29 setembro 2015

Fanfiction: O MENTALISTA | Capítulo 5: Life is a highway

Capa: Jessica Keli | Texto/fic: Val Barreto | Beta: Joyce Cruz

“Veja o mundo num grão de areia,  veja o céu em um campo florido, guarde o infinito na palma da mão, e a eternidade em uma hora de vida!(William Blake).

Van Pelt mantinha suas convicções na culpa de Allison, afinal, o êxito de Marie, seria seu fracasso. Patrick acompanhava o interrogatório, observando cada reação física e gestual que Allison transparecia conforme era acusada.

— Onde você estava entre as oito horas e oito e dez minutos na noite em que Marie foi assassinada? – Interrogou Lisbon.

— Eu estava sozinha na sala de imprensa improvisada no Hotel, estava preparando as perguntas para que os repórteres só perguntassem ao Taylor sobre Tracers. – Respondeu Allison séria.

— Você temia que perguntassem sobre a visita do Taylor à boate gay?

— Sim, a ida dele lá foi um prato cheio para a mídia.

— O que Taylor fazia na Abbey?

— O Abbey é um bar e restaurante e não uma boate gay como dizem.
                               
— Então, Taylor foi ao Abbey fazer exatamente o quê? E porque Marie ficou tão zangada?

— Taylor foi apoiar um primo que se assumiu gay. Marie tirou conclusões precipitadas quando viu as notícias e como Taylor nunca a correspondeu, para ela era a confirmação de que ele era gay.

— Então, quando ela pensou que ele fosse gay, esqueceu o que sentia?

— Não necessariamente. Marie ficou zangada por ter sido ridicularizada em público. Ela era namorada dele formalmente, então ela se sentiu humilhada.

— Marie falou com você sobre isso?

— Sim.

— O que ela disse?

— Ameaçou-me. Marie disse que revelaria o romance publicitário e revelaria que Taylor era gay nas entrevistas do redcarpet na premiére mundial.

— Ela revelaria na noite em que foi morta?

— Exatamente.

— Foi aí que você a matou?

— O quê? Eu não matei Marie.

— Qual é Allison? A carreira do Taylor seria arruinada e a sua também. Seu papel é evitar que esse tipo de coisa venha a público. Você cortou o mal pela raiz! Confesse e podemos fazer um acordo.

— Eu não a matei! Nós conversamos momentos antes e ela prometeu não revelar nada disso.

— E você acreditou?

— Claro! Ela era muita coisa, menos mentirosa.

— Tinha problemas com Marie?

— Claro que sim. Havia conflitos o tempo todo, mas, ela me culpou por não estar na sequência de Tracers.

— E de quem foi a culpa?

— Thompson!

— O patrocinador de Tracers 2 não queria Marie na sequência?

— O Sr. Thompson não gostou da atuação de Marie, desta forma, vetou a participação no segundo filme.

— Foi o próprio Thompson que disse isso a você?

— Não... Ele disse ao produtor, do filme: Van Gus Saint.

— Há alguém que pode confirmar que você estava preparando as perguntas para os repórteres?

— Sim, Joyce Cruz.

— Quem é Joyce Cruz?

— A tradutora do Taylor.

— Joyce ficou com você o tempo todo?

— Sim. Ela traduzia as perguntas do inglês para os idiomas dos repórteres que estariam presentes.
Antes que Lisbon fizesse a próxima pergunta, Jane entrou na sala de interrogatório com um sorriso e olhando para Allison perguntou:

— Você já viu o Thompson pessoalmente?

— Não...

— Okay, pode ir.

— O quê? Jane? Sou eu quem diz se ela pode ir ou não.

— Tanto faz, não foi ela. – Disse Patrick saindo da sala.

— Pode ir Allison, não saia da cidade. Se lembrar de mais alguma coisa, este é o meu cartão, não hesite em ligar.

— Pode deixar. – Disse Allison saindo.

Lisbon deixou a sala furiosa e saiu atrás de Jane, ela detestava quando ele interferia no serviço dela e embora ela fosse bastante durona, ele não a temia, pelo contrário, sentia prazer ao ver sua fúria dirigida a ele.

— O que você pensa que está fazendo? – Perguntou Lisbon irritada.

— Liberando uma inocente de um interrogatório padrão chato?

— Acontece que liberar ou não os suspeitos, é o meu trabalho e não o seu.

— E qual é o meu trabalho?

— Jane? Não brinca comigo.

— Chefe, eu preciso falar com você. - Disse Van Pelt interrompendo a discussão de Jane e Lisbon.

— Algum progresso com as câmeras?

— Terminamos de refazer os passos de todos que estavam no Hotel na hora em que Marie foi assassinada. Já vimos todas as fotos e todas as imagens e marcamos cada convidado, empregados do hotel, atendentes e cada pessoa ligada ao filme. – Respondeu Van Pelt.

— E então? – Indagou Lisbon, impaciente.

— Todos os movimentos foram vigiados, menos os de Thompson.

— Bernard Thompson, o investidor?

— Ele mesmo. Aqui temos imagens de Thompson pegando o elevador antes do assassinato: ele vai até o andar em que Marie Avgeropoulos é assassinada e some. Essa foi a última vez em que o vimos. – Disse Van Pelt mostrando um dos vídeos da segurança do Hotel.

— Como assim? Como é possível ele entrar lá e não sair?

— Não sei. Mas, ele nunca voltou para o elevador e nem foi visto deixando o prédio.

— Ele pode ter esperado até o corredor ficar vazio. Poderia ter ido pelas escadas até o primeiro andar. – Lisbon supôs.

— Sim, mas, como evitar ser visto depois disso? – Acrescentou Van Pelt.

— Não é o tipo de cara que chama a atenção. – Lisbon falou confusa.

— Verdade! – Disse Jane com a mão debaixo do queixo refletindo por alguns segundos conforme Van Pelt relatava o ocorrido a Lisbon.

Jane se levantou do sofá que prezava mais que sua própria cama e indo para o monitor no qual as imagens estavam sendo passadas, olhou para a planta do Hotel, vendo a localização dos cômodos do prédio, fez algumas constatações apontando cada um.

— Esse é o quarto onde houve o assassinado. Aqui é o balcão e, aqui, a porta de saída para o corredor, passando as escadas desde até os elevadores, isso se me lembro, era uma janela que dava para a escada de incêndio. – Disse Jane percebendo que havia uma saída.

— O Thompson pode ter fugido pela escada de incêndio? – Indagou Van Pelt.

— O Thompson? Ele é grandão, não deve ser tão ágil. – Acrescentou Lisbon acreditando ser impossível que Thompson tivesse usado a escada de incêndio para fugir já que era obeso.

— E então o que? – Insistiu Van Pelt intrigada.

— Isso é um quebra-cabeças. – Disse Jane com um meio sorriso.

— Por que você parece tão feliz? Sabe como resolver esse quebra cabeças? – Indagou Van Pelt.

— Naturalmente... – Revelou Jane com um sorriso enigmático.

Van Pelt respirou aliviada ao saber que Jane estava prestes a bolar seu próximo truque. Ela quase sorriu ao ver Jane se aproximar e pegar a foto do Thompson que estava em suas mãos.

— O que você descobriu Jane?

— Encontre-me no Hotel. À noite vai ter uma nova premiére de Tracers já que o assassinato de Marie interrompeu a anterior. Eu preciso de todos vocês lá para pegar o assassino.

Jane foi em direção à sala do J.J LaRoche, o agente especial e supervisor responsável pelos assuntos internos da CBI, e ficou com apenas a cabeça à mostra na porta deixando LaRoche incomodado ao ser espionado por Jane, que apenas esperava ser notado por ele.

— Por que está bisbilhotando por aqui, senhor Jane? – Disse LaRoche vendo Jane a espreita na porta da sua sala. Ele abriu um sorriso e então adentrou a sala com as mãos para traz.

— Preciso de um favor. – Anunciou Jane astucioso.
              
— Se eu te fizer esse favor, você irá me dever um favor. – Disse LaRoche.

— Na verdade, você já me deve um favor, mas, eu te dou outro, se te agrada. – Disse Jane com certo entusiasmo.

— O que você quer?

— Preciso de você.

— De mim? Para quê?

— Venha comigo que eu conto no caminho. Traga seu casaco, vamos passar em uma loja aqui perto. – Disse Jane ansioso.

Continua...       

NOTAS DA AUTORA: A vida é uma estrada!  Cadê seu comentário a respeito desse capítulo? Quero saber sua opinião. Sinto-me mais motivada ao ler o que você pensa do que escrevo. Siga-me no Twitter (Clique aqui) e no instagram (Clique aqui). Não esqueça de usar a tag no Twitter: #FanfictionOmentalista quero ver o que você vai postar sobre ela. Vou dar Retweet e seguir de volta. Abraço e até o próximo capítulo.


8 comentários:

  1. Misericórdia!!!! 😱😱😱😱
    Continua gata, vai com tudo.😉😘
    Com esse capítulo você desfilou (que é mais chique que sambar) de salto 20 colega!!!💃💃💃💃
    Jesus, Maria e José, como você consegue escrever tão bem e fazer capítulos tão incríveis assim poderosa?🙊
    Só um pedido: Quero a Van Pelt e Tay ficarem juntos logos. 💗💘💏👫💑
    Pq aquilo de que não tinha clima entre eles é história pra boi durmir, fazer cú doce não cola😒😠...
    Van Pelt agarra esse bofe logo amiga!!!!!😽

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkk caramba seu comentário está bem entusiasmado! Adorei. Lá vem a melhor parte hahaha. Espero que goste e continue acompanhando.

      Excluir
  2. Meu, meu, meeeeeu, se tu demorar a postar, eu vou te bater. Posta isso logo.
    Cada vez mais incrível, bjolas

    ResponderExcluir
  3. M.I.S.E.R.I.C.O.R.D.I.A
    eu to aflita meu coraçao ja pode parar de saltitar

    ResponderExcluir
  4. M.I.S.E.R.I.C.O.R.D.I.A
    eu to aflita meu coraçao ja pode parar de saltitar

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA