01 março 2016

Fanfiction: Sem Saída - Capítulo 12 - Hora de acodar





Todos que a conhecia estavam em seu velório, inclusive nossos amigos, cada minuto que fiquei ali foi duro e doloroso não conseguia acreditar que seria a nossa despedida e muito menos que essa seria a última vez que a veria.

Os dias se passavam e continuava trancado em meu quarto, deitado sobre suas roupas na cama, seu cheiro me iludia fazendo acreditar que estava comigo. Rick resolveu ficar por mais algum tempo enquanto eu precisasse, me perguntei para quê. Ninguém me via, não saia do quarto para nada. 


— Taylor... – ouvir a voz de Melody me chamar — Taylor, abri a porta. 

Continuei em meu silêncio, a ignorando. 

— Por favor. – pediu ela — Eu sei que está tudo difícil... Eu também estou sofrendo muito e sinto a fata dela o tempo todo.

Ouvi o choro de Melody. 

— Você não pode se trancar e deixar a vida passar enquanto há pessoas que te amam e sentem sua falta todos os dias. Isso não seria justo, ela te amava e nunca desejou que você passasse por isso mais uma vez... – Melody supirou — Taylor abri essa porta, por favor. 

Peguei seu vestido e o abracei sentindo seu perfume. 

— Acho que não vai abri, não é? Então só me esculta... Kathe pode ter partido, mas ela não o deixou sozinho, você sempre terá a nós, seus amigos, sua família... Não nos vire as costas Taylor, porque jamais faremos isso com você. 

Ela ficou em silêncio e sua frase me fez lembrar o que Kathe me disse quando perdi minha mãe.
 
Respirei fundo e levantei da cama, caminhando em direção a porta em passos lentos. 

— Eu sempre estarei com você... Quando precisar virei correndo, porque é isso que fazemos pelas pessoas que amamos. – concluiu ela. 

Abri a porta e a vi me olhando, rapidamente a abracei forte me permitido chorar. 

— Oh, meu amigo... – Melody retribuía com carinho. 

Talvez me isolar não tenha sido uma boa ideia, mas eu precisava.
 
— Você está bem? – ela me olhou nos olhos. 
— Não. – me limitei. 
— Você precisa retornar a sua vida. – me aconselhou. 
— Que vida? Não tenho mais vida. – a olhei enxugando o rosto. 
— Não diz isso. – Mel tocou meu rosto. 

Olhei para baixo e em seguida olhei o quarto. 

— Me sinto morto. – caminhei até a cama e sentei olhando as roupas — Sem ela não há motivos... Nem vida. 
— Taylor não diz isso. Olha pra mim. – pediu Mel e virou meu rosto para ela — Kathe se foi, isso é angustiante e doloroso, mas ela te deixou um filho e ele mais que nunca precisa de você. 

Meu filho, a dor me consumiu ao ponto de fazer esquecê-lo. Pobre criança de que me adiantará cuidar dele se sou a pior pessoa para ele. 

— Meu filho... – falei num sussurro — Não o quero. 
— Como não? – Melody me encarou surpresa — Ele é seu filho. 
— Fique com ele. – pedi frio. 
— Taylor ele não é um objeto, é uma criança, não pode dizer isso. – disse ela me encarando. 
— Fique com ele, faça o que quiser. Só não o deixe comigo. – a olhei frio. 
— Você não está bem mesmo, não sei como pode dizer isso do seu próprio filho. – disse Mel indignada. 
— Não importa, se não o quer deixe em um orfanato, hospital, em qualquer lugar não me interessa. – falei bravo — Agora saia daqui. 

Melody me olhou decepcionada e saiu. 

Deitei na cama me perguntando o por quê nunca poderia ter alguém que amasse comigo? 

Tudo a vida me tirava e essa criança ficaria bem melhor sem mim. 

Eu tinha uma vida cheia de problemas onde meu refugio era ficar longe de casa perdido em festas e garotas, então eu a conheci e naquele mesmo instante ela me fascinou, torno-se meu único porto seguro, conseguia acalmar cada centímetro meu com apenas um olhar e todo os meses que passamos foram os melhores de toda minha vida. Foram os únicos que vivi na verdade. 

E agora me resta apenas as lembranças de quando a tinha comigo as mesmas que me torturam a todo instante. 



(...) 



Acordei com um choro de bebê fazendo minha cabeça doer. Abri meus olhos e encontrei aquele pequeno ser chorando em minha frente. 

O olhei por alguns instantes e o peguei para tirá-lo da minha cama. 

Seu rostinho pequeno estava tão vermelho, talvez tenha chorando muito e meu sono pesado me permitiu notar seu choro só agora. Senti um aperto no peito, por deixá-lo tanto tempo chorando. 

Tentei segurá-lo com mais cuidado e acalmá-lo. 

Caminhei pelo o quarto com o bebê em meus braços o vendo se aconchegar no calor do meu corpo e cessar o choro. 

Olhei seu rostinho e paralisei ao ver seus pequenos olhos safiras — como os de Kathe — que me deixaram completamente perdido e com raiva de mim mesmo. Como pude ser tão idiota ao ponto de não querer meu filho? 

Sentei na cama o segurando com carinho ao me dar conta de que ele era tudo que tinha agora e enquanto o tivesse comigo, teria uma parte dela sempre viva aqui. 

Sai do quarto com ele em meus braços a procura de quem havia o deixado em minha cama. 

— Taylor? – disse Al surpreso. 
— Quem colocou ele em minha cama? – quis saber serio. 

Todos que estavam ali se olharam. 

— Eu. – disse Mel. 
— Por quê? – a olhei frio. 
— Ele é seu filho e antes que cometesse algo que se arrependeria, achei que deveria vê-lo pelo menos. – ela me encarava.
— O que você ia fazer com essa criança? – Rick me olhou sério. 
— O que já devia ter feito. – olhei o bebê em meus braços. 
— Taylor me devolve ele. – pediu Melody com medo. 
— O que ta havendo? – quis saber Al. 
— Não, Mel. – falei o deixando babá no meu dedo — Preciso registrá-lo. Não é mesmo, Tyler. 

Melody me olhou surpresa. 

— Vocês acham que vou continuar os deixando chamar meu filho de criança ou bebê? – olhei os três — Ele tem nome, que sua mamãe escolheu, Tyler Gabriel.
 
Eles me olhavam aparentemente contentes por ver que Tyler me fez sair do quarto e sem que notasse em mim me causou um leve sorriso por sentir aquela mãozinha tão pequena brincar com meu dedo. 

Nunca me imaginaria como pai e muito menos cuidando de um bebe sozinho, mas farei tudo que for possível para ser o pai que jamais tive e meu filho será sempre mais importante para mim que qualquer coisa no mundo

9 comentários:

  1. Omg!Chorei.Nao demora muito para escrever de novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee, tudo bem.
      Obrigada por acompanhar e ler, ja enviei todos os capitulos.
      Bjones ^^

      Excluir
  2. Lindo , chorei muito aqui 😭😭😭 não demora para colocar o próximo capítulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, tudo bem.
      Muito obrigada por acompanhar, é bom saber que consegui passar o que ele sentia e admito que esse é um dos capitulos que mais me emociona. Nao se preocupe ja enviei todos os capitulos de uma vez.

      Bjones ^^

      Excluir
  3. Mds que londoo, marabilhosa essa ficuma das melhores aqui. Ameiii

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olaa, obrigada por acompanhar fico muito feliz.
      Bjones ^^

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Nossa!! Meus parabens Charmont sempre me surpreende com suas fics e esta entao me deixou apaixonado, graças ao google achei esse site e aqui esta a continuaçao desta fic esplendida. Enfim, esta lindo demais cada capitulo e esse entao consegui emocionar por que acredito que esse casal ja sofreu tanto e Taylor ainda mais.
    Estou ansioso pelo proximo capitulo, meus parabens esta lindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, muito obrigada fico muito feliz, tanto que nao sei nem o que dizer hehehe
      Bom,obrigada por ler e acompanha-la.
      Bjones ^^

      Excluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA