10 fevereiro 2016

Fanfiction: Diário de Uma Paixão - Capítulo 24








*** Taylor POV ***

Por fora eu estava completamente normal. Conversando, brindando, sorrindo… mas por dentro, eu estava mal. Não era com Kate que queria estar. No dia anterior a festa, Tarik me disse para chamá-la para ir comigo, assim eu já terminaria o que nem tinha começado com a Carol.

Aquele produtor idiota não saia da minha cabeça. Eu não podia estragar a carreira dela e se isso significava ficar longe, era isso que eu ia fazer.

Começou a tocar “Stay With Me” do Sam Smith e daí eu cai na real… O que eu tinha feito?

- Bu! – Tarik me cutucou, me tirando dos meus tristes pensamentos.



- E ai? – eu disse.

- Nossa, que cara!

- A única que eu tenho.

- Falou com ela, né? – ele disse.

-O que você acha?

-Cara, agora desencana! Bola para frente.

- Tão fácil falar, né.

- Usa aquelas camisinhas com a Kate! - Gargalhou debochado.

- Como você é idiota, fala baixo! Não vou usar nada com ninguém!

- Ah, e vai ficar sem transar para sempre!?

- Cala a boca! Você a viu por ai?

- Kate?

-Não! A Carol.

- Vi, linda por sinal, estava com o produtor.

- Merda! Vontade de matar esse cara.

- Você não vai matar ninguém, fica ai com a Kate e curte a festa.

- Tá, tá, tchau.

- Onde vai?

- Por aí.

E saí para saber onde ela estava. E então eu a vi, com aquele imbecil engomadinho. 

Ela não sorria. A música continuava entrando em minha mente e é claro que cada vez que eu escutasse lembraria dela. Saco!

Resolvi chegar mais perto e tentar entender o que conversavam, porque ouvir estava difícil. Ele sempre dava um jeito de tocá-la e isso me deixava louco.

- Quem é ela? – Assustei-me com a voz atrás de mim.

- Kate? Que susto!

- Nossa, você não para de olhar para lá.

- É a Carol, já apresentei vocês.

- Eu sei, mas quero saber se há algo a mais.

-Algo a mais? – sorri sem graça.

-É…

- Eu não estou com você? Então...

- Como se isso fosse impedir você de ficar com alguém.

- Sou homem de uma só.

- Hum – ela disse e me deu um selinho.

- Melhor não fazermos isso em público - eu disse.

-Ok, desculpe.

Eu não quería fazer nada nem em público, nem em particular! Não com ela. Até quando eu ia me torturar e esquecer essa história, hein? Até quando??

Kate me puxou para o outro lado da festa, mas eu dei um jeito de voltar para perto de onde estavam Carol e Christian. Que nome idiota, pensei!

Vi que ele a deixou sozinha e ela foi até o jardim. Não tinha muita gente, então eu a segui. Ela estava parada de costas, olhando a fonte que tinha, estava com o olhar fixo para a água. Não quería falar, porque eu não tinha nada para falar, mas não resisti:

- Oi…

Ela se virou, me olhou e virou de novo para a fonte, me ignorando completamente.

- Carol, me desculpe, um dia você vai entender.

Ela não me olhou, nem respondeu.

-Vai me deixar falando sozinho?

Então ela se virou.

- O que você quer? – ela perguntou.

- Que você entenda.

- Nunca vou entender essa atitude de moleque! Vai embora, por favor.

- Quero que saiba que eu não me arrependo do que fiz, gostei muito de ter conhecido você.

- Não posso dizer o mesmo.

Suspirei e ela disse:

- Sua namorada está esperando você.

- Ela não é minha namorada.

- Não me interessa o que ela é, mas vai lá fazer companhia para ela, porque ficar sozinha e deslocada é péssimo.

- Assim como você agora.

- Eu? Não sei se percebeu, mas Christian está comigo.

- Ele não está aqui agora.

- Ele foi pegar uma bebida - ela disse sem graça.

- E ai? Ele já se declarou? – perguntei.

- Como assim? Tá louco?

- Ele está interessado em você, até o Papa percebeu.

- Isso não interessa a você também. Taylor, por favor, pode me deixar sozinha?

Eu não queria. Não queria sair dali, mas logo o produtor chegaria e também tinha James, que ficava nos rondando na festa.

Tomei a decisão e sai dali. Fui até Tarik e Kate e minha péssima noite estava apenas começando.





*** Carol POV ***




- Carol, vamos? – disse James.

- Já? Christian foi pegar uma bebida!

- Já! Vamos! – disse com ar autoritário.

- OK.

James pegou o carro e fomos em silêncio até a minha casa. Quando chegamos na porta ele disse:

- Preciso entrar, quero falar com você.

Assenti com a cabeça e entramos. Mal sentei no sofá e ele começou a falar:

- Espero não precisar ter mais essa conversa. Bom, eu sei que você e Taylor tiveram um "affair" nessa viagem e antes da viagem também. Quer dizer, as pessoas sabem o que rolou Carol.

Eu o olhava com os olhos marejados e ele continuou:

- Bom, ele te levou na festa na casa do Tarik e daí todo mundo comentou. Depois comentaram os sorrisinhos e brincadeirinhas no galpão enquanto faziam as fotos. Depois veio a viagem e pelo amor de Deus, vocês transaram que eu sei!

Nessa hora eu não aguentei e disse:

- Não quero falar da minha vida sexual com você, James.

- Quer falar com quem, então? Com seu pai?

Engoli seco.

- Eu sou maior de idade, moro sozinha e não devo este tipo de satisfação a ninguém.

- Mas não paga as suas contas ainda! É por isso que o seu foco deve ser a carreira e não um namorado famoso para estragar tudo! Você acha que ele liga para você? Acha que ele não ficou se gabando de ter transado com você!? Que eu saiba ele está acompanhado agora lá na festa! Está com uma menina! Por favor Carol, esse é o tipo de menina que deve se interessar por ele! Não você! Não uma mulher como você.

Escutei tudo com atenção. As lágrimas já caiam em meu rosto. E ele continuou:

- Eu sei que não é fácil escutar isso, mas eu tenho que cuidar de ti.

Revirei os olhos, mas não disse nada.

- Quero você longe dele. Infelizmente a Bench pediu mais algumas fotos promocionais segunda-feira e terá que vê-lo, mas eu ficarei de olho.

Eu não dizia nada. Não tinha o que falar. Eu estava ali, exposta e com vergonha de mim mesma.

-Não quero que pensem que é uma mulher fácil, você agiu como uma garota de programa!

Eu o olhei furiosa. Como assim?

- James, eu já estou suficientemente humilhada, mas isso já é demais! Se ainda quiser ser meu agente eu nunca mais quero ouvir isso! Eu amo minha carreira, mas posso parar a qualquer momento para nunca mais ter que ouvir esse tipo de coisa!

- Desculpe - ele disse.

- Vai embora, por favor! Estou cansada - disse enxugando as lágrimas.

- Falei por impulso, desculpe – pegou a chave do carro e saiu pela porta.

E, então, completamente exposta, sozinha, triste e magoada, comecei a chorar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA