27 dezembro 2016

Fanfiction: Believe - Capítulo 39




*** Taylor POV ***


Eu fiquei transtornado com a mensagem do Patrick para Jenny. Na noite da mensagem eu me acalmei porque estava com ela e ela tem o dom de me deixar bem e feliz nas piores horas, mas é óbvio que eu não ia deixar essa história passar.
Enquanto Jenny voltava para os seus shows, eu voltei para minha rotina e um dia eu fui até a casa de Patrick. Quando ele me viu quase caiu para trás.


- Taylor?
- Posso falar com você?
- Caramba, cara, estou de saída.
- Mas é rápido.
- Então fala.
- Deixa minha namorada em paz, ok? Eu vim te avisar como um cara que já foi seu amigo. Ela pode te denunciar por perseguição e assédio. 


A cara dele de calmo me deixava ainda mais nervoso.


- Cara, você acha que ela não deu mole para mim? Por isso eu insisti.


Eu segurei meu pulso para não socar a cara dele.


- Eu acho... Até porque se ela tivesse te dado mole não me contaria o que você foi fazer no camarim dela. Se liga. 
- Ela te contou que eu passei a mão no rosto dela? Que eu a acariciei?


Eu dei um passo para frente, mas ele não reagiu porque sabia que eu não podia fazer nada.


- Patrick, estou te avisando para ficar longe. Não vai ter o segundo aviso.
- Eu já consegui o que queria. Não vai ter segunda vez, pode deixar.


Saí de lá bufando e louco para encontrar a Jenny pessoalmente para tirar essa história a limpo. Ela teria o próximo final de semana de folga e seria a oportunidade. Eu estava louco de ciúmes. Isso nunca aconteceu.


*****


- Oi, amor. Amanhã estou ai para te dar muitos beijinhos. 
- Oi. É eu quero muito falar com você – digo.
- O que foi?
- Nada, amanhã nos falamos.


Desliguei o telefone e Tarik já deu palpite.


- Precisa descontar a raiva nela? – fala.
- Ela não me contou sobre a mão no rosto e outras coisas que só Deus sabe.
- Taylor, você acha que ela não quis te poupar? Se liga, eu não teria falado também.
- Ela tem que me contar tudo! Eu gosto de lealdade, sinceridade e fidelidade. Sem isso não tem porque ficar junto.
- Que exagero.


Naquela noite fui dormir puto da vida! 


*** Jenny POV ***


- Que cara é essa? - Danny perguntou
- O jeito que Taylor falou comigo, rude, estranho.
- Vai ver ele estava cansado.
- Não... Eu o conheço, aconteceu alguma coisa.


Naquela noite dormi curiosa, ansiosa e triste.


*****


Fui direto do aeroporto para casa. Eu já tinha combinado com o Taylor que ele iria para lá. Duas horas depois da minha chegada ele toca a campainha.


- Oi, amor. - eu disse e nos abraçamos.
- Oi - ele retribuiu o abraço, mas foi frio.
- Tay, o que foi? Estou curiosa para saber por que está assim.
- Falei com Patrick sobre a ida dele ao seu camarim.
- E?
- E ele me contou coisas que você não me contou.
- Como o que, por exemplo? - eu já estava nervosa.
- Como, por exemplo, ele passar a mão no seu rosto. Acariciar você! – ri alto.
- Ele disse isso?
- Sim... Qual a graça?
- A graça é que sim, ele fez isso, me encostou a parede, mas o que eu ia fazer? Dar um chute no saco dele? Bem, era o que eu deveria ter feito, mas tenho uma carreira a zelar.
- Jenny, você precisa me contar tudo. Senão...
- Eu contei o mais importante – falo exasperada – E senão o quê?


Ficamos nos olhando e ele não teve coragem de falar o que realmente queria. 


- Estou com um ciúme que nunca senti.
- Então pode parar. Taylor, eu sou conhecida, famosa, tenho fãs. Sempre vai ter um cara idiota mandando mensagem e querendo tocar em mim. Patrick não foi o primeiro! 


Ele me olhava assustado, mas estava absorvendo tudo.


- Você foi o segundo cara que eu transei, e sabe quantos anos eu tenho? 25, pois é. E sabe quantos caras lindos, ricos, famosos e interessantes já me chamaram para sair? Então confie mais em mim, ok?
- Desculpe - foi tudo o que ele disse.





*** Taylor POV ***





Eu ouvia com atenção a lição de moral que ela me dava e confesso que sentia vergonha de mim mesmo. Eu tive certeza naquele momento que eu a amava e que nunca na minha vida acharia uma mulher como ela. 

Sincera, forte, determinada e linda...



Eu levantei do sofá e fui em sua direção. Ela me olhava séria e eu não resisti. Depois de um beijo daqueles de tirar o fôlego de qualquer um, eu abri meu coração.


- Isso não vai mais acontecer. Estou com vergonha, eu amo você - eu disse.
- Você precisa confiar mais no seu taco! Eu também te amo.


A reconciliação ia ser na cama, mas ela estava cansada e eu não quis forçar nada. 


- Meus pais querem conhecer você - ela quebrou o silêncio.
- Ah é? Eu também e faz tempo. Quando?
- A próxima vez que eu vier para L.A.
- Okay, é só marcar.


Eu a observava arrumando as malas, falando com a Maria, com Carlos e cuidando da casa. Além de toda correria ela tinha tempo de fazer essas coisas. Ela era uma mulher completa e eu um moleque de 21 anos tentando aprender mais a cada dia.


Enquanto a observava eu pensei: vou falar com meus pais. Falar sobre casamento, família etc. Quero um conselho para não perder essa mulher. Se eu vacilasse ela encontraria um cara mais maduro e interessante e minha vida estaria arruinada. Daí eu teria que casar com essas meninas bobas que aparecem ao meu lado para se promover. Só de pensar eu preferiria ficar o resto da vida solteiro.


*****


Duas semanas depois que ela se foi de novo para sua turnê, eu pedi o meu primeiro conselho ao meu amigo mais velho e quase casado.


- Tarik, preciso da sua ajuda.
- Para?
- Na verdade é um conselho. Desde o início eu sei que a Jenny é demais para mim.
- Demais?
- É. Mais madura, enfim, uma mulher de verdade. E eu sou um moleque, né.
- Taylor, você não é moleque! É bem maduro para um cara da sua idade.
- Tá, mas eu não quero perdê-la. Sei lá, eu acho que a qualquer momento ela vai conhecer um cara maduro e que vai...
- E que vai pedi-la em casamento – interrompe-me.
- Com certeza.
- Taylor, se você a ama, se você acha que isso não vai atrapalhar sua carreira, vai fundo. Porém para dar um passo assim tem que ter muita certeza.
- Certeza eu tenho, mas ela não vai aceitar. Eu vou esperar para fazer isso.
- Se você acha melhor... Ah, eu estava fazendo uma pesquisa e vocês dois são o casal do momento. Para sua carreira e para dela não está fazendo mal, então.
- Obrigado pela ajuda.
- Quem diria, hein. Taylor Lautner com ciúme e falando de casamento.



Realmente todas as suas fãs queriam ser a Jenny por um dia, pelo menos. Disso eu tenho certeza! – Gargalha.




Ficamos rindo do comentário besta do meu amigo. Bom, pelo menos agora eu tinha certeza do meu futuro, mas eu ia esperar. Minha razão esperaria, enquanto meu coração se casaria logo com a mulher mais linda deste mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA