar em pratos limpos.
- - - - - - - - - - - - -
Chegando em casa, Trevan, Adria e Evan haviam saído para jantar.
-Estava com saudades de casa.
-imaginei, ainda acha uma má ideia ficar aqui?
-por enquanto não.
A campainha tocou, –espere, deve ser a Makena. – disse minha mãe.
Liguei a TV e me sentei ouvi passos apressados, -Oi Amiga!
-Oi!  – nos abraçamos.
-Iai esta boa para Treinar?
Olhou meu pé com a bota.
-Quem dera, mais amanhã vou para o colégio, quero ver vocês treinando.
-o Evan já foi embora? – olhei minha mãe sem graça e ela sorriu sem jeito.
-não, ele saiu para jantar com o Trevan e a Adria. – Makena me olhou como se tivesse visto um fantasma.
Minha mãe sorriu e saiu da sala.
-Você esta louca de vir pra cá com ele aqui? – Sussurrou como se quisesse gritar.
-não, mais não posso ficar me escondendo do Evan, ele não vai embora.
-sim, mais e se você acabar gostando mais dele e?
-Makes, eu amo seu irmão, isto não irá mudar, esta bem? Fica tranquila e deixa seu irmão tranquilo também.
-como farei isto?
Insisti,  -você sabe que consegue deixa-lo tranquilo, me ajuda?
Ela me olhou desconfiada, –esta bem, mais, se você errar a culpa é toda sua.
-credo, eu não irei errar, não confia em mim?
-Confio, mais coração não se manda, por isto estou dizendo.
-Não posso fazer tudo que o Taylor quer Makena, á minha mãe me enche de perguntas.
-ídai?
-ídai que não temos nada, eu não posso ficar fazendo oque ele quer.
-a fala serio, vocês não estão namorando?
-que eu saiba, não, mesmo se tivesse não poderia fazer tudo que ele quer.
-se bem que tem razão, mais estou surpresa por não estarem namorando.
-imagina eu.   Tentei sorrir.
Ela me olhou desconfiada, -mais Emili..
Ri por ver seu jeito mudar, já sabia oque ela queria conversar.
-fala.
-Taylor não foi para casa ontem, sabia?  – Disse irônica
-serio?  – Entrei em seu jogo.
-Bom, acho que não são namorados ainda, mais você precisa tirar satisfações sobre isto. Porque ele chegou hoje bem cedo de fininho.
-nossa, irei matar o seu irmão.
Ela riu, -fala, oque aconteceu?
Olhei para trás para ver se alguém chegava, –irei te contar, nós acabamos dormindo juntos.
-só dormindo?  – perguntou rindo.
Olhei novamente para trás, –não.
-Serio, não estou acreditando nisto, Quando Fernanda e a Sandra souberem – gargalhou.
Parei de rir lembrando da forma que estava me sentindo, não estava bem e precisava dividir isto com ela.
-oque foi amiga?
-Eu estou me sentindo péssima por isto.
-porque?
-sei la, na hora eu até estava me sentindo bem, mais depois que parei para refletir no que fizemos, estou me julgando como uma qualquer, sabe, porque nós não temos realmente nada e eu nem sei se ele me ama.
Ela riu então perguntei, -o que foi?
-ele te ama..
-não, eu não sei mais. Porque ele nunca me disse.
Deu de ombros,  -ele é medroso, só isto.
-não, não é, não pareceu ontem. Ele tinha chance de me dizer e não disse.
-Emili, vocês passaram tantas coisas, você ainda acha que meu irmão é como o Evan?
-não, eu não acho, eu só estou dizendo que isto é muito estranho e faz com que eu me sinta mal.
Ela sorriu, calmamente disse. -dê um tempo à ele, ele irá dizer. – piscou.
-não irei por expectativas nisto, se é tempo que ele quer, ele terá.
Ouvimos passos, Evan, Trevan e Adria passaram na sala.
-Boa noite.. – Disse Adria e somente Makena à respondeu.
Evan deu boa noite somente para Makena e foi a caminho ao seu quarto.
-isto aqui esta totalmente estranho.. – comentei enquanto Evan subia para seu quarto.
Trevan sentou ao meu lado. –é..
-Como pode o Evan ser seu primo? Que coincidência.
-Te falei que conhecia muitos Evans.
-tá, mais eu não tinha ideia que seria ele.
-esqueci de especificar os lugares. Eu também não sabia que ele era ele, entende?
Rimos da sua explicação e ele comentou, -Também, acho que o nome dele é Evan porque o meu é Trevan.
Rimos e Makena perguntou, -Porque?
A campainha tocou enquanto conversávamos.
Respondi, -Os Brasileiros costumam dar os nomes parecidos aos familiares.
-Serio? – Rimos enquanto minha mãe passava para atender a porta.
Paramos de rir aos poucos ao ver Taylor chegar do lado da minha mãe com a expressão irritada.
Troquei olhares com ele antes que eu me levantasse.
-Boa noite. – Taylor disse ao se tocar de que não havia os cumprimentado.
Com este Sinal notei que ele estava muito mais irritado do que a expressão em sua face.

3 comentários:

  1. Ai meu Deus, eu preciso do próximo capitulo urgente!! Não demora para postar o próximo por favooor!!! 💕

    ResponderExcluir
  2. Estou sentindo que o Taylor tá um pouco inseguro, eu sinto que a Emi vai conseguir superar o Evan pra ficar cm ele mas o clima no final ficou meio estranho, ai continua logo que a gente não consegue ficar mt tempo sem essa fic!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA