10 outubro 2016

Fanfiction - Ela é para o meu irmão - Cap 45

V

Capa/Fic: Jéssica_keli - Jéssica TLM.

OBS: ALLAN -> RICK.

Depois de uma hora saía pelo corredor ajeitando meu cabelo, não acreditava no que havíamos feito, podíamos ser pegos e eu não acreditava na nossa ousadia, nunca imaginei passar o que passei.
Sorri entre minhas pausas para ajeitar meus brincos e quando saí do corredor a claridade incomodou meus olhos e com eles meio fechados observei Ashley com suas colegas de trabalho.
Ela me olhou e sorriu, retribui mais logo cortei ao perceber uma cutucada no meu braço.
 Olhei – Emily onde estava? – perguntou Rick.
– precisei resolver algumas coisas – olhei tudo a nossa volta, havia flashs por todos os lados.
– que tipo de coisa? Estamos te procurando à uma hora desde que – olhou por detrás bem na hora que Taylor saiu de onde estávamos e me deu um olhar malicioso.
– oque? – perguntei falei sem graça.
– estava resolvendo muitas coisas – riu.
– olha só não comece por que você ainda não é totalmente confiável – e aí ele riu – a Qual é para de me lembrar da minha mancada.
– Se eu não te lembrar toda hora até te perdoar não seria eu – e ele riu.
– A Hanna me convidou para a festa depois daqui.
Fiquei confusa – quem é Hanna?
Ele se deu conta do seu furo e estalou a língua – aí, me desculpe, Ashley.
– Sério que trocou o nome dela pelo de sua personagem?
– Estou nervoso, não estou acreditando em nada pra mim ainda é um sonho estar conversando com ela.
Sorri estava feliz por ele, já senti o mesmo, só que nunca trocaria o nome do Taylor e logo mostrei o quanto era estranho seu nervosismo.
–para de me olhar assim – riu, ri olhando novamente para onde estavam as meninas, meu sorriso foi quebrado na hora.
Não sabia o que sentia, Taylor estava de mãos dadas com sua Colega de trabalho Marie Avgeropoulos entre elas.
Indaguei engolindo meu sorriso, era como se tivesse prendido na garganta porque um nó se formava, ela o olhou tão intimamente como se estivesse muito tempo juntos e meu sangue subiu minha vontade era de ir lá e tira-lo das mãos dela, precisava mesmo de toda aquela cena?
– Emili para de olha-los assim esta dando muito na cara.
O olhei ainda enojada com o que via e ele estava preocupado – continue olhando para mim não olha para eles.
Ignorei seu pedido e a encarei, imaginei podendo ir até lá e arranca-lo de perto dela.
Ela disse algo no ouvido dele sorrindo, alguma coisa que o fez rir e não paravam de tirar foto deles juntos.
Por que ele estava rindo? Por que correspondia aquela intimidade toda?
Rick me respondeu como se lesse pensamentos – Emily fica calma é só atuação, vamos sair daqui, vem – segurou meu braço e puxei meu braço ainda os encarando.
Marie sentiu que alguém a olhava fixamente, mesmo tendo tantos holofotes neles olhou em nossa direção. Ela não imaginava quem eu era, não me importava de estar ali a encarando mais seu olhar arrogante por perceber que alguém a encarava me deu vontade de bagunça-la.
– Emily para ela percebeu – ele se preocupou.
– Deixa – falei ainda a encarando de longe e o mesmo ela fez me olhando de baixo para cima.
Taylor me olhou e Rick saiu me puxando – A não, anda vem vem vem.
Enquanto me puxava estive pensativa enquanto ele resmungava algo sobre perceberem alguma coisa entre mim e Taylor, por que Ashley tinha comentado com ele.
Ainda pensativa caminhava em silencio sem prestar atenção nele, chegando no estacionamento onde não havia ninguém.
– oque? – perguntei sem prestar atenção nele, minha raiva focava naquela imagem, aquela aproximação dos dois.
– Emily me escuta, você não pode agir assim na frente das pessoas, se quer ficar com ele deveria saber disso.
– tá, só me deixei levar, não esperava ver o que vi – passei as mãos no rosto enquanto caminhávamos no estacionamento.
– Isso ali é atuação, eles estão fazendo um filme juntos, terá que se acostumar, anda senta aí – disse enquanto chegávamos perto de um banco no estacionamento.
Respirei fundo.
– Sabe que ela percebeu né?
– Idaí? Você não disse que era só atuação?
– Sim, mais ela te olhou como se fosse pessoal, ela ainda não sabe quem é você se esqueceu?
– na hora nem pensei.
– Vou ligar para Ashley, só um minuto – disse se afastando.
– você pode ligar para ela aqui na minha frente.
Ele riu – você esta nervosa demais, se acalma aí.
O vi se afastar, respirei fundo, não ia conseguir ficar na festa depois do que vi, não ia aguentar ficar vendo eles grudados para todo o lado. Por que ele não comentou nada disso comigo?
Ele voltou – já voltou?
– Ela chamou um taxi, ele já esta vindo.
O olhei torto – por que? Vamos embora?
Ele sorriu – você vai embora.
– Oque? Eu vou sem você?
– Você esta no mesmo hotel que o dela né? Ela pediu que fosse pra lá.
– Nossa, estão tão íntimos assim? Os dois estão querendo se livrar de mim? é serio? – bombardeei de perguntas.
– diz a verdade, você quer mesmo ir a essa festa? – riu pondo-se em minha frente.
Sorri sem jeito e ele completou – vai mesmo? Por que se quiser eu ligo e cancelo com o taxista e nós iremos agora, chegaríamos até primeiro.
Respirei fundo me levantando – é, sei que não é uma boa ideia.
– É eu sei.
– Mais por que é que eu sinto que você e Ashley estão querendo se livrar de mim? – perguntei franzino a testa e ele riu.
– por que você é uma ciumenta, é por isso – riu.
– olha lá hem, sua amiga sou eu.
Ele riu e olhamos o taxi chegar e ele me olhou – quando chegar lá me liga, ok?
– Tá.
O Taxi se aproximou e ele cumprimentou o taxista enquanto abri a porta.
– Tchau Emi – falou enquanto entrei no carro.
Da janela comentei – Tchau, manda um beijo pra sua nova amiga – Ciumenta – beijou minha testa.
Indo de volta para o Hotel estava impaciente, não acreditava que tinha que deixar de ir só pra não vê-los juntos, era ridículo eu sei, até poderia ir mais os dois tinham razão, não ia me sentir bem.
Chegando ao hotel procurei manter minha mente ocupada, entrei no quarto tirando o sapato.
Troquei de roupa, pedi um jantar no quarto e liguei a TV e o notebook.
Deitada na cama procurei sobre Marie agveropoulos, os fãs a apoiavam, diziam que era a mulher mais bonita com quem Taylor atuou, na internet havia postagens que zoavam ela mais tinham muito mais postagens a favor deles juntos.
As fotos tiradas hoje enfestavam o google e todos as redes de fofocas, quanto mais eu via mais transtornada ficava. Pela hora já estariam todos na festa particular do elenco e eu aqui me preocupando com um monte de gente que shippavam os dois.
Que saco, isso não era legal, não sabia que estava segura para aceitar esses tipos de coisa pelo resto da vida, o que faria?
O celular que Ashley havia me emprestado começou a vibrar na cama e dei uma olhada no visor para saber quem era e o numero mais estava restrito.
Não sabia se atendia, poderia ser pessoal da Ash, então chamou e não atendi.
Assim que parou guardei meu notebook no chão perto da cama e o celular voltou a vibrar. Peguei e enquanto chamava pensei se atendia ou não.
Parei observando o numero restrito então finalmente atendi.
– Alô.
– Oi, Emi sou eu – Disse Taylor.
Sorri ao ouvir sua voz, mais ainda me sentia incomodada com aquela situação, só tinha medo de perde-lo, de ser enganada. Passamos tanta coisa para tudo de repente ser desfeito por uma enganação da parte dele? Meus pensamentos me traiam. Meus sentimentos acabavam comigo.
– não atendi de primeira por que pensei que fosse para a Ashley.
– o que aconteceu com o seu telefone?
– perdi no acidente, ele virou churrasco – ri e ele riu – antes ele do que você.
– É verdade – ri – mais não estou me importando sempre me esqueço de separar um tempo para resolver isso, sempre deixando para o outro dia.
– entendo.. – disse e ouvi um ruído bem alto. Parecia um elevador.
– alo? – perguntei.
– esta no hotel? – perguntou.
– estou..
– desistiu de ir á festa? – perguntou mais logo me lembrei do motivo, não sabia se era a hora certa pra dizer.. Então dei qualquer desculpa.
– É.. estou um pouco cansada.
– só por isso? – perguntou.
– É..
Indaguei doida pra falar, mais sabia que ia estragar tudo. Pensava enquanto conversava com ele “Agora não é hora pra isso. se calma”.
Respirei fundo e ele perguntou – esta tudo bem?
Respondi – Estou..
– posso te perguntar uma coisa?
– Claro.
– esta muito cansada pra receber visita?
Será que Ashley estaria para chegar? Há que me importa, respondi – não, por que você quer vir aqui? – ri
– Na verdade fui entrão demais, por que estou na sua porta – riu e ouvi sua voz no corredor.
Sorri correndo até a porta e a abri, ele já estava com roupa comum, calça jeans e um casaco azul.
Sorri surpresa, nem passava pela minha cabeça dele estar ali.
– estou surpresa – Sorri e ele retribuiu e passou por mim.
Comentei fechando a porta – Achei que estava na festa com eles.
– Até estava.
Caminhou até a cama e se sentou e o segui enquanto falava.
– mais não tinha muita graça sem você e então pedi que Ashley me dissesse onde vocês estavam ficando, só fui a esse evento por que queria te ver de novo.
Sorri e me lembrei daquela garota do lado dele, tinha que conversar com ele sobre essa situação que me incomodava, só não tinha ideia de quando. Ou de como.
– O que foi? – perguntou de forma mansa percebendo minha insatisfação com alguma coisa.
Ele se levantou – Diz pra mim por que fez essa carinha – Aproximou do meu rosto.
– tenho medo de dizer e estragar essa noite – olhei para baixo, estava com medo de mostrar insegurança, mais não conseguia parar de pensar no medo que isso me causava.
– Nada vai estragar essa noite – respondeu e voltei a olha-lo e ele sorriu – Bom, só se me disser que tenho que ir embora.
Sorri – Claro que não, você não iria embora nem que quisesse.
Rodei meus braços em seu ombro e ele sorriu – Então.. Estamos juntos novamente?
Pensei em como Debora havia dito que precisava estar bem para que tudo desse certo.
Avaliava o quanto cuidei de mim e o quanto esperava por isso e ele me despertou – Você quer voltar comigo? – apoiou sua testa a minha.
Sorri e confirmei lentamente e ele sorriu – que saudades de você, saudade do seu sorriso, da sua presença e desses olhos..
– Pensei que nunca ficaríamos assim novamente – indaguei e completei – Você me assustou, achei que não me amava mais – fixei meus olhos nos seus.
Piscou lentamente os seus – me desculpe ter feito pensar isso – Soltou um ar dos pulmões – mais nunca deixarei de te amar, nunca – aproximou seus lábios dos meus e sussurrou – nunca.
– Eu te amo Taylor – ele sorriu – o que? Não ouvi – brincou.
– Eu te amo – ele sorriu – repete de novo.
 Ri – Eu te amo eu te amo e eu te amo.
– Isso é tão bom de ouvir! – Riu e me olhou fixamente.
Me preocupei com o que pensava, se afastar do meu rosto e continuar me olhando me deixava desconcertada.
– oque foi? – perguntei soltando uma risada sem graça.
– Nunca te disse o quanto eu te amo.
Sorri sem jeito – Eu percebi.
Ele enrugou a testa – Serio?
– Sim, mais me lembro perfeitamente naquele quarto do hospital ouvir sua voz me dizendo o quanto o seu amor era grande por mim.
Esticou os lábios contente, ele imaginava que me lembraria mais nunca tinha confirmado que lembrava das suas palavras.
– Me lembro de você dizer que me amava, lembro-me também que havia dito que se fosse o Evan você jamais desistiria de mim.
Ele olhou para baixo cortando o sorriso – Ele errou muito com você – me olhou e respirou fundo.
– Não posso mentir, me sinto muito inseguro em relação a isso, por que sei que sente alguma coisa por ele.
Neguei com a cabeça – Não sinto mais, tenho certeza disso, amo você e é só você.
– É difícil acreditar.. – olhou para baixo e me aproximei.
– Antes pensava ser impossível me sentir assim, mas ficar longe de você todo esse tempo me fez refletir enquanto você é importante pra mim e é totalmente diferente dele.
Respirei fundo e completei – Evan foi meu primeiro namorado, é normal ter uma consideração por ele, apesar de tudo que ele fez, mais consideração nós temos por qualquer pessoa que significou muito em nossa vida.
– É mais odeio que ele represente algo pra você – me olhou.
– É mais ele representa e se eu disser que não, estarei mentindo pra você.
Olhou para o lado chateado – não consigo nem tentar te compreender.
– não? ok, mais adorarei tentar fazer você entender, como você vê a Sarah?
Seu olhar mudou, jamais conversamos sobre Sarah e ele estava um pouco surpresa, uma expressão de medo então me encorajou a dizer.
– Sarah foi sua primeira namorada, convive com a sua família até hoje, eles adoram ela e vire e mexe você a trata como se estivesse no inicio do namoro.
Ele me olhou sem jeito e completei – Acho que deveria mostrar o quanto isso pra mim também é desconfortável, afinal ela também frequenta a sua casa, o seu quarto.
Ele sorriu sem graça – Ela não entra lá desde quando conheci você.
– Há, você diz isso agora, mais eu também não sei – mostrei o quanto estava na mesma situação que ele.
Puxou-me rodando suas mãos mais fortes em minha cintura e disse em meu ouvido.
– Eu te amo.
Afastei-me do seu rosto para olha-lo ele sorriu  – Estamos morrendo de ciúmes.
Neguei fingindo não estar – Quem falou que estou com ciúmes?
Ele riu – Ahaha não?
– Eu não! – ri dando um beijo no canto de sua boca e ele sorriu.
– Eu te amo Emi.
Sorri ao ouvi-lo pela primeira vez seguro em dizer o quanto me amava, um peso saia dos meus ombros, a alegria tomava conta de mim, estava tão feliz! Mais me mantive calma por fora e retribui seu sorriso.
– Também te amo Taylor.
me abraçou na beira da cama e me jogou junto dele a cama.
Caímos um ao lado do outro e ele mostrou uma cara surpresa – Ei, Essa cama é muito boa – enrugou a testa em seguida me olhou mostrando que estava impressionado com uma simples cama.
Começou a aperta-la e se aconchegar nela.
– Concordo e ainda mais nessa situação – me levantei ficando por cima dele, apoiei meus braços na cama.
 – Tem razão parece bem melhor – olhou para baixo me olhando e riu.
Aproximei dos seus lábios e senti suas mãos chegarem a minha cintura e me deitei em seu lado, seu celular começou a tocar e ignoramos completamente.
– A não acredito – riu entre nossos beijos.
Deitei-me em seu lado enquanto suas mãos deslizavam em minha cintura e o telefone perturbava tocando sem parar, me incomodava e ele nem ligava.
– Seu celular tem algum problema comigo – falei entre nossos beijos e ele riu.
Voltei a beija-lo só que aquele som nos incomodava e me afastei aos poucos.
-atende – falei.
– a não – aproximou me puxando para perto dele.
– Atende ou desliga – encostou a cabeça totalmente na cama e riu pegando o celular.
– Alô?
Ficou um silencio enquanto ouvia a pessoa do outro lado atento.
Respondeu – tá, então as seis horas estarei no restaurante do hotel, fica tranquila.
Então aí soube que era alguém daqui e uma mulher. Ao desligar dei um sorriso amarelo e ele perguntou – o que foi amor?
– nada – respondi pensando em quem poderia ser e antes que eu pensasse em como conversar com ele sobre essa situação ele comentou.
– Hoje vi você saindo do evento e me preocupei.
Fingindo não entender logo perguntei – por que? – sentei no meio da cama.
– porque vi que você não gostou – Se sentou ao meu lado.
– oque? Do que esta falando? – ri tentando disfarçar e ele olhou para baixo de repente percebendo que não admitiria meus ciúmes, sorriu.
– eu sei que estava com ciúmes Emily.
Fiquei em silencio e ele completou – o que fazemos é apenas marketing.
– não estava com ciúmes – olhei tudo menos os seus olhos e ele procurou pelo meu olhar.
– Então foi bom termos essa conversa antes que ficasse – sorriu.
– E aí eu vou ter que aturar vê-la de mãos dadas com você pra cima e pra baixo? – falei e ele sorriu.
– E não estava com ciúmes – Fiquei sem jeito ao ouvi-lo comentar.
Me puxou para perto e me abraçou – Eu te amo não precisa ficar com ciúmes dessas coisas, quero estar sempre com você ninguém ocuparia seu lugar.
– ok, então vou arranjar alguém pra ficar andando comigo de mãos dadas por aí também, já que não tem problema.
Riu – não, nem pensar, você não.
– há, você pode e eu não posso? – brinquei.
– É diferente! – riu e completou – é o meu é trabalho.
– não, não é diferente, olha eu posso chamar alguém do meu trabalho pra fazer isso comigo, você ainda terá sorte que não beijarei ele na frente das câmeras pra você ver.
Riu e beijou meu rosto – nem pensar e não deixaria ninguém te beijar.
– isso é injusto – brinquei.
Rimos e ele se explicou – amor, sei que é difícil mais depois você se acostuma..
– Acho que não consigo me acostumar – sorri sem jeito e completei – E a odiei.
riu – isso é só ciúmes.
– não, ela tem cara de antipática.
– Ela não é.. – riu.
– Esta a defendendo? – o olhei e ele riu – só estou dizendo que ela não é antipática.
Falou me abraçando mais – Sabia que foi ela que me aconselhou a vir falar com você?
– isso ainda não me faz gostar dela.
– E ela também esta me dando cobertura para estar aqui com você e agora conta?
– mais ou menos, mais ainda não gosto dela – e ele riu e me beijou.
Ao nos soltarmos e deitamos um ao lado do outro ele perguntou – vai ficar aqui em Nova York por quanto tempo?
– Até amanhã a noite.
– há, tão pouco tempo, fica comigo aqui e voltamos juntos.
– Não posso, tenho que voltar para o trabalho.
– Queria que ficasse, vou sentir saudades – Falou se aproximando dos meus lábios novamente.
– Quando voltar podemos passar alguns dias juntos, você precisa focar no seu trabalho. – falei e ele sorriu.
– Quando voltarmos para Los Angeles faremos aquela reunião de família na minha casa, quero que todos vejam você – Disse.
– Não quer esperar um pouco?
– por que? Quando minha mãe precisou desmarcar com todos foi o pior sentimento que senti, quero que vejam o quanto estamos bem – Esticou os lábios.
– por quanto tempo irá ficar? – perguntei.
Ele fechou um dos olhos entortando a face – hum.. – pensou antes de responder.
– infelizmente um mês.
– oque? – perguntei abrindo os olhos.
– É eu sei, é péssimo.
– Sim, é.
– Vai vir me ver de novo? – perguntou.
– não vim te ver – sorri.
– Sua equipe veio me ver – riu se aproximando novamente – então você também.
Ri – me esqueci totalmente, Mais virei..
Sorriu me beijando.
Ficamos a noite toda conversando, quando estava chegando uma hora da manhã ouvimos uma batida na porta e ele logo ficou curioso, quem seria? Ashley sabia que ele estava aqui e ela não voltaria naquela hora.
– quem será? – perguntou.
– Não sei – me levantei para abrir e ele se levantou junto – não, espere, pode ser perigoso.
– quem vai nos matar num hotel? – ri.
– não, alguém pode esta tentando confirmar que estive aqui – sussurrou.
Olhei para a porta e ele me olhou.
– Então se esconde.
Bateram na porta novamente.
– já vai – olhei para ele – vai para o banheiro.
Enquanto ele ia olhei pelo o olho magico.
Era Marie, ela estava de braços cruzados como quem estivesse com frio olhava de um lado para o outro no corredor.
Oque ela estava fazendo aqui? Bufei – Taylor pode vir.
Abri a porta e ela esticou os lábios rapidamente e os voltou ao normal enquanto ele chegava por detrás de mim. – Marie? – perguntou.
Ela respirou fundo olhando de um lado para o outro e eu permanecia em silencio a observando.
– Taylor, temos problemas – De repente ela me olhou novamente – ela que é a Emily?
– É – respondeu e olhei para trás percebendo seu simples “É” e voltei a olha-la.
– Então estou certa, estão com uma foto de vocês dois num bar daqui de nova York estão dizendo que é uma mulher misteriosa, por que não deu para ver o rosto vocês estavam próximos demais – disse puxando o celular do bolso para mostrar.
Taylor passou a mão no rosto nervoso de repente, mais por que tanto? Olhei torto para ele em silencio e passou por mim pegando o celular da mão dela para observar.
– olhem – Disse ela.
Ele me mostrou e respirou fundo – qual o problema? – perguntei.
– o problema? – perguntou ela sarcástica e sorriu.
Olhei para ele como se quisesse dizer “ela não parece, ela é antipática”.
– não contou para ela? – perguntou ela.
– contar o que? – perguntei olhando para ele.
Ele respirou fundo e foi até a porta olhando de um lado para o outro e pedindo Marie para entrar.
– contar o que? – perguntei novamente e ele fechou a porta.
– Eu ia te dizer – piscou os olhos antes de passar a mão no rosto.
Cruzei os braços enquanto ela estava atrás de mim prestando atenção em nossa conversa.
– Marie e eu não podemos quebrar esse contrato.
Olhei para ela e voltei a olha-lo – ih?
– Se eu aparecer com qualquer pessoa que não seja da minha família, Marie e eu teremos que pagar uma multa muito alta.
Arregalei os olhos e ela completou atrás de mim – E essa foto se confirmada vai ser o fim, precisamos fazer alguma coisa Taylor, não tenho dinheiro para tudo isso você não pode por tudo em risco por causa dela, eu te disse.
Olhei para trás, ao perceber que não havia gostado da forma que havia dito se recompôs – me desculpe, não é nada pessoal, estou nervosa demais.
Olhei para ele – Por que não me disse isso antes? – perguntei e antes que pensasse perguntei novamente – por que não fez oque deveria?
– por que me deixei levar, na hora nem pensei que poderiam comentar algo que aconteceu num restaurante.
– você poie em risco o nosso trabalho e nossa imagem – disse Marie e eu a olhei antes de respirar fundo.
– Vim aqui por que soube que estão vindo pra cá.
– quem?
– fotógrafos, jornais de fofocas, muitos outros porque alguém do hotel disse que você esta por aqui.
– droga.. – sussurrei, mais logo lembrei dos lugares que as fontes seriam muito concretas.
– Esperem – procurei meu notebook pelo quarto.
– o que vai fazer? –perguntou ela e ele seguiu meu olhar.
Peguei meu notebook e liguei me sentando a cama.
– vou saber de todas as informações que estão sendo jogadas sobre vocês agora, se ainda não souberem quem é a pessoa da foto podemos mudar essa situação.
Perguntou ela – fazendo o que?
Como se minha ideia fosse estupida que até Taylor que a defendia não gostou e sentou ao meu lado.
Abrindo os sites que mais usávamos para pegarmos informações sobre ele não sabiam quem seria, a foto estava meio de lado, meu rosto tampado, mais se lembrava da minha jaqueta usada naquele dia e ela estava comigo. Sorri ao perceber que ninguém tinha mais imagens e minha ideia daria certo.
– Otimo, ninguém sabe quem é, então podemos reverter a situação, você usa a jaqueta que usei naquele dia, ela esta comigo.
Ela enrugou a testa, achava que não funcionaria, mais ela não conhece os fãs como eu conhecia e uma simples foto de dias diferentes diria tudo.
– como isso pode ajudar? – reprovou a ideia, não fazia a menor ideia do que se tratava.
– Marie, só vista, faça o que a Emily esta dizendo, ela não diria isso atoa.
Ela bufou olhando pra cima.
– tá, cadê a roupa? – falou.
Levantei-me em busca da roupa e ouvi-a ainda resmungar sobre a ideia e ele dizer que eu estava certa que sabia como os fãs reagiriam e os sites de fofocas acreditariam.
 Peguei minha jaqueta e a entreguei – toma.
Olhou para as minhas mãos e apertou os lábios pegando a jaqueta e usando.
Ele se levantou da cama e achei melhor que ele fosse embora com ela, não queria que ele se encrencasse – é melhor você ir com ela – falei.
– já? – perguntou se aproximando.
– É, para o seu bem – Esticou os lábios rodando suas mãos em minha cintura – você é demais, por isso é que eu te amo – Deu um beijo em minha bochecha.
Sorri ainda incomodada com a presença dela e a olhei que cruzava os braços odiando a ideia de se vestir igual a mim, de costas qualquer pessoa que visse os dois juntos entenderiam que era ela e não eu.
– Vamos? – perguntou ela e a olhamos.
Ele me olhou sorrindo – Tá – me deu um selinho demorado.
– Tchau, vou ligar para sua casa amanhã. – falou.
Sorri – vou esperar.
– Anda Taylor vamos – passou por nós abrindo a porta.
– Tchau – me beijou novamente – Tchau..
Ao passarem pela porta ele voltou e me deu um ultimo beijo – Eu te amo.
– Também te amo – falei enquanto se afastavam.
Esperei andarem até o elevador e ao vê-lo mandar um beijo no ar, acenei e fechei a porta.
No momento não me preocupava com Marie, mais sentia que ela permanecia incomodada com a minha presença assim como permanecia incomodada com a dela. As coisas ditas pela Ashley eram verdade, ela é muito fria.
Encostando-me a porta respirei fundo tentando não me sentir insegura, enciumada.

Sentei na cama e esperei que tivesse fotos dos dois juntos para que começasse a mostrar as evidencias da mulher misteriosa, que misteriosa eu não tinha nada. Mais seria ela a estar com ele.

Um comentário:

  1. Quase gritei quando vi a notificação. Finalmente meu Deus, esperei tanto eles se resolverem, agora as questões que surgem são: A Marie não vai atrapalhar eles não né? Vai rolar alguma coisa entre o Rick e a Ashley? e a principal, QUANDO VAI POSTAR O PRÓXIMO CAPITULO???????? CONTINUAAAAA

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA