16 novembro 2016

Fanfiction: Diário de Uma Paixão - Capítulo 34




*** Carol POV ***


Ele me apertava tanto que parecia que íamos entrar um no outro. O beijo era urgente, molhado, como se precisássemos daquilo para sobreviver. Eu já estava com as mãos em seu pescoço, como ele mesmo disse “dane-se tudo”!

Suas mãos apertavam as minhas costas e fazia com que eu me arrepiasse ainda mais. A minha vontade era de levá-lo para o quarto, mas a frase de James “você se comportou como uma garota de programa” ainda me torturava.


Quando faltou o fôlego paramos e ele encostou sua testa na minha. Sentir o seu hálito misturado com o meu era a melhor sensação do mundo. Não demorou muito e ele voltou a me beijar, dessa vez mais calmo, mas sua língua ainda pedia passagem como antes. Que língua, que hálito, ele era tudo de bom.
Mais uma vez o ar nos faltou. Paramos o beijo e ele disse:

-Você está com gosto de vodka.

Eu sorri tímida.

-Eu nunca bebo – falei.
-Eu sei, o seu beijo é bom com qualquer sabor - ele disse e eu corei.

Ele me abraçou e beijou meu pescoço… nossa! Eu ia desmaiar a qualquer momento. Depois de me torturar com seus beijos e mordiscos em meu pescoço, ele me olhou e disse:

-Você me perdoa?

Suspirei.

-Agora entendo porque fez tudo isso, e obrigada por se importar com a minha carreira. O meu trabalho é muito importante e lutei muito para conseguir o que consegui até hoje. Não é muita coisa, mas já consegui uma campanha com um ator de Hollywood chamado Taylor Lautner.

Ele riu mostrando todos aqueles dentes maravilhosos.

-Esse ator tem sorte – ele disse e eu ri.

Continuamos abraçados e nos olhando. Estava feliz, mas senti uma tristeza ao dizer:

-Taylor, nada disso importa se Christian souber que estamos juntos. James também não vai aceitar e minha vida vai virar um inferno.
-Vamos pensar em uma maneira de levar isso sem que eles saibam – Sorri.
-E aonde vamos nos esconder? Porque em qualquer lugar vamos ser fotografados juntos.
-Eu sei, mas não precisamos sair juntos. Podemos sair em conjunto, como hoje e ficarmos separados, infelizmente vai ter que ser assim – sua expressão se torna séria.
-Nossa, nem um cinema? – ele gargalha.
-Cinema? Quantas vezes você viu ou ouviu “Taylor Lautner vai ao cinema com namorada”?

Namorada? Ele disse mesmo isso?

-Eu não acompanho a sua vida, engraçadinho.
-Eu sei, mas não dá. Um dia quem sabe.
-Não sei, quem sabe dá para levar.
-Quem sabe? Ainda está na dúvida? – ele perguntou
-Não, mas estou apreensiva, nunca fiquei com alguém famoso antes. Não sei como me comportar nestes casos.
-Você já está famosa também. Tarik me mostrou suas fotos nos sites e revistas sobre a campanha da 
Bench, logo mais vem mais trabalho e daí você vai saber do que estou falando. Você vai querer ficar 
longe de todos para esconder a sua vida pessoal – murmura.
-Assim como você… - completei.
-Assim como eu… - ele confirmou.

Olhei para os lados, pensativa. Não era apenas ficar com ele, era fazer uma escolha. Escolher ficar escondida, sem ir ao cinema ou a um bar, sair normalmente.

Olhei para ele de novo e não tive dúvida em falar.

-Acho que posso tentar conviver com isso.

Ele sorriu e me beijou de novo.

-Podemos sentar? Estou cansada de ficar em pé – murmurei ao nos separamos.
-Claro! Ah, não sei você, mas eu estou morrendo de fome - ele disse com a mão na barriga, era tão sexy.
-Também estou, topa um hambúrguer a essa hora? – sorri ao falar.
-Com certeza.

Ele fez questão de pegar na minha mão para me acompanhar até a cozinha. Foi o nosso primeiro ato como “ficantes oficiais”. Eu por dentro gritava de felicidade.

-Quer ajuda? – perguntou.
-Não, eu faço bem rápido – sorri agradecendo.
-Nossa, você é boa em tudo então? – disse rindo.

Fiquei vermelha, claro.

-Você tem vergonha de tudo e na frente das câmeras é bem desenvolta.
-Obrigada, eu tento parecer confortável.
-E parece super confortável, acredite.

De repente não estávamos mais sós.

-Que cheiro bom é esse? – Rose entra aos gritos.

Rose, Tarik, Patrick e Natalie ficaram olhando para nós e rindo. Eles sabiam de certa forma que já tínhamos nos entendido.


*** Rose POV ***


-Faz um para mim, Carol – peço.
-Claro, quem mais quer? Aproveitem agora porque não vou fazer mais depois – Carol disse com a frigideira na mão.
-Eu! – todos gritaram ao mesmo tempo.
-Isso era para ser um jantar romântico – Taylor faz cara de emburrado e Patrick é o primeiro a zombar com ele.
-Até parece que em uma casa com mais de quatro pessoas, você teria um jantar romântico - disse 
Patrick arrancando risos de todos.
-Vocês deveriam ter continuado na balada – Taylor insistiu.
-É, estamos aqui para atrapalhar mesmo - eu disse abraçando Tarik.

E me lembrei de que Carol não sabia ainda sobre o que aconteceu com Paul e eu. Ela estava de costas fazendo os hambúrgueres e não viu o abraço. O larguei na hora e ele me olhou entendendo a situação.

Quem nos olhou torto foi Taylor, que ainda não sabia de nada. Para ele eu era uma traidora nata. Com isso, cheguei perto dele e disse baixinho:

-Só para você saber, eu não estou mais casada. Aliás, estou, mas vou me separar logo, é uma longa historia. Depois te explico.
-Ah - ele suspirou aliviado - já estava pensando que você era uma péssima companhia para a Carol - ele disse baixo e sorriu.

Coloquei a mesa e comemos em conjunto. Falamos sobre tudo e era muito bom ver a minha amiga rindo de verdade de novo. Taylor também estava com outra fisionomia, ele a tocava o tempo todo e era muito carinhoso com ela.

-Só para saber, o que aquele cara queria com você, hein? – Taylor perguntou a Carol. Ela riu e o fitou.
-Nossa, você vem se lembrar disso agora?
-Taylor, você vai ter uma congestão, melhor não saber disso – intrometo-me.
-O que um cara quer com uma mulher bonita na balada? – Patrick também atiça.
-Tá, tá, já entendi - Taylor respondeu e todos riram.

Depois do hambúrguer nos sentamos na sala para continuar a jogar conversa fora. Eram três e meia da manhã e todos estavam quase desmaiando de sono.

-Vamos dormir? Amanhã temos que aproveitar a praia – falo.
-Vamos! – respondeu Carol se levantando e Taylor a acompanhou

Tarik me olhou e eu não sabia como me comportar. Esperei Carol sair para levantar.

-Eu te levo até o quarto também? – Tarik perguntou.

Caramba! Há muito tempo não transava com outro cara, mas quer saber? O meu marido, ao qual jurei amor eterno, estava com outra no hotel. Por que não?

-Daqui a pouco eu te mando uma mensagem e você vai ao meu quarto ok? – respondi baixo
-Okay - ele disse e piscou.


*** Taylor POV ***


-Está entregue no quarto! – eu disse.
-Obrigada, boa noite - ela respondeu me abraçando.

Que abraço! Eu poderia ficar assim por muito tempo.

-Amanhã eu venho aqui acordar você - eu disse rindo.
-Não venha cedo, por favor – ela riu.
-Claro que não, estou com muito sono também - respondi e a beijei.

Entre os últimos selinhos eu me despedi. Ela entrou no quarto e eu caminhei até o meu, quando ouvi um “psiu!”. Olhei para trás e era Rose vindo em minha direção.

-O que foi?
-Você vai deixá-la dormir sozinha? – Ri.
-Acabamos de nos entender, calma – respondi.
-E dai?
-E daí que não estou com pressa – agora é sua vez de rir.
-Duvido, vai lá. Bate na porta e entra.
-Rose, porque não vai dormir, hein?
-É verdade Taylor. Por que temos que ensinar você a fazer as coisas, hein? – Gargalhei baixo.
-Você é muito engraçada. Tchau, boa noite!
-Espera ai, você não tem camisinha, né?
-É, eu não tenho. Eu ia passar o final de semana com dois amigos! Para que camisinha?
-Tá, entendi. Eu tenho um monte aqui, se quiser… Mas tem que pegar agora porque depois eu não vou abrir a porta.

Eu a olhei rindo. Ela era realmente engraçada. Por isso Tarik gostou dela.

-Dou-lhe uma, dou-lhe duas… - ela dizia.
-Tá! Tá! Onde está? – entrei em seu jogo de uma vez.
-Aqui, vem.
Ela me levou até o quarto. Pegou seu nécessaire e tirou pacotes e mais pacotes de camisinha.
-Não me olhe assim, eu usava com Paul e deixei algumas aqui - se explicou.
-Nossa – eu disse rindo.
-Quantas?
-Sei lá.
-Pega isso aqui – entrega-me três pacotes com três camisinhas cada – ri da situação.
-Tudo isso? Nem sei se vou usar, mas obrigado.
-Se não usar, você é realmente muito mole.
-Tá, tchau! Boa noite!
Fui para o corredor e em direção ao meu quarto. Mais uma vez escuto:
-Psiu!

Olho para trás e é Rose de novo.

-Meu Deus, o que você quer agora? – perguntei rindo.
-Aonde vai?
-Para o meu quarto. Posso?
-Vai usar isso tudo sozinho? – Gargalho.
-Louca! Deixa comigo tá, tchau.

Entrei no quarto rindo e fechei a porta. Pensei, pensei e é óbvio que eu queria dormir com ela. Foi então que tive a brilhante ideia de mandar uma mensagem.

TAYLOR: OI… NÃO DORMI AINDA…

CAROL: OI?

TAYLOR: POSSO IR AI?

Esperava ansioso por uma resposta que veio cinco longos minutos depois

CAROL: SIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA