28 março 2016

Fanfic: Ela é para o meu irmão - Cap 43

Capa/Fic: Jéssica_keli - Jéssica TLM.

Se você quer começar a acompanhar a fic [Clique Aqui] e leia os capítulos anteriores.
para ficar por dentro da fic leia o capitulo 42 para relembrar onde parou [Aqui]
Boa Leitura!

Aquele cheiro estava tão impregnado na minha mente, que duvidei se apenas um sonho..
Será que era real?
Taylor jamais saberia onde eu estava e mesmo se soubesse não faria oque eu tanto duvida se era sonho se era real..

21 março 2016

Fanfiction: Every Detail - Capítulo 38



- Porque não é você que está no meu lugar... - falei e ele começou.

...

Acordei com alguém pulando nas minhas costas, e quando eu vejo quem é... Sophia.

- Corre tia... corre! - falou ela, por sorte eu e Taylor estamos com roupas, na verdade Taylor de cueca, eu de calcinha com a blusa dele - Vamos, os presentes tia... corre. - falou ela pulando de alegria, animada que só.

- Pera meu amor... tia já vai. - olhei para o lado e Taylor não estava ali.

- Tio Taylor já desceu... só falta a senhora. - falou e eu ri do seu ânimo.

- Está bem... desce lá, vou tomar um banho rápido e já desço. - falei e lhe dei um beijo na testa, ela ainda estava com a roupa de dormir e com os cabelos soltos. Ela desceu de cima de mim e eu fui em direção ao banheiro. - Vai me esperar é? - ela assentiu fofa. - Tudo bem... vou sair em cinco minutos. - falei e fui logo tomar banho, coloquei uma roupa de casa mesmo. Logo sai e encontrei Sophia brincando com os dedos. - Vamos mocinha. - falei e peguei ela no colo, fomos descendo, logo ela saiu do meu colo e correu para abrir os presentes, logo foi parada por Deborah.

- Filha... não, depois do café. - falou Deborah, Sol faz cara de emburrada e eu ri da situação.

- Bom dia gente... - falei me juntando na mesa com todos, sentei do lado do Taylor, a única cadeira que sobrou.

- Bom dia... - falaram todos, Taylor me deu um selinho e logo começamos a comer, tinha de tudo. Frutas, bolos, queijo, suco, leite, iogurte, pão, ovos mexidos, bacon, tudo o que você imaginar. Depois de algum tempinho, era cedo ainda, por volta das oito da manhã, todos nós fomos para a sala, na verdade todos não, menos Sophia que estava empolgada e Makena que queria logo os presentes dela.

- Quem colocou aqueles presentes? - perguntei, pois tinha uns embrulhos que a gente não viu ontem.

- Deve ter sido minha mãe, ou meu pai logo que fomos dormir... não sei, - falou Taylor, nós estávamos sentados em um sofá juntos, agarradinhos, estava um pouco frio. E logo todos começaram a abrir os presentes. Logo ouvi um grito, todos nós nos agitamos, pois foi o grita da Sophia, que veio da cozinha, eu larguei de Taylor e sai correndo, quando chego lá, Sophia estava pulando igual uma maluquinha.

- Você me deu um susto! - falei com a mão no coração.

- Na verdade ela nos deu um susto. - falou Paul.

- Que foi meu amor? - falou Jorgie com a filha.

- Olha... - falou Sophia mostrando para todos, era aquele urso roxo do filme Toy Story 3, procuramos ele em tudo que é lugar e nada de se achar.

- Amor foi você quem... - Jorgie interrompeu a mulher.

- Não amor... eu tentei até comprar pelo computador só que esgotaram.

- É eu acho que papai noel resolveu colocar presentes a mais na nossa árvore. - falou Makena com a Torre Eiffel na mão, uma replica menor, do tamanho de um urso de pelúcia pequeno.

- É com certeza ele deu as caras... - falou Bia que acabara de chegar com uma caixinha na mão, quando ela abriu começou a tocar uma música baixa.

- Vamos todos lá ver... - falou Daniel, meus sogro, concordamos todos em ver. Paul ganhou um pac-man como despertador. Meu sogro um fusca em miniatura. Minha sogra, bonecas russas. Deborah uma Marilyn Monroe em escultura pequena. Jorgie um disco de vinil, Michael Jackson, o primeiro. Taylor ganhou um globo terrestre parecendo antigo. E eu? Vou abrir agora...

Quando eu abri, não entendi... era um globo de neve, aqueles que você balança e tem aquelas paradinhas parecendo neve, só que nele tinha um bebê no carrinho, ele era pequeno, estava dentro do carrinho.

- O que você ganhou amor? - falou Taylor.

- Isso... - falei e mostrei, ele sorriu, olhou para mim e viu o que tinha ali no meio da bola.

- Olha... - falou Paul.

- O que foi? - perguntei curiosa, ele me mostrou algo que estava dentro da caixinha do meu presente, era uma cartinha.

- Passa ai... - falei e ele me passou, abri ela e li - "Que seu bebê venha com saúde, pois amor e alegria ele tem bastante. Que você e seu futuro marido sejam felizes, com amor..." não diz quem é... - comecei a pensar quem fosse e quando eu olhei para a janela, vi uma pessoa, bem longe, me levantei do sofá e andei até a janela, Taylor ficou me chamando e eu não liguei, tentei ver quem era e nada... deixei o presente e a carta em cima de alguma coisa e fui até a porta e abri, meus olhos se encheram de lágrimas. Não podia ser... - Pai... - sussurrei já chorando.

- Oi filha...



Continua...

10 março 2016

Fanfiction: Every Detail - Capítulo 37




[...] faltam algumas coisas...

...

Taylor contou tudo que ocorreu, e logo deixou que eu falasse...

- Como... - tentei me controlar para eu não dar um ataque - Eu perdi o bebê...

- Aquela desgraçada... ela está no lugar que merece... - falou Daniel.

- Tudo bem pai... não se estressa - falou Taylor.

- E como você está minha querida? - falou minha sogra.

- Vou superar... - respirei fundo - Nós vamos... - falei e apertei a mão de Taylor e ele puxou meu queixo, fazendo nossos lábios selarem.

[...] Alguns meses depois*

- Naaão... - falei gritando e soltei um grito fino no final - Taylor me coloca no chão... - falei rindo, estava parecendo um saco de batata, falta uma semana para o Natal e eu estou tentando arrumar a árvore... tentando mesmo.

- Não... só quando subirmos - falou ele também rindo.

- Amor agora não... deixa eu terminar de enfeitar a árvore. - falei rindo.

- Não... depois fazemos isso. - falou ele e me jogou na cama - Cara eu não estou aguentando - falou ele olhando para baixo, eu o segui com olhar e ele estava excitado, sua ereção parecia que queria sair da bermuda - Vem... - falou ele me puxando e tirou minha roupa em um instante. Ele tirou a sua rápido também, e logo ele estava brincando com minha intimidade...

- Taylor... para... não aguento mas... - falei gemendo.

- Que tal... - falou ele se masturbando.

- Não... não vou fazer isso, você sabe que eu acho... tudo bem eu... - peguei sua intimidade e comecei a masturbar.

- Vai.. rápido - falou ele fazendo carinho no meu rosto, e eu fiz... e foi rápido, ele puxou meu queixo, me beijou, e logo me deitou na cama.

- Taylor... o preservativo... - falei para ele.

- Que tal já começarmos tentar de novo? - falou ele, e deu um sorriso malicioso no final... e eu retribui mas com um sorriso meigo.

- Mas... hoje - virei ele e fiquei em seu colo - Quem comanda sou eu... - falei e ele sorriu.

- Já falei para você que gosto quando você comanda? - falou ele com um sorriso malicioso no rosto.

- Não... - peguei e coloquei na minha intimidade. Comecei a rebolar e depois de um tempo estava cavalgando, equanto isso ele as vezes me provocava...

[...]

- Agora eu vou arrumar a árvore... - falei depois de um banho bem tomado.

- Vou com você... - falou ele e fomos.

No meio da arrumação, o celular dele tocou. Ele foi para a varanda e depois de dez minutos voltou, e com um sorriso no rosto... chegou perto de mim e me abraçou por trás...

- Que tal... natal com a família? Eu, você, meus pais, minha irmã? - falou ele.

- Mas e o pessoal? - fiz cara emburrada para ele.

- Podem ir também... então já está confirmado - falou ele e me deu um beijo no meu pescoço, se abaixou e eu já sabia que ele ia fazer. Ele me botou em seus ombros, para colocar a estrela em cima da árvore.

Uma semana depois*

- A gente se encontra lá? - falou Taylor no telefone e logo desligou.

- Eai? - perguntei para ele.

- Eles vão se encontrar com a gente lá... - falou ele, quando me viu ele veio até mim e me deu um beijo - Cara, você está muito gata. - falou ele me girando - Vamos comemorar o Natal aqui... o que maravilha - falou ele e ri.

- Doido... Bia e Paul vão se encontrar com a gente lá também e Demi não vai dar para ir. Vai passar o natal com a família e o namorado - falei e fiz biquinho que logo foi mordida.

- Tudo bem... - falou ele.

- Você colocou todos os presentes no carro? - perguntei a ele e assentiu - E a sacola com as roupas? - assentiu - Pegou a torta dentro do forno? - assentiu - E o bolo? - ele não fez nada - É, você esqueceu o bolo.

- Vou pegar... - falou ele e foi na cozinha, mas logo voltou - Amor onde está o bolo? - falou ele confuso.

- Pera. - falei e fui até a geladeira, puxei ele pelo colarinho - Serve aquele ali? - perguntei para ele, ele riu e me deu um selinho. Logo ele pegou o bolo e colocou em cima da mesa junto com a torta. - O que a torta está fazendo aqui? - perguntei a ele
- Merda... o que foi que eu levei então para lá para baixo? - falou ele - Acho que levei a frigideira - falou e rimos, peguei a minha bolsa, os presentes e nossa roupa já estava dentro do carro, agora vamos levar a torta e o bolo - Vamos.

[...]

- Ele chegaram... - falou Makena que logo saiu de casa correndo e veio nos abraçar, mas se deparou comigo segurando uma torta e Taylor com um bolo, e logo ela falou - Me diga que é a torta de nozes que eu gosto.

- É a torta de nozes que você gosta. - falei e ela logo pegou a torta da minha mão e entrou, eu e Taylor rimos, Deborah e Daniel estavam lá dentro, mas logo saíram.

- Dona Luma, eu disse o que para você? - fiquei confusa, mas logo me toquei - Querida não precisava fazer - falou ela e me abraçou.

- Mãe... eu falei com ela - falou Taylor que deu o bolo para o pai levar.

- Venha cá... é aquele bolo com frutas dentro? - falou meu sogro animado.

- É sim. - falei para ele.

- Você é a melhor nora que alguém pode ter. Taylor se você largar essa mulher eu te mato muleque. - falou Daniel e logo caímos na risada, Deborah pegou as coisas que estavam no banco do passageiro, nossos celulares, minha bolsa, a carteira de Taylor, a chave do carro. Eu peguei a sacola das roupas, e Taylor a de presentes. Logo quando estávamos entrando ouvimos uma buzina, quando vimos Bia e Paul tinham chegado e logo atrás Jorgie, Deborah e Sophia.

Entramos rápido, Taylor deixou a sacola das roupas no seu antigo quarto, deixei a sacola de presentes perto da árvote. E fui falar com o pessoal, meus sogros e minha cunhada terminaram de falar com eles, e logo ouvi um gritinho.

- Tia Luma! - falou minha fofa, ela estava de cabelo preso em um coque frágil, sapatilha preta e vestido vermelho, ela estava a coisa mas fofa do mundo.

- Meu amor! - falei para ela que veio correndo e pulou no meu colo.

- Estava com saudades da você tia. - falou ela passando a mão pelo meu cabelo - você está muito linda tia.

- Você está mais Sol..- falei, e demos um selinho na outra, como fazíamos e ouvi um clique e quando fui ver... Taylor tirou uma foto da gente, coloquei ela no chão, que foi logo falar com o Taylor - Gente ela me trocou. - fiz cara de choro.

- Tia, eu nunca vou te abandonar - falou ela e um lágrima caiu no meu rosto, ela veio me abraçar - Nem mesmo o bebê... ele vai vir rápidinho - ela falou e eu fiquei confusa, ela sabia, e falou isso, desfez o braço e passou a mão pela minha barriga e deu um beijo, todos da sala ficaram confusos.

- Filha... - Sophia a interrompeu.

- Eu sei que minha tia perdeu o neném que estava aqui... mas eu avisei... o neném, daqui a pouco está aqui de novo... - falou ela e Taylor me olhou com lágrimas nos olhos, na verdade todos, depois desse momento fui falar com todos. Bia estava de vestido e eu gastei com ela.

- Mentira... me belisque... Beatriz Blue de vestido? - falei e ela me olhou com os olhos cerrados - Amor... tira uma foto aqui... preciso desse momento - falei pulando alegremente. - E ainda de salto? - falei e ela fez cara feia.

- Olha que eu volto. - ela falou e eu sorri para ela.

- Coisa fofa da amiga.- falei e dei um beijo na sua bochecha - Paul, foi você né? - ele assentiu - Sabia.

- Eu arrastei ela para o shopping. - falou ele e rimos.

- Oi oi oi oi oi... - falei para Deborah e Jorgie - Eai casal? Como foram as férias? - perguntei, eles queriam vir, mas eu não deixei, eles tem que curtir as férias e não ficar se preocupando comigo.

- Foram boas... mas e você? - perguntou Deborah.

- Estou bem... conseguir superar... - falei me controlando.

- Soube que Taylor jogou a fora a chave do quarto... - falou Jorgie para mim.

- Ele vai ver... vou fazer uma coisinha com ele depois - falei e logo ele apareceu.

- Cheguei... - falou ele e me olhou. - Você aprontou o quê agora? - perguntou ele e eu fiz nada inocentemente. - Estou de olho - passou o braço pelo meu ombro - Meu pai está chamando a gente, vamos lá? - falou ele me puxando.

- Aqui... - sabia... meu sogro entregando as bebidas. - Temos que comemorar várias coisas hoje. - falou e pegou um refrigerante e passou para Sophia e Makena que não bebiam. - Agradeço a Deus por ter vocês aqui na minha família, recebemos uma notícia que nos deixou alegre, mas depois ficamos tristes - falou olhando nos meus olhos e uma lágrimas escorreu pelo meu rosto. - Mas ele está la no céu, daqui a pouco vem um ai e vai ser só alegria... mas não é só isso que vim falar, vim falar também que estamos livres de uma certa pessoa... que fique lá em paz e que não voltei filha da mãe - falou e rimos, Taylor me abraçou por trás - Agora sim podemos viver em paz. Temos daqui a poucos meses o casamento, mas esperado do ANO e que venham outros. - falou olhando para Bia e Paul, sabíamos do que ele estava falando - Temos uma pequena na família que já faz a alegria, um casal de exemplo. - olhou para Sophia,  depois Jorgie e Deborah, e logo depois para a esposa - Mas é isso. Que tudo daqui para frente dê certo, pois irá dar... - falou e brindamos, até a Sophia brindou, e chegou a dar um gritinho no final fazendo todos rirem... Quando chegou meia noite, todos nós jantamos, todos iam dormir aqui, fomos todos jantar. Sophia ficava me olhando e logo entendi.

- Vem. - falei e ela abriu um sorriso saiu da cadeira que estava, sentou no meu colo e comeu comigo. Tiramos fotos, fizemos tudo. E logo fomos todos para a sala conversar.

- Mamãe estou com sono. - falou Sophia coçando o olho, Deborah pegou ela colo, pediu licença, e minha sogra disse que ia mostrar o quarto. Ficamos conversando até que minha sogra e Deborah chegassem e logo...

- Mas e ai? - falou e fez o sinal para que Taylor e Paul saíssem.

- Paul... você vai aonde? - perguntou a Bia.

- Pera que vou pegar uma coisinha aqui... - falou Paul e piscou para mim.

- Bia... vamos ali rápidinho? - nem deixei ela falar e fui puxando ela, para o fundo da casa, que nevava um pouco - Fica aqui, já volto, esqueci algo. - falei e sai e ele apareceu, Taylor estava vindo, ele sentou em uma cadeira em frente a janela, e me sentei no colo dele, nos selamos, o pessoal chegou e ficou vendo a cena dos dois. E Paul começou...

- Sabe... fui apaixonado por você desde o dia que a Luma chegou com você aqui na casa do Taylor, desde o dia que você ultrapassou a porta de entrada não consigo parar de pensar em você. Tentei te esquecer, sabendo que não ia rolar, mas não deu, você namorou, e eu me matava por dentro, me chamava de burro, por nunca ter chegado e falado "Eu quero você, eu gosto de você". Mas não consegui, não fui homem suficiente naquela época. Mas hoje sim, hoje nesse exato momento estou sendo homem, pois eu estou na frente da mulher que eu amo, não gosto mas... EU TE AMO... amo com todas as minhas forças, amo seus defeitos, amo seus modos exagerados, amo seu amor por calça. - falou e eles riram, eu percebi que Bia estava se segurando para não chorar, mas não conseguiu, uma lágrima caiu no seu rosto e logo foi limpa pelas mãos de Paul - Amo a cada lágrima de alegria... eu sei que é de alegria está bem... - falou e riram de novo - Eu sinto muito bem quando você está triste, alegre, de TPM... - falou e todos rimos - Sei também que você vai pensar por dez segundos para responder essa pergunta. - falou e tirou uma caixinha no bolso da calça - Então... eu sei que você não gosta muito desses negócios de ajoelhar, mas... vou ficar de pé. Então... Beatriz Blue... você quer me fazer o homem mas feliz do mundo? Pois eu quero acordar com você todos os dias na minha cama, quero chegar do trabalho e ter alguém para tirar os problemas da cabeça e levar para cama, me fazer feliz e te fazer feliz... então vamos logo que eu estou ficando nervoso - falou e respirou fundo, todos nós rimos - Você aceita se casar comigo? E lá vai a contagem... 10...9...8...7...6...5...4...3...2...1... - me interrompeu

- Aceito... - falou ela e todos nós comemoramos, Paul pegou o anel e colocou no dedo da Bia, e os dois se beijaram, e logo os dois entraram, demos os parabéns, e fomos comemorar...

[...]

E agora são exatamente duas horas e meia da manhã,  estamos todos indo dormir. Mas antes... fomos todos colocar os presentes embaixo da árvore, por causa de Sophia. Eu e Taylor demos boa noite à todos, e subimos, mas quando cheguei na porta ele me puxou para o colo, tirou meus saltos e jogou em algum lugar.

- Taylor... aqui não... - falei e ele não estava nem ligando e começou a tirar a roupa, revirei os olhos sorrindo, e tratei logo de tirar as minhas roupa, mas na hora das partes íntimas ele não deixou, ele já estava sem a sua cueca box, e sua ereção estava... não sei dizer.

- Vem... - falou me puxando, e me fez deitar, ele tirou meu sutiã e começou a beijar meus seios, e logo sua boca estava na minha bariga que foi abaixando e logo ele tirou a minha calcinha com a boca. - Lá vamos nós - e me penetrou e soltei um gemido um pouco alto, que foi logo abafado pela mão do Taylor -Amor... geme baixo...

- Porque não é você que está no meu lugar... - falei e ele começou a rir.


Continua...


01 março 2016

Fanfiction: Sem Saída - Capítulo 12 - Hora de acodar





Todos que a conhecia estavam em seu velório, inclusive nossos amigos, cada minuto que fiquei ali foi duro e doloroso não conseguia acreditar que seria a nossa despedida e muito menos que essa seria a última vez que a veria.

Os dias se passavam e continuava trancado em meu quarto, deitado sobre suas roupas na cama, seu cheiro me iludia fazendo acreditar que estava comigo. Rick resolveu ficar por mais algum tempo enquanto eu precisasse, me perguntei para quê. Ninguém me via, não saia do quarto para nada. 

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA