23 setembro 2016

Fanfiction: Summer Love - Capítulo 1: Pousada - Uma Canção, Um Olhar



        

  
PPOV TAYLOR:

Era verão, e eu estava tão animado para enfim tirar uma folga no fim de ano.
Apenas minha mãe, meu pai, minha irmã e eu..

Bom, e alguns seguranças, mas que não contavam, estavam ali como estatuas para garantir a nossa segurança.

Íamos em direção a praia, estávamos no brasil, mas especificadamente Jericoacoara, olhava as fotos de lá e ficava cada vez mais encantado com aquela lugar.





 Faltava alguns minutos para chegarmos e eu estava eufórico olhando pela janela do carro – Suspirei procurando olhar tudo novo que encontrávamos.

Estava tranquilo, esticando o pescoço para observar tudo e ouvi a risada de Kenna ao meu lado.
- O que foi? Pra que tantos suspiros hem? – riu novamente e agora me deixando sem graça, mal havia notado que estava suspirando enquanto observava.

- Qual é Ken?! Agora só por que suspiro quer dizer que preciso de motivo? – dei essa resposta, mais ela merecia, se eu me mexesse me reparava, se eu fechasse os olhos me reparava, tudo que eu fizesse me reparava.

Estava passando tempo demais do meu lado, estava tediada, talvez precisasse de uma amiga ou um namorado. Por que me irritava quando tirava o dia para implicar comigo.

- Aaa nem vem com essa, pensa que não sei, que você andou assitindo uns filmes de romance de verão. – ironizou ela – a olhei e dei de ombros.
E ela completou – você viu e deve esta precisando viver um né?!

- Makena para com isso. – Disse minha mãe e me olhou – Seu irmão tá cansado da viajem, trabalhou ate tarde ontem e teve que enfrentar quase um dia todo de viajem, tenha mais compaixão!

- É makena ,você também ficou ate tarde ontem estudando, vê se descansa – Falou meu pai.

Makena me olhou como se tivesse perdido a guerra,  nós nos encaramos e caçoei em silencio fazendo ela não se esquecer de que eles estavam do meu lado e ela riu.

 - Bem feito – Sussurrei.

-Vai te catar – disse ela.
Makena olhou pela janela do carro e avistou o local onde ficaríamos hospedados, era uma pousada bem  bonita, parecia aconchegante, ficava um pouco distante da vista de muitas pessoas, era isolada e bem familiar, ficava perto da praia e era isso que me importava.

- NAO ACREDITO,GLORIA A DEUS CHEGAMOS! – Disse Makena abrindo a porta e erguendo as mãos para os céus.

- Nossa é lindo, Debora – Disse meu pai enquanto desligava o carro e abria a porta para observar.

- Tomara que tenha TV a cabo, hoje tem jogo – Disse fechando a porta enquanto saiamos do carro.

- Enfim, ferias! – Falei e eles me olharam.

- por quê toda hora você diz isso? – riu Makena e comentou – cara chato.

Dei língua enquanto meus pais riam de mim por causa do comentário dela.
  
– Vamos crianças, vem – Disse meu pai parando de rir enquanto trancava o carro para irmos para o hotel.

E Makena me deu língua e ameacei a correr atrás delas e gargalhou.

                     POV LENE:

Nem acredito que enfim cheguei em Jeri.,
Não que seja longe de onde moro, afinal de sobral a Jeri são só 3 horas de viajem. Mas, ai 3 horas em um ônibus com quatro crianças ,duas adolescentes, dezoito adultos tentando em vão decidir como fazer de um verão o mais incrível de todos e olhe que eles são todos da minha família.
 Aiai.. nada melhor que férias em família “risos”

***
Nem podia acreditar, finalmente chegávamos na pousada ,dava ate vontade de chorar, se eu não estivesse tão loucamente desesperada pra saltar do carro.

Era tanto barulho que o resto dos meus neurônios que eu tinha se desapareceram.

- SAI DAFRENTE! -  Gritei necessitando de ar, espaço, silencio e paz!
Todos me olharam assustados, por que isso era comum acontecer “De eu surtar assim”

- O que foi gente? – falei me abanando enquanto agradecia mentalmente a cara de espanto deles, só assim para eles se calarem.

-Valia te acalma doida do nordeste - Disse minha irmã e joguei o olhar para o alto ainda me abanando.

-Vai te catar, zuadenta.-  Falei em tom de deboche e ela me olhou torto e dei um sorrisinho maroto.

-Ja chega, vocês já vao começar? Deuzulivre mal chegaram. - Falou minha mãe como quando nos separava das nossas brigas de pontapé e puxadas de cabelo. Agora estávamos velhas pra isso, mais o vocabulário só piora.

-Olha vocês duas, estão ouvindo isso? – Cortou meu pai enquanto todos voltavam a conversar.
Ele olhou para os lados ouvindo alguma coisa diferente, mais eu não conseguia ouvir nada se não o couro de vozes dos meus parentes conversando.

Ao tentar prestar atenção para ver se capitava alguma coisa, notei o quanto minha família tagarelava.

- Eu não ouço nada – enruguei a testa e ele olhou para os lados.

- Gente calem a boca! – falei tentando entender meu pai.
Todos ficaram em silencio e minha irmã como sempre do contra – Não vou me calar, vem aqui me calar você.

Ele olhou para o alto enquanto dei meus passos em direção a ela e minha mãe se pos na frente enquanto meu disse.
- podem parar, já! Esta vendo este silencio?

- É EXATAMENTE esse silencio que eu quero quando chegarmos dentro daquele hotel, aqui tudo é silencioso e eu exijo que as duas se calem antes mesmo de pensarem em brigar, isso vale pra ti tambem Darlan – Darlan fez um olhar do tipo. “Oxi, mais o que tenho haver com isso, estou quieto”

Meu irmão levantou as mãos como quem estava confuso.
- oxi mais elas brigam e a culpa é minha? To quietim.
Rimos do seu jeito querendo mostrar que era inocente, mais de inocente meu pai sabia que ele não tinha nada.

- Serve pra você. – insistiu meu pai apontando para ele e Darc riu.
- o senhor manda as meninas não gritarem e é o primeiro a desobedecer a si mesmo.
Todos nós demos um risinho, mais ao ver meu pai nos atravessar com os olhos olhamos para os lados sem jeito, estávamos realmente com medo.

 Entramos na pousada, meu pai e minha mãe estavam indo a recepção fazer o check i'n enquanto  minha irmã e eu fomos com as crianças conhecer a pousada.

Arrastando as crianças para todos os lados, de longe avistei dois homens vestidos com uma blusa e um short, ate ai não era esquisito se não fosse pelos fones nos ouvidos e alke toques falando entre si e olhando pros cantos, como se fossem seguranças.

Esta bem, pela forma que andaram agora, tão eretos só podia ser seguranças.

 Subiu uma curiosidade enorme em mim pra saber quem era eles, meus pensamentos e minha atenção foram atraídas pela voz da minha irmã – quem deve ser esses esquisitos?

Segurei a mão de um dos meus primos – Vem aqui, pare de correr.
Olhei para eles novamente – devem ser segurança de alguém importante.

– Será que é a Dilma? – perguntou minha irmã e enruguei a testa tentando imaginar, o que a Dilma faria aqui e de onde ela tirou essa ideia?

Soltei um ar ignorando sua pergunta e comentei – vai que são seguranças de algum artista, pode ser da Anitta. – pisquei um dos olhos pra ela e completei - Ou do brad pitt e da Angelina Jolie já me disseram que muitos famoso de hollywood passam por aqui.

Ela riu se virando – Vou até a nossa família, esses pestinhas não param, voltem aqui!
Disse minha irmã percebendo que dois deles saíram correndo em direção ao nossos pais.
- Vou voltar para a recepção, vem crianças! – Disse ela, mais ignorei completamente esticando o pescoço discretamente para saber mais sobre aquelas pessoas que estavam ali.

Qual famoso seria? Talvez a Anitta, quem sabe Ludmila, ou talvez Biel! Ah.. eram muitos.

Me perdi em meus pensamentos esquecendo-me que olhava para eles diretamente,
Que fofoqueira eu estava sendo. No meio de meus pensamentos imaginado tantos famosos e eu acho que por meio segundo eu ate sonhei indo lá conhecendo eles ou sendo uma famosa.

Tinha tantas pessoas que tinha vontade de conhecer, Bradley cooper, Roberth, Chris Evans, a.. e o meu favorito Taylor Lautner.

Vai que eram seguranças do Taylor Lautner!
Sonhar demais não faz mal, nem ofende. “Risos”

Quem eu queria enganar? Mesmo sendo qualquer um desses eu teria que ficar de longe mesmo.
Há! Mais eu ia então lá pelo menos perguntar se eles eram seguranças e de quem.
Dei um passo a frente mais fui interrompida pelo chamado da minha irmã.
- Vem, vamos nos estalar nos quartos.

Respirei fundo passando as mãos no rosto, nossa, desde quando fui tão fofoqueira? Estava tensa por causa de uma curiosidade. Risos.

Fomos nos instalar no quarto, cada família fiava em um, meus primos que eram casados ficavam em quartos com suas esposas e filhos, meu pai e minha mãe no deles , meu irmão com a minha cunhada e minha sobrinha, vovó e tia Lurdes em outro e Eu como sempre sozinha, solteira, vinte e cinto anos, mãe de um menino, voltei a morar com meus pais eles me ajudam a criar meu bebê enquanto trabalho e meto a cara em cursos; não que eu queira esta solteira, isso jamais, o problema é que o pai do meu filho se metia em muitos problemas e acabou morrendo cedo e antes estava na cadeia.

Pessoas as vezes são crueis, magoam sem nem saber o motivo. Mas eu sou nova, não sou feia, disso sei.

Me sinto bem com meu corpo, não sou atleta mais mantenho minha alimentação regularizada, sem precisa de academia, eu danço e já é o bastante.
 Academia da preguiça.

 E aqui nos meu filho e eu minha irmã, Vitoria e a miga dela decidiram em ultima hora a economizar mais o dinheiro do meu pai indo para o meu quarto que tinha uma cama a mais que dividiriam. Pensei ao ve-los entrar no quarto.
 -óóóhhh ceus passarei anoite com aborrecentes falando de machos.

Levantei as mãos pro ceu em pensamento por que a indignação era muita.

 Meu filho apareceu por trás e fez um gesto do qual eu queria fazer, parecia até que lia meus pensamentos e ri ao ve-lo se chatear.

Eu me derreto pelo meu principezinho ,olho pra ele como sempre faço, aquele olhar de mamãe coruja e protetora. Do qual diz eu te amo toda hora.
 M eu filho é a melhor parte de mim, se errei no passado, eu sempre estou acertando agora no presente.

Quando o final da tarde estava chegando, colamos todas as crianças para darem um cochilo, por que no próximo dia ali seria animado então peguei o violão da minha cunhada e fui para a varanda do quarto, a vista era incrivelmente linda!

Ela estava me ensinando a cantar, era mais pra motivar e eu amo cantar pra Deus,, Afinal quem não gosta?!
 Começamos com uma das minhas favoritas,- quem é esse?
- Andre e Felipe

 Fui me deixando levar pela musica, era tão bom cantar naquele lugar, sentia a presença de Deus nos ventos que tocavam meus cabelos..

 Mas uma sombra me fez ficar desconcertada, o por do sol pairava nos olhos quase me deixando cega e ao pisca-los duas vezes pude enxergar bem quem era...

 Fiquei muda...Meus pensamentos se perderam...Era serio mesmo, era ele ali? Eu estava sonhando? Se antes eu apensa senti gotas de lagrimas somente na hora que desconfiei, agora elas ameaçavam a cair! Era ele! Era ele! – OMG TAYLOR?-  Sussurrei e minha cunhada parou olhando pra mim confusa com a minha expressão;




Um comentário:

  1. Aaaaah, um sonho de verão, acho que ja me apaixonei pela fanfic só por ser no meu estado lindo e ter nossos regionalismos nas falas dos personagens. Continua...

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA