07 dezembro 2016

Fanfiction: Diário de Uma Paixão - Capítulo 35






*** Taylor POV ***

Sorri ao ver a mensagem. Ela tinha dito sim! Soltei um suspiro e comecei os preparativos.

- Celular, camisinhas. Tenho que arrumar o cabelo. Pijama! Já vou de pijama. 

Eu falava sozinho.

Coloquei minha calça de moletom e uma camiseta branca de dormir. Passei desodorante, perfume e peguei os itens da minha lista. Coloquei tudo no bolso e percebi que a casa estava no maior silêncio. Que estranho...

Tarik não estava no quarto, Patrick não estava no quarto. É, eu era o mais molenga mesmo! E pensar que se não fosse Rose, eu dormiria sozinho.

Saí do quarto na ponta dos pés, mas todo o silêncio que eu fazia não adiantaria de nada já que eu teria que bater na porta dela. Já no corredor ao invés de bater, mandei uma mensagem:



TAYLOR: OI! ESTOU AQUÍ NA PORTA.



E se ela não visse? Bom, resolvi esperar. Mas é claro que ela viu. E em dois segundos ela abriu a porta. Meu Deus! Eu só podia estar sonhando. Ela estava de camisola e cheirosa, muito cheirosa. Abriu a porta tímida e eu só consegui dizer:

- Oi - engoli seco.
-Oi, entra – fez sinal com a mão para que eu entrasse logo.
-É muito constrangedor, não quero que vejam você entrar aqui - ela disse rindo.
-É - respondi enquanto entrava no quarto – Nossa, que linda vista você tem aqui - eu disse me aproximando da sacada que era de frente para o mar.
- Pois é! Rose quis que eu ficasse com esse quarto. Sorte minha.
- Sorte a minha de estar aqui – aproximei-me dela dando um selinho demorado.

Estava quase perdendo os sentidos.

- Esperai! Quero fazer isso direito – coloquei meu iPhone em cima do criado-mudo para tocar a música “Stay With Me”.
-Essa música é linda! – fala.
-É… eu sempre me lembro de você quando a escuto - caminho em direção a ela.

Ela estava visivelmente nervosa e eu também. Parecia que nunca tínhamos feito nada. Porém, na verdade, é como se fosse a primeira vez mesmo. Porque seria a primeira vez que dormiríamos juntos de verdade, sem James, sem Christian, sem ninguém para atrapalhar.



*** Carol POV ***



Depois que colocou a música que fazia eu me lembrar dele, ele me beijou com vontade. Eu não sabia o que fazer, estava nervosa! Tinha esquecido que ele já conhecia meu corpo e eu o dele.

Enquanto me beijava levantava a minha camisola, o que me fazia ficar arrepiada. Fiquei somente de calcinha. Ele parou de me beijar e começou a percorrer o caminho do meu pescoço aos meus seios beijando delicadamente. Eu já não raciocinava mais. Ele parou e tirou a camiseta, é, não tinha como raciocinar vendo-o tão de perto com aquele tórax definido.

Ele voltou a me beijar e me abraçou com força. Sentir meus seios em seu peito nu era uma sensação indescritível e provavelmente uma sensação boa para ele também. Além disso, eu sentia sua ereção. Ele estava sem cueca de novo. Certeza! Só aquela calça de moletom já me deixava louca e saber que ele não usava nada por baixo me deixava mais louca ainda. Ele colocava uma das mãos por dentro da minha calcinha, para sentir minha bunda e eu soltava uns gemidos discretos.

Ele me conduziu até a cama. Deitei e ele deitou por cima de mim. Eu já conhecia essa cena antes… tão sexy! Tão lindo…

Ele me olhava tão intensamente que eu explodiria de vergonha a qualquer momento. Eu não conseguia ficar 100% relaxada e não sei o por quê. Talvez por ele ser um astro de Hollywood e por provavelmente ter dormido com mulheres muito mais bonitas que eu. Enfim, eu tinha vergonha, mas me deixei levar.

Ele colocou a mão no bolso e tirou um pacote de camisinhas. Vi que tinham três. Ai meu Deus, usaremos as três, será? Eu sofria por antecipação.

Ele jogou o pacote na cama e voltou a me beijar. Eu me ajeitei melhor na cama para ficarmos mais confortáveis e ele me acompanhou. Afastou-se e tirou minha calcinha jogando-a fora da cama. Okay, mais uma vez exposta, mas não tinha jeito. Fazia parte de qualquer transa normal do universo.

Eu estava depilada. A minha depilação é a brasileira, ou seja, era quase completa, mas eu ainda deixava um risco de pelos, para não ficar totalmente pelado. Era muito boa a sensação e com certeza dava mais prazer, para mim e para ele. Ele olhou e sorriu… será que tinha gostado?

Depois de tirar a calcinha foi a vez de tirar a calça dele. Ele abaixou rápido e jogou também ao lado da cama. Eu poderia olhar mil vezes e as mil vezes eu ficaria indignada com o tamanho! Era perfeito! Olhei discretamente e voltei a olhar para ele. Totalmente pelados, ele voltou a me beijar, e como aconteceu no hotel, ele ameaçou de novo a penetrar sem camisinha.

- Taylor! Não! – o repreendo totalmente ofegante.
- Posso sentir? Só um pouco? – pediu.
-Se você confia em mim, sim – respondi.
-Confiar? Por que está dizendo isso?
-Porque sem camisinha é só com muita confiança.
-Eu confio e você confie em mim também, por favor - ele disse rindo.

Eu sorri. Tem como resistir? Apesar de eu ser super certinha com essas coisas.

-Eu deixo então. Seja rápido, por favor – o alerto.

E então, ele me penetrou. Sem camisinha, sem nada que atrapalhasse sentir tudo aquilo em mim. Joguei a cabeça para trás para me controlar, senão gozaria em segundos.

Ele começou os movimentos de vai e vem. Que de lentos se tornaram cada vez mais intensos.

-Melhor parar! – Falo.

Ele estava com os olhos fechados como se apreciasse o momento. Quando eu disse para parar ele tirou e gemeu. Ele tremia e tentava muito se controlar.

-Desculpe, não queria parar – confessa.
-Eu também não – também confesso.

Ele ficou de joelhos e eu com as pernas abertas. Pegou o pacote de camisinha, abriu e colocou sem tirar os olhos de mim. Eu amava essa cena! Era muito, muito sexy!

Ele voltou para a mesma posição e me penetrou de novo. Dessa vez eu não ia aguentar. Seus movimentos eram bem rápidos. Enquanto me penetrava, me beijava, beijava meu pescoço e meus seios. Eu gemia discretamente porque nunca fiz escândalos na cama. Até porque lembrei que havia mais pessoas na casa. Ele também era discreto, seus gemidos eram baixos, contudo intensos.

- Vou gozar – seus movimentos ficaram cada vez mais rápidos.
- Eu também.

Eu já não tinha mais forças. Quando gozei tentei me controlar, mas não teve como não soltar um gritinho, não foi o suficiente para ser escutado no quarto ao lado. Ele gemeu abafado e caiu mais em cima de mim, me beijando delicadamente.

Quando voltamos para nossa consciência, ele saiu de mim e foi até o banheiro. 

Ainda bem que eu estava em uma suíte, pensei.

Eu estava exausta de prazer e me recompus colocando minha calcinha. Enquanto isso ele saiu do banheiro colocando sua calça sem cueca. Eu deitei na cama e ele me acompanhou.

Ele me olhava tanto que me deixava nervosa.

- O que foi? – perguntei.
- Nada, só estou olhando você…

Para quebrar a vergonha eu o beijei. Ia parar o beijo, entretanto ele me puxou mais forte fazendo com que eu ficasse em cima dele na cama. Não sei quanto durou, mas a ereção dele já estava pronta novamente e eu pensei: sim, vamos usar mais uma camisinha.

Eu me sentia dona dele. Ele era meu, só meu. Ele me beijava, apertava minha bunda e acariciava meus seios, enquanto eu beijava o seu pescoço. Como ele era cheiroso!

Fui descendo para o seu tórax e abdômen. Ele me olhava incrédulo, talvez não estivesse acreditando na minha coragem de fazer aquilo. Abaixei a sua calça e a tirei, jogando no chão. Quando ia fazer o que eu menos tinha experiência, ele me impede.

- Não! Deixa-me fazer primeiro.
- O quê? – perguntei sem entender.

Como ele faria nele mesmo? Pensei.

- Eu quero fazer em você primeiro.
- Ah - como eu era inocente. Quase revirei os olhos.

Ah não! Fazer em mim? Ai, eu nunca estava preparada pra isso.

Enquanto ele me deitava na cama e ficava em cima de mim de novo perguntou.

- O que foi?
- Nada – respondi.
- Você não gosta? Não precisamos fazer
- Não… é que sei lá… acho que você pode não gostar, não sei - respondi e ele riu.
- Com você não tem como não gostar – fala e já vai descendo pela minha barriga.

Beijando delicadamente cada dobrinha e rapidamente tirou minha calcinha. Voltou a beijar minha barriga e foi descendo. Fechei os olhos porque não queria olhar para ele.

Ele abriu minhas pernas e começou a me beijar… ali! Ali mesmo! Contorci-me na hora que senti seus lábios na minha parte mais íntima. Ele movimentava a língua de baixo para cima, em movimentos hora retos, hora circulares. Sim, eu ia desmaiar!

Depois de um tempo achou o meu clitóris e ai não teve jeito, peguei o travesseiro que estava na minha cabeça e tampei meu rosto. Se eu gritasse de prazer pelo menos ninguém escutaria. Ele continuou e se já não bastasse todo o prazer que eu estava sentindo ele fez o favor de penetrar um dedo.

- Ah! – gritei no travesseiro e me contorci.

Ele continuou sem se importar com a minha inquietude. Minhas pernas estavam tão soltas que eu não conseguia controlar. Com isso, ele tirou o dedo para segurar uma das pernas. E em poucos segundos eu tive o melhor orgasmo da minha vida! E com ele! Com Taylor Lautner! Quem diria!

Eu gritava, ria e tinha vontade de chorar de tanto prazer. Fiquei tremendo por uns minutos enquanto ele tirava o travesseiro do meu rosto.

- Tudo bem? – perguntou.
- Sim - respondi ainda com os olhos fechados.
- Você é deliciosa, sabia? – elogia-me e abro os olhos.
- Não fala isso.
- É sim. Você disse que eu talvez não gostasse, não tem como – continuou.

Eu sorri e o beijei. Senti o meu gosto em sua boca e até que não era ruim. Paramos de nos beijar para escutar um barulho esquisito que vinha do quarto ao lado. Eram gemidos e risadas.

-Nossa! Tem algum casal mais animado que a gente - Taylor disse rindo.
-Casal? Só tem a gente, a Nat e o Patrick - disse sem entender.
-Foi isso que eu quis dizer - ele respondeu sem graça.
-Vem do quarto da Rose! – notei surpresa.


Taylor ficou em silêncio e respondeu:


- É a Natalie e o Patrick, com certeza – volta a me beijar.
- Não! Eu conheço essa voz – eu disse intrigada.
- Seja quem for podemos voltar ao que estávamos fazendo – e é claro que eu não resisti... Mais uma vez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA