06 setembro 2015

Fanfiction: Ela é para o meu irmão - 39 Cap.

Capa: Jessica keli TLM - @jessica_keli.

-Taylor, não.  – segurei sua mão desesperadamente e isso o fez mudar o semblante.
Encarou-me irritado, seus dentes pareciam serem apertados.
-não vai. – insisti enquanto continuou a olhar dentro dos meus olhos, der repente assustou-me com seus gritos.


-Esta vendo! Você ainda gosta dele, como você me pede isso depois do que aconteceu? Quer que eu faça oque? Sente aqui nesse sofá e veja isso como uma coisa normal?
-Não, eu só não quero ver vocês brigando.
-você não se importa em nos ver brigando, você não quer que eu brigue com ele, é totalmente diferente.
-Taylor.
-Taylor nada! Chega, você não esta sendo sincera comigo, na verdade nunca esteve.
-eu te amo. – ele passou as mãos no rosto procurando se acalmar.
-se você diz,  eu acredito, mais eu não consigo aceitar que não tenho seu amor por completo, começamos rápido demais, não estamos prontos um para o outro.
Fechei os olhos sentindo um desespero em meu peito. Ouvi a chuva chegar do lado de fora o olhei.
-não.. Taylor eu. – interrompeu-me e vi suas lagrimas aparecerem novamente.
-Sim Emi, acabou..
O olhei mais uma vez, seu semblante estava abalado tanto quanto o meu.
Mais oque eu poderia fazer? A culpa de tudo era minha! Ele tinha toda razão de pensar assim.
Ainda não conseguindo concordar em ficar sem ele.
 Sai da sua sala apressada antes que chorasse como uma criança em sua frente, batendo a porta com força mostrando o quanto discordava da sua decisão, atravessei a rua apressada tentando secar meu rosto em vão pela chuva.
Chegando desorientada de frente para minha casa, Evan saiu do carro mostrando sua preocupação, parou em minha frente bombardeando-me com desculpas.
-Emili, me desculpa, não deveríamos ter feito isso, ta fui eu quem provocou. Eu sinto muito se e. – dei um tapa em seu rosto.
Assustando-o passei e entrei em casa, corri para a minha cama, toda molhada me joguei em meio aos cobertores, abracei o travesseiro e tudo que fiz foi chorar.
Eu não podia ficar sem ele, não podia!
Der repente senti uma pontada forte na cabeça e encostei minha cabeça no travesseiro.
Depois de alguns minutos chorando, ouvindo o barulho da chuva cair e começar a ficar fraca, ouvi a voz da minha mãe e de Debora pedirem calma.
 O que eu achei que não poderia acontecer estava acontecendo.
Corri apressada para fora de casa, Taylor e Evan estavam discutindo, minha mãe e Debora jamais conseguiriam acalma-los.  Pude sentir o pulsar do meu coração em meus ouvidos.
Elas no meio tentavam impedi-los do contato físico.
-Eu não fiz de proposito seu idiota! – gritou Evan, percebi que sua boca sangrava.
-eu vou quebrar a sua cara, esta achando que vai ficar assim?
-se ela gostasse de você, na verdade teria se recusado!
Taylor forçou a passagem das duas para bater nele enquanto elas já imploravam calmaria.
Desci as escadas já mais segura do meu pé, meus olhos embaçavam e sem saber oque fazer pedi para que parassem.
Senti meu corpo pesar. -Minha filha oque esta acontecendo?
Todos os olhares se voltaram pra mim. Meus olhos foram-se escurecendo, pisquei os olhos novamente.
-droga! De novo não.. – sussurrei, esquecendo-me da briga e preocupando-se comigo.
Minha mãe desesperada veio me segurar.
Ao me encostar-se a ela, ouvi todos me chamarem e parecia que havia adormecido.
- - - - - - - - - - - - - - - -
-Tem menos de um mês que ela saiu daqui, ela não pode passar por muita coisa.
Ouvi uma voz suave dizer ao meu lado e esta voz insistiu.
-Se não liberei ela de fazer as atividades físicas dela, não foi só por causa do pé imobilizado, vocês esqueceram que ela estava em coma?
Abri os olhos lentamente e percebi estar no medico.
-oque eu estou fazendo aqui de novo? – pensei somente olhando o médico sorrir.
-Boa Noite Emili..
-o que eu estou fazendo aqui de novo? – finalmente perguntei.
Ele riu, -calma, esta tudo bem, ok? Você só teve muitos estresses.
Ele olhou Debora, minha mãe e completou, -quando não deveria ter.
As olhei na beira da cama preocupadas, -minha filha você esta se sentindo bem?
-estou normal, estou me sentindo bem, não tem nada de ruim comigo, posso ir embora?
Ele sorriu novamente, -estamos esperando alguns exames, esta bem? Sua mãe disse que não é a primeira vez que acontece isso, então vamos ver oque é, certo?
Confirmei com a cabeça odiando saber que deveria ficar mais um dia ali.
-Bom, vamos comigo senhora Suêmi?
-esta bem, Emi daqui a pouco volto.
Avistei o medico e minha mãe sair, oque fez Debora se aproximar.
-você esta mesmo bem?
-fisicamente sim.
-hum.. – ela pareceu pensar antes de perguntar.
-e emocionalmente?
Meus olhos mudaram rapidamente, lembrar que estava tudo terminado me fazia sentir um buraco no peito.
Meus olhos encheram-se de lagrimas.
-Emocionalmente estou péssima.
-oque houve além do que sei?
-Taylor terminou comigo.
Ela me olhou entristecida e me abraçou.
Era tudo que eu precisa, um abraço amigo, que não julgasse, que me desse apoio, simplesmente um ombro para chorar.
-ele nunca vai me perdoar, eu sei, ele não dá segunda chance a ninguém.. – Disse em meio as lagrimas que caiam em seu ombro.
-calma Emi.. não pensa nessas coisas.. ele gosta de você.
-mais isso não é suficiente para ele me perdoar, eu sei que tenho culpa, não deveria nem ter ficado perto do Evan.
Ela se afastou para olhar em meus olhos.
-Evan o afrontou dizendo que se você não gostasse dele não o teria beijado, mais Emili, parece ser verdade, você jamais permitiria isto se não sentisse algo pelo Evan.. e meu filho não suportaria depois de te amar, de se adaptar a você e te perder. Não acha que foi melhor o que foi feito?
-não, claro que não, eu não consigo me ver sem ele mais!
-consegue sim.. você ouviu oque o medico disse? Você estava em coma há muito tempo.. esta se recuperando ainda.. ainda esta muito fraca, muito sentimental, é totalmente normal pelo oque você passou.
-não ouvi ele dizer isso.
-ele disse antes de você acordar.
Parei para pensar se o medico realmente tinha razão. Ela deu sua opnião.
-pensa.. olha, dê um tempo á ele, cuida da sua saúde, da sua paz de espirito, quando você voltar a sua rotina.. sua vida normalmente, ai você saberá oque fazer, como agir.
Fazia todo sentido. Então continuei a ouvindo.
-depois que tudo estiver bem, você pode tentar de novo, sei que ele gosta de você. Não será difícil.
-não sei..
-Seu problema é porque não sabe o quanto ele gosta de você, não é mesmo? Mais eu sei, então, se eu estou dizendo, não é atoa. Nem mentira. – sorriu.
-onde ele esta?
-ele achou melhor não vir, estava muito nervoso..
Respirei fundo, era oficial ele não queria mais nada comigo.
-não fica triste Emili, é serio, só dê um tempo, cuida de você e sei que ele mesmo virá até a ti.
-não posso mentir, se eu for cuidar de mim, com certeza irei contar os dias para ele vir.
Sequei as lagrimas que começaram a insistir em cair.
Depois dos exames chegarem, não havia nada de errado, eram somente oque o medico acentuou “Estresse” então cortou um montão de coisas que eu deveria fazer ou presenciar.
Voltei para casa no dia seguinte, em meu quarto lendo um livro ouvi a porta ser aberta aos poucos.
O barulho da porta atraiu minha atenção e Evan parecia querer conversar.
-o que foi? – voltei a olhar o livro. –não bate na porta antes de entrar?
Ele sorriu, -posso falar com você rapidinho?
-fala.
-posso entrar? – tentou rir.
O olhei, pensei se era uma boa ideia, fechei o livro.
-pode, só desta vez.
Ele entrou e sentou na beira da cama.
-me desculpa pelo oque aconteceu..
-não dá para desculpar você, mais acredito que foi melhor assim, primeiro preciso me recuperar, se eu não estiver viva não posso amar ninguém.
Ele sorriu.
-Sabe, eu vim aqui para conversar com você sobre tudo. – mostrou-se serio.
Tínhamos muito para conversar, evita-lo todos os dias só me deixaria mais irritada, não faria bem para mim, não ganharia nada com isso.
-por onde quer começar? – ele sorriu a me ver deixa-lo a ter um dialogo comigo.
-Sobre o nosso passado.
-ai Evan eu não quero nem pensar nem. – interrompeu-me.
-calma, não é dessa forma toda sentimental, esta bem, que seria muito melhor se fosse, mais se você não quer lembrar eu não irei te forçar, esta bem? Só quero conversar sobre tudo que não deu certo. Ok?
Respirei fundo odiando voltar para o passado.
-Como você quer fazer isso? Não entendo.
-Tenho que te pedir desculpas por tudo de errado que causei, nada justifica oque fiz, eu não vou mentir, realmente aprontei muito, mas hoje eu sinto vergonha de tudo que fiz, porque toda vez que te olho e não posso tocar em você, é a mesma coisa de me punir por tudo que fiz, de lembrar de tudo. Dessa vez não estou pedindo desculpas para me entender com você ao ponto de voltarmos, não quero fazer nada que você não queira, mais as vezes eu me encontro tão desesperado que eu realmente não me importo de ser inconveniente. Por que eu me encontro louco Emili.. por que ainda amo você, só peço que não me odeie por ainda te amar.
Indaguei segurando as lagrimas, ainda sentia algum sentimento por ele dentro de mim, mais a maior parte era magoa e raiva.
-é serio, eu sei que as vezes eu extrapolo, mais eu não sabia que coisas assim eram capazes de se fazer por amor. Eu perdi toda a minha autoestima, hoje sinto que você pode me pisar e eu ainda irei te amar, tenho até medo do que você pode fazer comigo e eu aceitar.
Vi uma lagrima dos seus olhos cair, Em seus olhos tentei encontrar o Evan que conheci, mais encontrava apenas um olhar, inocente, desesperado.
Ele piscou os olhos desejando que as lagrimas secassem sem precisar de suas mãos.
-só queria que soubesse disso.. – ele tentou rir. –Antes pensei em tantas coisas mais esqueci tudo que ia dizer.
Sorri sem jeito por ve-lo tão abatido em minha frente.
-Eu ainda te amo Emili.. e te ver com esse cara parte meu coração em pedaços, mais que uma retalhadora é capaz de fazer.
Indaguei tão preocupada com oque ele ainda sentia, desejei que tudo passasse.
Sentado na beira da cama, o abracei e senti suas lagrimas molharem meu ombro.
-me desculpa por ter causado essa confusão entre vocês, mais não irei mentir, eu estou feliz.
Afastei-me aos poucos para olhar em seu rosto.
-não deveria dizer essas coisas para mim.
-eu não quero esconder mais nada de você.
-assim viraremos amigos. – sorri.
-se for uma amizade colorida não me importaria. – tentou sorrir.
Sorri percebendo sua mudança aos poucos, parecia mais contente.
-você não muda, né? – sorri.
Aproximou-se do meu rosto, -mudei sim, ouve só minha proposta de amizade.
-uhum.
Sussurrou, -nós, podemos ser amigos, assim uma amizade colorida, só que eu só sou seu amigo e você só minha amiga e ai.
Finalmente gargalhei tirando aquele clima pesado entre nós. Mais não pude deixar de fingir cair em sua sugestão.
-hum..
Ele aproximou-se mais, apertei o machucado em sua boca que Taylor havia feito. –Ai Emi!
 –acha que eu sou tonta de cair nessa historia? – Me levantei.
-é Molé, Amizade colorida, sou sua amiga e você só meu amigo. Quem cai nisso hoje em dia? Evan, você esta regredindo.
Gargalhei saindo do quarto, mais ao chegar no banheiro lembrei do Taylor e um frio na barriga tomou conta do meu corpo. O que ele esta fazendo agora?
Oque ele diria se soubesse da conversa que tive com o Evan?
Nossa! Para mim eram tantas coisas.
Que saudades dele.. e só tinha se passado um dia, como viveria os dias até que sentisse-me pronta para procura-lo como Debora me aconselhou?


Caramba.. sabia que os dias passariam devagar..

3 comentários:

  1. Não! !! Não acredito que depois de tanto esperar eles ficarem juntos estou tendo que ver o fim desse casal! Evan vc vai pagar pelo mal que vc causou, ele tem que pagar por fazer o Taylor sofrer assim. Continua. Rápido pq os dias passam devagar na espera pelo próximo capítulo

    ResponderExcluir
  2. Aii não to acreditando q eles se separaram por causa do Evan q raiva gente! Espero q a Emi não caia na lábia desse idiota 😤. Continua logo ansiosa para o próximo capitulo! ❤

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA