29 maio 2016

Fanfiction: Every Detail - Capítulo 40




Hoje era ano novo, decidimos ir para Nova York. Como também tenho um show na virada lá e estamos levando todos, na verdade quase todos, Bia e Paul foram passar ano novo na casa dos parentes do Paul, Demi e Wilmer foram para o Novo México, passar com a família Devonne. E eu não posso esquecer Jorgie, Deborah e Sophia que foram para Oklahoma, onde está a família dos dois. Então ficou: Eu, Taylor, meu pai, meus sogros e minha cunhada para ir a Nova York.


Já saímos do aeroporto, que foi um pouco bagunçado para sair, mas agora estamos no Hotel. Makena ficou em um quarto sozinha, assim como o meu pai. Deborah e Daniel em um de casal, e eu e Taylor a mesma coisa. Era tipo um apartamento com quatro quartos, mesma sala, tudo, ficávamos no mesmo lugar, mas em quartos diferentes.

 - Que horas você vai se apresentar mesmo? - Taylor pergunta ao chegarmos no quarto.

- Na hora da virada – viro-me para ele.

- Você vai ter que ensaiar?

- Não, esqueceu que a gente ensaiou lá? - bato em sua testa.

- É mesmo - falou ele.

- Vou preparar algo para a gente comer – o puxei – Venha.

Chegamos à cozinha e Deborah preparava algo.

- Opa - falou ela e rimos.

- Está preparando o que, mãe? - Taylor me abraçou por trás.

- Torta assada de coco – eu comemorei.

- Sai – desvencilhei-me do Taylor e fui até o forno.

- Vai me trocar?

- É torta de coco, querido - falei apontando para o forno que eu abri e senti o cheiro - esse cheiro... Meu Deus, necessito dessa torta - eles riram.


[...]


- Vamos lá - falou o coprodutor, o que fica no lugar do Jorgie quando o mesmo não está.

- E ai, como estou? – dei uma rodadinha - está exagerado?

- Não – Makena me observa - você está linda.

- Valeu, Makes - mandei um beijo, todos me elogiaram, e ele chegou por trás de mim e me abraçou.

- Você está mais que linda – virou-me e me deu um beijo calmo e rápido. Então escutei me chamarem.

- Está na hora - falou o coprodutor.

- Tudo bem, tchau, me desejem sorte - falei mandei beijo para todos e dei um rápido selinho no Taylor.

Começou a tocar “Moments in love” que eu compus. Toquei, cantei, comemorei, etc.


[...]


E chegou a hora, a Bola da “Times Square” estava descendo, e começamos a contagem.

- 10... 09... 08... 07... 06... 05... 04... 03... 02... 01... - e a bola desceu e a comemoração ficou maior. Comecei a tocar com mais animação e logo terminamos.


[...]



- Feliz Ano Novo - falei para todos e nos abraçamos.

- Feliz ano novo, amor – eu e Taylor nos beijamos.

- Queria ter te beijado na hora da virada - fiz cara de triste.

- Mas você vai ter muito mais quando chegarmos lá no hotel - sussurrou em meu ouvido. Fomos interrompidos ao ouvir um pigarro atrás de nós.

- Quem diria que minha filha estaria ali em cima cantando tanto - falou e nos abraçamos - Feliz Ano Novo, minha pequena.

- Feliz Ano Novo, pai - suspiro - queria que ela estive se aqui - seguro o choro.

- Ela está lá em cima, observando nós e deve estar muito orgulhosa de você - choramos um pouco e logo ele se animou - agora, vamos nos divertir mais um pouco? – então fomos para uma festa que está ocorrendo aqui perto, ao qual eu fui convidada.
- Vamos.


[...]


- Que horas são? – perguntei ao chegar no quarto do hotel.

- Duas agora - falou Taylor.

- Que dor – gemo de alivio ao tirar o salto – assim é bem melhor - senti os lábios do Taylor no meu pescoço.

- Que tal em? Nossa virada do ano aqui em Nova York, nesse quarto, nós dois juntinhos - soltamos um risinho.

- E... - ele me interrompeu.

- E nada. Meus pais não estão aqui, minha irmã não está aqui. Seu pai não está aqui - O pessoal resolveu ficar mais um pouco na festa.

- Você me convenceu, sabia? – virei-me.

Beijamo-nos e ele desceu seus beijos para meu pescoço. Escutei o zíper do vesti sendo aberto e ele tirou as mangas e começou a beijar meus ombros. Em um instante eu já estava de calcinha e sutiã e ele somente sem camisa. E logo eu parei.

- O que foi? - falou ele

- Estou em desvantagens - ele logo entendeu e tirou a calça.

- E agora? - assenti mordendo meu lábio inferior.

Puxou-me e começamos a nos beijar de um jeito rápido e quente. Ele logo tirou meu sutiã e desceu seus lábios para meus seios. Minha calcinha foi retirada e ele fez a mesma coisa. Chegou minha vez, tirei sua cueca box e ele me olhou com cara de interrogação.

- Você... – interrompi.

- Se você não quiser, tudo bem – levantei-me.

- Se você quiser - ele se deitou e eu ocupei minha boca com seu membro e fui indo devagar - você está me torturando – gagueja e eu ri um pouco – chega, não aguento.

 Puxou-me para cima e me fez ficar por baixo de seu corpo. Sinto-o me penetrando, ele ia e vinha devagar, e às vezes rápido.

Gemia pelo prazer que estava sentindo. Logo trocamos de posição, ficamos de lado e seus movimentos ficaram mais rápidos.

- Luma - gemeu meu nome. Taylor fez com que eu ficasse por cima dele, e me pus a cavalgar. Seus dedos se entrelaçaram nos meus, me inclinei ainda cavalgando e nos beijamos, e gemíamos cada vez mais. Ficamos assim por uma hora e meia. Chegamos ao ápice umas três vezes.


[...]


Acordei e vi que era 10h30min. Taylor ainda dormia, ele estava de bruços, então, com muito cuidado, sentei encima de seu bumbum e comecei a trilhar beijos até sua orelha.

- Tay amor, acorda - sussurrei e ele resmungou algo – Taylor, acorda amor – nada. Resolvi me levantar e no mesmo instante ele me pegou e começou a fazer cocegas em mim – ah, não, não - gritei entre gargalhadas - ah - ouvimos um batida na porta, e a sessão de cócegas foi cessada. Peguei uma blusa dele e vesti antes de abrir.

- Você fica linda usando minhas blusas – deu-me um selinho.

- Besta - dei uma tapinha na sua testa e fui ver a porta. Meu pai entra correndo assim que a abro.

- Que gritaria foi essa? – ele tinha uma expressão preocupação.

- Pai – segurei-me para não rir – foi só ataque de cosquinha - falei e nós rimos, até ele caiu na onda.

- Tudo bem, desculpe pela invasão. Já vou indo - falou e viu que eu estava com a camisa do Taylor - vamos tomar café?

- Claro - fui tomar banho antes.

- Daqui a pouco estaremos lá - falou Taylor.

- Ok, bom banho para os dois - meu pai nos olhou com malicia.

- Pai! – O repreendo séria, mas acabamos rindo. Tomamos um banho rápido e logo terminamos. Coloquei uma roupa simples para ficar dentro do hotel e Taylor também colocou uma bermuda, blusa de manga longa e havaiana e fomos para a sala de mãos dadas.

 - E os pombinhos chegaram - meu sogro caçoa e rimos.

- Deveriam gemer mais baixo - falou Makena e eu corei totalmente e escondi minha cara no pescoço no Taylor. Agora que eu estou ferrada, cara, vou abrir um buraco bem aqui e enfiar minha cabeça para nunca mais tirar.

- Makena - Deborah reclamou com ela.

- Desculpe - levantou as mãos para o alto como forma de rendição.

- Mas e ai, como foi a festa? - perguntou Taylor e me puxou para sentar a mesa para tomarmos café. Hoje todos acordaram tarde.

- Foi ótima - falou Daniel.

- Como foi o Ano Novo dos dois? - Makes começa mais uma vez e eu corei mais ainda.

- Makena – Deborah reclama mais uma vez.

- Não mãe, ela está fazendo isso para brincar comigo. Entretanto vou responder - Taylor sorri zombeteiro - Foi maravilhoso!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA