29 agosto 2015

Fanfic: Bizarre Love triangle - Capítulo 38


Luana e eu voltamos para a areia brincando e muito mais leves que antes. Parecia que todas as minhas angustias tinham ficado lá no fundo do mar. Agradeci Gill, em pensamento, por ter me levado lá para a praia...


Nos sentamos um pouco em uma pedra para apreciar a paisagem e falar bobagens. Como era bom estar ali...


Voltamos para casa e os meninos estavam fazendo um bom churrasco. Quer dizer, era um daqueles churrascos americanos, com a grelha cheia de hambúrgueres e salsichas, mas o cheiro estava ótimo.

Eu e Luana entramos na casa e fomos trocar de roupa. Enquanto nos arrumávamos Luana se levantou, pegou o telefone e veio até mim.

- Anda Flávia. Liga pra ele. – ela disse me entregando o telefone e com o olhar mais decidido do mundo. – Afinal de contas, não era Ele que você queria desde o início???? – ela ainda terminou com a frase certeira.

Olhei para minha amiga decidida, me dando o celular. E agora?

oOo

POV  Taylor (depois do casamento)

Desci as escadas feito um louco, sem esperar o elevador. Se demorasse mais um pouco Robert desconfiaria de alguma coisa. Ainda podia sentir o perfume dela em mim, tão linda.... tão deliciosamente linda....

Só de imaginar o que Robert fazia com ela me dava calafrios de raiva. Ainda bem que ele não reclamou tanto ao me ver ali na festa para buscá-lo, não posso compactuar com essa farsa. Passei no banheiro do hall do hotel e tive que disfarçar o perfume de Flávia que havia ficado em mim.
-Não acredito que estou fazendo isso... - eu disse passando esses sabonetes de lavabo nas mãos e esfregando em minha roupa. - Ai que raiva....

Ele me esperava recostado no carro, fumando um cigarro e com cara de poucos amigos. Já havia trocado de roupa. Me encarou sério.

- Quer dizer que agora você vai ficar no meu pé, me enchendo com isso Taylor. Da um tempo! Flávia é problema MEU, não seu.
Minha vontade foi de pular no pescoço dele e acabar com toda a palhaçada. Dizer o quanto nos amávamos e como eu a queria, só pra mim, sendo MEU problema. Mas me contive por ela ....

-Entre no carro! - eu disse irritado.
- Vamos que estão nos esperando no set. – dizer isso foi tão engraçado que a cena me pareceu uma extensão do filme que fazíamos. A diferença era que brigávamos por outra mulher e apenas eu tinha todas as informações. Não sei se me via em vantagem ou não, afinal Flávia não estava comigo.

Durante a viagem até o aeroporto o silêncio era cruel. Nem eu nem Robert tínhamos o que falar um ao outro. A multidão de fãs no saguão e as fotos me fizeram esquecer um pouco tudo aquilo.  Porém o silêncio se seguiu dentro do avião, onde nos sentamos em lugares distantes.


De volta ao set, cada um seguiu até seu trailer, sem nos olharmos. Foi inevitável. Por mais que Flávia não quisesse, era exatamente o que estava acontecendo: eu e meu amigo estávamos cada vez mais distantes por causa dela.

Dentro do trailer, observei por um momento a janela em direção ao trailer de Robert e vi Kirsten entrando. O sangue me subiu! Peguei o celular e tentei ligar para Flávia. Ia contar tudo!

-Droga! - eu disse ao ouvir a gravação de fora de área. Onde ela estaria? Resolvi decorar meu texto, na tentativa de relaxar um pouco.

“Toc, toc, toc”, ouvi batidas na porta do trailer. Quem seria???

-Taylor? - ouvi Robert dizer lá de fora. - Posso entrar cara? Preciso falar com você... - meu sangue subiu. Não estava a fim de encará-lo novamente. Eu sabia que não conseguiria me controlar e acabaria contando tudo.


-O que você quer Robert? Não é uma boa hora agora... Estou decorando meus textos. Seria bom que você também estudasse suas falas um pouco.- disse para que ele fosse embora.

-Ah, velho. Abre ai... - ele insistiu - A gente não pode ficar nesse clima. - parei uns minutos e soltei o ar, me sentindo vencido. É claro que não dava pra ficar assim, nós éramos amigos.

-Ta cara, entra ai... - eu disse abrindo a porta. Robert entrou e sentou-se na beirada da mesa. Estava visivelmente chateado com tudo que havia acontecido. Passou a mão nervosamente no rosto e me olhou.

-Foi mal velho, eu não devia ter dito aquilo. - ele disse se desculpando. - É que estou sendo pressionado por todos, e ai... mais você... Velho... eu vou enlouquecer.

Robert se levantou e começou a andar pelo trailer, estava nervoso mesmo. Nessa hora fiquei com pena, não deveria estar sendo fácil mesmo.

-Cara, eu sei que não deve ser fácil, mas ela não merece... Flavia não merece isso. - eu disse tentando parecer imparcial.

-Sei disso Taylor. - ele me olhou serio. - Não sei mais o que fazer, Kirsten não vai me deixar em paz, não até toda essa coisa acabar.

-Mas afinal, de quem você gosta? - mais uma vez eu perguntei. Tive esperanças que ele caísse em si e desistisse, assim não teria que me sentir tão mal por tudo que estava acontecendo.

-Já nem sei mais.... - meus olhos até brilharam nessa hora. Será que ele iria desitir????- Mas não quero abrir mão de Flavia. Ela é diferente de tudo que já tive. É intensa, verdadeira ....- minhas esperanças foram embora com esse último comentário.

-Pois então meu velho, acho bom você se decidir e dar um jeito nisso. Até porque, quando Flavia descobrir..... - eu tentei mais uma vez fazê-lo cair em si – Nada do que você falar ou fizer terá resultado...

-Por que? Ela te falou alguma coisa? - Robert me olhou de maneira curiosa e inquisitiva. Baixei o olhar e gargalhei, nervoso é claro.

-Comigo? Claro que não cara. Nem nos falamos... - olhei pra fora do trailer, sentindo meu rosto aquecer. Precisava tomar cuidado. Observei Kirsten vindo na direção do meu trailer e me apressei em despachar Robert para ela. - Kirsten está te procurando, é melhor você ir.

Robert se levantou, nos despedimos e ele foi ao encontro de Kirsten. Pelo menos o clima tinha se amenizado. As gravações das filmagens estavam longas, isso porque vínhamos filmando as duas partes dos últimos filmes juntos. E ainda haviam rumores de um novo filme, com a história de Renesmee e Jacob. - Mais trabalho pra mim.... - pensei alto.

Naquele momento um frio me desceu na espinha. Tinha me passado na cabeça uma idéia que me deixou eufórico. E por que não? Flávia! Claro! Ela poderia fazer Renesmee nos cinemas, afinal conhecia a história.

-E eu teria ela a meu lado!!!! - um sorriso se instalou em meu rosto e não abandonou mais. Tinha que pensar em um jeito de trazê-la. Mas como?

oOo

-Você só pode estar doida, né Luh? Eu não posso ligar para o Taylor. O que você acha que eu sou? - me levantei da cama e fui para meu quarto. Luana ficou me olhando, mas não disse nada. Eu sabia o que ela estava pensando, ela queria me ver bem e sabia que Taylor me faria bem.

Deitei na cama e minha cabeça começou a analisar todos os fatos que aconteceram recentemente. Resolvi tomar outro longo e demorado banho, era muita coisa pra se pensar.
-Flavinha? Você está bem? Está ai há horas... - ouvi Luana bater na porta, me tirando do transe. Acho que a água quente me fez desligar por alguns momentos...

-Já vou sair! - gritei de dentro do banheiro para que ela não se assustasse. Me arrumei e fui para o gramado encontrar com ela, Tomas e Gill. Os três sorriram ao me ver.

-Venha e sente-se aqui do meu lado. Experimente estes hambúrgueres. Estão uma delícia!!! – Luana disse me oferecendo a comida que estava na mesa. - Você só precisa da companhia dos amigos pra se curar. Vai ver que logo, logo esquece essa coisa toda. E pense no que conversarmos lá no quarto.

Olhei para eles e sorri, estava bem acolhida ali. De repente ouvimos meu telefone tocar. Fui olhar quem era: Robert! Minha vontade foi de jogar o celular na piscina de tanta raiva. Os três ficaram me olhando, esperando minha reação.

-Alô? Olá Robert, como vai? (o que segue agora é o diálogo por telefone. A parte de Robert está em itálico)

-Alô? Minha Flavia! Estou morrendo de saudades. Onde você anda? Fui te visitar no teatro e falaram que você estava de férias. Depois estive em seu apartamento e o porteiro que não gosta de mim disse que você tinha viajado.

O sangue me subia pelas pernas e eu estava ficando cada vez mais irada. Que palhaço!

-Ora, ora... isso sim é uma surpresa... Depois de tanto silêncio.... - eu disse tentando manter o foco. Não ia gritar com ele, não por telefone. -É... estou aqui com Luana, Tomaz e Gill. Tirei férias. Estou passando uns dias na praia. - continuei falando normalmente, como se fosse a coisa mais comum do mundo.

-Gill... Isso é sério? Mas por que não me falou nada que teria férias? Eu teria programado alguma coisa para fazermos juntos. Até quando você ficará ai? - ele continuava falando comigo como se estivéssemos ótimos. Era hora de acabar com a palhaçada.

-Ah meu querido, nem se preocupe. Não quis atrapalhar seus compromissos. Eu sei o quanto você deve estar ocupado com os preparativos. Você pode mandar o convite do casamento lá pro meu apartamento mesmo, nem precisa entregar em mãos. - percebi que Robert ficou mudo do outro lado da linha. Tomaz se afinou de rir.

-Casamento? Não entendi o seu tom... o que houve? Do que você está falando, minha Flavia? - Robert falou receoso, como se não estivesse entendendo o que estava acontecendo.

-Primeiro que eu não sou mais a SUA Flávia... E segundo, quem não está entendendo sou eu... Ué? Está em todas as revistas. Você e Kirsten, é claro! Aliás, vocês fazem um belo casal, ficam ótimos nas fotos. -meu sarcasmo estava a mil. Gill e Tomaz se divertiam horrores com a cena, apenas Luana sabia o quanto aquilo estava sendo difícil pra mim.

-Casameno? Kirsten? Espere Flávia... não é bem assim... eu posso explicar... - ele ainda tentou falar.

-Nem se dê ao trabalho. - falei pra ele decidida. - Sabe Robert, existem coisas na vida que quando se explicam, só pioram. Essa é uma delas. Agradeço que você tenha me ligado, evitou uma cena que eu realmente não quero ter em meu currículo. - continuei falando sem deixá-lo falar.

-Mas, Flávia... calma... é que... - ele ainda tentava argumentar do outro lado.

-Olha Robert, o melhor pra nós dois agora é que se fale o menos possível. Seja feliz, aliás sejam. E me deixem em paz... - disse e desliguei o telefone. Olhei para Luana e senti as lágrimas chegando com tamanha intensidade que nem consegui ficar em pé.

Gill me pegou no colo e me levou para o quarto. Mas uma vez eu me aconcheguei em seu colo e fiquei quieta, só precisava de cuidados agora.

-Calma Linda, vai ficar tudo bem... - ele disse me ninando como sempre fazia quando estávamos juntos. Apesar de saber que ele esperava algo mais de mim, me permiti ser cuidada e acolhida. Gill era meu amigo, meu melhor amigo na verdade, e sempre soube cuidar de mim. Adormeci em seu colo.

oOo

Não sei por quanto tempo fiquei dormindo. Quando acordei percebi que era por causa de um barulho irritante que fazia horas estava tocando. Quando tomei consciência de onde estava, vi que Gill me tinha no colo, sentado na cama, dormindo junto comigo. O barulho era seu celular insistente. Peguei do bolso da calça e olhei no visor: Amanda, argh...!

Um sorrisinho malvado apareceu em meu rosto. Eu poderia atender e deixá-la louca de raiva, mas Gill não merecia isso. Com a aproximação do som, Gill acordou e se espreguiçou, sorrindo.

-Você está bem linda? - ele perguntou cheio de preocupação.

-Estou sim. Acho melhor você atender.... é Ela... - eu disse e entreguei o celular para Gill que se levantou incomodado com a situação. Ele saiu do quarto para falar com privacidade e eu aproveitei para me ajeitar.

Desci para tomar café com Tomaz e Luana. Gill chegou logo em seguida, como uma cara não muito feliz.

-O que houve? Ela brigou com você por estar aqui? - Tomaz perguntou já zoando dele.

-Brigar, ela briga sempre.... - ele disse sem graça. -Mas ela disse que está voltando... - ele parou e me olhou. - Disse que vai reassumir seu papel de direito.
Fiquei em silêncio. É claro que tudo aquilo era exposição demais. Pelo jeito eu ia ficar de férias por um bom tempo...

-Ela vai assumir o papel de “Bella” de novo? –Luana gritou inconformada. - Como assim? E a Flávia? Vou ligar agora para o Gerald. - ela se levantou e fez menção de pegar o telefone. Luana ainda era administradora da minha carreira, assim como a de Tomaz, e era ela quem resolvia essas coisas sempre.

-Deixa Luh, eu acho que vai ser melhor... - eu disse tomando meu café. Os três me olharam incrédulos. - Vou sair, dar uma volta. - e sai dali indo direto para as montanhas.

Durante o caminho, minha cabeça trabalhava todas as sensações e acontecimentos que eu havia passado nos últimos dias.

O casamento de Luana, a aproximação de Gill, meu encontro com Taylor...

Taylor.... que falta eu senti de estar com ele. Ri sozinha quando percebi que, mesmo “namorando” com Robert, era Taylor quem me entendia e me completava, sempre...

Eu estava deslumbrada com a paisagem. Cada pedacinho daquele lugar era mágico. Sentei em uma pedra e me deixei envolver pelo cheiro de mato. Pensei em Taylor.... Como eu queria que ele estivesse aqui...

N/A: Hey babies! E agora minha gente???? Já era mesmo hora de nossa heroína saber da verdade. Será que agora é a vez dela e Taylor juntos? E essa história de filmar juntos, será que acontece? Hummmm... os próximos capítulos são imperdíveis. Vamos esperar... bjussssssssssssss


Fique por dentro das novidades e atualizações sobre suas fanfics favoritas, siga-nos nas redes sociais do Lautner Fanfics. 

Acesse nossa página no Facebook - clique aqui

Siga nosso Twitter - clique aqui

Em caso de dúvidas, pergunte em nossa Ask - clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA